Histórico Ver Discussão(12) Voltar para Lista

Criado por fábio_cm

Observador

“Terror! Foi o que senti quando me deparei com aquele monstro pela primeira vez. Como ele surgiu naquela masmorra abandonada? Eu estivera ali há poucos meses e estava vazia!”

De forma aproximadamente esférica e com tentáculos grotescos surgindo ao redor do corpo, os Observadores são monstros bizarros que parecem ter saído de pesadelos. Seu corpo é formado de uma carne mole e gordurosa, sem pele e com escamas sobrepostas que parecem se mover a medida que a criatura flutua de 1 a 2 metros sobre o solo. Um olho enorme sempre aberto e uma boca grande com dentes afiados identifica qual é a face frontal da criatura. A extremidade de cada tentáculo possui um olho pequeno que enxerga na direção em que está virado.

Os observadores são monstros de origem desconhecida. Há suposições de que eles sejam o que restou das criações aleatórias dos titãs, antes deles serem contidos pelos deuses. Nesta teoria, por alguma razão, os Observadores não foram destruídos pelos demônios.

Outra tese sustenta que os Observadores eram criaturas extraplanares que habitavam o limbo em uma região visitada apenas pelos loucos e devaneadores, mas que foram trazidos a este mundo através de alguma poderosa magia que os materializou utilizando uma mente perturbada como portal. Qualquer que seja a explicação para existência deles é certo de que são criaturas antinaturais e que não encontram seu espaço no mundo dos deuses.

Inteligentes, os Observadores são monstros solitários por predileção. No entanto, nada impede que eles sejam, em raras situações, encontrados em duplas ou trios. Não formam cidades e não possuem uma sociedade estruturada. Porém, não é raro que sejam cultuados ou que escravizem uma região de outras criaturas inteligentes. Preferem habitar cavernas, ruínas e masmorras abandonadas do que quaisquer outros locais. Normalmente eles adequam seus covis a bel prazer com seu poder de geomanipulação, o qual podem utilizar livremente sem custo de karma. Em todos os relatos conhecidos, os Observadores surgiram no interior destes locais repentinamente, como se por magia tivessem se transportado diretamente para lá.

Observadores não se lançam cegamente em uma luta. Em vez disso, é comum eles tentarem ludibriar aventureiros oferecendo-lhes favores e tesouros para depois pegá-los desprevenidos. Quando confrontados utilizam suas magias para destruir seus inimigos da forma mais rápida possível.

Apesar de sua aparência repulsiva, essas criaturas conseguem, com inesperada frequência, cativar ouvintes com seus discursos eloquentes. Os observadores são capazes de falar e compreender qualquer idioma e mostram-se sempre versados em palavras requintadas.

Os Observadores possuem ambições complexas. Embora cobicem poder e demonstrem prazer em enganar e matar seus inimigos, não agem de forma a expandir território, conquistar cidades e reinos. Cada uma das teses que supõe sua origem apresenta uma teoria para este comportamento. Aqueles que dizem que os Observadores são originados na aleatoriedade dos Titãs afirmam que eles realmente não tem uma razão coerente para serem como o são, e que sua origem caótica já é por si só o motivo. Enquanto isso, aqueles que sustentam que eles têm origem no Limbo argumentam que os Observadores agem como um reflexo dos medos subconscientes de todas as criaturas vivas, e por isso não possuem a pretensão de saírem de seus covis, lugares assustadores por natureza.

Enfrentar um Observador é uma tarefa homérica para um grupo de aventureiros. Apesar de não possuírem poder bruto tão grande como um dragão, eles são mestres da manipulação e da magia.

Contra um grupo menor um Observador tenta iniciar uma conversa interessante. Devido a seu desenvolvido intelecto e conhecimento sobre assuntos diversos, o monstro não tem dificuldades de perceber as intenções do grupo naquele ambiente. Assim, ele pode sugerir que conhece a localização de tesouros, segredos da corte, segredos místicos ou o que quer que capte a atenção dos aventureiros. Para ser capaz de identificar falhas na retórica da criatura e perceber suas mentiras é preciso um resultado muito difícil em empatia.

Ressalta-se, porém, que nem tudo que a criatura diz é mentira. Em geral, ela traz informações verdadeiras com detalhes falsos para não entregar o que é realmente importante. Por exemplo, ele pode comentar sobre uma coroa mágica que existe de fato, mas revelar nomes falsos de locais e pessoas de forma a não entregar sua origem. Se algum personagem detectar falhas na retórica da criatura, ele poderá começar um embate social para tentar obter o máximo de informações verdadeiras. Um Observador ficará irritado se perder o embate e iniciará um combate assim que revelar uma informação verdadeira além daquela que considera que os aventureiros possam saber (a critério do mestre).

O ataque principal de um Observador em combate são seus raios ópticos, um disparo mágico a partir de seus pequenos olhos na ponta dos tentáculos que provoca dano de tipo karma. Ele é capaz de realizar até 3 destes disparos por rodada, cada um partindo de um pequeno olho diferente. O ataque é resolvido como se fosse um magia de dano indireto, e a criatura utiliza as técnicas de Ajustar Disparo e Ricochetear com eficiência para melhorar cada ataque.

Durante as rodadas em que o monstro conversa com os aventureiros, ele também os observa atentamente e realiza rolagens na técnica de combate de Explorar Fraqueza. Devido a sua altíssima percepção, a criatura é capaz de observar a fraqueza de até quatro adversários simultaneamente. A única situação em que ele não fará uso da técnica será quando tiver fracassado em um embate social, pois entrará enfurecida no combate e não irá explorar as fraquezas, ou quando os aventureiros partirem diretamente para o combate sem nenhuma rodada prévia de conversas.

Os movimentos oscilantes do monstro flutuante lhe garantem uma jogada na técnica de Imprevisibilidade de forma automática e instintiva. Suas escamas lhe conferem uma proteção considerável, mas a carne da criatura é bastante frágil e sensível, fazendo com que os ataques diretamente no corpo da criatura (dano crítico) sejam a forma mais rápida de destruí-la.

Além disso, o Observador possui um Olhar de Anulação, que obriga uma criatura encarada por seu olho principal a ser bem sucedida em um teste de RM contra FA 30 ou ser incapaz de realizar qualquer magia na rodada. Qualquer efeito mágico, seja de magia duradoura ou objeto, também fica suspenso enquanto o Observador encara um adversário que falhou no teste de RM. Ele é capaz de mudar de alvo no início de cada uma de suas rodadas. O Observador sempre visa os alvos místicos mais perigosos, que ele é capaz de identificar facilmente devido a sua elevada aura e sua habilidade de sensitividade.

Apesar de já ser um oponente formidável apenas com seus ataques de raios e seu Olhar de Anulação, é o uso das magias que tornam os Observadores tão perigosos. Com a magia de telecinese, o monstro costuma usar o ambiente para aprisionar ou incapacitar seus adversários. Com transformação ele torna inimigos intimidadores em criaturas inofensivas, geralmente deixando-os vivos para poder humilhá-los.

A magia de degeneração física é utilizada para maltratar seus inimigos, tornando-os vítimas agonizantes. Putrefação é utilizada como forma de defesa, geralmente quando o Observador se vê cercado (a origem da magia é sempre o monstro, que não é afetado por ela).

O Observador lançará uma maldição sobre uma vítima que seja capturada por sua retórica cativante. O mais comum é que ele “troque” conhecimento com a vítima, fazendo-a aceitar uma maldição em troca de uma informação (geralmente incompleta). Por fim, a magia medo é utilizada assim que o Observador entra em combate.

O monstro é capaz de lançar uma magia em substituição a um de seus ataques de raio. Porém, ele só é capaz de lançar uma única magia por rodada.

Quando um Observador é destruído seus olhos ressecam-se em 15 segundos e sua carne mole despenca no chão como um amontoado com mal odor. As escamas da criatura pegam fogo e em instantes a chama se alastra pela carne fétida. Qualquer um a até 25 metros da chama precisa ser bem sucedido em um teste de RF contra FA 16 ou estará intoxicada por um veneno único chamado Lágrima do Observador por ter tido contato com o resíduo da queima. Em caso de sucesso no teste a vítima sente uma ardência intensa nos olhos e recebe uma penalidade de -5 colunas em qualquer teste que envolva a visão, inclusive ataques, durante 1 dia. Em caso de fracasso a ardência queima os olhos e provoca cegueira completa durante 30 dias, tempo que pode ser reduzido até a metade com tratamento médico adequado (teste de medicina diário após repouso. Cada sucesso médio ou superior conta como dois dias de recuperação).

Tipo de Criatura

Monstros

Ambientação

Reinos / Terras Selvagens

Organização e Habitat

Solitário ou Grupo Pequeno / Cavernas, Masmorras e Ruínas

Habilidades / Técnicas de Combate

Ações Furtivas(13), Acrobacias(23), Códigos(25), Empatia(22), Enganação(28), Etiqueta(22), Extrair Informação(18), Jogatina(28), Línguas(25), Misticismo(25), Negociação(22), Persuasão(22), Sabedoria(12), Sensitividade(30), Usar os Sentidos(28) / Ajustar Disparo(20), Ataques múltiplos(3), Concentração(20), Explorar Fraqueza(20), Imprevisibilidade(20), Luta às Cegas(10), Ricochetear(20)

Magias e Poderes Especiais

Olhar de Anulação (FA 30), Telecinese (10), Transformação (20), Degeneração Física (7), Putrefação (20), Maldições (8), Medo (20), Transporte Dimensional (3) Geomanipulação (2)

Peso/Altura/Largura/Comprimento

7000 Kg / 2,5 m / 2,5 m / 2,5 m

Atributos

INT(5), AUR(10), CAR(2), FOR(1), FIS(1), AGI(3), PER(8)


NomeEstEFEHDefesaAtaqueLMP100%75%50%25%RFRMMoralKarmaVB
Observador 20168(224)280L5Raio3131313025201521304020030