Bem-vindo Convidado Pesquisar | Atividades no Fórum | Entrar | Registrar

Questão da Enquete : Tabelas de preço de Itens (Enquete fechada)
Escolha Votos Estatísticas
Aprovado 4 100 %
Reprovado (precisa de melhorias) 0 0 %

3 Páginas 123>
Tabelas de preço de Itens Opções
#1 Marcelo_Rodrigues Enviado : 05/09/17 14:30
Esta tarefa se destina a revisar e expandir os preços das tabelas do capítulo de Pertences & Afins

Tabelas de preço de Itens
#2 Marcelo_Rodrigues Enviado : 05/09/17 18:42
Pessoal,

o Saulo terminou os ajustes. Confiram na planilha anexa.
#3 samuel.azevedo Enviado : 05/09/17 22:12
Olá, a lista de armas está incompleta para as armas da versão 3.0. Fora isso, excelente trabalho!

Algumas sugestões de melhorias ou expansão:

Completar a lista de armas!

Alguns itens precisam de descrição para se diferenciar seu uso, por exemplo há diferentes tipos de mochilas e de cintos; algum permite uma quantidade maior de itens portados?

A habilidade misticismo permite criação de itens alquímicos, mas não há lista de itens alquímicos.

A tarefa de armadilhas gerou uma bela lista de armadilhas, não poderiam ser listadas com seus preços nesta tabela?

Se precisar, posso fazer algumas das melhorias acima.

Abraço
#4 saulocr Enviado : 06/09/17 07:21
Acredito que não tenha problema, a lista do apotecário e dos itens de alquimia, deveriam vir com preço dos materiais e preço de venda.

Imagino que tenha que existir uma descrição, no inicio do capitulo sobre pertences e afins que os valores se diferenciam de um reino para outro. Por exemplo: Em Eredra a comida deveria ser mais barata, enquanto em países em guerra deveria ser mais cara. Em contrapartida em Verrogar onde há muitos artífices em busca de dinheiro, aumentando assim a oferta de serviço, armas e armaduras deveriam ter um desconto médio da tabela. Por ai vai...
#5 Marcelo_Rodrigues Enviado : 06/09/17 07:41
Na questão de lista de itens Alquímicos... aqui não deveria ter não. São itens que não são vendidos em nenhum lugar. O Mago/Sacerdote deve buscar para obter ou deve mada-los ser feitos. Estes itens ficaria a cargo do mestre.
#6 Marcelo_Rodrigues Enviado : 06/09/17 07:55
Segue nova versão do arquivo.
#7 Galfaroth Enviado : 06/09/17 13:41
Uma dúvida: o item salários. Essa "pensão (anual)" seria o salário anual da classe social?
#8 saulocr Enviado : 06/09/17 13:59
Sim.

Acredito que se for usar essas pensões deveriam rever os valores da herança.
#9 Marcelo_Rodrigues Enviado : 06/09/17 14:30
As "pensões" ou "Tença" era um dinheiro dado pela coroa aos nobres. Isto vai surgir no fim da idade média.

Acredito que podia ficar fora da nossa ambientação. Não acho que seria bom o personagem "ganhar" já que sempre falamos que o personagem é nobre mas não é o atual detentor do título, sendo por exemplo o filho do nobre.

No mais temos de evitar de dar dinheiro de graça sem aventuras.
#10 samuel.azevedo Enviado : 06/09/17 14:52
Citação:
As "pensões" ou "Tença" era um dinheiro dado pela coroa aos nobres. Isto vai surgir no fim da idade média.

Acredito que podia ficar fora da nossa ambientação. Não acho que seria bom o personagem "ganhar" já que sempre falamos que o personagem é nobre mas não é o atual detentor do título, sendo por exemplo o filho do nobre.

No mais temos de evitar de dar dinheiro de graça sem aventuras.



Não concordo, administrar, ou mesmo ir até o lugar onde deve receber os recursos de seu título pode ser um ótimo gancho para aventuras. E não é "de graça", para ter um título de nobreza o personagem vai suar muito, ou então começar com uma caracterização, abrindo mão de outras caracterizações positivas, ou adquirindo caracterizações negativas para compensar.
#11 samuel.azevedo Enviado : 06/09/17 14:56
Citação:
Na questão de lista de itens Alquímicos... aqui não deveria ter não. São itens que não são vendidos em nenhum lugar. O Mago/Sacerdote deve buscar para obter ou deve mada-los ser feitos. Estes itens ficaria a cargo do mestre.


Acredito que os mestres procurem os manuais para ajudar com elementos que podem ser usados na campanha, e alguns itens alquímicos, apesar de difícil acesso, devem ao menos existir com nomes e efeitos até para que o mestre possa ter uma noção de fazer outros e se manter balanceado. Vamos fazer assim, vou elaborar uma lista e apresentar. Se não gostarem, fica de fora.
#12 saulocr Enviado : 06/09/17 14:57
Talvez o termo pensão não seja o correto. Usei esse termo porque era o que tinha na descrição da caracterização.
#13 Marcelo_Rodrigues Enviado : 07/09/17 07:55
Ok samuel faça a lista mas fica a pergunta: quais magias fazem referência a estes itens alquimicos? Think
#14 samuel.azevedo Enviado : 07/09/17 10:28
Olá Marcelo, não me referia a itens alquímicos mágicos. Apenas a itens alquímicos mundanos feitos com a habilidade misticismo. Por exemplo, ácido, fogo grego...
#15 Marcelo_Rodrigues Enviado : 07/09/17 11:36
Misticismo faz isso???Think
#16 samuel.azevedo Enviado : 07/09/17 12:16
Está assim...

Citação:
Misticismo (alterada - incluída alquimia)

Grupo: Conhecimento
Atributo base: intelecto
Custo: 1
Teste sem nível: sim
Restrita: sim
Penalidade: Não

Misticismo é o conhecimento dos caminhos e componentes do uso de magia, das fórmulas mágicas e dos produtos alquímicos. Nem toda pessoa que sabe Misticismo pode usar magia, mas todo Mago precisa sabê-lo. Testes que envolvam magias discretas recebem dois graus a mais de Dificuldade.

Como um conhecimento, o misticismo baseia-se em constatações físicas. Ele é um estudo técnico e teórico com vieses práticos utilizado por acadêmicos para estudar e reproduzir efeitos sobrenaturais. No entanto, ele não utiliza a aura do evocador, ou seja, o conhecedor de misticismo não precisa ter qualquer dom sobrenatural para possuir o conhecimento. Mesmo assim, esta é uma habilidade conhecida por muito poucos.

O uso da alquimia é uma derivação do misticismo. Para empregá-lo com sucesso para este fim, o personagem precisa dispor de equipamento adequado, o que inclui um laboratório equipado pelo menos com frascos limpos, fonte de fogo, água e qualquer outro sólido ou líquido exótico que o mestre julgue necessário.

Rotineiro: identificar que houve um ritual em um local através de vestígios físicos encontrados;
Fácil: identificar que uma pessoa está usando magia por seus gestos e sons; operar um laboratório alquímico a fim de produzir inflamáveis;
Médio: saber qual a natureza de um ritual por seus vestígios (necromântico, elemental, ilusionista ou natural); identificar por alto qual o tipo de uma criatura mágica (elemental do fogo ou terra, golems, gárgulas); reconhecer que uma magia está sendo invocada;
Difícil: identificar qual a natureza de uma magia está sendo usada por um Mago (necromântica, elemental, ilusionista); identificar exatamente qual o tipo de uma criatura (elemental do ar forte, homúnculo...); saber exatamente qual foi a magia usada por um Mago através dos vestígios deixados; operar um laboratório alquímico a fim de produzir um líquido viscoso que pode ser utilizado para retardar os alvejados por ele;
Muito Difícil: identificar o uso de magia em situação desfavorável como lutando ou em baixa visibilidade; destilar uma poção mágica em seus componentes menores (geralmente obtém pós ou líquidos raros);
Absurdo: identifica o uso de magia confiando apenas no conhecimento dos gestos e materiais empregados; tenta provocar uma explosão ao misturar dois materiais (geralmente a tentativa é realizada a distância…);
Impossível: identificar o efeito de magia desconhecida que outro Mago está realizando.

Tarefas aperfeiçoadas: preparar misturas alquímicas; destilar misturas; reconhecer vestígios de magias; magias arcanas não infernais; magias divinas; magias arcanas infernais; identificar criatura mágica; reconhecer item arcano.




#17 Marcelo_Rodrigues Enviado : 07/09/17 13:04
Vai ai mais uma pergunta com base neste trecho

Citação:
O uso da alquimia é uma derivação do misticismo. Para empregá-lo com sucesso para este fim, o personagem precisa dispor de equipamento adequado, o que inclui um laboratório equipado pelo menos com frascos limpos, fonte de fogo, água e qualquer outro sólido ou líquido exótico que o mestre julgue necessário.


Qual a utilidade prática de alquimia? Imagino que não tenha nada a ver com as magias de alquimista...

Não sei se vcs perceberam, mas o texto não deixa claro a não ser nos níveis de dificuldades que vagamente explica o que se pode fazer ou não com o uso de alquimia... Meio ruim isto ne?

Minha sugestão é colocar um "kit de alquimia" (frascos,pilão, fogareiro a óleo, materiais exóticos, etc) para simplificar
#18 samuel.azevedo Enviado : 08/09/17 10:59
Lista de Itens alquímicos

Ácido comum - 2 m.p. (pequeno), 4 m.p. (grande).
Ácido forte - 5 m.p. (pequeno), 1 m.o. (grande).
Ácido potente - 1 m.o. (pequeno), 2 m.o. (grande).
Fogo alquímico - 5 m.p. (pequeno), 1 m.o. (grande). //versão mais fraca do "fogo grego"
Fogo verrogari - 1 m.o. (pequeno), 2 m.o. (grande). //adaptei o nome fogo grego para fogo verrogari...
Fogo vivo - 3 m.o. (pequeno), 6 m.o. (grande).
Gelo líquido - 5 m.o.
Graxa - 1 m.p. (pequeno), 2 m.p. (médio), 3 m.p. (grande).
Leite antiácido (500 ml) - 5 m.p.
Pedra Trovão (cristal de 1 kg) - 5 m.o.
Pó antiácido (bolsa ou frasco de 1 kg) - 1 m.o.
Reagente a magia (frasco pequeno com conta-gotas) - 5 m.o.
Reagente a magia arcana (frasco pequeno com conta-gotas) - 6 m.o.
Reagente a magia profana ou demoníaca (frasco pequeno com conta-gotas) - 7 m.o.
Reagente a magia sagrada ou divina (frasco pequeno com conta-gotas) - 7 m.o.
Sais coloridos (1 bolsa de 100 g) - 1 m.p.
Sais neutralizantes - 2 m.o.
Sais purificadores (frasco ou bolsa com 100 gramas) - 5 m.p.
Tocha lenta - 5 m.p.
Vinagre alquímico - 5 m.c.
Visco pegajoso (frasco de 1,5 l) - 3 m.o.
Vitríolo (frasco de 500 ml) - 4 m.o.

Descrição dos itens

Ácido comum Estoura em área, deve ser feito um ataque diferente para cada inimigo, para definir o dano, que pode ser de até 4 pontos na EF. A área de raio é de 1,5 m para um frasco pequeno (500 ml) ou 3 m para um grande (1 l).
Ácido forte Estoura em área, deve ser feito um ataque diferente para cada inimigo, para definir o dano, que pode ser de até 8 pontos na EF. A área de raio é de 1,5 m para um frasco pequeno (500 ml) ou 3 m para um grande (1 l). Os alvos atingidos devem fazer uma RF com Força de Ataque 5 para não sofrerem o mesmo dano na rodada seguinte.

Ácido potente Estoura em área, deve ser feito um ataque diferente para cada inimigo, para definir o dano, que pode ser de até 12 pontos na EF. A área de raio é de 1,5 m para um frasco pequeno (500 ml) ou 3 m para um grande (1 l). Os alvos atingidos devem fazer uma RF com Força de Ataque 8 para não sofrerem o mesmo dano na rodada seguinte.
Fogo alquímico Estoura em área causando 2 de dano na área por rodada, durante 4 rodadas (1 min). A área é de 1,5 m (frasco pequeno de 500 ml) ou de 3 m (frasco grande de 1 l). O fogo pode se espalhar em objetos inflamáveis.

Fogo verrogari Estoura em área causando 3 de dano na área por rodada, durante 8 rodadas (2 min). A área é de 1,5 m (frasco pequeno de 500 ml) ou de 3 m (frasco grande de 1 l). O fogo pode se espalhar em objetos inflamáveis.

Fogo vivo Estoura em área causando 4 de dano na área por rodada, e só se extingue com vinagre, areia ou urina, ou quando não tiver mais nada inflamável para ser consumido. A área é de 1,5 m (frasco pequeno de 500 ml) ou de 3 m (frasco grande de 1 l). O fogo pode se espalhar em objetos inflamáveis.

Gelo líquido Três frascos de 250 ml presos uns aos outros, cada um com um conteúdo alquímico diferente. Quando quebrados a reação é instantânea, causando dano de frio de até 16 pontos de dano de frio em cada alvo na área de raio de 5 m. Pode ser encontrado na versão menor por metade do preço e afetando metade do raio.

Graxa Torna o chão de uma área de 1,5 m de raio (frasco pequeno) ou de 3 m de raio (frasco médio de 1 l ) ou de 5 m de raio (frasco grande de 2,5 l). O frasco grande é muito pesado e só pode ser atirado a até 9 m. Quem correr na área atingida deve fazer um teste de acrobacias Difícil para não cair. Este líquido oleoso e lubrificante é inflamável, e causa 1 de dano de fogo na EF por rodada para quem permanecer sobre ele caso seja incendiado (neste caso, se consome em 10 rodadas). Caso não seja inflamado, terá que ser lavado da área, ou demora 2 dias para secar.

Leite antiácido (500 ml) Anula a ação de ácidos estomacais, gases, mal hálito, e causa bem estar. Rende 10 usos.

Pedra Trovão (cristal de 1 kg) Cristal amarelo, que quando quebrado explode causando choques elétricos em uma área de 5 m de raio. Os raios causam até 16 de dano elétrico em cada alvo na área.

Pó antiácido (bolsa ou frasco de 1 kg) Seu efeito forte neutraliza a ação de qualquer ácido, na proporção de 1 kg para 1 l de ácido.

Reagente a magia (frasco pequeno com conta-gotas) O líquido deste frasco brilha se entrar em contato com um objeto ou ser sob efeito de magia. Uma gota pode ser usada por vez, rende 10 gotas.

Reagente a magia arcana (frasco pequeno com conta-gotas) Brilha com uma luz azul caso detecte magia arcana. Uma gota pode ser usada por vez, rende 10 gotas.

Reagente a magia profana ou demoníaca (frasco pequeno com conta-gotas) Brilha com uma luz vermelha caso detecte magia divina, ou luz laranja se detectar apenas magia profana. Uma gota pode ser usada por vez, rende 10 gotas.

Reagente a magia sagrada ou divina (frasco pequeno com conta-gotas) Brilha com uma luz amarela forte caso detecte magia divina, ou luz amarela clara se detectar apenas magia sagrada. Uma gota pode ser usada por vez, rende 10 gotas.

Sais coloridos (1 bolsa de 100 g) Fazem chamas emitirem cores diferentes, cada bolsa pode ter sais que produzem chamas de cores diferentes. Este efeito pode ajudar a impressionar pessoas (ajuda em um nível em testes de habilidades sociais) e assustar animais. Pode ser usado aos poucos, por até 10 usos.

Sais neutralizantes Feito com uma mistura de pó de carvão, sais, e pó de bezoar, ajuda a resistir contra venenos. Ingerir comida ou líquido misturado com este pó dá direito a um novo teste de RF para resistir aos venenos em efeito. Rende 3 usos.

Sais purificadores (frasco ou bolsa com 100 gramas) Cada 10 g podem purificar 1 l de água suja, tornando-a em potável em 1 min.

Tocha lenta Tocha que queima lentamente durante 24 h, pode ser apagada e reacendida algumas vezes, até gastar todas as horas.

Vinagre alquímico Pode neutralizar algumas fórmulas alquímicas, como fogo vivo, frasco de 1 l.

Visco pegajoso (frasco de 1,5 l) Líquido viscoso que pode ser utilizado para retardar os alvejados por ele, quando o frasco estoura se espalha em um raio de 3m. O líquido também pode atingir tetos e paredes se estiverem na área e no raio de alcance, formando “ligas” entre os pontos opostos como teto e chão, ou paredes opostas; estas “ligas” também se formam entre criaturas que estavam na área quando o frasco estourou. As criaturas cobertas pelo visco ficam com metade do movimento, e metade da iniciativa (arredondando para baixo). Além disso, na primeira rodada do efeito as pessoas afetadas devem fazer um teste de Força oposto a força de ataque igual a 8 para não ficarem coladas no chão durante 1 rodada. As penalidades de movimento e iniciativa perduram até o fim do efeito (12 rodadas, ou 3 min).

Vitríolo (frasco de 500 ml) Óleo altamente inflamável, causa efeito explosivo se entrar em contato com fogo, por isso costuma ser atirado contra oponentes segurando tochas ou perto de alguma chama. A explosão causa até 16 de dano na área de 5 m.
#19 Marcelo_Rodrigues Enviado : 08/09/17 21:10
Samuel,

cara ficou fantástico... mas já saiu do objetivo da tarefa que era para ser uma coisa simples. Triste

Vamos simplificar e deixar mais simples. Podemos fazer apenas um ou dois "kits Alquimista"?

OBS: por favor crie um verbete com este material que está ótimo! Applause Podemos aproveitar na revista RN ou em outro lugar como no Livro de Regras Opcionais.
#20 samuel.azevedo Enviado : 09/09/17 13:37
Coloquei aqui. Não sei como fazer o que você sugeriu. Acho que essa história de kit de alquimia na prática vai dar na mesma que não ter, pois ninguém saberá pra que servem exatamente os itens (em termos de efeito causado). Igual a água benta na versão 2.3.

#21 DiegoA Enviado : 10/09/17 21:51
observações do antigo criador:

1) em relação a capacidade de carga dos transportes, parece que exageradam, colocaram 4 TONELADAS em um carroça pesada, acho muito exagerado, no máximo 2 toneladas, ou, 2 toneladas e meia.

2) Carro de Boi com 8 TONELADAS?? NO MÁXIMO 2 toneladas, ou, 2 toneladas e meia.

3) O preço das estalagens está muito barato, deveria subir um pouco mais, mas que seja um pouco menor que o original apenas;
(CUIDADO: percebi que em muitos TÓPICOS valorizaram o valor monetário, mas aqui neste quesito desvalorizaram os valores das moedas)

4) IMPORTANTE: O parâmetro para se atribuir preços deve ser sempre de quanto custa um prato de comida. Atribua primeiramente os preços de tudo COMEÇANDO pelos alimentos, de quanto custa a comida mais barata, até a comida mais cara, sabendo isso, conseguirá atribuir e ter noção dos preços de tudo! Fica a dica!

5) A meu ver a unidade de ouro deveria ser valorizada e mais difícil de ser adquirida, fazendo-se uma economia mais voltada para a prata e para o cobre. Com maior circulação de prata e cobre, atribuindo-se o ouro para os itens mais elaborados e mais raros (ISSO QUE EU ACHO) Mesmo sabendo que cada moeda de ouro vale 10 de prata, ainda assim, a circulação de prata deveria ser muito maior que o ouro. (ex1: em vez de colocar 1 de ouro, coloca-se como preço10 de prata - é a mesma coisa, mas significa que circula mais moedas de prata). (ex2: Agora se for duas moedas de ouro, ai sim, colocaria 2 moedas de ouro como preço, priorizando a partir da segunda moeda de ouro o custo em ouro) OBS: EU, na criação original, não respeitei essa ideia em se colocar o valor em ouro só a partir da segunda unidade, pois não havia vislumbrado isso como regra, mas hoje seria bom de se adotar na revisão.

6) Outra coisa, poderiam fazer uma tabela contendo o valor em ouro correspondente as pedras preciosas, e tb a platina e gemas no sistema econômico de tagmar

7) no instrumento musical RABECA, a época coloquei o preço errado, que por ser instrumento de corda mais prudente seria colocar um preço entre 8 a 10 moedas de prata, ou seja, equiparado ao banjo como opção de instrumento de corda mais baratos.
#22 saulocr Enviado : 11/09/17 08:44
Citação:
1) em relação a capacidade de carga dos transportes, parece que exageradam, colocaram 4 TONELADAS em um carroça pesada, acho muito exagerado, no máximo 2 toneladas, ou, 2 toneladas e meia.


Na pesquisa que eu fiz, eu peguei o seguinte dado: Uma carroça de quatro rodas com um par de cavalos poderia transportar mais de 1.200 Kg. Então arredondei porque há algumas variáveis. Agora é questão de lógica, se dois cavalos puxam mais de 1200 kg, quatro cavalos em tese deveriam carregar mais!

Citação:
2) Carro de Boi com 8 TONELADAS?? NO MÁXIMO 2 toneladas, ou, 2 toneladas e meia.


Aqui vale ressaltar esse trecho. Em um carro de boi a força de tração é fornecida unicamente por bovinos, dispostos dois a dois – as “juntas” – cujo número varia com o peso de carga, natureza do solo e topografia da região. Portanto considerando que um boi é mais forte, do que um cavalo, digamos que uma carroça com uma junta carregue duas toneladas, proporcionalmente uma carroça puxada por 4 juntas deveriam puxar o equivalente não? Detalhe os carros de bois eram bem maiores do que as carroças.

Ainda assim essa questão de transportes é variável, conforme o tamanho.

Citação:
3) O preço das estalagens está muito barato, deveria subir um pouco mais, mas que seja um pouco menor que o original apenas;
(CUIDADO: percebi que em muitos TÓPICOS valorizaram o valor monetário, mas aqui neste quesito desvalorizaram os valores das moedas)


Na verdade não. O aluguel de uma casa simples na idade média, custava o preço de um machado. Se um machado comum custa digamos 10 mp, o aluguel de uma casa deveria custar em torno disso. Considerando um mês daria 3/4 mc por dia. Isso é o valor para alugar uma casa simples, daí o cara vai alugar um quarto por uma noite e paga em uma taverna barata o preço de um dia de aluguel em uma casa. Acredito que está bem justo. Compare os alugueis das estalagens e da versão anterior. O cara pagava o preço de uma casa, no aluguel de um dia em um quarto de hotel nobre.

Citação:
4) IMPORTANTE: O parâmetro para se atribuir preços deve ser sempre de quanto custa um prato de comida. Atribua primeiramente os preços de tudo COMEÇANDO pelos alimentos, de quanto custa a comida mais barata, até a comida mais cara, sabendo isso, conseguirá atribuir e ter noção dos preços de tudo! Fica a dica!


Eu fiz isso.

Citação:
5) A meu ver a unidade de ouro deveria ser valorizada e mais difícil de ser adquirida, fazendo-se uma economia mais voltada para a prata e para o cobre. Com maior circulação de prata e cobre, atribuindo-se o ouro para os itens mais elaborados e mais raros (ISSO QUE EU ACHO) Mesmo sabendo que cada moeda de ouro vale 10 de prata, ainda assim, a circulação de prata deveria ser muito maior que o ouro. (ex1: em vez de colocar 1 de ouro, coloca-se como preço10 de prata - é a mesma coisa, mas significa que circula mais moedas de prata). (ex2: Agora se for duas moedas de ouro, ai sim, colocaria 2 moedas de ouro como preço, priorizando a partir da segunda moeda de ouro o custo em ouro) OBS: EU, na criação original, não respeitei essa ideia em se colocar o valor em ouro só a partir da segunda unidade, pois não havia vislumbrado isso como regra, mas hoje seria bom de se adotar na revisão.


Entendi, mas daí acredito que na ambientação o mestre pode contornar essa situação.

Citação:
7) no instrumento musical RABECA, a época coloquei o preço errado, que por ser instrumento de corda mais prudente seria colocar um preço entre 8 a 10 moedas de prata, ou seja, equiparado ao banjo como opção de instrumento de corda mais baratos.


Corrigido. Não fiz nenhuma mudança nos preços dos instrumentos.
#23 RenatoCardos Enviado : 14/09/17 07:44
Vai ai minhas observações:

Citação:
Arco Longo Élfico Reinos/Terras Selvagens
Arpão Reinos
Besta Terras Selvagens
Besta Pesada Terras Selvagens
Boleadeira Reinos
Bumerangue Reinos/Terras Selvagens
Bumerangue de Corte Reinos/Terras Selvagens
Funda Projétil de Metal Reinos
Funda Projétil de Pedra Reinos
Machado de Batalha Reinos
Malho Todas
Manopla Todas
Rapieira Reinos
Rede Reinos
Sabre Élfico Terras Selvagens
Tridente Reinos


Faltam várias armas (vejam acima).

Uma pergunta que eu faço é se devia de ter preços para coisas fora da Região dos Reinos? Para mim não deviam ter preços já que são raras ou mesmo inexistentes na ambientação principal.


Citação:
Cota de malha para montaria 4 m.o. 8 m.o.
Cota de malha completa para montaria 8 m.o. 15 m.o.

Estas armaduras para cavalo fazem sentido já que elas nem tem regras para elas? Think


Citação:
Escudo de Corpo - 3 m.o.
Elmo para montaria 7 m.p. 7 m.p.

O escudo de corpo não é o nome correto, e elmo para montaria não tem regra para ele.


Citação:
Carro de boi 2 pessoas + carga 8 TON 8 m.p. 2 m.o.
Carroça 4 pessoas + carga 2 TON 12 m.p. 4 m.o.
Barco a remo 2 pessoas 1 m.o. 10 m.o.
Barco grande a remo 4 pessoas + carga 2 m.o. 20 m.o.
Canoa longa 2 pessoas + carga 15 m.p. 5 m.o.


Aqui aumentou demais coisas feitas por artesões. Assim ser artesão vai ser o melhor negócio de Tagmar... kkkk


Citação:
Cavalo Comum 1 m.o. 5 m.o.
Cavalo de Carga 15 m.p. 75 m.p.
Cavalo de Guerra Leve 4 m.o. 20 m.o.
Cavalo de Guerra Pesado 8 m.o. 40 m.o.
Cavalo treinado 2 m.o. 10 m.o.
Pônei 8 m.p. 40 m.p.
Pônei de guerra leve 15 m.p. 75 m.p.


Os preços dos cavalos e pôneis quintuplicou!! Não vai mais dar para fazer um cavaleiro porque ninguém vai ter esse dinheiro! Brick wall
#24 saulocr Enviado : 14/09/17 09:17
Citação:
Arco Longo Élfico Reinos/Terras Selvagens
Arpão Reinos
Besta Terras Selvagens
Besta Pesada Terras Selvagens
Boleadeira Reinos
Bumerangue Reinos/Terras Selvagens
Bumerangue de Corte Reinos/Terras Selvagens
Funda Projétil de Metal Reinos
Funda Projétil de Pedra Reinos
Machado de Batalha Reinos
Malho Todas
Manopla Todas
Rapieira Reinos
Rede Reinos
Sabre Élfico Terras Selvagens
Tridente Reinos

Faltam várias armas (vejam acima).

Uma pergunta que eu faço é se devia de ter preços para coisas fora da Região dos Reinos? Para mim não deviam ter preços já que são raras ou mesmo inexistentes na ambientação principal.


Eu não sou/fui responsável por esta questão de raridade ou existência das armas x ou y. Somente coloquei os preços conforme solicitado.

Citação:
Cota de malha para montaria 4 m.o. 8 m.o.
Cota de malha completa para montaria 8 m.o. 15 m.o.

Estas armaduras para cavalo fazem sentido já que elas nem tem regras para elas? Think


Somente coloquei os preços conforme combinado.

Citação:
Escudo de Corpo - 3 m.o.
Elmo para montaria 7 m.p. 7 m.p.

O escudo de corpo não é o nome correto, e elmo para montaria não tem regra para ele.


Somente coloquei os preços conforme combinado.

Citação:
Carro de boi 2 pessoas + carga 8 TON 8 m.p. 2 m.o.
Carroça 4 pessoas + carga 2 TON 12 m.p. 4 m.o.
Barco a remo 2 pessoas 1 m.o. 10 m.o.
Barco grande a remo 4 pessoas + carga 2 m.o. 20 m.o.
Canoa longa 2 pessoas + carga 15 m.p. 5 m.o.

Citação:
Aqui aumentou demais coisas feitas por artesões. Assim ser artesão vai ser o melhor negócio de Tagmar... kkkk


Usei como base registros históricos. Então pra lhe responder rapidamente, ele não receberá esse dinheiro em um dia, ou uma semana, demanda meses de trabalho de um único homem para se construir uma única canoa, sem falar dos custos.

Digamos que você é um carpinteiro e construtor de navios. Alguém lhe encomenda um barco a remo para duas 2 pessoas. Quanto tempo você acha que ele levaria para terminar o trabalho? Fiz aqui uma pesquisa rápida sobre o tempo de construção de uma canoa. Achei dois registros atuais, onde um profissional terminou em 3 meses de trabalho, outro cara terminou em um ano trabalhando aos finais de semana. Vale ressaltar que em ambos os casos, os construtores trabalhavam com equipamentos modernos, logo na idade média se levava bem mais tempo. Além disso, há os custos com madeira, transportes, equipamentos, etc.

Veja esse link:

http://www.ufpa.br/histo...nicos/2_Elias_Abner.pdf

Você vai entender o quão difícil era de se construir uma canoa.

Citação:
Cavalo Comum 1 m.o. 5 m.o.
Cavalo de Carga 15 m.p. 75 m.p.
Cavalo de Guerra Leve 4 m.o. 20 m.o.
Cavalo de Guerra Pesado 8 m.o. 40 m.o.
Cavalo treinado 2 m.o. 10 m.o.
Pônei 8 m.p. 40 m.p.
Pônei de guerra leve 15 m.p. 75 m.p.

Os preços dos cavalos e pôneis quintuplicou!!


Meu amigo e ficou barato!

Veja esses trechos retirados da Tese: Preços e Salários em Portugal na Baixa Idade Média.

Em 1437, era adquirido um cavalo por 3000 reais (921 g). Comparando com a compra registada três anos antes, chega-se à conclusão de que o mesmo equivaleria, em valor, a mais de 260 mulas. Por sua vez, sabendo que, no mesmo ano, o mosteiro de Alcobaça pagava
jornais de 25 reais a um mestre pedreiro e de 5 reais a trabalhadores de vinha, pode-se calcular em cerca de 240 e 1200, o número respectivo de dias de trabalho necessário para os referidos trabalhadores poderem, teoricamente, começar a pensar em realizar compra
semelhante.

Em meados do século XV, de acordo com a informação de Cadamosto com apenas um cavalo podia adquirir-se entre 10 a 15 escravos. Passados dez anos, Diogo Anes refere serem necessários 46 negros para trocar por um cavalo. Já em finais do século Jerónimo Münzer diz que os escravos são vendidos entre os africanos por uma “bagatela”.

Pra não dizer que usei somente uma fonte.

Trechos retirados do livro: Uma viagem através da idade média.

Os preços de cavalos variavam muito, desde 10 schillings até 80 libras, ou seja, o mais caro custava 160 vezes o mais barato. Um Duque ganhava de "pensão" o suficiente para comprar 2 cavalos durante o ano.

Lynn White refere que, no ano de 761 D.C. Um tal Isehard vendeu todas as terras herdadas de seus antepassados para comprar um cavalo.

Citação:
Não vai mais dar para fazer um cavaleiro porque ninguém vai ter esse dinheiro! Brick wall


Dois trechos pra você entender um pouco melhor o que era um cavaleiro medieval:

No inicio do século IX e X, um cavaleiro montado representava o terror dos inimigos. Aproveitando o galope do animal ele transformava-se num projetil vivo. Nas palavras de Jean Flori: "Era como se os cavaleiros fossem os blindados da guerra contemporânea".

Jean Pastoreau acrescenta que: a cavalaria em primeiro lugar era privilegio dos nobres. No ano 1200, os cavaleiros eram exclusivamente senhores e filhos de senhores.

Então comentando o seu comentário... De fato ser um cavaleiro na idade média não era pra qualquer um! Shame on you
#25 Fábio_CM Enviado : 14/09/17 09:26
RenatoCardos escreveu:
Estas armaduras para cavalo fazem sentido já que elas nem tem regras para elas?


O cavalo da versão 3.0 possui estatísticas que incluem a barda (veja pela absorção).
#26 Marcelo_Rodrigues Enviado : 14/09/17 10:44
Saulo, independente de coerência histórica, do jeito que está é meio que impraticável os preços dos cavalos. Nenhum jogador vai ter dinheiro para comprar o cavalo de guerra. Ao multiplicar por 5 estamos alterando a jogabilidade e isto não está correto. Devemos lembrar que é Tagmar e é um RPG de aventureiros, e com certeza não é a nossa idade média, ok? Muito Feliz Assim não precisamos levar as coisa exatamente como eram.

Sei que tinha falado para aumentar mas não tinha lembrado que profissões como Cavaleiro vão ficar prejudicadas. E acho bom reavaliar. Vamos para um meio termo? Tipo 2,5 vezes? Think

Quantos as armas e armaduras é importante sincronizar com a tabelas novas. Confira os nomes de cada uma ok? Se estiver sobrando elimine se estiver faltando inclua.

Quanto a armaduras e elmos dos cavalos, imagino que o "cavalo de guerra" já tenha com isto e sua ficha já consta a absorção e defesa não né Fábio? Think Pois se já constar este item está meio que inútil já que não temos uma tabela de Absorção/Defesa destas armaduras de cavalo.

Quanto aos itens que não são do reinos, isto é uma coisa que não tínhamos pensado. Porque temos no nosso livro principal armas que não estão disponível na região dos reinos? Estas armas não deviam estar apenas nas respectivas regras referente a ambientação (Terras Selvagens e Império)?

UMA SUGESTÃO: Que tal colocar um * nelas e explicar que:

"* = esta arma não é fabricada na região dos reinos e por isto não estão normalmente a venda. O jogador deverá ir para a região ou deverá buscar alguém que as venda. Ficam a critério do Mestre que pode inclusive fazer uma aventura para isto.

#27 Fábio_CM Enviado : 14/09/17 11:39
Eu não vejo necessidade de modificar os preços para menos. Discordo que isso vai prejudicar os personagens por dois motivos.

Primeiro que dinheiro é uma questão bastante relativa. O mercado domina inclusive no RPG. Se as coisas custam mais, as recompensas acabam sendo maiores, porque os personagens vão vender seus itens por valores mais altos.

Segundo porque nesta nova versão teremos caracterizações que darão aos personagens alguma possibilidade de conseguir dinheiro. As caracterizações herança e classe social, por exemplo, podem facilmente permitir que um personagem de estágio 1 possua um cavalo de guerra leve.

Marcelo Rodrigues escreveu:
Quanto a armaduras e elmos dos cavalos, imagino que o "cavalo de guerra" já tenha com isto e sua ficha já consta a absorção e defesa não né Fábio?

É como para todas as outras criaturas. O valor normal é a EF sem armadura e o valor entre parênteses considera a absorção do cavalo com a barda (armadura).
#28 Marcelo_Rodrigues Enviado : 14/09/17 12:49
Mas então Fabio e galera. Se o Cavalo de Guerra já tem esta estatística temos de ter apenas 1 KIT armadura/elmo já que na ficha da criatura não tem a separação e não tem a regra especifica dela.

Saulo, por favor unifique a armadura e elmo do cavalo. Para simplificar elimina o elmo. Ajuste o preço da armaduar se necessário

Quanto ao valor do cavalo, acho que muda a dinâmica de jogo. Antes quem precisava de dinheiro era apenas magos para os rituais. Agora quem quiser ter cavalo também. E se somar a armadura aí se lascou. Para mim está muito gritante a mudança em relação ao anterior.

Mais alguém a opinar sobre esta questão do preço dos cavalos?

#29 samuel.azevedo Enviado : 14/09/17 13:27
O kit é uma boa ideia. Agora quanto ao valor dos cavalos, vou concordar com Fábio e Saulo.
#30 saulocr Enviado : 14/09/17 13:44
Em relação a comparação ao valor entre cavalos e outros itens.

Eu sei que eu coloquei barato. Think

Porém, estamos falando de um cavalo de guerra pesado, uma criatura que luta contra dragões e demônios, isso não existia na idade média da terra. E em tese esse tipo de animal tem que ser domado por alguém a altura. Não tem que estar ao alcance de qualquer guerreiro de estágio 1.

Outra coisa, eu sei que é um jogo.

Mas qual o problema em passar para o leitor/jogador do Tagmar um pouco sobre História na idade média? Pelo menos para ele ter uma base histórica. Imagina o cara começa a jogar RPG, pega uma machado de guerra usado e troca por 3 cavalos. Daí ele começa a assistir uma série ou filme histórico e descobre que um cavalo dava pra comprar uma casa. E o pior o ferreiro que fez o machado, não tem dinheiro para ter uma casa.

Vocês acham que 40 mo é muito dinheiro? De acordo com os valores antigos. Se você fosse um cara que de alguma forma roubou um dragão, então resolveu viver como rei, comendo refeição cara todos os dias e se hospedando em um quarto de luxo, você gastaria ao fim de 30 dias, a bagatela de 120 MOEDAS DE OURO!!! E olha que não somei o vinho bom que custa 1 m.o. a garrafa, ou meia duzia de roupas a 3 m.o. Entre outros...

Marcelo, desbalanceava era quando você ia alugar um quarto nobre por um dia e percebia que ele custava o mesmo que uma casa.

Quanto ao Kit consertei aqui.



Usuários visualizando este tópico
Guest
3 Páginas 123>
Ir para o Fórum  
Você não pode adicionar novos tópicos neste fórum.
Você não pode responder a tópicos deste fórum.
Você não pode excluir suas participações deste fórum.
Você não pode editar suas participações neste fórum.
Você não pode criar enquetes neste fórum.
Você não pode votar em enquetes neste fórum.

YAFPro Theme Created by Jaben Cargman (Tiny Gecko)
Powered by YAF | YAF © 2003-2009, Yet Another Forum.NET