Histórico Voltar para Lista
.

Essas criaturas, à primeira vista, são pequenos arbustos com frutos parecidos com maçãs amareladas; mas quando um desavisado colhe uma de suas frutas ou tenta podar suas folhas para abrir passagem, acaba entrando em um grande problema. Ergue-se do solo uma criatura parecida com um pequenino entroncado, cujo corpo nu é feito de raiz e na cabeça, onde deveria haver cabelos, está o arbusto com as flores e frutos. A criatura não tem olhos, mas seu tato é muito sensível e fora do subsolo sua audição é tão apurada que ela consegue localizar qualquer movimento ao seu redor num raio de 30 metros.

Acredita-se que as mandrágoras estão sempre dormindo abaixo da terra. E quando uma mandrágora é perturbada ela se revela, soltando um grito que fere os ouvidos e pode até matar homens. Uma mandrágora nunca está sozinha. Espalhadas na área ao seu redor, existem outras. E se uma das mandrágoras do grupo for perturbada, todas as outras acordam com o seu terrível grito e vão ao seu auxílio. O grito da mandrágora tem outro efeito, funciona como um alarme na floresta e pode atrair outras criaturas para se aproveitar de suas desafortunadas vítimas. As outras criaturas ficarão à espreita em uma distância segura, até que os gritos cessem ou que as presas saiam do alcance das mandrágoras. Apesar de sua audição apurada, as mandrágoras são imunes ao grito de outras mandrágoras e conseguem se comunicar umas com as outras mesmo sob o solo.

Seu principal e mais devastador ataque é o grito, mas elas também podem atacar com tentáculos de cipós que saem de sua cabeça. Normalmente, alimentam-se de luz e nutrientes do solo, mas também podem se alimentar da carne de suas vítimas que ela consegue prender em casulos. Os tentáculos de cipó alcançam oponentes a até 10 metros de distância e são muito usados para prender e envenenar os oponentes ou quando suas vítimas estão além do alcance de seus outros ataques.

Apesar de todo o perigo, às vezes elas são caçadas em virtude de suas propriedades regenerativas e medicinais. Seus frutos são chamados de maçãs de mandrágora ou às vezes de maçãs do diabo. Quando maduro, seu fruto é amarelo, sendo um poderoso afrodisíaco e energizante. Comer uma única fruta restaura toda a EH e ativa um forte desejo sexual durante 2 horas. Mas quando o fruto não está maduro, apresenta uma cor verde e causa um envenenamento alucinógeno. O veneno equivale a um veneno tipo II e seu efeito é similar a magia Alucinação 4 (com direito a resistência física contra força de ataque 4). A alucinação deixa a vítima se movendo lentamente, com visões psicodélicas e sentimento de euforia. Enquanto sob efeito da alucinação, a vítima fica totalmente inofensiva e pode ser alvo de ataques oportunos e surpresa, ao fim do efeito, a vítima sente-se extasiada.

Cada mandrágora possui 1d10 frutos, sendo metade verde e metade madura. O consumo do fruto, verde ou maduro, pode causar vício se ocorrer por mais de uma vez num intervalo de uma semana. O vício ao fruto deve ser considerado como uma doença que só pode ser curada com Recuperação Física 4 ou superior e o alvo terá penalidade de -2 colunas em todos os testes se não tiver consumido um fruto da mandrágora a menos de 24 horas enquanto estiver doente do vício. Pode-se extrair um suco de um fruto, que equivalerá a uma poção do amor (mesmo efeitos da fruta madura) ou um de veneno alucinógeno (mesmo efeito da fruta verde) na proporção de um por fruto. A poção do amor ou o veneno alucinógeno podem ser conservados em um frasco de vidro por até 1 ano, ou por tempo indeterminado no frio.

Mas o maior poder medicinal desta criatura está em seu corpo, ou sua raiz. O líquido extraído da raiz pode ser usado para preparação de poções de cura dos mais variados tipos. Para fazer uma poção de cura com o extrato da raiz da mandrágora, um sacerdote conjura os milagres de cura que desejar neste líquido enquanto ele estiver cozinhando no período de uma hora. A poção de cura resultante terá a soma de todos os efeitos dos milagres usados. Os milagres podem ser: Curas Físicas, Regeneração, Recuperação Física, Curas Heroicas, Curas Espirituais e Ressurreição, ou qualquer outra magia com efeito de cura. Depois de terminado o ritual de cozimento e orações, a poção de cura é estabilizada e rende até 1 frasco de 500 ml por mandrágora cuja essência foi extraída. Todos os frascos de poção de cura produzidos assim terão o mesmo efeito combinado dos milagres que foram pedidos durante o ritual. As mandrágoras também são procuradas por alquimistas como ingrediente de poções e elixires.

Um uso menos difundido do extrato de mandrágora é o seu destilado, que pode curar paralisia e petrificação. Outro uso menos conhecido é o de extrair de seus tentáculos o veneno alucinógeno, que é considerado na categoria de Venenos Tipo III. Veja (Tentáculos Venenosos) para uma descrição do veneno.

Devido a sua forte aura, é possível fazer uma infusão a partir das folhas da mandrágora que posteriormente é filtrada e colocada para cozinhar por 24 horas. O líquido concentrado tem uma cor verde-azulada e rende 1 dose de uma poção que restaura todo o Karma, seu preparo requer praticamente todas as folhas e cipós de uma mandrágora adulta por porção.

O poder regenerativo da mandrágora é tamanho, que se as pontas de suas raízes forem cortadas de alguma forma, poderão gerar outras mandrágoras em alguns meses. Alguns herbalistas mais ousados já tentaram criar plantações de mandrágora desta forma ou através das sementes, mas depois que as criaturas crescem o suficiente elas simplesmente levantam da terra e fogem para outro lugar na calada da noite.

Como estão sempre em grupo e seus gritos ferem em área, representam um enorme perigo. Herbalistas experientes dizem que é menos perigoso pegá-las à noite, quando mesmo assim é muito difícil se mover perto delas e removê-las com cuidado sem que elas percebam; durante o dia, entretanto, é impossível tentar fazer isso, pois elas ficam mais sensíveis e acordam mais fácil com o calor do sol. Em outras palavras, para se aproximar delas é preciso passar em um teste de Ações Furtivas Muito Difícil durante a noite, ou Impossível durante o dia.

Poderes Especiais

Grito estridente - cada mandrágora pode atacar com um grito estridente, que fere a todos num raio de 5 metros (exceto outras mandrágoras). Criaturas com audição aguçada, como lobos, sofrem 25% a mais de dano por este tipo de ataque. Para fazer o ataque de grito, observe os valores na lista de ataques abaixo.

Regeneração - as mandrágoras tem um incrível poder curativo e se regeneram a uma taxa de 1 ponto de EF e 3 pontos de EH por rodada.

Tentáculos Venenosos - quando um ataque de tentáculo atinge pela primeira vez em um encontro a EF da vítima ou 100% de sua EH, a vítima deve fazer um teste de resistência física contra força de ataque 7 ou sofrerá alucinações e se deitará aos pés da criatura ficando inerte por 1 hora. Durante este tempo, caso não tenha outros oponentes, a mandrágora se aproveitará da vítima inerte e a envolverá com uma espécie de casulo feito com seus tentáculos. A vítima acorda depois do tempo do veneno. O casulo é formado em 30 minutos, antes do casulo se fechar é possível se libertar com um teste Muito Difícil em Escapar (ou Absurdo em Força), depois do casulo se fechar, é possível se libertar com um teste Absurdo em Escapar (ou Impossível em Força). Depois de um tempo dentro do casulo, a vítima eventualmente morre de fome, sede ou sufocamento, e depois que apodrece é absorvida pela criatura.

Tipo de Criatura

Criaturas Vegetais

Organização e Habitat

Grupo Médio / Florestas.

Habilidades / Técnicas de Combate

Usar os Sentidos(10)

Magias e Poderes Especiais

Grito estridente; Regeneração e Tentáculos Venenosos (ver texto).

Peso/Altura

21 Kg / 0,8 a 1,2 m

Atributos

INT(i), AUR(5), CAR(-2), FOR(0), FIS(3), AGI(-1), PER(3)


NomeEstEFEHDefesaAtaqueLMP100%75%50%25%RFRMMoralVB
Mandrágora 21216L1Grito Estridente666171411857/8
Tentáculos-1318642