Os PJ, antes, durante e depois
Discutir Histórico Ver Ultima Mudança Editar Pesquisar
Os PJ, antes, durante e depois

PJ: antes durante e depois da batalha

por Claudiney Martins

Antes:


A aventura que utilize estas regras deve prever que o grupo de aventureiros tenha alguma influência sobre o resultado da batalha ou mesmo da guerra no caso de uma campanha. Assim ela deve ser planejada de tal maneira que comporte pelo menos duas variantes. A primeira aonde os aventureiros conseguem executar sua tarefa e o exército no qual lutam consiga uma vantagem no confronto. Na segunda, obviamente, suas forças não terão este ganho.

O MJ deve ter as possibilidades calculadas antes de efetuar as rolagens da batalha. Não mate os jogadores de tédio enquanto se perde em meio aos números. Assim se a missão é eliminar o poderoso mago inimigo, calcule com antecedência os dados do exército inimigo com e sem ele. Da mesma maneira se a missão é contratar a famosa companhia de mercenários: Veneno de Abadom antes que o adversário o faça, calcule ambas as opções: com eles lutando a favor ou lutando contra o exército dos PJ.

Algumas ações dos PJ podem ser imprevisíveis e o MJ terá que usar o seu bom senso para adequar os cálculos.

Exemplo:

Prustina é uma donzela jovem e que faz parte da guarda do Grande Kaliaf de Levânia. Os Bankdis ameaçam atravessar o rio Brual e ela teme que isto decrete a derrota de seu líder. Ela e alguns companheiros encaminham-se para o acampamento do exército. Espera-se que a batalha decisiva ocorra a qualquer instante. Prustina tem Carisma elevado (+3) e a cada vila e tribo que visita discursa a favor de sua causa. O MJ decide que a cada sucesso em um teste Difícil de Persuasão (+5) com o bônus de Carisma ela consiga 1d20 seguidores. No final ela consegue uma companhia de 100 soldados de infantaria leve com pouco treinamento. Isto não estava no planejamento, mas a boa interpretação do jogador deve ser premiada e o MJ deve refazer os cálculos rapidamente ou apenas aumentar uma coluna na rolagem de dados.



Durante:


Seja rápido. Executar uma batalha pode se divertida para o MJ, mas um aborrecimento para quem não estiver mergulhado nisto. O que nos lembra de um importante conselho: interprete a batalha! Leia algumas batalhas medievais e até mesmo coloniais. Perceba como os comandantes pensavam e como elas ocorriam. Uma batalha não é apenas um enfrentamento puro e simples. Existem movimentações de tropas, corpos e exércitos. Utilize este conhecimento nas descrições. Tome cuidado, todavia. Os PJ devem saber apenas o que podem ver naquele momento. Se eles estão lutando no centro da batalha, não podem saber que a cavalaria da Condessa Ritha surpreendeu os orcos na mata do flanco direito.

É aconselhável, mas não obrigatório, que corpos que lutem separados tenham os dados rolados separados, como se fossem duas batalhas. Assim teríamos uma rolagem para o corpo principal onde os PJ lutam e outra para a cavalaria da Condessa Ritha e as companhias de orcos escondidos na mata. Afinal Ritha pode ter uma grande vitória, mas o exército principal ser derrotado.

Como trabalhar com os PJ no combate?


Os PJ podem estar na linha de frente ou na reserva. É importante saber disto. Se eles serão os primeiros a subir a escada para assaltar o castelo, enfrentarão determinado (e muito maior) perigo. Se estiverem na reserva na cavalaria que desfechará o ataque final, o perigo é mínimo. Saber disto é vital para determinar quantos e quais guerreiros cada PJ enfrentará.

Exemplo:

Caldur subirá as escadas de assalto na frente de todos. O MJ decide que primeiro ele terá que se esquivar de uma grande pedra arremessada de cima da muralha. Depois enfrentará o tiro de uma flecha e por fim terá que lutar em desvantagem contra um lanceiro no topo da muralha. Tendo sucesso nisto ele terá alcançado a muralha e agora precisa defender a posição para permitir que outros o auxiliem. Assim ele decide que o PJ terá que lutar com 3 guerreiros durante 3 turnos, depois 2 durante mais 3 turnos e um guerreiro depois disto, pois a cada 3 turnos um companheiro consegue escalar a muralha.


Se o resultado da batalha foi positivo o combate pode terminar aí para o PJ, mas o MJ pode continuar narrando a abertura dos portões até a rendição e envolve-lo em mais combates. Se o exército do PJ foi derrotado, ele pode se ver cercado por inúmeros inimigos e ser obrigado a se render.

Fica evidente que os PJ não devem saber do resultado da batalha antes de entrarem nela.


Depois:


O após batalha para os PJ dependerá muito de seu resultado nas lutas. Mais que o resultado da batalha em si.

Em uma vitória decisiva haverá botim que pode ser distribuído sem economias, afinal, as coisas são bastante caras em um acampamento de guerra e o conserto de uma armadura não será barato.

Um PJ que tenha feito algo extraordinário na batalha será cantado pelos bardos e parabenizado pelos líderes. Quem sabe ser agraciado com um lugar ao lado do rei no festim da vitória. O nosso herói que subiu a escada por primeiro deverá ser ricamente recompensado, se sobreviver.

Os curandeiros e magos curandeiros terão bastante trabalho neste momento. Poções de cura sairão muito mais caro. Dez vezes o valor normal não seria de assustar. A poção que pudesse salvar uma vida poderia valer um castelo!

A campanha pode prosseguir com a perseguição de fugitivos e a preparação para a nova conquista.

Verbetes que fazem referência

Combate em grande escala

Verbetes relacionados

Estatísticas dos exércitos | Bônus de coluna | Resultado da batalha | Os PJ, antes, durante e depois | Exemplos de Batalhas | Companhias mercenárias dos reinos
LGPD (Lei Geral de Proteção a Dados): o site do Tagmar usa a tecnologia de cookies para seu sistema interno de login e para gerar estatísticas de acesso. O Tagmar respeita a privacidade de cada um e nenhuma informação pessoal é armazenada nos cookies. Ao continuar a navegar pelo site você estará concordando com o uso de cookies.