Discutir Histórico Ver Ultima Mudança Editar Pesquisar
As línguas .  

Esta página contém material oriundo dos livros oficiais e não pode ser editada

Quase tão numerosas quanto suas regiões, são as línguas, dialetos e variações faladas em Tagmar. Neste continente vasto, inclui arquipélagos pouco conhecidos, um sem número de raças inteligentes (os orcos também têm cultura, por incrível que pareça), regiões inexploradas, e até mesmo línguas mortas (como é o caso do nosso Latim).

Tagmar deve aparecer para os jogadores como um mundo vivo, onde seus personagens às vezes se vêem sem entender nada dos diálogos em um reino vizinho, ou entre falantes de outra raça. O aprendizado de novas línguas (ver a habilidade Línguas) deve ser um elemento de importância em sua campanha (se você é um MJ) ou na construção e evolução de seu personagem. O mistério proporcionado por ininteligíveis escritas milenares, ou conversas importantes que não se pode entender, será de grande valia para a atmosfera de uma aventura.

Agora, falaremos um pouco sobre as principais línguas de Tagmar; mais particularmente, do Mundo Conhecido. O mapa acima apresenta o Continente em função de sua "fala", isto é, quais as línguas características de cada região. Assumiremos aqui que cada uma das raças inteligentes de Tagmar possui uma linguagem falada e, em alguns casos, sua representação escrita. Assim, neste jogo, para o personagem conseguir falar tais línguas, deve contar como uma Habilidade Línguas, ou seja, o jogador deve gastar os pontos para "comprar" cada língua que desejar falar, tais como as línguas Élfica, Ogro, Trol, etc. Note que tais preços se referem apenas à aquisição da linguagem falada, no caso de haver uma escrita para a língua, aplicam se as regras da habilidade Escrita.

A seguir, uma pequena lista legenda a respeito de tais idiomas.

Malês

Considerado basicamente como "a língua humana" do Mundo Conhecido, tem esse nome em homenagem ao sábio Malim, que viveu anos antes da Unificação e foi o responsável pela uniformização das escritas dos diversos reinos da época (já que a língua falada era praticamente a mesma). O Malês tem o papel do inglês atualmente em nossa Terra, ou seja, ele é o "idioma universal"; é usado em comércio, em situações formais entre povos de diferentes línguas, etc. Todos os personagens, independente de história ou raça, sabem falar o Malês, ou seja, não se precisa “comprar” esta língua.

Há, ainda, um outro aspecto importante com relação ao Malês. Ele pode ser dividido em três grupos, tendo em vista diversas variações provocadas pela influência de outros povos e culturas, são eles: o Malês Setentrional, mais puro, com alguma importação de palavras e expressões das Ilhas Independentes (através dos baleeiros de Conti e dos corsários de Porto Livre); o Malês Central, profundamente modificado e mesclado com elementos do idioma élfico (devido às grandes populações élficas de Âmiem e Lar); e o Malês Meridional, também bastante "corrompido" e influenciado, que apresenta em sua dinâmica e vocabulário muito das línguas dos povos não humanos nativos da região (orcos, gigantes e anões, basicamente).

Tais diferenças, no entanto, não impossibilitam a compreensão e o diálogo entre nativos de diferentes áreas, ou seja, embora eles tenham uma base comum, como o Português, o Espanhol e o Italiano, não são tão diferentes entre si quanto essas últimas. A dificuldade aparece mais sob a forma de expressões que o seu personagem não compreende, como palavras, entonações, etc (não, não é só sotaque, como um carioca falando com um nordestino, é um pouco mais que isso).

Do ponto de vista da habilidade Línguas, fica a critério do MJ considerá-los como uma só língua (que todos já começam o jogo sabendo) ou como idiomas diferentes a serem comprados um de cada vez, gastando talvez menos que os pontos indicados na descrição da Habilidade.

Línguas Selvagens

São as línguas faladas pelas chamadas “raças selvagens”: orcos, trols, ogros, gigantes, centauros, minotauros, dragões, etc. Cada uma dessas criaturas tem uma linguagem própria, que deve ser considerada separadamente para fins de aprendizado (habilidade Línguas). Com exceção dos orcos, nenhuma dessas línguas possui representação gráfica (escrita).

Lanta

Nome, na verdade, do antigo sábio pequenino que fundou as bases da escrita desse povo, o Lanta é falado quase que somente dentro de comunidades pequeninas afastadas e livres de influência exterior. Um personagem poderia conquistar para todo o sempre a amizade de um "pequenino urbano" (há muito tempo afastado de sua terra natal) apenas por endereçar a ele algumas palavras em Lanta.

Uma das mais antigas línguas de Tagmar, o Lanta de hoje é praticamente o mesmo de há milênios.

A Voz da Pedra

Designação dada pelos anões à sua língua. É falada principalmente em comunidades de anões, nas grandes cidades e em centros de comércio de armas e armaduras. Os anões são muito meticulosos e formais com relação à "Voz", e chegam a ficar furiosos ao verem alguém a usando de maneira indecorosa (sem cerimônia ou reverência). Os anões têm, ainda, uma escrita altamente complexa (quase ritualística) só encontrada sob a forma de entalhes, feitos diretamente sobre paredes de rocha e tábuas de pedra.

A Língua Élfica

Falada basicamente em comunidades élficas como Âmiem e Lar, o Élfico é ainda a "língua oficial" usada em todas as cerimônias e cultos referentes a Palier, sejam esses cultos humanos, meio elfos, elfos ou pequeninos.

Sendo a língua escrita mais antiga de todo o Tagmar, é ainda muito usado em textos de estudos e de magia, ou seja, toma às vezes o papel de língua acadêmica.

Marante

Tendo uma origem completamente diferente do Malês, o Marante é a língua falada nas Ilhas Independentes, dominada no Mundo Conhecido por não mais que duas dúzias de pessoas, em sua maioria velhos marujos já cansados da navegação.

Kurng

Dialeto utilizado por todas as comunidades de orcos de Tagmar. Khurng também tem uma representação gráfica, ou seja, uma escrita.

A Língua do Império

Menos que um idioma, é mais urna versão do Malês (como o Malês Central) extremamente modificada por uma história e cultura próprias. Aqui seria cabível o uso das regras de Línguas, ou seja, ela deve ser considerada como uma língua à parte do Malês, para efeitos de "compra". Obviamente, tal idioma possui uma representação escrita.

Encerra aqui a nossa lista de línguas, não querendo de maneira nenhuma dizer, com isso, que são as únicas. Sinta se, como MJ, livre para acrescentar novas línguas (por exemplo, uma variação do Malês que só exista em Abadom e na Levânia que seja grandemente influenciada pela língua draconiana), criar "velhas" (antigos idiomas e escritas existentes, por exemplo, no Segundo Ciclo, ou mais além), enfim, fazer a sua parte do jogo: usar a imaginação.







Verbetes que fazem referência

Livro de Introdução a Ambientação

Verbetes relacionados

Extratos do "Livro de Maudi" | 1º Ciclo ou O "Tempo das Névoas" | 2º Ciclo ou "O Tempo dos Filhos" | 3º Ciclo ou "Tempo das Mentiras Infernais" | Geografia do Mundo Conhecido | Os deuses | As línguas | O mapa principal | Cronologia dos Reinos do Mundo Conhecido | Considerações Finais | Créditos
LGPD (Lei Geral de Proteção a Dados): o site do Tagmar usa a tecnologia de cookies para seu sistema interno de login e para gerar estatísticas de acesso. O Tagmar respeita a privacidade de cada um e nenhuma informação pessoal é armazenada nos cookies. Ao continuar a navegar pelo site você estará concordando com o uso de cookies.