Bem-vindo Convidado Pesquisar | Atividades no Fórum | Entrar | Registrar

14 Páginas 123>»
Capítulo 02 - A Magia do Sangue Opções
#1 samuel.azevedo Enviado : 03/08/16 09:33
Após derrotarem a invasão zumbi, Clemildes Pedra Dura, a líder do povo zumi, diz:
- O povo zumi estará eternamente grato pela ajuda de vocês. Sei que vocês vieram a cidade em busca de suprimentos para a viagem, e vocês ganharão tudo o que precisarem como recompensa. Entretanto, a causadora deste levante de mortos ainda está livre. Meu povo está cuidando em tornar a cidade novamente segura, vocês poderiam investigar o paradeiro dela nas ruínas que se revelaram com a destruição da represa?
- Antes de discutirem, quero explicar o que descobrimos. Há muitos anos um casal e uma criança foram os únicos encontrados em uma aldeia que havia sido totalmente exterminada. Descobrimos que eles eram da vila, mas eram os últimos descendentes de um povo que havia desaparecido há muitas gerações. O casal havia usado uma magia antiga de sangue contra o povo da própria aldeia que não compartilhava do mesmo sangue que eles. Loki ajudou a descobrir tudo, e os derrotou junto com um guerreiro elfo chamado Finwe, mas pouparam a criança. Loki adotou a menina Lori como sua filha. Os livros de feitiços dos pais dela foram levado para a biblioteca élfica de Citira. De alguma forma, a menina parece ter conseguido reencontrar ao menos um dos livros, pois é visível que aqui foi usada a antiga e proibida magia do sangue junto com necromancia. Acho que ela sacrificava alguns vivos que ela capturava nas brumas, para realizar aqueles "milagres" nas águas da represa, alimentando algum ritual. Não sei porque ela manteve algumas prisioneiras mulheres, mas elas não parecem estar bem de saúde, algo me diz que algum outro plano maligno estava em curso para elas. Aqueles mortos-vivos se regenerando são um sinal de que magia do sangue foi usada neles. Parece que ela quer trazer a glória de seus antepassados de volta, e algo me diz que ela ainda está nas ruínas. Vocês podem nos ajudar uma última vez, e capturá-la? Tragam-na viva, queremos dar a ela uma morte justa: ela receberá uma facada para cada vida que ela tirou.
- Pouco sabemos sobre este povo antigo que construiu o que hoje está em ruínas, exceto que eles se chamavam kaerons, viviam nessa região e foram derrotados por outros povos, até que a região foi tomada pelos zumis. Talvez vocês descubram, caso aceitem a missão. Mas entendo se quiserem seguir sua viagem. Nós podemos cuidar disso depois de garantir a segurança da cidade.
#2 Gáldor Tinúviel, o Sombrio Enviado : 03/08/16 13:06
Jogador: saulocr
EF: 84
EH: 132
Karma: 36
Lançamento 1d20=16
Teste de Fúria, para voltar ao normal.

[1d20]
#3 Gáldor Tinúviel, o Sombrio Enviado : 03/08/16 13:19
Jogador: saulocr
EF: 84
EH: 132
Karma: 36
Citação:
Depois que a segunda criatura cai, subo sobre o torso dela e vou decepando todos os seus membros. Quando acaba olho ainda enfurecido para os bárbaros e demais homens e mulheres ali, suspiro profundamente e finco minha montante no chão, procurando me acalmar. Sinto minhas forças se esvaírem devido ao esforço sobre-humano, então tiro minha cota de malha e em seguida saio arrastando minha montante na direção da sacerdotisa Clemildes. Paro na sua frente tento me manter ereto ignorando a dor que se espalhava pelo meu corpo, falo tentando estar de bom humor:

- Andei brincando com as monstruosidades enquanto seus homens aguardavam parados pela morte certa! Eu faço um trato com você, dou minha palavra que trarei a menina de volta, tenho meios para descobrir sua localização. Mas como pode ver não posso sair para outra festa sem um banho... O trato é esse, você me deixa limpo e eu te dou a menina!
#4 Soturno Abascal Enviado : 03/08/16 15:57
Jogador: Térom Lanister
EF: 34
EH: 61
Karma: 27
Escuto o que a sacerdotisa tem a nos dizer. Depois eu cumprimento todos que participaram da batalha, até os que não conheço, e falo em malês:

- Sou um servo de Cruine e assim como os ventos de Ganis sopram as ondas do mar, eu vou até onde a ira do Juiz precisa cair. Ajudarei a capturar a maldita Lori, mas hoje não.

- Tenho que cumprir meus votos e obrigações para com os que perderam a vida hoje, pois a PASSAGEM é um rito sagrado para todos nós, devotos de Cruine. Conduzirei os ritos fúnebres dos que perderam a vida hoje, respeitando os costumes do povo Zumi.

- Quanto às mulheres prisioneiras, uma delas estava sendo fornicanda por um zumbi. Talvez seja conveniente matá-las. Inclusive a elfa barda Safira, que nos acompanhava. Ela foi raptada pouco antes de entrarmos nas masmorras.

- E se elas engravidaram? Se apenas um Kaeron deu este trabalho, imagine uma geração deles.

Como não estou machucado, (com danos na EF), mas apenas escoriado e cansado (não totalmente, pois evoquei Curas Espirituais em mim antes do ataque final) eu pego apenas algumas frutas e vou comendo-as até o estábulo, para lá ver como está Olek.

Agrado meu corcel negro. Dou uma maçã a ele e guardo a espada em sua cela. Pego minha velha pá.

Arrumo alguns ajudantes e inicio o funeral dos que tombaram. Também organizo uma grande pira para queimar os mortos e os pedaços das abominações.

Não importa quanto tempo dure. Não quebro meu voto e faço o "grande funeral" do povo Zumi com muitas orações a Cruine.

Após o rito eu me recolho em orações em alguma câmara de reflexões no Templo de Blator. Acabo com meu karma, evocando Contatos para meditar e pedir ao Juiz forças. Mentalizo os horrores que vimos nas masmorras, a maldita Lori, os zumbis e as abominações devorando o povo Zumi vivo. Digo no auge de minha revolta "quero vingança".

Bebo algo para deixar o corpo em torpor, faço jejum e medito até sucumbir pelo cansaço. Faço tudo isso como prova de minha devoçào por Cruine.
#5 Borr Mythigar Enviado : 03/08/16 18:12
Jogador: Carlos Azevedo
EF: 33
EH: 64
Karma: 22
Após a derrota dos mortos-vivos, procuro por meus companheiros de clã e por Val, afim de nos reunirmos novamente, chamo por Skoll mentalmente, para se juntar a nós, quando ele chega, faço alguma graça com ele.

Borr não estava em missão com eles, mas sim com Val. Apos ouvir o que Clemildes tinha a dizer olho para Val e digo.

Zumi Após os ritos de passagem do tu-Portentã irei com os outros. Farei o possível para traze-la de volta ou farei a justiça com minhas próprias mãos.
Espero o que ela tenha a dizer e então me volto a Clemildes e aceno com a cabeça concordando em ir atrás de Lori.

Antes de partirmos, se não houver mais alguma cena, procuro por Loki.
Preciso de alguma coisa que pertencia a Lori, algo que sempre esteva com ela ou o mais perto disso possível para poder rastrear-la.
#6 Garet, O Vingador Negro Enviado : 03/08/16 18:20
Jogador: Marcelo Villanova
EF: -18
EH: 0
Karma: 14
Digo a Clemildes:
Aquela bruxa me pegou nos túneis com uma maldita magia e me fez recuar. Pra mim é uma questão de honra pegá-la. Porém, preciso de um arqueiro experiente de sua tribo que possa me ensinar alguns truques com o arco, sou arqueiro mas infelizmente por diversos motivos meu treinamento ficou incompleto. É só isso que peço em troca...
#7 Hagilyak Enviado : 04/08/16 20:43
Jogador: Buliwyf
EF: 17
EH: 44
Karma: 12
debruçado na espada como uma bengala, vomito sangue e limpo com as costas da mão esquerda e digo em bárbaro para a líder zumi
Eu adoraria ir nessa caçada e, por Maira, me sinto muito mal por não estar em condições de estripar está maldita com presa de lobo nesse mesmo instante mas amanhã à primeira luz do dia, esteja como estiver, eu irei nesta caçada. Só tenho um pedido a fazer preciso de um cão de raça de preferência filhote. Agora vou me retirar para descansar.
#8 samuel.azevedo Enviado : 05/08/16 16:23
Gáldor Tinúviel e Soturno Abascal

Citação:
Clemildes escuta a proposta de Gáldor. Se aproxima dele andando de forma sensual, e ... Lhe surpreende com uma bofetada!

- Idiota! O plano do sacerdote de Cruíne estava certo! Os monstros iriam se destruir. Você teve que atrapalhar a estratégia?! Batalhas não são só avançar, lutar com estratégia também é honrável até mesmo entre nós, servos de Blator. Vou lhe perdoar o atrevimento de sua proposta... Pois você se mostrou um guerreiro de valor! Além disso, estes livros de magia de sangue e necromancia que a bruxa deve ter usado, não estavam sob proteção da sua cidade, embaixador de Citira? O que aconteceu aqui é sua responsabilidade também!

Gáldor, só então você se dá conta do que ela explicou antes: Loki deve ter lutado com um primo distante seu, Finwe Tinúviel contra pais da bruxa há cerca de 15 anos, e Finwe levou os livros deles para Citira. Por isso, também, você ficou encarregado de procurar por eles quando foram roubados. São de certa forma responsabilidade de sua família.

Então Soturno entra na conversa, e diz várias informações sobre as prisioneiras. Quando ele menciona os estupros, deixa Clemildes com cara de nojo e revolta. Ela fica com lágrimas nos olhos, e diz:


- Investigarei a situação das mulheres. De fato, o povo kaeron é perigoso! Eles se diziam descendentes de um titã-segundo chamado Vougal, filho do deus caído das névoas e neblinas, o príncipe infernal Vouxiz, que violentou sua inimiga a deusa Gânis. Vougal, então, tem sangue de deus e de demônio, e dominava a água em seu estado natural, e nos estados de gelo e de névoa. O povo Kaeron o idolatrava, e dizia ser seu descendente. As lendas dizem que eles conseguiam respirar embaixo d´água e até mesmo conseguiam sobreviver a frio intenso e a congelamento. Tanto poder entre mortais era cobiçado, e por isso eles minguaram sob as armas dos volins. Até que veio o Cataclismo e acabou com o resto deles. Pelo menos era isso que sabíamos... Depois de um tempo, os nossos antepassados zumis baniram os volins desta região e construíram esta represa e a cidade. Agora sabemos que a represa escondia as ruínas deste povo amaldiçoado!

Ela diz, reticente:

- Então, se estas mulheres estiverem grávidas. As crianças podem ter estes poderes? Buscarei o conselho dos anciãos sobre este tema. Permito que faça o funeral como disse, nobre representante de Cruíne! Alguns de meus homens irão lhe ajudar no que precisar.

Então, ela se volta novamente para Gáldor, e diz:

- Vá, descanse. Deixarei sentinelas nas ruínas. Vocês buscarão pela bruxa pela manhã.


Borr
Citação:

Ao falar com Val, você nota que ela está esgotada e quase catatônica. Ela apenas repete a pergunta:

- Aonde está a ... - o corpo da minha filha?

Você aponta para a entrada secreta das ruínas, que ainda estavam inundadas. A mulher se ajoelha em prantos, e diz:

- Vá com eles! Vingue minha filha e os outros! Ficarei aqui até isto secar. Preciso cuidar da minha menininha.

...

Então você se direciona até Loki. Ele ouve seu pedido, e diz:

- Venha comigo até em casa, deixarei você escolher o que quiser daquela maldita. Me arrependo do dia em que poupei sua vida!

Você segue até uma casa comum perto da casa do ferreiro. Ele abre e a casa estava toda revirada! A casa tinha apenas um cômodo que funcionava como sala, dormitório e cozinha. Entre as coisas jogadas no chão, ele apanha um manto de peles, um pente, e um livro sobre ervas, e diz:
- Estes são os pertences dela que encontrei nesta bagunça.


Garet e Hagilyak
Citação:
Clemildes ouve o pedido de Garet, chama um homem e diz:

- Não sei se isso fará diferença de hoje para amanhã, mas como queira!

Então, fala com o homem:

- Treine este guerreiro nas artes do arco-e-flecha! Começando hoje. Dê-lhe tarefas para treinar os rudimentos das técnicas, e enquanto ele permanecer aqui, seja seu mestre.

Depois disso, ela ouve Hagilyak e diz:

- Nós zumis temos orgulho de nossos cães de caça. Vá até o quartel e diga que eu concedi seu pedido. O domador de animais irá lhe fornecer um filhote de raça ou animal treinado para caça.

Dito isto, Hagilyak se despede e no quartel pode escolher um filhote de raça (há um branco, um marrom e um malhado), ou um cão de caça treinado (há um branco, um preto e um bege).

Já na hospedaria, Jefer se aproxima e oferece três frascos a Hagilyak, e diz:
- Antes de dormir, use qualquer magia que quiser em cada um dos frascos. Ele armazenará a magia que fará efeito quando o frasco for bebido.


Todos
Citação:
Vocês se retiram para a taverna para dormir, alguns vão rapidamente, outros depois de algumas horas de trabalho extra. Jorel se reencontra com Jefer, e o ajuda a recolher material enquanto o mago prepara algumas poções. Soturno, devido as mandrágoras você estava se sentindo com todas as forças físicas, espirituais e mágicas. Antes de você dormir, Jorel mostra 3 frascos, e diz: Conjure nestes frascos todas os milagres que quiser. Eles estabilizarão os milagres e poderão ser bebidos como poções.
Soturno precisa decidir, dentro dos limites de seu karma atual (completo), quais magias vai usar em cada frasco.

Pela manhã, Jorel entrega mais 5 frascos, e diz:

- Estes são poções de cura. Usem quando estiverem feridos e cansados, basta beber o frasco todo! As elfas Sagæ Rilel e Safira partiram juntas durante a noite.
De alguma forma, A batalha em conjunto contra a invasão zumbi e a missão de perseguir a bruxa parece ter dado um senso de companheirismo entre vocês todos. E enquanto vocês terminam de fazer o desjejum e conhecer os novos membros do grupo, Clemildes e Loki aparecem. Eles trazem três jovens musculosos que vem carregando armaduras, escudos e armas. E dizem:

- Então, estão prontos para perseguir a bruxa Lori?! Trouxemos equipamentos para vocês.

Off: cada um pode escolher uma armadura, arma ou escudo qualquer - um item para cada. Soturno vai dizer que magias concentrou em 3 frascos, e dizer com quem fica cada um ou se ficam com ele. Hagilyak a mesma coisa. Além disso, tem 5 poções de cura completa que podem ser divididos um para cada. Soturno usou as magias antes de dormir (seu karma tava completo por causa das madrágoras), esvaziou o karma, e foi novamente restaurado durante o sono.

PS: Olek estava bem, não se abalou com o que aconteceu na cidade. Skoll também, e se reaproximação de Borr quando é chamado.

Soturno
Citação:
Quando você vê Jefer se aproximando e oferecendo poções, você nota que ele é um necromante, mas tem uma visão de Cruíne colocando os ombros sobre ele. Logo, você percebe que ele é um escolhido de Cruíne como você. E pela reação dele, você acha que ele teve a mesma visão com você.
#9 Garet, O Vingador Negro Enviado : 05/08/16 18:21
Jogador: Marcelo Villanova
EF: -18
EH: 0
Karma: 14
Depois que Clemildes fala, respondo:
Como eu disse meu treinamento foi iniciado, mas não completei. Tenho certeza que posso recuperar o tempo perdido.
Pretendo treinar imediatamente e assim que o sol raiar no dia seguinte.

Se minha Cota de malha parcial estiver intacta permaneço com ela, caso contrário pego outra.
Também mais algumas flechas.
#10 Borr Mythigar Enviado : 05/08/16 18:23
Jogador: Carlos Azevedo
EF: 33
EH: 64
Karma: 22
Ainda na casa com Loki pergunto a ele.
Ela tinha algum animal?

Enquanto ele responde pego o livro, olho com certa curiosidade, então deixo cair, pego o pente e a pele, tento perceber se o cheiro da pele está fedido ou se parece cheiro de mulher, se não for cheiro de fedido agacho e deixo Skoll sentir o cheiro, caso contrário dou o pente para ele sentir, como ainda estou conectado a ele, percebo a reação dele ao sentir o cheiro e tentar perceber se o cheiro é dela.

Mais uma coisa, mas isto não tem haver com a missão.
Um dos motivos de eu vir pra esta vila é por saber da existência de um rastreador que soube estar vivendo por estas áreas. Eu o conheço por Welborn Urso branco. Ele é um rastreador guardião. Quero encontra-lo pois pretendo aprender mais com ele. Você o conhece ou sabe de alguém que possa conhecer?

Espero a resposta dele, então se for positiva digo.
Quando voltar com a traidora procurarei por ele.
Então aceno com a cabeça em agradecimento.

off:// Espero que não se importe, criei isso de cabeça agora xD, mas se for o caso pode resumir que procuro por um rastreador guardião xD. As ações na estalagem vou fazer após te perguntar algumas coisas em off.
#11 Gáldor Tinúviel, o Sombrio Enviado : 05/08/16 22:09
Jogador: saulocr
EF: 84
EH: 132
Karma: 36
Quando sou esbofeteado mostro os dentes e digo:

- E quem receberia as glórias? O velho corvo! Digo olhando para o clérigo de Cruine. - Ele já tem adeptos demais. Deixo-os e vou pegar minha malha, no caminho se ouvir o guerreiro falando sobre arco, pego o que estava com o mago e estendo para ele sem nada a dizer. Então vou procurar me recuperar em alguma taverna que esteja de pé. No dia seguinte vou tentar recuperar minha cota de malha, se estiverem oferecendo uma armadura melhor eu pego se não continuo com a mesma.
#12 Borr Mythigar Enviado : 05/08/16 22:39
Jogador: Carlos Azevedo
EF: 33
EH: 64
Karma: 22
Já na taberna, no dia seguinte, no desejum dou um pouco de comida para o Skoll e brinco com ele jogando algo para buscar, quando chegam a Clemildes e os outros paro de brincar com o Skoll.
Pego uma poção quando oferecida e quando Clemildes traz os equipamentos pego um machado crescente e a machadinha no lugar da armadura.


Ao pegar o machado crescente digo
ZumiAgradeço pela oferta, no lugar da armadura pegarei esta machadinha...

Se a reação não for ruim coloco na cintura, depois completo minhas duas aljavas com flechas caso tenha alguma.

#13 Hagilyak Enviado : 07/08/16 17:52
Jogador: Buliwyf
EF: 17
EH: 44
Karma: 12
eu possuía zero de karma se ainda sim puder armazenar as magias eu coloco 1 curas espirituais e 2 físicas. Escolho o filhote de cão branco. Se eu não estiver totalmente recuperado bebo uma das poções de Jefer e assim que puder conjuro elo animal permanente com o meu novo cão. Por fim só pegarei uma armadura das oferecidas temporariamente dizendo a clemildes
Tanto está cimitarra quanto está armadura me são muito estimadas por são herança e presentes de meu finado pai. Por isso peço que faça os reparos necessários na armadura para que possa reutilizá-la novamente e devolver-lhe a que pego emprestada
#14 samuel.azevedo Enviado : 08/08/16 19:41
Garet
Citação:
Ainda no dia anterior, Clemildes indicara que você procurasse pelo mestre arqueiro Arnô. Você acorda antes do dia nascer, e se apresenta na primeira luz do dia, e pratica alguns exercícios apontados por ele por cerca de uma hora. Então, você volta a taberna e troca sua armadura arranhada por uma nova. Também recebe uma poção de cura completa de outro forasteiro, visivelmente um mago. O forasteiro estava com algumas das pessoas que ajudaram a defender a cidade, e se chama Jefer. Outro viajante, um elfo dourado gigante chamado Gáldor, que havia sido impressionante na batalha, lhe entrega um arco composto sem nada dizer. O arco apresenta runas arcanas. Talvez seja bom identificar o que elas fazem com quem o ofereceu ou com um mago.


Borr
Citação:
Skoll reage ao cheiro das coisas de Lori com uma lembrança do corredor da passagem subterrânea.
Val lhe diz que a casa de Welborn Urso Branco fica fora da cidade, a um dia de viagem ao sul, mas ele estava hospedado no Porco-Espinho. Então no raiar do sol você vai até a taverna e o encontra.
//off: pode narrar a conversa em paralelo com as outras ações.
Um pouco mais de hora depois, você vê a Portentã e os companheiros da missão de ontem se reunindo na mesma taverna. Logo, equipamentos estão sendo distribuídos para quem vai procurar por Lori, e você pega um machado crescente e uma machadinha, mas não acha flechas sobressalentes - alguém pegou primeiro. Depois, um forasteiro chamado Jefer, que tratou dos feridos na batalha da noite anterior, entrega uma poção de cura completa. Skoll fica todo o tempo ao seu lado, e você pega um petisco da mesa em que os outros tomavam café e dá para ele.


Gáldor Tinúviel
Citação:
Você vê um dos forasteiros que lutou ao seu lado ontem falando em treinar com arcos, e estende de mão beijada o arco mágico para ele! Como na região é comum a presença de homens altos, você consegue uma nova cota de malha parcial do seu tamanho e um escudo grande de madeira. A sua armadura estava imprestável de tantos golpes que recebeu no dia anterior, e o escudo com o brasão da família estava destroçado. Talvez, se não fossem as técnicas de sua família, você teria morrido! Por falar nisso, um homem com cara de menino lhe oferece uma poção de cura completa para a missão. Você o viu ontem no combate tratando dos feridos, mas ele se veste de uma forma que alguém experiente como você percebe como um mago. Ele está acompanhado de outro homem e de um meio-elfo sacerdote de Maíra que lutou ao seu lado ontem. De repente, você percebe que eles três são os que estavam apanhando de Uilmatem quando você chegou para equilibrar a batalha há cerca de um dia, e agora que tiveram a chance de se conhecer, eles se chamam Jefer (o mago), Jorel (você não o viu na batalha contra os zumbis), e Hagilyak (o sacerdote).



Hagilyak
Citação:
Você havia se recuperado com as mandrágoras que Jefer trazia, então, antes de dormir conseguiu fazer o elo com o cão, e ainda deu para fazer suas orações de cura em três frascos. As magias interagiram com o conteúdo do frascos, então você ficou com três poções, duas contendo Curas Físicas 5, e uma contendo Curas Espirituais 5. Além destes, recebeu mais um frasco de poção de cura completa feito por Jefer e os sacerdotes de Blator.
//Off: como pediu um filhote, vai demorar uns 6 meses para este chegar no tamanho adulto. Como vai chamá-lo?


Soturno Abascal
Citação:
Olek comeu a maçã enquanto os animais se acalmavam um cavalariço chega e assume o lugar.
Você se recolhe mas logo no início recebe a visita de um mago. O mago se chama Jefer, e você percebe com a sua experiência que ele tem as marcas (olheira, pele pálida, leve cheiro de enxofre, dedos amarelados) de quem tem manuseado necromancia. Mas você tem uma sensação sobrenatural que pode confiar nele, que o brilho de Cruíne em você é o mesmo brilho de Cruíne nele. Então, quando ele lhe entrega três frascos, você confia e depois do jejum e orações já no final da madrugada, faz suas orações concentrando seus milagres em três frascos (descreva quais foram os milagres, senão vai ficar por padrão os mais fraquinhos). Você adormece quando o sol já está surgindo, mas acorda uma hora depois se sentindo plenamente recuperado. Sinal de que o que vem pela frente é grande, e Cruíne está olhando por você!
Pela manhã, além destes três frascos, recebe mais um frasco de poção de cura completa feita por ele e os sacerdotes de Blator. Os bárbaros mostram respeito pelas habilidades dele! Clemildes manda um de seus homens lhe entregar também uma nova cota de malha de seu tamanho.


Jefer e Jorel
Citação:
Vocês passaram a noite cuidando dos preparativos para a incursão de hoje. Conheceram Gáldor, Borr, Soturno Abascal e Garet. Precisam decidir se vão seguir com eles para as ruínas que estavam escondidas sob a represa, se ficarão na cidade ajudando a reerguê-la ou se seguirão seu rumo. Organizando o equipamento, vocês percebem que Jorel está com um cetro de mago que Jefer quer, e Jefer está com uma das espadas mágicas de Randor que pode ser mais útil para o ladino. Cabe a vocês fazer a troca e identificar os itens (se desejarem). Jorel também precisa identificar com o mago as botas mágicas para poder usá-las.
Jorel, depois que as coisas se acalmam você se dá conta que podia ter roubado os objetos que pertenciam aos mortos, quando esteve sozinho dentro da taverna na noite anterior. Tarde demais para isso agora, que ela está movimentada.


Todos
Citação:
Quando todos recebem seus itens, Clemildes diz:
- Todos estão preparados, abastecidos e descansados. Lori não deve ter avançado muito, depois do pequeno combate que ela teve com alguns de vocês e de toda aquela magia de ontem, ela deve ter dormido exausta em algum lugar naquelas ruínas. Deixei sentinelas com cães de guarda a noite toda patrulhando os limites do lugar, e nada foi visto. Gostaria de ir com vocês, mas tenho que manter a cidade sob controle, senão daqui a pouco as pessoas estão saqueando umas as outras e não haverá cidade para salvar. Deixei uma equipe trabalhando num fosso em volta da cidade, outra equipe patrulhando a região, e uma pequena equipe cuidando dos feridos. O trabalho seria muito maior se o clérigo de Maíra não tivesse trazido um mago com um carregamento de mandrágoras, que por acaso sabia prepará-las para fazer poções de cura!
Ela se dirige até a estrada de frente a cidade, e diz:
- E agora, para onde vão? A passagem secreta que encontraram continua inundada.
Ela aponta para o lugar, mas para a surpresa de vocês um patrulheiro vem correndo de lá chamando por Clemildes, outros estão segurando duas mulheres molhadas na saída da passagem secreta. Vocês correm para perto delas, e notam que foram as mulheres que ficaram presas quando o lugar afundou. elas quebraram as próprias mãos para conseguir se libertar das cadeias. Mas é estranho elas não terem se afogado submersas durante toda a madrugada. Clemildes olha para elas pensativa, então pede para os sentinelas irem buscar os sacerdotes auxiliares dela. Quando eles partem, ela olha para Soturno e diz:
- É o que você pensava, a lenda do povo Kaeron deve ser verdade! Dentro delas deve correr o sangue kaeron dos filhos dos mortos, e por isso não se afogaram!
#15 Garet, O Vingador Negro Enviado : 08/08/16 20:27
Jogador: Marcelo Villanova
EF: -18
EH: 0
Karma: 14
Fico olhando curioso para o arco tentando adivinhar o que ele faz... Coço a cabeça e me lembro do mago que me entregou a poção de cura, Jefer.
Vou falar com ele:

Amigo, saberia me dizer o que esse arco é capaz de fazer? Me parece mágico, mas não sei precisar o que ele faz... O guerreiro elfo me deu mas não disse uma palavra sequer, provavelmente também não sabe.
(OFF: quantas flechas tenho? Dependendo da quantidade dou algumas a Borr)

Depois que Clemildes fala da passagem, respondo:
A bruxa não ficaria ali se houvesse uma única entrada, provavelmente há outra em algum outro lugar, seco e seguro. Talvez os cães consigam farejar algo.
#16 Garet, O Vingador Negro Enviado : 08/08/16 20:31
Jogador: Marcelo Villanova
EF: -18
EH: 0
Karma: 14
Minha EF está correta? Com armadura nova e tudo?

mestre: Sim, estou considerando o dobro da absorção! E a armadura nova é do mesmo tipo da velha...
#17 Borr Mythigar Enviado : 08/08/16 22:30
Jogador: Carlos Azevedo
EF: 33
EH: 64
Karma: 22
Quando o guerreiro me oferece as flechas (se ele tiver mais que eu) aceito e digo.
Zumi Que Blator o guie na batalha.

Caso eu ainda tenha mais que ele (já que possuía 2 aljavas antes de tudo, nego e aponto para as flechas...
Zumi Ainda tenho bastante.

Na represa, quando Clemildes fala sobre a maga eu completo a informação.
ZumiAntes de sair pude ver que ela se juntou a parede, pode ter atravessado com magia. Deve ter alguma outra sala onde ficou em segurança. Existe algum lugar onde as crianças digam ser assombradas por esta região? Pode ter algum fundo de verdade, ou no caso alguém que as faça ficar longe por algum motivo.

Se a resposta for uma negativa então...

Considerando que no dia anterior fomos a represa já era de tarde, depois do almoço, o elo animal ainda tinha efeito, então me abaixo e dou o pente para Skoll se "lembrar" do cheiro dela, ver se ele consegue pegar algum rastro (apesar de não char que conseguirá char algo ali, mas quem sabe...), se não encontrar, me posiciono de frente para a subida do rio (ou fonte), então aponto a direção, caso Skoll tenha sentido o cheiro, aponto a direção que ele indicar.
Zumi Talvez devemos começar por esta direção.



Procurando por Welborn Urso Branco na taverna.
Ao avistar o enorme homem, usando uma grande pele de urso branco já meio rasgada, suja e esgaçada pelo tempo, percebo que o nome não tem nenhum exagero, então me aproximo e cumprimento.

Zumi a conversa inteira.
Podemos conversar? Se a resposta for afirmativa.
Sou Borr, filho de Búri, filho de Sif. Búri pediu para que o procurasse.

off:// Quer uma conversa pausada desta forma ou me adianto com o diálogo?

#18 Soturno Abascal Enviado : 09/08/16 08:28
Jogador: Térom Lanister
EF: 34
EH: 61
Karma: 27
Ao receber os frascos eu fico apreensivo sobre o necromante. Só não invisto contra ele pelo fato de ter a mão de Cruine sobre seus ombros.

Pego os frascos calado e agradeço com um aceno de cabeça. Evoco Ressurreição 4 em cada um deles. Dou um frasco para Garet, um para o elfo gigante Galdor e outro para o sacerdote de Maira Hagilyak. Guardo o frasco de Cura comigo. Explico para Garet e Galdor:


- Se um de nós cair morto, derrame imediatamente o líquido deste frasco na boca do cadáver. Mas se o cadáver estiver despedaçado ou sem cabeça, esqueça, pois a poção não funcionará e será desperdiçada.

Depois de receber a armadura eu a visto e sigo com os demais.

Já na represa, ao ver as mulheres afogadas eu falo para Clemildes em Malês:


- Mate-as.

#19 samuel.azevedo Enviado : 09/08/16 09:53
Borr, ainda lhe restavam 26 flechas. Garet, só lhe restavam 5 flechas!

Quando Garet mostra o arco para Jefer, ele diz:

- Não preciso nem fazer o ritual para identificar este arco. Com o que está escrito nas runas, e com o que vi quando ele foi montado no meio de um combate, este arco guarda a alma de um poderoso rastreador chamado Randor, ou Sir Randor de Agrimir. Ele caíra em uma armadilha e fez uma promessa para o feiticeiro Uilmatem: prometeu por sua alma que ajudaria Uilmatem uma vez quando ele lhe pedisse. O bruxo pediu que ele nos traísse e nos atacasse, mas ele preferiu ser leal e morrer. Então o feitiço tirou sua alma e fez esta pedra verde. Ví Uilmatem usando este arco sem flechas, pelas runas acredito que dê para disparar 10 flechas de luz por dia, mas flechas comuns serão lançadas com mais facilidade com o poder do arco. Devido a sua história, eu chamaria este arco de Promessa de Randor.

Borr, diante de suas palavras, Clemildes Pedra Dura diz:

- Aqui não havia lugares assombrados, exceto a névoa que surgia ultimamente para raptar as pessoas e este campo coberto de zumbis ontem a noite! Ela só pode estar nas ruínas, a área em volta delas foi patrulhada e ninguém entrou ou saiu.

Val, que estava diante da entrada secreta esperando ela secar para pegar o corpo da filha, fica horrorizada ao entender o que aconteceu com as mulheres prisioneiras e diz, em zumi:
- Por favor, me digam que isto não aconteceu com minha filha!

As mulheres, envergonhadas, dizem, também na língua bárbara:
- Não, ela estava sendo guardada para algum ritual.

Clemildes responde, quando Borr menciona matar as mulheres:
- Elas são meu povo, é meu dever protegê-las. Elas foram violentadas, e tem que pagar com a própria vida? De forma alguma. Quanto as crias malditas em seus ventres, sim, há diversos meios de eliminá-las. Mas este será um assunto levado ao conselho dos anciões e terá peso o que as mães decidirem - afinal, as crianças são filhos delas, mesmo que indesejados. Agora vão!

Garet, Gáldor e Hagilyak, cada um de vocês recebeu uma poção de ressurreição dada por Soturno Abascal, que disse:

- Se um de nós cair morto, derrame imediatamente o líquido deste frasco na boca do cadáver. Mas se o cadáver estiver despedaçado ou sem cabeça, esqueça, pois a poção não funcionará e será desperdiçada.

Gáldor, Clemildes ainda diz a você:
- Melhor vocês resolverem tudo hoje. O rastreador que você pediu parte amanhã pela manhã para o sul, é para lá que você queria viajar, não?

Borr, continuação da conversa com Urso Branco:
- Sim, filho de Búri e Síf. Sei o que seu pai deseja, é um acordo feito com ele há muitos anos. Ele me disse que seu jovem filho um dia iria querer ser treinado comigo, como ele um dia foi. Se é isso o que você quer, pode me seguir para o sul amanhã. Sinto que preciso proteger uma área no limite da geleira, pelo que posso sentir, lobos gigantes e ursos estão numa disputa territorial que está acabando com a vida naquele lugar. Então, hoje me preparo para a viagem, e se quiser aprender, venha comigo amanhã. Depois, terei que acompanhar algum estrangeiro a pedido de Clemildes.

#20 Gáldor Tinúviel, o Sombrio Enviado : 09/08/16 10:07
Jogador: saulocr
EF: 84
EH: 132
Karma: 36
Aceito a poção doada pelo jovem, com um leve aceno de cabeça cumprimento o trio e saio para meu isolamento racial. Quando estamos reunidos, recebo do clérigo de Cruine o frasco e digo:

- Todos os homens e elfos devem morrer! Guardo o frasco. Em seguida quando as mulheres são trazidas e apresentadas me posiciono atrás delas. Quando o velho corvo ordena a execução saco a montante e empurro para que uma delas caia de joelhos. Olho para Clemildes com a montante preparada para decapitá-la aguardando sua ordem.
#21 Garet, O Vingador Negro Enviado : 09/08/16 12:07
Jogador: Marcelo Villanova
EF: -18
EH: 0
Karma: 14
(OFF: Com qtas flecha eu fiquei agora para eu poder anotar na ficha?)
/off mestre: Todas as flechas do grupo estão listadas no post 19, se quiserem redistribuir entre vocês precisam conversar isso dentro do jogo...
Olho o arco e digo ao mago:
Obrigado, farei o possível para honrar a memória do seu amigo com esse arco.

Pergunto a Clemildes:
Existe alguma forma de puxarmos essa água todo e esvaziar os túneis?
#22 samuel.azevedo Enviado : 10/08/16 20:25
Depois da atitude brusca de Gáldor diante das palavras de Soturno Abascal, o tempo parece suspenso por uns instantes. Todos ficam parados, e Clemildes dá apenas um olhar de reprovação, o suficiente para fazer o elfo hesitar. A mulher que havia sido derrubada se abaixa, e a outra dá um chute na mão da arma, fazendo a montante do elfo cair de usa mão. A outra gira no chão, e depois dá um chute no saco de Gáldor, resmungando algumas palavras em zumi:

- Eu não morri nas mãos da bruxa, nem dos mortos vivos, nem com a água, para morrer nas mãos de um elfo!

Clemildes, Val, e os sentinelas tomam conta da situação, e ela diz, enfaticamente, em malês:

- Chega! O inimigo agora é a bruxa Lori. Ninguém mais vai morrer. Deixem as mulheres por minha conta. Se o que estiver nela é maligno, há 9 meses para esperar nascer, e muitos anos para esperar crescer. E sinto que essa lenda dos kaerons e o que deduzimos sobre o que aconteceu com as mulheres ainda precisa de esclarecimento, talvez quando vocês encontrarem Lori. Como eu disse, o povo zumi tratará disso, e a palavra das mulheres violentadas será decisiva no destino das crianças que por ventura elas estiverem carregando.

Um pouco mais calma, ela responde a Garet:

- Demoraria mais de um dia e muitos homens para puxar toda a água com baldes.

Nisto, Val parece sair da letargia em que estava, e diz (em malês):

- Deixe por conta dos Dentes de Sabre! O restante de meu clã vai ajudar a esvaziar esta água. Mas procurem por outra entrada.

Então, Clemildes, aponta o caminho do sul da antiga represa:

- Os montes que suportavam as paredes da represa caíram em alguns pontos, sendo possível entrar nas ruínas sem precisar escalar, se preferirem, o caminho é por ali, e os guardas os escoltarão para garantir que não agredirão meu povo!

Então, vocês se dirigem ao local indicado, e tem a seguinte visão:

Onde antes havia a represa há ruínas de casas de tamanhos diversos, feitas de pedra. Algumas só no alicerce, outras com algumas paredes que teimaram em permanecer em pé. Aparentemente os limites da represa eram os muros da cidade de Kal-eron. No estremo leste das ruínas havia os restos de uma construção um pouco maior, com algumas das paredes restantes pela metade, do que antes deveria ter sido um templo ou alguma outra construção importante. É possível ver que há sentinelas zumis em toda a extensão dos limites das ruínas, posicionados em pontos estratégicos e armados com arcos, além de armas de combate corpo-a-corpo.


Todos: façam um teste de observar ao adentrar no lugar.
samuel.azevedo anexadas as seguintes imagens:
Kal-Eron01.jpg
#23 Hagilyak Enviado : 10/08/16 21:35
Jogador: Buliwyf
EF: 17
EH: 44
Karma: 12
Caio na gargalhada após assistir ao que aconteceu ao elfo. Agradeço ao soturno pela poção e dou-lhe em troca uma poção de curas físicas da minha, a outra entrego ao Jefer
Nestas poções está a graça da energia vital dada por Maira, usem em um companheiro ferido ou em si mesmos.
Ao fim me viro e parto em direção ao local a ser explorado
Vamos Luna! Hora do passeio louco.
#24 Hagilyak Enviado : 10/08/16 21:42
Jogador: Buliwyf
EF: 17
EH: 44
Karma: 12
Lançamento 1d20=2
Esqueci o rolamento e além disso só vamos nos 5? Sou o único sir de Agrimir q restou?[1d20]
#25 Soturno Abascal Enviado : 10/08/16 22:52
Jogador: Térom Lanister
EF: 34
EH: 61
Karma: 27
Lançamento 1d20=9
Soturno não é de falar muito, quando não é necessário, mas demonstra muita simpatia pelo Sacerdote de Maira ao trocar poções com este. Agradeço abaixando a cabeça e falando:

- Cruine saúda Maira.

Observar 3 [1d20]

#26 Garet, O Vingador Negro Enviado : 11/08/16 00:36
Jogador: Marcelo Villanova
EF: -18
EH: 0
Karma: 14
Lançamento 1d20=15
Falo resmungando pra mim mesmo:
Essa mulher gosta de dar informações em partes. Se ela falasse tudo que sabe de uma única vez, que existe outra entrada e que seus homens já estavam aqui vigiando economizaria tempo...

Observar 6
[1d20]
#27 Gáldor Tinúviel, o Sombrio Enviado : 11/08/16 09:34
Jogador: saulocr
EF: 84
EH: 132
Karma: 36
Lançamento 2d20=14,10
Off: Supondo que não ficarei parado diante da reação das mulheres.

Depois que uma delas me desarma, aparo com a mão o chute da guerreira antes de acertar minha virilha e em seguida agarro pelo pescoço dela erguendo-a do chão. Quando a sacerdotisa indica para parar arremesso a mulher aos pés dela e junto minha espada:

- O mal tem que ser cortado pela raiz... Elas copularam com demônios! Possuem o espirito maculado e você Aponto para Clemildes Coloca todo o povo Zumi em perigo! Execute as duas e que os deuses tenham piedade das almas delas... Embainho a montante nas costas e vou seguir para a represa.


Observar e Escutar 7.



#28 Borr Mythigar Enviado : 12/08/16 09:11
Jogador: Carlos Azevedo
EF: 33
EH: 64
Karma: 22
Clemildes responde, quando Borr menciona matar as mulheres: Eu não falei nada disso hem kkkk

Na ação atrasada na taverna com Garet, puxo as 6 flechas da segunda aljava e passo para ele.

Na represa.
Ao ver o elfo fanfarrão chego a colocar a mão no machado, mas a reação das mulheres me faz parar, então penso comigo mesmo... Este elfo irá nos trazer problemas.
Sigo com os outros para as ruínas, mas antes, enquanto os outros se afastam pergunto a Clemildes (mas isso dependerá da conversa com o Urso Branco.

ZumiFalei mais cedo com Welborn Urso Branco. Ele disse que irá levar algum estrangeiro a seu pedido. Sabe para onde ele irá? Pretendo encontrar Welborn depois de terminar aqui.

Welborn Urso Branco
Deixo escapar certa euforia quando ele fala dos lobos gigantes
Na fronteira com os Azulis? Foi lá que... (Mas os problemas com Val, me vem à cabeça, fico com um misto de raiva e tristeza). Estou no meio de uma coisa aqui. Vou tentar encontrar a bruxa que fez tudo isso. Não poderei seguir com você. Mas posso seguir seu rastro quando terminar isso. Você terá de retornar para buscar o forasteiro. Sabe para onde ele quer ir?
#29 samuel.azevedo Enviado : 14/08/16 21:55
Borr:
Citação:
Na conversa com Welborn Urso Branco, ele lhe responde:
- O forasteiro que tenho que escoltar é o mesmo que você escoltará hoje, pelo que estou sabendo - ele diz, colocando a mão na frente da boca - Clemildes me falou tudo... Então, não tenho dúvidas que viajaremos juntos. Quem sabe você não verá os lobos gigantes?!

Quando o grupo começa a se afastar de Clemildes, você faz a pergunta a ela, e ela diz:
- Ele irá escoltar Gáldor, sugiro que você ganhe a confiança dos forasteiros caso queira realmente fazer esta viagem.


Hagilyak, Soturno Abascal, Garet, Gáldor Tinúviel, Borr:
Citação:
Hagilyak, Observar 4, rolamento 2, branco, rotineiro.
Soturno Abascal, Observar 3, rolamento 9, amarelo, fácil.
Garet, Observar 6, rolamento 15, vermelho, difícil.
Gáldor Tinúviel, Observar 7, rolamento 14, vermelho, difícil.
Gáldor Tinúviel, Escutar 7, rolamento 10, laranja, médio.


Hagilyak e Soturno terminam de trocar poções, enquanto Borr entrega 6 flechas para Garet. Agora ao todo Borr tem 20 flechas, e Garet, 11. Então decidem explorar o lugar. Vocês se afastam um pouco uns dos outros, mas sem perder contato visual.

Em meio a lama, Hagilyak, Soturno e Borr apenas vêem apenas pedras, alicerces de casas, paredes em ruínas, e cacos de objetos de cerâmica. Mas Garet e Gáldor encontram entre os cacos, cada um, um vaso de cerâmica aparentemente intacto. Ao passar as mãos nos vasos para tirar a lama, é possível notar em relevo belos motivos geométricos em formas de ondas e espirais. Os vasos provavelmente são da cultura kaeron e estão lacrados com cera. Dentro deles parece haver alguma coisa que chacoalha quando se mexe.
Gáldor, pelo barulho, você acredita que o vaso que achou contém objetos de metal. Além deste barulho, só ouve os passos do grupo e o barulho do vento.
Gáldor e Garet precisam decidir se mostrarão os vasos para os outros, se abrirão, ou se deixarão no lugar.
Todos precisam definir como vão fazer para explorar as ruínas, irão se dividir? Se espalhar? Procurarão trilhas? O que farão dos animais (quem estiver acompanhado com um)?



//OFF, Hagilyak é o último Sir de Agrimir que continua na aventura caso Jorel ou Jefer não voltem a postar...
samuel.azevedo anexadas as seguintes imagens:
Kal-Eron02.jpg
#30 Garet, O Vingador Negro Enviado : 14/08/16 23:17
Jogador: Marcelo Villanova
EF: -18
EH: 0
Karma: 14
Chamo Soturno e mostro o vaso a ele
Dê uma olhada nisso. Por que será que no meio de toda essa destruição esse vaso está intacto? Parece que há algo dentro dele...
Usuários visualizando este tópico
Guest
14 Páginas 123>»
Ir para o Fórum  
Você não pode adicionar novos tópicos neste fórum.
Você não pode responder a tópicos deste fórum.
Você não pode excluir suas participações deste fórum.
Você não pode editar suas participações neste fórum.
Você não pode criar enquetes neste fórum.
Você não pode votar em enquetes neste fórum.

YAFPro Theme Created by Jaben Cargman (Tiny Gecko)
Powered by YAF | YAF © 2003-2009, Yet Another Forum.NET