Bem-vindo Convidado Pesquisar | Atividades no Fórum | Entrar | Registrar

14 Páginas 123>»
Capítulo 05n - O Reino dos Pesadelos Opções
#1 samuel.azevedo Enviado : 28/06/17 21:21
Leonardus acorda. A sua volta, parecia um amanhecer escuro com uma névoa que cobria o solo até a altura de 1m. Ele não conseguia ver Ka'tya ou Na'tasha, e chama por elas, até que as vê se levantando da névoa. O trio observa, abismado, o que parece uma grande necrópole dentro de um mundo de pesadelos. Tumbas flutuam no ar e condenados se movem entre elas e a grande pedreira no solo carregando blocos de pedra em escadas espiraladas em ângulos estranhos que às vezes chegam a ficar de cabeça para baixo.


Criaturas de formatos estranhos moviam-se pelas escadas de ângulos bizarros.


A necrópole sombria tinha escadas em todas as direções, e sentidos, incluindo de cabeça para baixo.





Até as poucas plantas que existiam pareciam não ter lógica, algumas árvores cresciam com a raiz para cima e a copa para baixo da terra em locais absurdos.



Alguns condenados olhavam para as casas dos demônios com cobiça, pois apesar de se sustentarem de forma sobrenatural em pequenos postes, eram muito melhores que as morada das pobres almas.



A primeira vista, o local de onde os condenados extraiam pedras para construção parecia um cenário saído dos pesadelos mais desvairados. Demônios forçavam as almas a trabalhar, arrancando pedras de todos os lados e levando para a necrópole.


Então, depois de observar tudo isto, o trio percebe de que estava entre a necrópole e a pedreira em pé sobre um olho que acabara de piscar, derrubando-os.

Os três sentiam muita fome e sede. Ao menos Leonardus percebe que as dores dos ferimentos sararam completamente.
#2 Leonardus Borgo Enviado : 29/06/17 14:10
Jogador: LeoPersan
EF: 48
EH: 58
Karma: 0
Lançamento 2d20=19,15
- Mas que merda é essa?!... - Ainda abismado com toda a bizarrice - Vamos sair daqui! - Enquanto me levanto, um pouco mais animado pelas dores terem passado e ajudo as duas garotas também - Tá... Mesmo esquema, itens, portal, cortamos algumas cabeças no meio do caminho... - Ka'tya acaba fazendo uma careta o que me faz rir - Na necrópole deve ter comida, mas nas pedreiras conseguimos aliados ou criar distrações e eu não to afim de topar com aqueles bichos estranhos... - Enquanto termino de falar vou me dirigindo e ajudando as garotas para irmos até as pedreiras.

Na'tasha para e aproveita a posição mais alta e da uma boa olhada na posição dos trabalhadores, demônios e se tem alguma construção nessa área.

- Escondam com as roupas tudo o que é feito de pedras de luz para não sermos vistos... Acho que por aqui é mais seguro... - Ka'tya e eu damos uma olhada também.

[off: Respectivamente Observar (11) e Ações Furtivas (11) (9 da Na'tasha mais 2 pelo trabalho em grupo). Tem alguma espécie de casa dos guardas, de ferramentas, ou coisa do tipo? Algum lugar menos guarnecido por demônios? Algum caminho mais fácil de nos escondermos?]
#3 samuel.azevedo Enviado : 30/06/17 12:37
Trabalhando em equipe, os três procuram observar um local seguro. Ka'tya, que conseguia voar, sobe e nota uma cabana mais afastada da cidade, que parecia abandonada rodeada de mato. Na'tasha observa o fluxo dos guardas entre a pedreira e a cidade, e acha que os guardas não tinham lógica, às vezes brigavam com quem trabalhava e às vezes brigavam com quem descansava. Leonardus nota que ao ser apressado, parecia que se movia mais devagar, e vice-versa.



Mas a medida que se aproximavam da cabana indicada por Ka'tya, percebem que ela não estava vazia. Uma mesa estava sendo posta diante da cabana, com uma espécie de banquete. O trio não sente-se ameaçado e se aproxima, então nota um grupo estranho:



Uma moça, um homem de chapéu com olhar ensandecido, um coelho e um gato tomando chá juntos. O coelho olha para um relógio que retira de não se sabe onde, e comenta:

- Estão atrasados para o chá!

Mas o homem se levanta, e diz:

- Hora vejam só, novos convidados? Queiram se sentar, começamos o chá agora.

A moça permanece calada, emburrada. Mas o gato desaparece de onde estava e reaparece flutuando sobre o ombro dela, falando com um grande sorriso:

- O que é isso, Alice? Que modos são esses com os convidados.

Ka'tya e Na'tasha estavam muito esfomeadas e se sentam na mesa a gradecendo o hospitalidade. O homem serve, enquanto se apresenta:

- Todos aqui me chamam de Chapeleiro, estes são Alice, Coelho Branco, e Gato que Ri. E vocês, quem são?

//off: Regras deste Reino de Loucura e Pesadelo:

1) 20 vale 1 e um 1 vale 20. Ou seja, para saber o resultado, calcule (21-1d20).
2) Para correr, tem que tentar andar devagar.
Outras regras surgirão a medida que necessárias.
#4 Leonardus Borgo Enviado : 30/06/17 13:40
Jogador: LeoPersan
EF: 48
EH: 58
Karma: 0
Lançamento 1d20=3
[off: Eles estão falando em que língua? Ou funciona que nem no primeiro reino onde todos se entendiam?]

Ainda de pé, vou cumprimentando com a cabeça enquanto o Chapeleiro apresenta e sorrindo respondo enquanto aponto. Enquanto ele as serve tento olhar para dentro da casa pela janela.

- Ka'tya, Na'tasha e Leonardus. Chegamos a pouco e resolvemos dar uma volta para conhecer o lugar.

Tento me sentar de frente ou próximo ao Chapeleiro. Pego algumas bolachas, chá e começo a comer.

- Vocês são daqui? Essa é a sua filha?

Ka'tya, fica mais interessada na garota a olha com ternura e pergunta

- Qual o problema querida?

Na'tasha, por sua vez pergunta ao gato e ao coelho.

- Vocês sempre foram animais? Como aprenderam a falar?

[1d20][off: Observer(9), Ka'tya lança Amizade 2 em Alice]
#5 samuel.azevedo Enviado : 02/07/17 08:51
RM 3 [1d20] x Força de Ataque 13
#6 samuel.azevedo Enviado : 02/07/17 09:13
O chapeleiro nota que Leonardus estava prestando atenção quando cada um falava, e comenta:

- Você conseguiu ver através do véu da magia? Os meus amigos coelho e o gato são falantes, mas cada um fala um idioma diferente, e a menina também fala outro idioma de outro mundo... Então estou servindo chá de língua. Quem o bebe consegue falar qualquer língua por uma hora. Também temos bolinho do gigantismo e rosquinhas do encolhimento, são aqueles ali. Eu mesmo fiz. - ele aponta para um prato com bolinhos mesclados de lilás e anil e outro prato com rosquinhas listradas, depois aponta para os demais pratos com bolos, pães, geleias e queijos: - O restante é muito saboroso, mas o único efeito especial é dar dor de barriga se deixar estragar, fora isto, podem comer à vontade enquanto a comida está fresca.

Alice, RM 3 x Força de ataque 13, rolamento 21-1=20, sucesso!

Quando Alice estava prestes a responder a pergunta, resiste à magia lançada por Ka'tya e no lugar de explicar o que foi, ela exclama:
- Ei, pare com seus truques! Não gosto disso!

Então o chapeleiro responde a Leonardus:

- O coelho e o gato são daqui. Eu vim de outro lugar, mas me tornei morador permanente. Disseram que fui condenado, mas acho que é o contrário... E Alice é forasteira como vocês.


O gato toma a palavra diante da pergunta de Na'tasha:

- Você também pode falar! Aqui todos os animais falam. Aliás, o que é você? Sinto um cheiro felino vindo de ti. Será que por trás dessa cara feia de humana não há uma cara bonita de gata, miau?

O Coelho coloca um chapéu na cabeça, com furo para suas orelhas. Alice e o gato também já colocavam chapéus de formatos exóticos e cores vibrantes. O Coelho comenta rapidamente:

- Que maneiras são essas?! Estamos no jardim do chapeleiro, todos devem usar chapéu na mesa! Vocês não tem chapéus?

O chapeleiro se levanta de supetão, batendo as duas mãos na mesa.

- É mesmo, eles não tem chapéu! Esperem aí.

Ele corre para dentro da casa, e volta trazendo dúzias de chapéus de cores e formatos variados empilhados em seus braços.

- Vamos ver, qual chapéu serve para cada um...

















//off: Chá de Língua - permite falar qualquer idioma por uma hora.
//off: Bolinho do Gigantismo - uma mordida e muda o tamanho de uma pessoa para o de um gigante, ou o tamanho de um camundongo para o de uma pessoa. A transformação dura 24h.
//off: Rosquinha do Encolhimento - uma rosquinha muda o tamanho de uma pessoa para o tamanho de um camundongo, ou o tamanho de um gigante para uma pessoa. A transformação dura 24h.
#7 Leonardus Borgo Enviado : 02/07/17 16:46
Jogador: LeoPersan
EF: 48
EH: 58
Karma: 0
- Magia?!... Ah entendi... - Rio da sua piada sobre a dor de barriga, quando ele fala que Alice é uma forasteira, não consigo me deter em olha-la com curiosidade.

- Peço desculpas, não queria ofende-la, conheço alguns truques que melhoram o humor, só isso...

- Sou uma mulher, oras... Mas... - Falando mais baixo e falando em um tom quase desafiador - Digamos que você não vai querer ver a minha cara felina[/color]

Aparentemente só Ka'tya fica animada com a visão do chapéu escolhendo rapidamente um para si.



Coloca o chapéu de bobo em Leonardus, que mesmo contrariado acaba rindo, mas assim que Ka'tya se vira troca pelo mais discreto que conseguiu encontrar.



Quando Ka'tya já ia colocar um chapéu na cabeça da prima, percebe que esta já tinha colocado um.



Um pouco chateada resmunga quase como se fosse uma criança

- Vocês são tão sem graça...

Depois que os chapéus são escolhidos e todos se sentam, Leonardus volta a conversar com o chapeleiro, mas dessa vez mais atenção nas reações da Alice, do gato e do coelho.

- Você me disse que é um condenado, mas achei que os condenados estivessem todos na pedreira.

- Muito bonito o seu chapéu! - Para Alice - Da onde você é minha querida e como parou aqui?

- Você disse que todos os animais podem falar?! Inclusive aqueles animais estranhos que estão andando nas escadas? - Para o gato.

[off: Consigo saber quais são seus vícios? Ou pelo menos o do Chapeleiro, além dos chapéus.... kkkkk]
#8 samuel.azevedo Enviado : 03/07/17 17:27
//off: não consegui ver as imagens, poste o link direto entre as tags IMG da próxima vez que quiser usar figuras...

Alice se esquece que estava chateada por um breve momento com o gracejo de Ka'tya.

O chapeleiro responde a Leonardus, com uma feição meio insandecida:

- Ora, só os imprestáveis ficam na pedreira. Os que tem alguma serventia podem ser usados para outra coisa. Eu sempre quis ser um chapeleiro, mas meus pais queriam que eu fosse um mago e riam de meu sonho enquanto me ensinavam a força a usar magia. Então, um dia, botei fogo na casa com todos dentro. Assim, mostrei a eles que eu falava a sério, mas vim parar aqui...

Alice fecha a cara para Ka'tya e responde:

- Eu estava nos jardins da casa de um amigo de meu pai, que minha mãe proibira de ir. Quando vi o coelho com o relógio, o segui até debaixo de uma árvore, mas aí caí no buraco do coelho e vim parar aqui... Eles são legais, mas agora só quero ir para casa, não vou mais desobedecer!

O coelho faz cara de inocente, enquanto o gato explica em um amplo sorriso que era ainda mais bizarro pelo fato de seu corpo inteiro ter desaparecido com exceção da cabeça:

- Todos os animais neste reino falam a língua dos demônios, e alguns daqueles que você apontou são realmente demônios.

Leonardus nota que o chapeleiro tem vício em fazer e ostentar os chapéus, outro vício dele parece ser seu orgulho em sua obra, mas seus olhos brilham mesmo quando ele menciona que assassinou a família e a si mesmo. Ele sente que Alice tem vício em fuga, por um momento ela exprime prazer quando menciona sair ou fugir de algo. O coelho a princípio parecia ser viciado em ver as horas, mas aí o belo nota que se trata de vício de controle. O gato é o mais enigmático, mas pela forma como ele olhava para Na'tasha e para as comidas, parece que seus vícios são a gula e a luxúria.
#9 Leonardus Borgo Enviado : 04/07/17 08:41
Jogador: LeoPersan
EF: 48
EH: 58
Karma: 0
[off:
Eu tentei colocar o link do Drive, mas pelo jeito ele troca depois de um tempo.
Leonardus:

Ka'tya:

Na'tasha:

]
#10 Leonardus Borgo Enviado : 04/07/17 09:08
Jogador: LeoPersan
EF: 48
EH: 58
Karma: 0
Filho da puta maldito, espero que apodreça aqui...

Olho para os chapéus para esconder a raiva, enquanto respiro para me acalmar.

- Seus pais deveriam ser muito infelizes - Pego um ou outro chapéu enquanto falo - Para não ver beleza nas suas obras - Olho para o chapeleiro - Mas acredito que viram beleza na sua obra final, enquanto queimavam. - Minha expressão deve ter ficado tão ensandecida quanto a dele, num misto de vontade de mata-lo com um sorriso forçado, respiro e depois de uma pausa continuo - Mas me diga, que outros trabalhos existem para serem feitos por aqui?

Ka'tya, não consegue, não se comover com a tristeza da criança.

- Nós também queremos fugir desse lugar, acho que podemos nos ajudar. - Estende as mãos para segurar a mão da pequena - Onde exatamente você saiu quando atravessou o buraco?

- Entendo. Demônios em forma de animais... - Inclusive vocês?! - Em qual reino estamos? - Na'tasha espera a resposta enquanto pega umas das rosquinhas, a coloca na boca lentamente enquanto olha fixamente para os olhos do gato, depois de morder, lambe os lábios, para limpar os farelos - Existe alguém importante a quem devamos nos apresentar?
#11 samuel.azevedo Enviado : 04/07/17 15:26
- Toda a sorte de trabalhos, para uma mão habilidosa. Mas a maioria dos condenados daqui só era boa em assassinar. Então, eles ficam com o trabalho de minerar rochas e construir tumbas e mausoléus na necrópole de Rubiniate. Mas algumas vezes, eles tentam assassinar uns aos outros para roubar as pedras um do outro.

Alice fica desconfiada com a mão de Ka'tya, e diz:

- Não confio em você. Prefiro ficar com minha mão para mim mesma. E como vou saber que vocês não são daqui e estão brincando com meus sentimentos, me dando esperança de sair daqui? Eu já falei, entrei pela toca do coelho. Depois, é tudo confuso e não lembro direito. Talvez o coelho saiba.

O coelho olha agitado para os lados, e diz:

- Eu não posso falar! Ninguém sobrevive na casa do medo, nem mesmo os piores assassinos ou os maiores dem... Droga! Eu falei! Esqueçam o que eu disse!

- Desembucha, coelho! - berra a menina, batendo o pé no chão.

O chapeleiro olhava chocado para a falta de maneiras em sua mesa, então direciona seu olhar ameaçador para o coelho o interpelando:

- Fale logo, para esta menina ficar quieta! Nunca vi tamanha falta de maneiras em minha mesa. Isto aqui é um chá, não uma taberna!


Pressionado, o coelho responde:

- Ela saiu na Casa do Medo. Eu não sei como a jovem Alice conseguiu sair de lá, talvez porque no dia a casa tivesse aparecido ao lado de minha toca! Todo dia ela muda de lugar.

O gato agitava sua cauda que reaparecera no ar, um pouco atrás de sua cabeça flutuante.

- Animais são animais, demônios são demônios, ora... Este é o reino de Branaxis, ou melhor, seu mundo de pesadelos. Pois o príncipe está adormecido em algum lugar do seu mundo. Todos são importantes e ninguém é importante. Talvez os generais um pouco mais...
#12 samuel.azevedo Enviado : 04/07/17 17:41
Na'tasha começa a encolher enquanto sua voz fica cada vez mais aguda e em menos de 10 segundos desaparece dentro de suas roupas.
#13 Leonardus Borgo Enviado : 04/07/17 23:27
Jogador: LeoPersan
EF: 48
EH: 58
Karma: 0
[off: Não era a intenção... kkkkkkk]

- Rubiniate?! É um dos generais?

Alice escreveu:
...me dando esperança de sair daqui?


Ka'tya sorri quando a menina esconde as mãos.

- Faz muito bem não confiar em estranhos, aposto que seus pais lhe disseram isso.

Alice escreveu:
Eu já falei, entrei pela toca do coelho...

Gato escreveu:
...Talvez os generais um pouco mais...

Coelho escreveu:
...Todo dia ela muda de lugar.


- Casa do Medo? Espera ai...

Paro quando percebo que Na'tasha está "sumindo", meu coração para e por um instante me vem a mente a imagem dela sendo levada, depois machucada e torturada, mas caio na gargalhada quando vejo metade da rosquinha na mesa. Tento segurar a risada pedindo desculpas ao chapeleiro, enquanto Ka'tya pega um dos bolinhos e entrega a sua prima.

Na'tasha volta ao tamanho normal, vermelha de vergonha, terminando de ajeitar a sua roupa que acabou deixando um ou os dois seios a mostra e taca qualquer coisa que tenha achado em Leonardus que ainda tem dificuldade em parar de rir.


- Idiota!

Agora olhando para o coelho Leonardus pergunta.

- Acabei me perdendo na história. Alice estava com o pai, foi até um jardim, entrou na sua toca e veio parar aqui. Em que parte entra essa Casa do Medo? E o que tem lá de tão assustador?

Na'tasha, ainda envergonhada evita olhar o Gato e, junto com Ka'tya, também espera a resposta do Coelho.
#14 samuel.azevedo Enviado : 05/07/17 00:00
- Ninguém sabe! Só Alice já foi capaz de sair de lá e ela não lembra...

O gato sorri, e sugere:

- Se me permitem sugerir, talvez o oráculo saiba. Mas entendê-lo é o mais difícil. Ele fala por enigmas.
#15 Leonardus Borgo Enviado : 05/07/17 08:40
Jogador: LeoPersan
EF: 48
EH: 58
Karma: 0
- Onde o encontramos?

- Por que simplesmente não atravessamos a toca?

- Você quer fazer isso sem informação nenhuma?

- Você quer ajuda de um demônio?

- Parem os dois! - Num tom um pouco sério, mas ainda doce - Quem são seus pais, querida? E como se chama o lugar da onde veio?
#16 samuel.azevedo Enviado : 05/07/17 16:17
- A minha toca é pequena, não cabe vocês, é menor que uma mochila dessas. E ela é normalmente uma toca normal, eu não sei como serviu de portal aquela única vez...

- Meu pai chama-se Leo, e minha mãe é Ka'tarina. Eu não queria dizer, vocês são estranhos... Mas se vão oferecer ajuda precisam saber que somos da família real das geleiras. Meus pais lhes recompensarão bem.

Ela mostra um lenço bordado com um brasão, que consiste de um escudo dividido em duas partes. A de cima, vermelha, tem um leão. A de baixo, azul, tem um mamute. O escudo é delineado por desenhos de arcos, lanças e espadas, e em volta dele há os símbolos de todos os deuses em dourado. Também há animais bordados abaixo do escudo: lobo, gato, pantera, onça, lince, cervo, gorila, condor, rato, coruja, águia, falcão, raposa, tigre e cisne.
#17 Leonardus Borgo Enviado : 06/07/17 00:21
Jogador: LeoPersan
EF: 48
EH: 58
Karma: 0
Leonardus olha para a mochila e para Alice, visivelmente intrigado. E leva algum tempo para formular uma frase, depois de ouvir a garota.

- Ge... Geleiras?!... Portal uma única vez?!... - O guerreiro olha para Ka'tya e Na'tasha, que têm uma reação parecida, mas não tão abobalhada - Há quanto tempo você está aqui Alice? - Depois da resposta - Também estávamos nas geleiras - Mostro o brasão na Gigacida, principalmente a parte do mamute - Uni 3 tribos antes de pararmos aqui, o que deve fazer duas semanas, este é o 3º reino pelo qual passamos. Fui abençoado por Crezir ao sair do 2º - Lhe mostro a tatuagem no antebraço - Você é uma Lazuli?

Enquanto isso Na'tasha pergunta novamente ao gato.

- Como encontramos o oráculo?
#18 samuel.azevedo Enviado : 06/07/17 09:16
O gato responde:

- Conheço onde o oráculo está, posso guiar vocês até lá.

Ao ver os brasões, todos notam que alguns traços dos bordados são iguais, como o desenho das armas, do símbolo de Crezir, e do mamute. Então Alice diz:

- Mentiroso! Quem fez estas coisas foi meu tatatatata - ela vai contando nos dedos - tatatatatataravô, o Rei Leão I, e ele era um homem bom, não estaria no inferno! Há três séculos e meio lazulis e rúbeos se uniram sob o seu comando. Não sei como você conseguiu esse bordado falso, é uma imitação barata e mal feita do meu brasão mas nem chega a ser igual.

Ka'tya diz, docemente:

- Calma, princesa! Ele é quem diz ser. Eu sou a Feiticeira da Grande Tribo que ele está unificando. Nós viemos de 1500 DC, e você?


- Impossível! Eu nasci em 1852 DC, e estamos em 1865 DC. Eu fiz 13 anos mês passado.
#19 Leonardus Borgo Enviado : 06/07/17 13:24
Jogador: LeoPersan
EF: 48
EH: 58
Karma: 0
- Ótimo - Para o gato.

- Mas é óbvio que é de 1500 Ka'tya!

Um arrepio me percorre o corpo todo ao ouvir Alice, mas em seguida chacoalho a cabeça e me levanto.

- Você é maluca menina?! - Coloco as mãos na cintura - Primeiro, sou muito bom sim, se vir para cá é um sinal indiscutível de maldade isso faz o que de você? - Faço "dois" com a mão - Segundo, fiz sim essas coisas, não fiz há 3 séculos atrás e muito menos sou tatata... avô de ninguém não. Pare de contar mentiras você, se não vou ter uma conversa séria com seus pais.

Olho em volta, indignado, resmungando qualquer coisa com relação a sanidade ou a educação da Alice. Ka'tya se levanta também e vai até a Alice enquanto me da uma bronca.

- Não fale assim com a menina, se foi difícil para nós termos parado aqui tente imaginar o quanto ela deve estar assustada.

Na'tasha também se levanta.

- Vamos logo até o oráculo, talvez ele tenha as respostas pra isso. - Tira o chapéu admirando-o mais uma vez - Realmente uma obra de arte, obrigado por nos deixar usa-los, mas devemos partir. Agradecemos muito pelo chá que também estava delicioso. Só gostaria de saber se podemos levar alguns bolinhos e rosquinhas.
#20 samuel.azevedo Enviado : 07/07/17 01:22
//role persuasão Muito Difícil para levar todos os bolinhos e rosquinhas mágicos, Difícil para metade, e Médio para três de cada (abaixo disso, não consegue nada) - lembrando que vou inverter o valor dos dados antes de calcular a dificuldade.
#21 Leonardus Borgo Enviado : 07/07/17 08:28
Jogador: LeoPersan
EF: 48
EH: 58
Karma: 0
Lançamento 1d20=19
[1d20][off: Persuasão 7(Na'tasha)... Droga devia ter feito o pedido com a Ka'tya que tem 13 rsrsrs]
#22 samuel.azevedo Enviado : 07/07/17 08:48
Na'tasha, persuasão 7, rolamento 2 (21-19), branco, rotineiro.

O chapeleiro não deixa levar nenhum bolo ou rosquinha mágicos, mas diz:

- Se quiserem comer, podem vir aqui me visitar, mas os bolinhos e rosquinhas ficam aqui a não ser que queiram trocar alguma coisa por eles.

Alice fica nervosa e irritada com a acusação dela ser mentirosa, então ela se transforma com uma aparência meio menina meio felina e rosna como um filhote de leão.
#23 Leonardus Borgo Enviado : 07/07/17 17:23
Jogador: LeoPersan
EF: 48
EH: 58
Karma: 0
Lançamento 2d20=16,5
Leonardus, primeiro fica irritado com a malcriação da Alice e pensa em se transformar também, mas se lembra que domina menos essa técnica do que a garota e não consegue deixar de sentir carinho por ela e sorri.

Não seria ruim se a história dela fosse verdade...

- Se acalma, não precisamos disso. Vamos te levar pra casa.

Na'tasha procura em si mesma algo para barganhar, mas acaba perguntando para a prima.

- Onde estão aqueles sacos que encontramos no templo - E aponta para os bolinhos.

- Não podemos pega-los agora, mas... - Ela caminha até o belo e tira o colar, que este havia pego do corpo do Castor, e coloca no pescoço do Chapeleiro, com uma voz sedutora diz - Nós vamos levar todos os bolinhos e Alice vai levar um chapéu. Tudo bem?

[off: Sedução (13), para facilitar a barganha, Barganha (11)]
#24 samuel.azevedo Enviado : 07/07/17 18:06
Barganha 5 [1d20]
#25 samuel.azevedo Enviado : 07/07/17 18:28
Ka'tya, Sedução 13, rolamento 5 (21-16), amarelo, fácil.
Ka'tya, Barganha 11, rolamento 16 (21-5), azul+1 nível pela sedução= absurdo.
Chapeleiro, Barganha 5, rolamento 7 (21-14), amarelo, fácil.

Ka'tya coloca sensualmente um colar no pescoço do chapeleiro, e ele fica com o coração acelerado. Então ela explica que aquele colar é muito especial para o povo dela, pois além de ter aquele cristal de luz, ele pode se transformar junto com seu usuário e está disposta a dar para ele em troca dos bolinhos e rosquinhas e de um chapéu para Alice, mas ele não entendia mais nada e oferece:

- Espere querida, vou buscar mais!

Então ele traz uma bandeja com mais bolinhos e rosquinhas mágicos e duas cestas com panos garrafas. Três das garrafas estavam vazias, duas garrafas tinham vinho e uma garrafa com leite. Ele enche as garrafas vazias com o chá de língua e as coloca na cesta. Depois ele embrulha em trouxas 20 bolinhos mágicos do crescimento e 20 rosquinhas mágicas do encolhimento, e também torradas, bolos e queijos para a viagem. Ele também mostra alguns pergaminhos e mostra a Ka'tya:

//off: cada bolinho e rosquinha é uma dose respectivamente de encolhimento ou crescimento, cada garrafa com o chá contém 5 doses, o vinho é de boa qualidade e o leite está fresco.

- Aqui está minha receita de família. É sua! Por favor, venha me visitar sempre que quiser. Você será a minha musa. Prepararei um chapéu especial inspirado em você. Também leve um chapéu para Alice e um para cada um de vocês.

Ela olha para os pergaminhos, eles contém a explicação das magias: Encolhimento (ou usá-lo como pergaminho de Encolhimento 9 com uso único), Crescimento (ou usá-lo como pergaminho de Crescimento 9, uso único; faz o contrário da magia encolhimento), e Linguagem (ou usá-la como um pergaminho de Linguagem 6 com uso único), de uma forma que Ka'tya acredita que conseguirá aprendê-las. E junto a cada magia há um pergaminho contendo uma receita de como fazer o chá, bolinhos e rosquinhas mágicas.

Na'tasha ajuda a guardar os itens nas cestas e cada cesta pesava cerca de 10 kg! Então ela entrega uma para Leonardus e o guerreiro pensa que em breve precisarão aliviar aquele peso talvez nas mochilas.

Alice estava ficando enfadada com a negociação dos adultos, e fica feliz quando ganha um chapéu novo. Mas ela continua olhando desconfiada para o trio.

//off: para ela aprender Encolhimento e Crescimento terão custo 3 cada para ela, a Linguagem está na lista geral de bardos com custo 2.
#26 Leonardus Borgo Enviado : 08/07/17 12:08
Jogador: LeoPersan
EF: 48
EH: 58
Karma: 0
Enquanto o Chapeleiro vai até a casa, Ka'tya se vira para Leonardus e Na'tasha com ar de supeioridade, não diz nada, mas é vísivel o "Observem e aprendam". Quando o Chapeleiro lhe entrega os pergaminhos, ela lhe da um beijo no rosto e diz que com certeza voltará para ver o chapéu inspirado nela.

Ka'tya pega as rosquinhas, bolinhos e as 3 garrafas de chá de língua e coloca na mochila junto com os pergaminhos. Leonardus pega a mochila com os totens que estava com Ka'tya, Na'tasha pega uma das garrafas de vinho e coloca na mochila que tem o saco de dormir. O resto das coisas são dividas entre as duas cestas que são revesadas durante a caminhada.

Depois de terem organizado todas as coisas.

- Mostre o caminho Gato.

Ka'tya pega na mão da Alice, enquanto coloca o chapéu na cabeça da criança.

- Vamos querida?!

Leonardus acena com a cabeça para o Chapeleiro e o Coelho e fica mais atras do grupo, olhando para Ka'tya e Alice, pensando se seria verdade o que Alice disse e na gravidez da Ka'tya.

O grupo anda devagar, para chegar rápido ao local.
#27 samuel.azevedo Enviado : 10/07/17 21:47
Alice estanca o pé e não quer sair acompanhado do trio, novamente transformando os olhos em olhos felinos. Então Na'tasha desta vez faz o mesmo, e rosna em tessaldariano:

- Você virá conosco, filhote! Vamos lhe sair deste inferno juntos.

Ela abaixa o olhar e olha para o gato sorridente, que assente e então eles seguem com os três, eles se movem sem pressa, mas não sentem o tempo passar enquanto passam por uma floresta de cogumelos gigantes e plantas exóticas. Ainda mais exóticos eram os animais do lugar, que pareciam combinações bizarras dos animais conhecidos no mundo dos vivos.

Alguns animais apenas fugiam rapidamente depois que eram vistos, de outros o gato fazia todos correr ou evitar se aproximar.














https://s-media-cache-ak...aeceaf37d3f2dffd55a.jpg[/img]


























A floresta logo torna-se um pântano, e em seguida a mata torna-se menos densa enquanto o grupo passa por um vale de montanhas em forma de cabeças gigantes.

[img]https://crpgnews.files.wordpress.com/2013/12/idea_hills_043-color.jpg" alt=""/>



Por todo o caminho, Alice perguntara "está perto" apenas treze vezes, antes que o gato avise:

- O oráculo está depois daquela última montanha.

#28 Leonardus Borgo Enviado : 12/07/17 13:31
Jogador: LeoPersan
EF: 48
EH: 58
Karma: 0
Leonardus diminui o passo para alcançar o gato e pega Alice no colo, colocando-a nos ombros.

- Pare de reclamar menina e aproveite a vista, duvido que já tenha visto animais e paisagens assim.

- O oráculo é um demônio? - Para o gato.
#29 samuel.azevedo Enviado : 12/07/17 22:57
Alice ouve o conselho e abraça Leonardus, depois olha tudo com atenção, mas logo volta a ficar rebelde e sai do colo dele:

- Você não é meu pai!

O gato murmura:

- Que fixação é essa com demônios e rótulos. O oráculo simplesmente é o que é.

Antes de abrir a boca novamente, o gato para e diz:

- Chegamos. Alice, volto a lhe ver quando você precisar de mim.

Então o animal sorridente desaparece. A frente do grupo estava uma espécie de lagarta azul do tamanho de uma pessoa sobre um cogumelo gigante, fumando um narguilé.



Mas então, uma lagarta ainda maior, de 10 m de comprimento e 3 m de altura sai de um buraco na montanha. Ela tinha inúmeros pares de braços e pernas, e um rosto de idosa bondosa.



A mulher lagarta diz, gentilmente, em tessaldariano:

- O que é uma arca, cheia de criaturas? Assim sou eu, meu jovem curioso. Eu sou uma e várias. Mulher, demônio, animal, lagarta, e gigante. Pode me chamar de Fusão. Qual a diferença entre eu, que me uni em uma só, e você, que se dividiu e espalhou em três crianças dentro de três mulheres (por enquanto)? Duas delas estão aqui. Mas espere, há alguém mais chegando.

Na'tasha e Ka'tya se entreolham, e as duas tentam sentir suas barrigas.

O barulho de cavalgar torna-se mais próximo, e de repente, uma mulher de cabelos vermelhos se aproxima montada em um cavalo vermelho.
#30 samuel.azevedo Enviado : 12/07/17 23:13
Red seguia o rastro dos viajantes misteriosos por mais de três reinos infernais diferentes. Seguia cavalgando incansavelmente, quando nota um grupo de viajantes no horizonte. Ela acelera o passo de sua montaria, mas se aproxima lentamente. Atrás de uma montanha em formato de cabeça, ela vê um homem de cabelos castanhos, duas mulheres de cabelos brancos, e uma menina loira conversando com uma lagarta azulada gigantesca.











Leonardus e os demais olhavam para a direção da cavalgada, e notam os traços da amazona.

Usuários visualizando este tópico
Guest (3)
14 Páginas 123>»
Ir para o Fórum  
Você não pode adicionar novos tópicos neste fórum.
Você não pode responder a tópicos deste fórum.
Você não pode excluir suas participações deste fórum.
Você não pode editar suas participações neste fórum.
Você não pode criar enquetes neste fórum.
Você não pode votar em enquetes neste fórum.

YAFPro Theme Created by Jaben Cargman (Tiny Gecko)
Powered by YAF | YAF © 2003-2009, Yet Another Forum.NET