Editar Histórico Discutir Voltar para Lista

Criado por elton10pkn

“Tolo e imperfeito! Este é o legado construído pelos deuses através de seus filhos mortais. Nosso sacrifício não será em vão! Nós os ajudamos a derrubarem os titãs e juntos prosperavamos. Contudo, eles nos abandonaram e fomos entregues a criaturas que rastejam no chão, roubam o que é nosso e matam nossos irmãos. Com o mesmo gelo amaldiçoado com que puniram os rebeldes nós mataremos seus filhos e traremos o inverno ao mundo!”

A'tal, o Imperador Glacial.

Versões majestosas do dragões de gelo, estes dragões imperiais possuem um poder que seus semelhantes inferiores cobiçam e seus inimigos temem. Com quase 30 metros de altura e 60 de envergadura seu poder é semelhante às suas contrapartes de fogo. Suas escamas formam uma armadura branco-azulada, suas garras lanças cristalinas e seus olhares soberbos brilham em um azul profundo e mortal.

O que acontece quando os seres mais poderosos de Tagmar são corrompidos? Originados no 2º Ciclo, os Dragões Imperiais de Gelo foram umas das grandes mazelas de seu tempo. Orgulhosos e poderosos por natureza os Dragões Imperiais pospreraram por muito tempo, porém com o surgimento dos Filhos e o afastamento dos deuses muitos dragões se afastaram do mundo. Com o crescente poder dos filhos veio a ganância e ela se voltou para os dragões. Eles por muito tempo conseguiram se livrar das pequenas pragas que os provocavam, porém seus poderes só aumentavam e uma foi questão de tempo para que o primeiro Dragão Imperial fosse morto. Ultrajados pela audácia eles iniciaram grandes guerras contra as criaturas que julgavam inferiores, mas seu tempo de inanição permitiu que elas se multiplicasem em quantidade e poder. Muitos dragões foram perdidos e eles se sentiram traídos e abandonados pelos deuses, entregues para serem mortos por criaturas indignas. A maioria dos dragões destistiu da ideia de guerras abertas e passaram a se preocupar somente consigo mesmos, porém houve aqueles que desejavam a vingança, e ela veio fria. Buscando auxílio naquele era como os deuses, mas os odiava assim como tudo o que haviam criado. Heldrom, o Deus Caído, não pareceu surpreso quando foi invocado pelos dragões e ouviu atentamente suas falas, ao final ele inflamou ainda mais a ira dos dragões contra os deuses, transferindo a eles toda a culpa é dizendo como seria o mundo que ele havia planejado. O Caído, fingiu estar completamente alinhado com a insatisfação dracônica, quando na verdade estava feliz com suas novas peças de xadrez, ele ofereceu grandes poderes aos dragões dizendo que eles poderiam até mesmo se aos Imperiais Dourados que não haviam entrado na guerra. Por fim, o custo seria suas chamas, seu fogo se apagaria e tornaria tão frio quanto seu ódio, mas seus corpos gelados resistiriam até aos desígnios de Cruine, superando a morte, porém havia um segundo custo, eles seriam livres para fazer o que quisessem com seus poderes, mas no momento oportuno eles deveriam atender o chamado de Heldrom, e assim foi feito. Muitos dragões recusaram os termos achando um insulto terem seus poderes semelhantes aos Dragões de Gelo, o mas os que se submeteram ao pacto formaram os primeiros Dragões Imperiais de Gelo e eram liderados por A'tal, autointitulado O Imperador Glacial. Portando o inverno em seus hálitos, eles espalharam o medo e a forme em seu caminho e aparentemente se reproduziam muito mais rápido que qualquer outro dragão. Quando eles achavam que poderiam triunfar, Radrakkar, o Primeiro Dragão Dourado, trouxe sua ira. Trazendo a vontade dos deuses, ele e seus filhos Draconianos enfretaram os traidores e quando venceu a luta Radrakkar bradou sua sentença: os traidores seriam banidos para o gelo que tanto amavam, já que seus corpos nunca mais se separariam deles perecendo como a neve com a chegada do verão se sentissem o calor e por sua ganância jamais tocariam em qualquer metal ou se alimentariam de qualquer ou coisa diferente de gelo, pois tudo o que tocassem se transformaria em um gelo tão quebradiço quanto vidro. Após, o sua derrota os Imperiais de Gelo fugiram para as Terras Glaciais, de onde não podem mais sair e fracos passaram a hibernar até o início do 3º Ciclo.

O Dragões Imperiais de Gelo são individualistas por natureza, mas compreendem que somente alcançaram seus objetivos trabalhando juntos, por isso possuem um acordo de não interferência. Cada um governa uma parte do Pólo, e não pode adentra-la sem consentimento de seu governante. Atualmente há somente doze dragões despertos, mas não se sabe quantos ao certo há debaixo do gelo.

Estes dragões possuem um ódio supremo aos deuses e a todos os que os servem, porém aprendam que escravizar é, as vezes, melhor que matar. A primeira raça que escravizaram foram os Iogs e posteriormente os Vancos, para quem se tornaram deuses. Exilado, A'tal passou a vagar pelas Terras Glaciais encontrando, por acaso, um artefato de eras ancestrais, o Coração de Crio. Os deuses ao derrotarem o antigo Titã do frio incorporam sua essência no plano material, o Coração é a manifestação fisica desta essência, todavia o que A'tal encontrou é apenas um fragmento e mesmo muito poderosa não é forte o suficiente para alcançar seus objetivos, espalhar o Gelo Eterno por toda Tagmar é finalmente conquista-la. A'tal acredita que o outro fragmento do Coração está no extremo sul de Tagmar, numa outra reunião gelada, por esse motivo ele tem, cada vez mais, incentivado os Vancos a alcançarem tal região.

Tipo de Criatura

Dragões Imperiais

Ambientação

Ilhas Independentes

Organização e Habitat

/ Locais de gelo eterno

Habilidades / Técnicas de Combate

Misticismo(14), Sensitividade(17), Usar os Sentidos(15)

Peso

10000 Kg

Atributos

INT(4), AUR(5), CAR(1), FOR(8), FIS(5), AGI(5), PER(2)


NomeEstEFEHDefesaAtaqueLMP100%75%50%25%RFRMMoralKarmaVB
Dragão Imperial do Gelo Jovem 232050P5Cauda2728253226201428283512025 (andando) 60 (voando)
Garras30272431231913
Hálito Congelante28282833261912
Mordida28272631231913