Discutir Histórico Ver Ultima Mudança Editar Pesquisar
A Gruta da Gota  

O prisioneiro


O grupo viajava de volta à Principado Antigo para interrogar o anão Martelo Vermelho que assassinara o filho do sacerdote Servill. Contudo, durante a jornada, tanto o guerreiro Krom quanto o sacerdote disseram que não iriam encontrar o assassino. Em vez disso, ambos iriam até templo de Sevides.

Enquanto isso, os outros quatro dirigiam-se à mansão do duque. Ao chegarem perto, os guardas do nobre alertaram que o duque estava na prisão interrogando o assassino. Zac decidiu que iria direto para lá, enquanto os outros três restantes resolveram entrar e falar com o filho do duque para obter mais informações.

Na mansão dos Marimonte o trio Ark, Azurius e Finwe conversaram rapidamente com Huen, o filho do duque, que lhes disse de forma superficial que um torturador estava com o assassino. Além dele, o trio conversou com Velina, a filha do Duque de Marimonte, que contou brevemente a história de sua vida ao dizer que sua mãe era de Porto Livre e que ela retornara de Saravossa recentemente. Depois das conversas, os três foram atrás de Zac para encontrar-se com o duque na prisão.

O mago Zac não teve acesso fácil ao assassino do filho de Servill. Ele precisou convencer um dos guardas que o duque teria interesse em vê-lo, uma vez que as ordens iniciais eram para que não o incomodassem. O mago teve sucesso e conseguiu convencer o guarda bem a tempo dos três que ficaram para trás na mansão do duque o encontrarem, e os quatro entraram para falar com o assassino.

O duque de Marimonte ordenou que o torturador saísse da sala para que o grupo pudesse ver o assassino. Segundo o nobre, Grust, o Martelo Vermelho que matou o filho de Servill, nunca havia dado nenhum sinal de ser um demonista e sempre se comportou bem. Os quatro tentavam dizer ao duque que talvez ele estivesse sendo influenciado por alguma coisa ou alguém.

Quando começaram a fazer perguntas para o anão, todos perceberam que ele estava com a mente abalada. Finwe conseguiu encantá-lo e facilitar a conversa, mas mesmo assim ele conseguiu poucas informações, embora valiosas.

O quarteto conseguiu extrair do anão que ele havia visitado a Gruta da Gota, um local nas proximidades de Principado Antigo que é usado principalmente por anões que adoram Parom. Ela fica próxima da Colina dos Pequeninos e dizem que há um fonte e um altar à Parom em seu interior. Além disso, eles ouviram o nome de Nicodemos da própria boca de Grust, como se essa pessoa estivesse por trás destas maquinações.

Embora não estivessem certos do que poderiam fazer, o grupo resolveu ir até o templo de Sevides buscar Servill e Krom e então partir até a Gruta da Gota a fim de descobrir mais pistas sobre o porquê de um anão aparentemente insuspeito ter enlouquecido e matado um inocente.

A Gruta da Gota


A viagem até a gruta foi curta. Boa parte do trajeto foi realizada pela mesma estrada que levou até a Colina dos Pequeninos, então Servill guiou o grupo.

Ao chegarem lá, a única entrada conhecida ficava no topo de um paredão. O grupo tinha cordas e Ark foi o primeiro a escalar, sem grandes dificuldades. Contudo, mesmo com o apoio do ladrão no topo da parede, alguns dos integrantes da comitiva tiveram mais dificuldade e acabaram desperdiçando mais energia do que gostariam para realizar a tarefa. No entanto, todos conseguiram chegar.

A gruta começava com uma caverna em descida acentuada. O teto era baixo e obrigava a todos, exceto Servill, a movimentarem-se mais lentamente. Várias tochas presas nas paredes por braçadeiras metálicas estavam apagadas e eram acesas por Zac e Ark a medida que o grupo avançava. Eles andaram por alguns instantes até que chegaram a uma grande parede e uma alavanca à direita. Ao acioná-la - Krom fez as honras - a parede a frente se abriu como um grande bloco de pedra, dando origem a um longo corredor. Ela se fechou logo em seguida, tornando a passagem arriscada.

Os seis integrantes do grupo pensavam em várias possibilidades de passar pela parede. Eles ativaram a alavanca algumas vezes para verificar a situação do corredor, e perceberam que o teto era furado e que ao fundo havia um arco dourado como portal. Eles também repararam que a parede se fechava e esmagava o que estava no centro.

Finalmente, Zac conseguiu elaborar uma estratégia. O mago transportou os parafusos das braçadeiras e Krom as removeu da parede. Com as fortes peças metálicas em mãos, eles a utilizaram para travar a parede que se fechava. Como acharam que apenas uma seria pouco, eles realizaram a manobra duas vezes, com Zac realizado a magia 4 vezes.

Uma vez cruzado o corredor, os seis aventureiros chegaram a uma sala grande com estátuas e um lago com redemoinho no meio. Ele chegaram no santuário de Parom que sabiam estar naquela gruta.

Principado Antigo e Gruta da Gota, 3º dia, Sagaeti do mês do Ouro do ano de 1500

Verbetes que fazem referência

Campanha Instintos Latentes

Verbetes relacionados

A Festa da Fartura | Contratados pelo Duque | Um sinal do demônio | O assassinato do filho de Servill | A Gruta da Gota | Cavernas na Gruta
LGPD (Lei Geral de Proteção a Dados): o site do Tagmar usa a tecnologia de cookies para seu sistema interno de login e para gerar estatísticas de acesso. O Tagmar respeita a privacidade de cada um e nenhuma informação pessoal é armazenada nos cookies. Ao continuar a navegar pelo site você estará concordando com o uso de cookies.