Bem-vindo Convidado Pesquisar | Atividades no Fórum | Entrar | Registrar

Questão da Enquete : Adquirindo Habilidades (Enquete fechada)
Escolha Votos Estatísticas
Aprovado 5 100 %
Reprovado (precisa de melhorias) 0 0 %

5 Páginas 123>»
III.3 - Adquirindo Habilidades Opções
#1 Samyaza Enviado : 09/05/16 18:06
O objetivo deste tópico é revisar a pontuação adquirida pelos personagens por avanço de estágio.

Pontuação adquirida

Acessem o verbete pelo link acima. Critiquem, dêem sugestões.

OBS: Façam apenas sugestões e críticas que conduzam a uma melhoria do texto.
#2 Samyaza Enviado : 09/05/16 18:09
Essa tarefa está disponível, caso deseje assumi-la, entre em contato com o coordenador de regras para receber as orientações iniciais antes de começar a desenvolver seu trabalho.
#3 saulocr Enviado : 25/05/16 14:03
Gostaria de Assumir a Tarefa.
#4 Samyaza Enviado : 29/05/16 18:35
Saulo o coloquei como responsável pela tarefa, segue as orientações:

1 - A ideia aqui é rever a quantidade dos pontos adquiridos pela passagem de estágio em EH, Habilidades, Técnicas de Combate, Magias e etc. Atualmente esses pontos são muito elevados, pelo menos os de habilidade, e precisam ser revistos.

2 - não seguir essas orientações pode removê-lo da responsabilidade da tarefa.
#5 Samyaza Enviado : 22/06/16 09:36
Prezados tagmarianos, estou temporariamente trancando todas as tarefas de revisão do Manual de Regras. O motivo disso é simples, estou organizando uma reunião com todos os responsáveis por tarefas que tem por objetivo alinhar a forma de trabalho para que possamos ser mais eficientes e organizados na revisão do Manual de Regras.

Não há necessidade de preocupação com o atraso nas tarefas pois os verbetes continuarão acessíveis para seus responsáveis continuarem seus trabalhos, trancaremos apenas os tópicos para mantermos uma organização.

Data: 25 de junho de 2016
Horário: a partir de 21h00min
Ferramenta: skype ou discord
Pauta:
- Dificuldades da tarefa
- Dependência entre as tarefas
- Ordem de execução das tarefas
- Método de execução das tarefas
- Funções de coordenador e responsável por tarefa

Como explicado, as tarefas ficarão trancadas temporariamente e serão destrancadas no domingo (26 de junho) a partir do que foi deliberado na reunião.
Para evitarmos confusões e um gasto de tempo maior do que o necessário, abaixo deixamos algumas regras de conduta, a fim de que seja um encontro civilizado e não tenha o aspecto de uma assembleia de revolucionários, e também tiramos algumas dúvidas:
1 – O coordenador geral está ciente da reunião, autorizou-a e concorda com tal
2 – Ofensas, cinismo, sarcasmo ou semelhantes serão punidas
3 – A reunião se dará por rodadas tratando de cada item da pauta
4 – A cada rodada o responsável pela tarefa ou coordenador (excetuando o coordenador de regras) terá 5min para falar se assim desejar. Qualquer outro membro poderá participar limitado ao uso do chat
6 – O desrespeito à sequencia ou pertinência dos assuntos será punido
7 – A reunião será gravada a fim de manter a transparência e dirimir dúvidas sobre o que foi deliberado
8 – As deliberações sobre a ordem e o método de execução das tarefas terão vigência a partir do dia 26 de junho, quando serão apresentadas no projeto
9 – As deliberações deverão respeitar as diretrizes do projeto e podem ser ajustadas pelas orientações que o coordenador geral, no exercício dos direitos de sua função, possa apresentar.
10 - Todo responsável pela tarefa deverá ajustar sua forma de trabalho ao que foi deliberado ou será afastado da execução da tarefa.









#6 Sistema Automático Enviado : 31/01/17 10:52
A Terefa foi solicitada pelo usuário marcelo_rodrigues
#7 Samyaza Enviado : 31/01/17 17:00
Olá chefia!

Essa tarefa tem o objetivo de determinar quantos pontos de grupo de armas/atributos/habilidades/técnicas de combate/magias/EH os personagens recebem ao avançar de estágio.

A ideia inicial é que haja uma redução na quantidade de pontos recebidos pelos personagens. Atualmente um pj que começa com 14 pontos de habilidade no estágio 1 recebe os mesmos 14 pontos ao passar de estágio 2, as consequências são:

1 - o jogador fica "acomodado" com a distribuição do estágio 1 e "tende" a repetir essa distribuição quando avança de estágio, com a redução dos pontos queremos que o jogador comece a "pensar" onde vai gastar seus pontos e do que ele terá que abrir mão.

2 - gera-se a impressão de que seria mais fácil ao invés de fazer o jogador distribuir os mesmos 14 pontos nas mesmas habilidades, determinar que o "total na habilidade" seja estágio atual + atributo.

3 - como em tagmar ter nível baixo numa habilidade e bem melhor que ter nível zero, com 3 ou 4 estágios o jogador é capaz de "comprar níveis" em quase todas as habilidades o que deixa o jogo repetitivo, com a redução de pontos esse efeito (ter nível em todas as habilidades) é atrasado e passa a ter um custo (não aumentar níveis nas habilidades que já possui).
#8 Marcelo_Rodrigues Enviado : 31/01/17 18:08
Hum... objetivo difícil de fazer sem complicar as coisas.

Vou pensar...Think
#9 Marcelo_Rodrigues Enviado : 01/02/17 17:28
Samyaza, refleti um pouco sobre o assunto. Com base nas suas indicações verifiquei o seguinte itens e separei em grupos:

A) Não precisam de mudança pois a regra atual é satisfatória e não há o que melhorar

- Atributos: a regra atual jé é quelibrada e evita concentrações. A dispersão também não ajuda o personagem, na verdade prejudica.

- Magias: aqui o nível importa muito, então se concentrar o jogador fará poucas magias. Se dispersar fará muitas magias de efeito fraco.

- EH os personagens recebem ao avançar de estágio. Aqui não se aplica o prblema já que não há escolhas a fazer.

B) Precisariam de algum ajuste. Na prática o persongem nunca espalha os pontos porque prejudica o personagem.

- Grupo de armas: Ao querer saber usar multiplas armas o persongem se tornar péssimo combatente. Uma solução seria dar mais pontos a uma quantidade X de estágios a serem gastos em grupos obrigatoriamente diferentes.

- Técnicas de combate: aqui o problema é que são bem poucos pontos e muitas habilidades interessantes. Não tem com o personagem espalhar sem ficar fraco ou ruim já que algumas dão penalidade se o nivel for menor que o grupo da arma. Não pensei numa solução.

C) Precisam alguma limitação/melhoria, pois hoje o nível não importa muito e acaba permitindo o personagem ter tudo.

- Habilidades: aqui uma solução é limitar uma quantidade máxima de habilidades por profissão. Uma outra solução pode ser adotada, mas tem que ser bem simples para não complicar a vida de quem não usa a ficha automatizada.



#10 Samyaza Enviado : 01/02/17 20:16
Eu acredito que pelo menos esses itens precisariam ser reduzidos à metade:
- habilidades
- técnicas de combate
- grupo de armas
- magias

#11 Marcelo_Rodrigues Enviado : 02/02/17 08:28
Samyaza,

discordo veementemente. Reduzir postos de compra não é a solução. Principalmente em magias, técnicas de combate, e grupo de armas por que já são poucas.

Jogo com frequência com mago e sempre fico na hora de passar de estágio com uma dúvida enorme de que comprar, pois há tantas magias e tão poucos pontos. O que faço? melhorou ou compro outras?

O grupo de armas é ridículo reduzir. Ladinos tem 4 pontos e Sacerdote 3 o que dá para ter duas armas. Bardos tem 2 e mago 1 o que dá para uma arma!

Pontos de técnicas de combate também são poucos e há varias técnicas. Guerreiros tem mais pontos mas há mais técnicas quando se entra em uma academias. Varias técnicas exigem ter a pontuação no máximo para não ter penalidades então o cara tem que ficar escolhendo bem onde gastar.

O problema que existe é em Habilidades: Aqui o cara fica comprando 1 nível em tudo para não ter que fazer na -7.

#12 Fábio_CM Enviado : 02/02/17 12:40
Eu acho que seria bem melhor desenvolver essa tarefa depois de já termos aprovado o equilíbrio das profissões, já que lá talvez se altere alguma coisa no primeiro estágio.
#13 Samyaza Enviado : 02/02/17 13:48
Ciente chefia.
Fabio_CM, tbm concordo com vc.
#14 Marcelo_Rodrigues Enviado : 02/02/17 14:07
Beleza... pode suspender por enquanto.

PS: pensei em duas soluções para resolver o problema das habilidades. Depois mostro para vocês.
#15 Samyaza Enviado : 02/02/17 21:24
ok
#16 Samyaza Enviado : 21/02/17 17:08
Chefia:

- Hoje a quantidade de pontos para comprar magias é alta demais, a ideia do sistema é que ele obrigue o jogador a fazer escolhas difíceis, como por exemplo, só ter pontos para comprar uma magia de ataque e ficar em dúvida entre maior alcance (raio elétrico) ou maior área (bola de fogo). Do jeito que está hoje essa escolha não precisa ser feita pois o jogador faz uma distribuição inicial (estágio 0) e pode repeti-la até o estágio 5, quando ele entra pra um colégio de magia, daí ele faz uma nova distribuição e depois pode repeti-la seguidamente nos próximos estágios, ou seja, atualmente o sistema não trabalha a sensação de perda (algo que acontecia no tagmar 1 e que a maioria dos jogadores gostava muito).

- No grupo de armas guerreiros tem poucos pontos e vc pode acabar tendo um guerreiro inábil numa arma. Esse é o menor dos problemas é até mais verossímil que um guerreiro não saiba usar todas as armas mas não é "prático" para o game design, a solução do D&D também não é boa pois o guerreiro acaba sendo treinado em qualquer arma o que é inverossímil. A sugestão seria ele começar com pontos o suficiente para ter todos os grupos de armas (e evitar um guerreiro rolando ataque em coluna negativa por falta de treinamento) e depois esses pontos serem reduzidos (para forçar o jogador a escolher onde alocar os pontos e como especializar seu guerreiro com determinadas armas).

- Nas habilidades definitivamente os valores precisam ser reduzidos à metade ou quase (salvo talvez bardos e ladinos) para proporcionar aos jogadores a mesma sensação de escolha difícil que deveria acontecer com as magias.

#17 Marcelo_Rodrigues Enviado : 22/02/17 07:58
Samyaza,

não concordo em reduzir os pontos de compras de magias. Já são poucos e não faz sentido reduzir ele. Meu mago tem quase 30 magias disponíveis para comprar e somente 11 pontos por estágio para gastar com magias que na média custam 2. Esta ideia de reduzir é bem descabida.

Para as armas, basta aumentar os pontos para guerreiros. Nunca vi algum guerreiro usando uma arma que não saiba. Quando ele decide aprender outra arma (quando por exemplo arranja uma arma mágica) basta ele gastar todos os pontos no grupo de armas que ele rapidamente se atualiza. Aqui uns 4 a 6 pontos a mais para guerreiros resolve sem cair no problema citado no D&D.

Quanto a habilidades aí o problema é bem sério. Vejo algumas soluções:

a) reduzir os pontos em algumas profissões
b) limitar a quantidade de habilidades por profissão
c) Criar patamares nas habilidades para evitar que se compre 1 nível para não fazer na -7.

Uns exemplos da opção C:
- Linguas: o personagem só pode aprende uma nova linguá a cada 3 níveis
- Escalar superfície - Nivel 1 a 3 - semente escalada com equipamento, Nivel 4 ou mais - escalada sem equipamento

Podemos inclusive combinar estas soluções.



#18 Fábio_CM Enviado : 22/02/17 10:41
Quanto às magias, eu concordo com o Rodrigues que os pontos já não são tantos. O problema, na minha opinião, não está na distribuição inicial de pontos para magias, mas sim em por quanto tempo elas são interessantes. Existem muitas magias que são interessantes do estágio 1 ao 10, mas que depois disso passam a ganhar apenas força de ataque, nada mais. Como nem todos os níveis realmente valem a pena, PJs de estágios 8 ou 9 já estão comprando níveis baixos em algumas magias e níveis altos em outras. As ancestrais não são uma progressão comum, então não podem entrar na conta.

Não sei se fui claro no que quero dizer, mas resumindo eu acho que: é muito fácil chegar nos níveis que interessam de qualquer magia, porque elas variam basicamente de 1 a 10, mas o interessante geralmente está em algum lugar no meio dessa faixa. Logo, a impressão é que se pode comprar tudo que interessa com poucos estágios (8 ~ 9).

Os pontos para grupos de armas não são muitos, mas são suficientes para se ter um guerreiro competente em tudo no estágio 4. Não vejo porque um guerreiro de estágio 1 precisa necessariamente saber usar todas as armas, mas poderia ser aberto a eles a possibilidade de comprar qualquer grupo de armas sem explicação em jogo. Seria algo como "um dia você treinou com uma arma parecida, mas falta um refinamento". Daí ele compra 1 nível quando quer, desde que tenha pontos sobrando e acesso a uma arma do grupo (até durante um combate, se tiver pontos sobrando). Também poderia existir uma técnica semelhante a nova técnica de combate Especializar, mas voltada para grupos de armas.

Eu trabalhei na tarefa de descrição das habilidades e no desenvolvimento das novas. Naquelas tarefas eu tentei criar parâmetros que estimulassem o jogador a aumentar os níveis nas habilidades em vez de distribuir seus pontos em toda a lista como ocorre hoje e cria personagens que sabem fazer tudo. Uma alternativa que eu encontrei foi criar as tarefas aperfeiçoadas, que são ganhas a cada 5 níveis nas habilidades e dão direito a um grupo de tarefas realizadas com bônus de um grau no resultado. Acho que ela vai ajudar a reduzir a dispersão dos pontos de habilidades que temos hoje, o que já diminuiria a necessidade de reduzir os pontos de aquisição.

O quadro de habilidades completo custa 60 pontos. O ladino é o que mais tem pontos para gastar, são 22, mas ainda tem as especializações, que na prática são pontos extras. Dimensionados para um grupo de 4 personagens, supondo ladino, guerreiro, mago e sacerdote, temos somados no primeiro estágio exatamente 60 pontos, mas como cada uma dessas profissões possui alguma habilidade especializada temos que os pontos em habilidades podem chegar a 67, pelo menos. Isso significa que há necessariamente sobreposição de habilidades no primeiro estágio para esse grupo - um padrão bastante comum. Então imagino que devemos reduzir o número de pontos de aquisição de todas as profissões em pelo menos 10% ~ 20%.

Marcelo Rodrigues escreveu:
c) Criar patamares nas habilidades para evitar que se compre 1 nível para não fazer na -7.

Isso já existe e são as habilidades restritas e as proibidas de testar sem nível. Mas elas poderiam ser mais numerosas, porque temos apenas 11 das 60 habilidades como restritas e 13/60 como proibidas sem nível.

Marcelo Rodrigues escreveu:
- Linguas: o personagem só pode aprende uma nova lingua a cada 3 níveis

A habilidade línguas e escrita foram aprovadas com a nova funcionalidade de fornecerem novos idiomas com sotaque a cada 4 níveis de total..

Marcelo Rodrigues escreveu:
- Escalar superfície - Nivel 1 a 3 - semente escalada com equipamento, Nivel 4 ou mais - escalada sem equipamento

Ainda é uma ideia um pouco crua. Talvez o nível não seja o limitador ideial, mas a dificuldade do teste. Quer dizer que o pirralho da aldeia não pode escalar a árvore de pés descalços e mãos nuas??
#19 Marcelo_Rodrigues Enviado : 22/02/17 13:28
E a ideia de um limitador na quantidade?
#20 Samyaza Enviado : 22/02/17 13:40
Chefia apenas 3 pessoas estão participando ativamente da discussão, todas coordenadores, não há um conjunto de pessoas suficientes para definir o melhor rumo a tomar, já me posicionei quanto a minha opinião sobre a pontuação, diferente disso é sob ordens da coordenação geral ou após opinião de um grupo maior de pessoas.
#21 Marcelo_Rodrigues Enviado : 22/02/17 15:20
Samyaza,

então a solução é buscar mais opiniões.

OBS: vou chamar mais gente para opinar.
#22 samuel.azevedo Enviado : 22/02/17 18:45
Boa noite, o que aconteceu com aquelas tabelas/planilhas em que calculamos o equilíbrio de jogo considerando os pontos ganhos?
#23 Marcelo_Rodrigues Enviado : 23/02/17 07:37
Samuel,

as tabelas de equilíbrio que estávamos usando foram abandonadas, pois elas faziam a típica comparação de "laranja com bananas". Não tem como saber os fatores de ponderação entre os diversos tipos de atributos a serem comparados/somados: primários, secundários, pontuações de combate, habilidades, magias, etc...

Mas o que o Samyaza está falando é que há poucos pontos para comprar armas para os guerreiros, principalmente que agora há novas armas!

Outro problema mais grave é que as habilidades permite mesmo que o personagens possua poucos pontos (magos, sacerdotes) elas acabam comprando o máximo possível de habilidades em estágio 1 para se livrarem do -7.

Soluções para isto:

1) Diminuir os pontos para algumas profissões
2) Limitar a quantidade de habilidades pela profissão X estágio
3) Patamar de poder: a cada X níveis libera alguma vantagem sobre as habilidades. Pode ser as tais habilidades especializadas, algo semelhante ao que postei acima.

Fabio,

uma observação sobre o que vc disse.


Citação:
Marcelo Rodrigues escreveu:
- Escalar superfície - Nivel 1 a 3 - semente escalada com equipamento, Nivel 4 ou mais - escalada sem equipamento


Ainda é uma ideia um pouco crua. Talvez o nível não seja o limitador ideial, mas a dificuldade do teste. Quer dizer que o pirralho da aldeia não pode escalar a árvore de pés descalços e mãos nuas??


Você se esqueceu que o "pirralho" para subir uma arvore se pes descalcos não tem nível 1 de escalar superfícies. Com certeza bem mais! Você já deve ter visto aquelas reportagens onde um moloque sobe o coqueiro e o repórter tenta fazer e não consegue, né? O moleque treina todo dia para subir em arvores, e ele ganhou nível nisto!

Atenção: sugestões são bem vindas!

OBS: eu quando criança devia ter Escalar superfície 10, pois vivia trepado em arvores Muito Feliz




#24 RenatoCardos Enviado : 23/02/17 09:12
Olá pessoal. Fiz uma contagem para os magos usando como referencia o mago elemetal.

São 34 magias com custo médio 1,3. Assumindo um mago com intelecto 3 ele vai ter 11 pontos por Estágio (2 x 3 + 5). Com isto ele poderá comprar 8,5 níveis por estágio. Isto dá 25% do que existe para comprar! Para ele ter tudo em nivel 10 ele teria de ser estágio 40. E mesmo assim, há as magias perdidas e ancestrais. Então, diminuir os pontos para comprar magias seria lastimavel. Brick wall

As habilidade realmente são um problema. Quando chega no nível 5 todo mundo faz tudo. Então vai aí a minha sugestão.

Vamos limitar o nível de dificuldade desta forma:

No nivel total 1 a 4 o personagem não pode fazer a habilidade no nível difícil, muito difícil ou absurdo.

No nivel total 5 a 7 o personagem não pode fazer a habilidade no nível muito difícil ou absurdo.

No nivel total 8 a 9 ele não pode fazer no nível absurdo.

A partir do nivel 10 ele pode fazer qualquer dificuldade.


*Nivel total = Nivel na habilidade + atributo

#25 Hector Folha-Palida Enviado : 23/02/17 09:38
Inicialmente,

Meus jogadores de guerreiro gostam muito do fato de poder passar estagio sem consultar o livro, só melhorar o que já tem. Qualquer jogador com o mínimo de noção matemática sabe que é melhor especializar em poucas habilidades que tentar ser um faz tudo. O sistema atual é desenhado para punir quem não se especializa. Esta minha opinião geral sobre a tarefa. Ela é equivocada e desnecessária no momento pois muitos dados que estamos nos baseando irão mudar. O numero de magias e seus custos irá mudar, assim como muitas delas, afim não termos mais magias inuteis, causando conflito no Jogador pela qualidade das magias e não pela matemática.

Quanto as habilidades, não tenho usado o bonus de especialização do ladino, pois acho pontos extras muito fraco. Venho testando algumas ideias que tem rendido bons feedbacks, a melhor por hora é de dar uma guilda participativa para o ladino, que influencie o jogo e de acesso ao mercado negro e outras coisas não mágicas.

Enfim acho muito cedo para revisar esse ponto que vai afetar até o custo das magias. Pois com menos pontos, minha matematica de power level muda completamente.

Abraços
#26 Samyaza Enviado : 27/02/17 00:20
Pessoal, sobre a pontuação, fazer a contagem da quantidade de pontos para gastar e das características (Habilidades / Magias / Técnicas / Grupo de armas) é muito importante, mas não esgota a questão, este é apenas o cálculo inicial. Para definir melhor a questão temos que olhar não o total das características mas sim o total de características realmente relevantes.

Importante: a premissa que estou usando é a do Tagmar I, onde havia "falta" de pontos, o jogador sempre tinha que escolher bem onde ia distribuir seus pontos. Hoje em dia, ele pode fazer uma distribuição "nas coxas" pois qualquer "erro" é facilmente ajustado com os pontos ganhos por mais estágios. Nossa intenção é justamente acabar com isso.

Antes de começar a análise, vamos fazer um alinhamento de conceitos, importantes!!! Esses conceitos são apenas direcionar as discussões e não aparecerão na tarefa, são apenas conceitos para desenvolver o game design de maneira mas efetiva e clara.

Característica: refere-se à tudo na ficha que é comprado com pontos: Habilidades, Técnicas de Combate, Magias e Grupo de Armas.

Vital: é toda característica que a profissão precisa possuir para "funcionar", por exemplo, Ações furtivas é uma habilidade sem a qual um ladino simplesmente não consegue exercer seu ofício.

Essencial: é toda característica que reflete a "essência" da profissão mas não é vital para o funcionamento da mesma, por exemplo, podemos imaginar que um ladino seja bom em Negociação devido à nossa concepção de "ladino genérico", mas isso não é uma verdade, podemos ter ladino ruim em negociação, ele pode continuar aplicando golpes (usando habilidades como ações furtivas, destrancar fechaduras e furtar objetos) e ter lucro ruim com isso (não ter níveis em habilidades como negociação ou persuasão) mas, mesmo assim, ele ainda continua sendo um ladino.

Complementar: é toda característica não faz diferença para a representação da profissão, geralmente são habilidades que representam elementos do histórico do personagem (raça, local de nascimento, religião,etc) mas são dispensáveis ao funcionamento da profissão escolhida e/ou não refletem imediatamente um aspecto comum da profissão. Por exemplo, nosso ladino pode ter nascido em Porto Livre e por isso tem Natação, ou ainda, ele pode ser meio-elfo e aprendeu a Língua Élfica, porém, essas habilidades não estão, pelo menos diretamente, ligadas ao funcionamento básico ou ao conceito da profissão ladino, por isso, diz-se que são complementares.

Com esse alinhamento de conceitos, partimos para uma definição de "direção" em que a tarefa deve seguir, que, na minha opinião, é a seguinte:

(1)Todo jogador deve ter pontos suficientes para comprar as características vitais da sua profissão. (2) As características essenciais devem ser contabilizadas e os pontos devem ser suficientes para comprar pelo menos metade delas. (3) O jogador ainda deve ter pontos para comprar pelo menos uma característica complementar.

Desta forma nós garantimos o funcionamento da profissão com (1), mas forçamos o jogador a fazer escolhas com (2), isso trabalha a noção de gestão de recursos e planejamento a longo prazo e com (3) nós permitimos que jogadores focados em estratégia reduzam o prejuízo de 50% das características essenciais usando o ponto das complementares e que os jogadores focados no roleplay possam representar melhor seu personagem usando os pontos essenciais para comprar complementares sem que isso atrapalhe o funcionamento da sua profissão.

Nosso maior desafio estaria em definir quais são as características vitais e quais são essenciais de cada profissão. A minha sugestão, por exemplo, para os guerreiros é:

Citação:

Guerreiro:
- Habilidades: Aplicar Esforço (1pt vital,) Trabalho em metal (2pt essencial), Poliorcética (1pt essencial), Montar Animais (2pt essencial). Total de pontos 6 [1 ponto por habilidade vital, 3 por habilidades essenciais (5/2 arredondado para cima), e +2 pelas complementares].

- Grupo de Armas: CD (1pt vital), alguma arma do grupo médio (2pt vital), demais armas dos grupos médio e pesado (26pt essencial). Total de pontos: 18 (3 pelas vitais + 13 pelas essenciais +2 pelas complementares.)

- Técnicas de combate (considerando as existentes na versão 2.3 já que as novas não foram alteradas): Resistência à dor (2pt vital), Aparar (2pt essencial), Carga (1pt essencial), Esquiva (1pt essencial). Total de pontos: 6 (1 pela vital, 2 pelas essenciais, +2 pelas complementares)

Resumindo:
• Guerreiro:
- Habilidades: 6 pontos iniciais +3 por estágio
- Grupo de Armas: 18 pontos iniciais +9 por estágio
- Técnicas de combate: 6 pontos iniciais +3 por estágio

#27 Marcelo_Rodrigues Enviado : 28/02/17 10:34
Samyaza,

discordo totalmente da sua abordagem. Reduzir o guerreiro de 14 para 3 pontos por estágio é totalmente descabido. Com 3 pontos por estágio ele mal comprará duas habilidades.

Não é por aí. O problema reside no fato que:

a) Não ter uma habilidade é muito ruim, e ao comprar 1 nível faz a uma diferença enorme.

b) Comprar mais 5 níveis em uma habilidade faz pouca diferença.

O uso da tabela colorida na resolução das habilidades confere apenas 2,5% de acréscimo a cada nível. É aqui que reside o problema. E é por isto que os jogadores com frequência resolvem espalhar os pontos. A solução então não reside em reduzir os pontos, mas sim:

a) impedir o espalhamento excessivo, para isto basta limitar a quantidade de habilidades que cada profissão pode ter. Por exemplo:

O guerreiro tem 14 pontos. O custo médio das habilidades é 1,7 o que permite ele comprar 8 habilidades no 1º estágio, mais 8 no segundo e mais 8 no terceiro. Assim, logo 3º estágio ele alcança 24 habilidades, que é 60% das habilidades existentes (em nível 1).

Solução: podemos limitar a 9 habilidades + uma habilidade por nível. Assim no estágio 3 ele teria no máximo 12 habilidades no lugar de 24!

Isto vai fazer que o personagem tenha de escolher bem o que vai comprar no inicio e na passagem de estágio. Na ficha automatizada esta limitação pode ser implementado com facilidade.

b) uma segunda solução interessante é dar algum tipo de melhoria ao se atingir um nível da habilidade. A ideia postada pelo Renato é interessante... Sugestões aqui são bem vindas!



#28 Samyaza Enviado : 28/02/17 12:22
Eu discordo, nesse caso, há um impasse do tipo coordenador de área vs responsável pela tarefa e coordenador de área vs coordenador geral. Preciso saber qual sua posição para dar prosseguimento.
#29 Fábio_CM Enviado : 28/02/17 12:57
Samyaza, acho que sua abordagem mais qualitativa é uma boa, mas dá trabalho. Na minha opinião seria o melhor caminho. Mas a pontuação inicial faz parte desta tarefa? Porque sua apresentação diz que esta tarefa fala apenas da evolução do estágio.

Quanto a proposta, eu penso que o pensamento deve ser centrado mais no grupo e menos no personagem individualmente, porque o sistema é desenhado para ser trabalhado em equipe. Por isso também acho muito poucos pontos para a evolução. O quadro completo de habilidades tem 60 pontos, com míseros 3 na evolução nunca haverá um grupo que seja completo o suficiente.

Marcelo Rodrigues escreveu:
Não é por aí. O problema reside no fato que:
a) Não ter uma habilidade é muito ruim, e ao comprar 1 nível faz a uma diferença enorme.
b) Comprar mais 5 níveis em uma habilidade faz pouca diferença.

O grande problema é o item (a). O (b) talvez seja minimizado com as tarefas aperfeiçoadas, mas mesmo assim elas serão limitadas.

Marcelo Rodrigues escreveu:
a) impedir o espalhamento excessivo, para isto basta limitar a quantidade de habilidades que cada profissão pode ter. Por exemplo:

Já existe uma mecânica para ajudar nesse caso, que são as habilidades penalizadas (ou grupos penalizados). Podemos repensar em qual é essa penalidade e ampliar o número de habilidades por profissão. Ou talvez fazer o contrário, aumentar o custo de todas as habilidades e criar grupos que são bem mais baratos para algumas profissões. Por exemplo, ações furtivas custará 4 pontos para todos, exceto para os ladinos, que custa 1.

Marcelo Rodrigues escreveu:
Solução: podemos limitar a 9 habilidades + uma habilidade por nível. Assim no estágio 3 ele teria no máximo 12 habilidades no lugar de 24!

Você está sugerindo acabar com os níveis nas habilidades?
#30 Marcelo_Rodrigues Enviado : 28/02/17 13:36
Fabio, estou sugerindo que evitemos isto que você pode ver na imagem abaixo.

Fiz um guerreiro estágio 3 usando a ficha 2.4 alfa 1 e veja que aconteceu. Coloquei 3 nas habilidades mais importantes e espalhei nas demais. Resultado: 19 habilidades para um personagem de estágio 3.

Pela minha proposta ele não poderia fazer isto já que ele só poderia ter 12 habilidades.

OBS: não estou sugerindo acabar com níveis não. Sugiro apenas limitar a quantidade de habilidades que ele pode ter por estágio. No caso deste guerreiro ele poderia ter no máximo 9+3 = 12 habilidades (independente do níveis nelas). Isto forçaria a colocar mais níveis nas habilidades (já adquiridas) ou a guardar pontos para quando passasse de estágio. Desta forma o guerreiro poderia ter até 10 habilidades no estágio 1, 11 no estágio 2, 12 no estágio 3...
Marcelo_Rodrigues anexadas as seguintes imagens:
habilidades.jpg
Usuários visualizando este tópico
Guest
5 Páginas 123>»
Ir para o Fórum  
Você não pode adicionar novos tópicos neste fórum.
Você não pode responder a tópicos deste fórum.
Você não pode excluir suas participações deste fórum.
Você não pode editar suas participações neste fórum.
Você não pode criar enquetes neste fórum.
Você não pode votar em enquetes neste fórum.

YAFPro Theme Created by Jaben Cargman (Tiny Gecko)
Powered by YAF | YAF © 2003-2009, Yet Another Forum.NET