Discutir Histórico Ver Ultima Mudança Editar Pesquisar
Pino .  

Esta página contém material oriundo dos livros oficiais e não pode ser editada

A Cidade-Estado de Pino é limitada ao norte pelo mar do Norte, a sudeste por Quízes, ao Oeste por Conti e a nordeste por Novo Porto. Por Pino estar próxima ao mar e estar numa faixa mais úmida, próxima a Conti, seu clima é o mais ameno de todas as cidades. Nela podemos discernir bem como as diferenças de umidade afetam o clima: vegetações secas mais ao centro, uma mata de transição, com um pequeno rastro de caatinga e uma mata de cocais na fronteira de Conti. Outra parte importante do seu relevo é o rio Branco que desce da Serra de Pino, lá fica toda a área cultivável desta Cidade-Estado. A economia de Pino é baseada principalmente no comércio e produção de óleos vegetais, extraídos das árvores da região, assim como palmito, utilizadas na culinária e na produção de óleos perfumados. Pino produz também vários queijos de leite de cabra e de vaca, tem uma produção pesqueira muito boa e uma extração mineral que vem crescendo aos poucos. O excedente destas produções é trocado com Conti e Plana, para suprir a falta de alguns gêneros alimentícios.

Governo

Constituída por duas oligarquias que culturalmente tem comandado a cidade, cada uma com uma origem étnica diferente. A oligarquia Toredo, de origem das Cidades-Estado, é a detentora das terras e rege a agricultura e a pesca da região. A oligarquia Kaliaka, formada por elfos oriundos de Conti, é constituída por artífices e comerciantes que fugiam daquele reino. As guerras constantes entre as oligarquias e contra o domínio de Conti fizeram com que Pino fosse a Cidade-Estado com o maior exército entre todas. O povo de Pino tornou-se desta forma, um povo com gosto pelo combate. Pino foi a primeira Cidade-Estado a propor a Liga e a que tem mais poder dentro da política intercidades. Sem contar o fato dos generais das cidades, quase todas elas, serem treinados em Pino. Quem governa Pino atualmente é uma mulher, Ivanna Puni. Ela é a oligarca com mais poder dentre todos, tem grandes porções de terras férteis dentro da Cidade-Estado e é comandante-em-chefe de todo o exército de Pino. Ela ascendeu ao poder após conseguir acabar com a revolta de escravos que estavam assolando Pino. Após matar o líder do grupo, ela e seu grupo de soldados invadiram a capital e destronou o antigo regente, o seu próprio pai. Ela mantém o controle de toda a Pino com mão de ferro.

História Recente

Com o fim da disputa interna pelo poder entre as duas oligarquias de Pino (a oligarquia Toredo, de humanos, e a oligarquia Kaliaka, de elfos), graças a ascensão da filha dos líderes dessas oligarquias, a meia-elfa, Ivanna Puni, de forma ditatorial, a  “paz” reina agora e novamente Pino se fortalece, pois Ivanna é a líder mais poderosa de toas as Cidades-Estado. Eles adoram Cambu, Ganis, Blator e Crezir. Cambu é pela população ligada à oligarquia Kaliaka enquanto Ganis, pela oligarquia Toredo. Blator e Crezir são considerados os deuses padroeiros de Pino, já que a Comandante Ivanna instituiu uma lei obrigando o culto a estes deuses. O culto a Selimom existe, mas é mantido em segredo. Assim como o culto a Lena, que estava crescendo entre os Toredo e diminui após a derrocada em Novo Porto.

O povo de Pino

A população de Pino é a mais guerreira entre todas. Com um alto grau de militarismo culturalmente inserido entre eles, é natural que eles sejam os mais belicosos dos povos das Cidades-Estado. Os de Pino tem a reputação de não gostar de estrangeiros. Inclusive as leis sobre estrangeiros são mais rigorosas em Pino do que em outras Cidades-Estado. Os anos de lutas entre as oligarquias étnicas foram forjando esta desconfiança. Essas batalhas terminaram quando o Grande Sábio instituiu que um representante de cada Oligarquia deveria comandar a Cidade-Estado. Os últimos  “tiranos” do reino foram um humano e uma elfa, que acabaram se apaixonando e unindo as duas oligarquias.

Rumores e Intrigas

Pino e Novo Porto estão com relações diplomáticas cortadas há alguns anos. Essa decisão foi tomada logo após a ascensão do Lorde Alstus ao poder em Novo Porto. Dizem que parte da fúria de Ivanna contra o Lorde vem do fato dele não ter ajudado o grupo da oligarquia de Novo Porto ligada a Pino. Dizem também que um dos membros da oligarquia era amante de Ivanna, Auliz Mecenas. Se a ligação amorosa de Ivanna era verdade ou não, não se sabe ao certo. Mas seu ódio pessoal por Alstus é conhecido por aqueles que freqüentam a corte de Pino. Um outro boato é de que Ivanna estaria fazendo vários acordos com Conti, boato este que se fortalece cada vez mais pelo fato de a cada dia mais soldados e nobres deste reino serem vistos circulando dentro da Cidade. O objetivo destes acordos ainda não é certo.

Personagens mais conhecidos

Ivanna Puni


Verbetes que fazem referência

Aventura A Grande Feira, Cidades-Estado

Verbetes relacionados

Pino | Quizes | Ender | Novo Porto | Torbel | Estepe
LGPD (Lei Geral de Proteção a Dados): o site do Tagmar usa a tecnologia de cookies para seu sistema interno de login e para gerar estatísticas de acesso. O Tagmar respeita a privacidade de cada um e nenhuma informação pessoal é armazenada nos cookies. Ao continuar a navegar pelo site você estará concordando com o uso de cookies.