Bem-vindo Convidado Pesquisar | Atividades no Fórum | Entrar | Registrar

4 Páginas <1234>
Capítulo 05c - O Reino Beligerante Opções
#61 Borr Mythigar Enviado : 13/03/17 11:13
Jogador: Carlos Azevedo
EF: 33
EH: 64
Karma: 22
Do que está fa... Espere, sabe como eu saio deste lugar? Como assim tem a resposta para tudo e que história é essa de traição!
#62 samuel.azevedo Enviado : 14/03/17 14:48
- Me desculpe, jovem Dente de Sabre. No passado, participei de um grupo de exploração as ruínas de Gammar Tir junto com seus pais. Eu não sabia qual era a missão deles, até que eles retiraram um artefato poderoso da ruína. Então soube que eles estavam ameaçados pelo feiticeiro Uilmatem, eles disseram não tinham escolha senão fazer o que ele ordenara. Eu sabia que o item era perigoso demais nas mãos erradas, e por isso traís seus pais e o resto da comitiva, alertando os rúbeos da nossa localização sem autorização em seu território. Assim, a comitiva foi atacada e alguns se separaram. Mas eu morri no ataque, e não consegui impedir que o item fosse entregue ao feiticeiro. No meu julgamento, Cruíne me falou que eu deveria pagar pela minha traição mas que teria uma chance de me redimir com sua família e pagar o mal que eu fiz para eles com o bem, lhe ajudando. Veja bem, o deus da Morte já sabia que este dia chegaria, e me pediu para ajudar você e seus companheiros. Ele me alertou que vocês estariam espalhados pelos infernos sob efeito de uma maldição poderosa, e teriam que passar cada um por quatro portais antes de conseguirem voltar. Isso os livraria da maldição e os tornaria mais fortes para o que enfrentariam em seguida, além de resgatar alguns artefatos divinos que foram roubados e coletados pelos demônios ao longo dos séculos.

Ele aguarda um pouco, para que Borr possa digerir as informações, então explica:

- Para sair de um reino infernal, você precisa passar pelo seu portal. Neste reino ele fica abaixo da Arena Principal. Entretanto, você precisará de dois objetos para sair daqui! O primeiro objeto é um item divino, só eles tem o poder para energizar o portal. O segundo objeto é qualquer coisa nativa do reino de onde deseja sair. Com os itens em mãos, o portal se abrirá. Mas cuidado, cada portal é guardado por um ser poderoso. Lhe ajudarei a chegar até o portal e a enfrentar o guardião deste reino, ele é um gigante que tem um martelo divino com o poder de Blator.
#63 Borr Mythigar Enviado : 14/03/17 16:59
Jogador: Carlos Azevedo
EF: 33
EH: 64
Karma: 22
Borr desconfia desse sujeito. Tudo muito estranho, mas não tem outra pista do que fazer, então irá seguir com isto.

Entendo, então busca redenção. Irei aceitar sua ajuda, mas é bom que não me traia.

Você falou em ter algo que pertença a este lugar. Qualquer coisa pertence a este lugar. então explique melhor. Uma pedra da rua serve ou precisa ser algo mais específico.
Quanto item divino. Precisaremos achar um ou o martelo do gigante já serve?
E mais uma coisa. Quando cheguei aqui conseguia sentir mina loba que inclusive me ajudou na arena, mas depois aconteceu algo e eu não consigo mais senti-la. Tem ideia do que aconteceu com ela?
#64 samuel.azevedo Enviado : 14/03/17 17:06
- O ideal é um item que seja simbólico. Como aqui é um reino que vive em guerra, seria ideal uma arma ou armadura feita aqui ou alguma parte de uma criatura nascida aqui, como o chifre de um demônio. O martelo de Blator servirá pelo outro item, por ser divino. Quanto a sua loba, deixe-me ver... - Ele solta sua bagagem e começa a procurar entre os livros, consulta um, depois outro, até que folheia um livro intitulado "Elos Místicos" e outro chamado "Os Viajantes Sonhadores"; depois de comparar alguma coisa entre os dois livros ele os guarda e veste novamente a "mochila" e informa: - Creio que o elo que você possui com a loba é profundo o suficiente para permitir que ela lhe visite em outros planos quando ela está sonhando, acho que agora você não conseguiu vê-la porque ela deve estar acordada.
#65 Borr Mythigar Enviado : 14/03/17 18:47
Jogador: Carlos Azevedo
EF: 33
EH: 64
Karma: 22
Será que ela consegue me sentir também? Ela deve estar bem confusa.
Ok então, vamos ver algo que nos sirva. Um item feito aqui ou nascido deste lugar. Você falou em armaduras, então, o que é usado como moeda de troca neste local? Se soubesse, teria pego alguma arma da arena. Imagino que as armas deles sejam deste lugar.
Por falar nisso. Porque minhas armas estão comigo mas sua habilidades mágicas estão inativas?

Neste ponto me dou conta quanto a minha armadura, e vejo se ela está precisando de reparo.
#66 samuel.azevedo Enviado : 16/03/17 10:53
- Todos os acampamentos tem ferreiros, coureiros e arsenais. Você pode tentar pegar uma nova num arsenal ou pedir para alguém consertar. A principal moeda deste reino é a força: O mais forte toma para si o que precisa; mas você também pode propor uma troca de favores. Sobre seus itens não estarem funcionando, deixe-me ver...

O anão olha algum tempo para a testa do rastreador, descarrega novamente sua bagagem e procura um livro "A Magia Entre os Planos", folheia várias páginas até que para em um trecho e lê:

- Ao passar por um portal entre planos, itens mágicos podem ficar inativos caso sua aura não seja poderosa o suficiente ou seja incompatível com o plano. Itens divinos e demoníacos são os únicos poderosos o suficiente para funcionar em todos os planos. Itens sagrados funcionam no plano divino. Itens arcanos funcionam nos planos elementais. Itens profanos funcionam no plano infernal. Todos os itens, claro, funcionam no plano em que foram feitos.

#67 Borr Mythigar Enviado : 17/03/17 16:53
Jogador: Carlos Azevedo
EF: 33
EH: 64
Karma: 22
Então vamos a algum desses armeiros tentar arrumar uma arma.

Vamos procurar algum ferreiro e ver o que precisarei para conseguir uma adaga velha e couro para que eu possa consertar minha armadura.
#68 samuel.azevedo Enviado : 18/03/17 17:32
- Muito bem, levarei você até um armeiro.

Balder guia Borr pelo reino, passando por algumas tendas. A distância, é possível ver duas facções em combate.

- Guerra civil entre dois generais. - Menciona o anão. - É assim que Diatrimis seleciona seus melhores combatentes.

Em seguida, há um descampado cheio de lama entre as tendas, e um homem encapuzado estava pendurado por cordas e ganchos, enquanto suas costelas estavam abertas exibindo seus pulmões sobre os ombros.



- Águia de sangue. É uma das formas que as almas são executadas aqui. Depois desta tortura final, o condenado é absorvido por Diatrimis e transformado em demônio.

Uma mulher chorava ajoelhada em frente ao condenado.

- A tenda do armeiro mais próximo fica depois deste descampado entre aqueles pilares de rocha. - O anão apontava para atrás do condenado. - Como vamos fazer?
#69 Borr Mythigar Enviado : 19/03/17 19:37
Jogador: Carlos Azevedo
EF: 33
EH: 64
Karma: 22
Deve ter um caminho até lá não? Ou a guerra está sendo travada no caminho?

Dou uma catucada para char a atenção do anão e digo.
E a mulher ali? Existe laços entre as almas aqui?
#70 samuel.azevedo Enviado : 20/03/17 23:54
- Podemos simplesmente desviar deles e chegar até o armeiro. Tanto condenados quanto demônios possuem relações complexas entre si. Mesmo no meio de traidores, laços complicados se formam. Ela pode ter sido até mesmo responsável pelo estado dele mesmo o amando.
#71 Borr Mythigar Enviado : 21/03/17 11:56
Jogador: Carlos Azevedo
EF: 33
EH: 64
Karma: 22
Vamos então... Quero sair deste lugar o quanto antes...
#72 samuel.azevedo Enviado : 23/03/17 16:08
Os dois desviam do torturado e da mulher ajoelhada, e depois de atravessar o lamaçal chegam na tenda do armeiro.



Dois demônios estavam na tenda, uma fêmea parecia dar instruções e um macho com uma mordaça na boca martelava uma espada em uma bigorna. Quando Borr e Baldur entram eles param o que estavam fazendo. A fêmea olha para Borr e diz:

- Você! Derrotou todos na arena principal menos o campeão! O que procura? Quem sabe possamos nos ajudar mutuamente...

#73 Borr Mythigar Enviado : 24/03/17 16:02
Jogador: Carlos Azevedo
EF: 33
EH: 64
Karma: 22
Falo com tom de voz firme, como se fosse o pica das galáxias, mas tentando não ser esnobe.
Isso mesmo. Ele teve um golpe de sorte, mas não posso negar sua força.
Quero duas coisas. Arrumar minha armadura e obter uma arma.
#74 samuel.azevedo Enviado : 25/03/17 18:47
- Só isto? Bom, então basta dizer que está usando os serviços de minha tenda quando vencer a próxima luta. - ela diz, então olha para o ferreiro e diz: - Estrupício, conserte a armadura dele.

Ela aguarda a entrega da armadura, e diz:

- Quanto a arma, tenho um arsenal bem sortido. O que precisa?

Ela mostra as estantes de armas, há todos os tipos de armas comuns e raras. Algumas são feitas de aço, outras de aço negro, outras de ossos. Muitas tem formas distorcidas e demoníacas, mas quando manejadas são tão boas quanto armas mais tradicionais.

//off: lista completa de armas do manual de regras e do livro de regras opcionais.
#75 Borr Mythigar Enviado : 26/03/17 13:57
Jogador: Carlos Azevedo
EF: 33
EH: 64
Karma: 22
Testo alguns deles e faço perguntas sobre o modo de fabricação. Tento ter certeza de que as armas foram feitas ali, com materiais de lá, inclusive saber que ossos são aqueles, de quais criaturas.

São armas muito boas. Do que são feitas?
A propósito. Sabe quem fez e que arma é a do campeão?
#76 samuel.azevedo Enviado : 27/03/17 14:44
- As armas de metal comum são feitas de aço, as negras são de esteanor, um minério extraído neste reino. E as armas de ossos são feitas de ossos de bestas infernais caçadas nos ermos do reino. O campeão usa um martelo abençoado por Diatrimis, mas a arma é uma réplica menor do martelo usado pelo guardião do reino - que é o irmão mais velho daquele gigante. A arma do irmão mais velho por sua vez, fora abençoada por nosso inimigo - cospe no chão - Blator, mas dizem que é necessária para o trabalho do guardião.

Depois de algumas horas, a armadura fica pronta, e é entregue.

- E então, escolheu o que vai levar de arma para representar a Tenda do Armeiro da Boca de Ferro?
#77 Borr Mythigar Enviado : 27/03/17 15:19
Jogador: Carlos Azevedo
EF: 33
EH: 64
Karma: 22
Durante o tempo que aguardei a armadura ficar pronta, observei bem a boleadeira. Bem intrigante sua confecção. Quero tentar reproduzir se conseguir voltar para casa.
Vou levar Estes dois machados crescentes (metal negro e osso) e esta boleadeira. Muito engenhosa esta arma.
Quando voltar a arena irei representa-la. Pisando na cabeça daquele gigante, irei gritar Boca de Ferro para que todos ao alcance de minha voz possam ouvir.
#78 samuel.azevedo Enviado : 27/03/17 16:01
Role negociação para saber se ela vai aceitar dar 3 armas em troca de enaltecer o nome dela.
#79 Borr Mythigar Enviado : 28/03/17 01:14
Jogador: Carlos Azevedo
EF: 33
EH: 64
Karma: 22
Lançamento 1d20=18
Barganha 3
[1d20]

Se não rolar, levarei na ordem:
1) machado crescente de ferro negro
2) machado crescente de osso
3 boleadeira
#80 samuel.azevedo Enviado : 28/03/17 09:57
Barganha 8 [1d20]
#81 samuel.azevedo Enviado : 28/03/17 09:59
Barganha 3, rolamento 18, azul, muito difícil. x Barganha 8, rolamento 4, branco, rotineiro.

A dona da Boca de Ferro pensa por um momento na proposta, abre a boca para falar alguma coisa. Para, então diz:

- Está bem. É bom que vença a próxima luta! Pode levar as três armas.
#82 Borr Mythigar Enviado : 28/03/17 12:08
Jogador: Carlos Azevedo
EF: 33
EH: 64
Karma: 22
Pego as armas e guardo, o que não conseguir guardar fica na mão mesmo, então faço um aceno para ela e saio, depois de me afastar falo com o anão.
Melhor resolvermos nossa questão antes da próxima luta.
Para onde agora?
#83 samuel.azevedo Enviado : 29/03/17 23:28
A dona da Boca de Ferro entrega as armas uma a uma, explicando:

- Este machado negro é feito de Esteanor. É relativamente frágil, mas é de facílima reparação e quase indestrutível por meios mágicos.

- Este machado de osso foi feito do osso da bacia de uma besta infernal gigante caçada depois dos pântanos além das tendas dos exércitos. Quando um místico é ferido por uma arma deste material, perde um pouco de mana proporcional ao dano sofrido. Esta arma é mais efetiva ainda contra seres divinos.

- Essa boleadeira é feita de couro de mastim infernal e as três bolas são de pedras sangue polidas, extraídas da pedreira ao norte daqui. Apesar de ser ornada com estas belas pedras, pode ser usada tão bem quanto outras. Assim como todas as boleadeiras, não serve para ferir, apenas para imobilizar as pernas do oponente. Espero que você saiba usá-la, não é uma arma trivial.

//off: desculpe, o nome do metal infernal negro é Esteanor, e não Pulgur, que é um metal vermelho de vulcões.
Matérias Primas Especiais

Por fim, Borr recebe a armadura já perto do anoitecer. Depois de se despedirem, Baldur e Borr seguem em direção a maior das arenas. O anão explica:

- Vamos procurar o campeão, ele fica na arena principal mesmo quando não há lutas, guardando o portal. A arena está há algumas horas daqui. Talvez você queira parar para comer, descansar e treinar estas armas antes de prosseguir?

Ambos estavam famintos pelo dia de viagem e de espera na tenda da Boca de Ferro...
#84 Borr Mythigar Enviado : 30/03/17 17:25
Jogador: Carlos Azevedo
EF: 33
EH: 64
Karma: 22
Estou faminto! Espere. Você também come? Pensei que mortos não comessem.
Minhas coisas não estão comigo, preciso caçar algo para comer e depois descansar, ou você tem algo para nos alimentar? Depois do descanso podemos ver esse guardão. Meu corpo ainda está um pouco dolorido.
Acha prudente falar com ele? E falar o quê? Vai dizer que não sabe onde o guardião deste lugar fica?
#85 samuel.azevedo Enviado : 31/03/17 00:39
- Todos os mortos comem alimentos, não raramente o que se tem disponível nos infernos é nojento, mas se tivermos sorte comemos bem. Já os demônios, se alimentam de nosso sofrimento e de nossas emoções - ou às vezes de nossa carne. Você pode caçar, mas cansado como está é melhor se contentar com a guarnição oferecida em algumas tendas.

Os dois caminham até uma tenda onde se servia pratos de ensopado. Baldur continua a conversa:

- Claro que não iremos conversar com ele. Já lhe falei que vou lhe ajudar a enfrentá-lo. Você precisará levar o item divino que o guardião tem para que o portal se abra.

Por fim, tomam o ensopado de carne de mastim infernal e procuram um lugar para descansar.

//role 1d20 para achar um lugar.
#86 Borr Mythigar Enviado : 31/03/17 15:30
Jogador: Carlos Azevedo
EF: 33
EH: 64
Karma: 22
Lançamento 1d20=16
Eu estava me confundindo. Pensei que tivesse falado de seu irmão na arena... Acho que a pancada que levei na cabeça ainda está me afetando...

Veja, acho que ali é um bom lugar.

[1d20]
#87 samuel.azevedo Enviado : 03/04/17 08:26
Borr, sobrevivência 11, rolamento 16, azul, muito difícil.

Borr encontra uma antiga trincheira abandonada, com um buraco para o subterrâneo. Ele e Baldur entram depois que o anão acende uma tocha. O local era uma espécie de quartel subterrâneo abandonado. Ainda havia alguns barris com provisões, talvez não tivesse sido abandonado a tanto tempo.

#88 Borr Mythigar Enviado : 03/04/17 11:24
Jogador: Carlos Azevedo
EF: 33
EH: 64
Karma: 22
Parece abandonado, mas ainda tem muita coisa aqui... O que será que fez seus antigos ocupantes saírem tão rápido a ponto de deixarem tanta coisa para trás?
#89 Borr Mythigar Enviado : 03/04/17 11:29
Jogador: Carlos Azevedo
EF: 33
EH: 64
Karma: 22
Procuro por qualquer coisa que seja útil, inclusive por alimento e água que possa levar para viagem. Me abasteço o melhor que puder.
#90 samuel.azevedo Enviado : 03/04/17 11:32
Role 1d20
Usuários visualizando este tópico
Guest (2)
4 Páginas <1234>
Ir para o Fórum  
Você não pode adicionar novos tópicos neste fórum.
Você não pode responder a tópicos deste fórum.
Você não pode excluir suas participações deste fórum.
Você não pode editar suas participações neste fórum.
Você não pode criar enquetes neste fórum.
Você não pode votar em enquetes neste fórum.

YAFPro Theme Created by Jaben Cargman (Tiny Gecko)
Powered by YAF | YAF © 2003-2009, Yet Another Forum.NET