Bem-vindo Convidado Pesquisar | Atividades no Fórum | Entrar | Registrar

3 Páginas <123
Responder...
Lendas Lendárias Opções
#61 arabedoido77 Enviado : 28/09/11 16:12
Me lembrei de uma outra muito engraçada também. Aconteceu na primeira vez que fui à Devir.

Estávamos em uma aventura de GURPS e éramos membros de uma gangue. Na verdade, foram duas situações hilárias.

A primeira foi logo no início da aventura. Um dos jogadores percebeu (tarde demais) que seu personagem era bissexual. Ganhou logo o apelido de Buba, em referência a uma novela da época.

Lá pelas tantas, o mestre nos disse que iríamos esperar até a noite para enfrentar uma outra gangue. Assim, "façam o que vocês quiserem até lá", disse ele.

(a partir daqui, vou abreviar algumas palavras por motivos óbvios).

Um dos jogadores disse:

- Eu vou com... o Buba.

O rapaz já estava quase chorando, de tanto ser zuado e então começou uma discussão se ele iria ou não deixar o outro fazer mal para ele. O mestre definiu uma jogada e ele falhou. Logo que saiu o resultado, um outro já foi se adiantando:

- Eu também vou com... o Buba.

E Mais um terceiro resolveu entrar na festa.

O mestre e nós todos chorávamos de tanto rir com a cara que o moleque fazia enquanto ia ouvindo a galera diser o que fazia com ele. Mas até aí estava tudo bem. O poir foi quando entrou na sala um conhecido de um dos jogadores que estavam com o buba, acompanhado de duas garotas.

O sem noção chamou o cara e disse aos berros:

- Chega aí, vem ver. (apontou pro carinha que jogava com o Buba) Ele aqui está com 3 p..., dois na boca e um no *. Vem ver... d'oh!

As garotas fizeram uma cara de nojo e foram embora na mesma hora. E o cara mesmo assim demorou para perceber o quão impensado foi o que ele disse. Nem preciso dizer que a graça toda acabou e resolvemos pular a ação logo para quando anoitecesse.
#62 arabedoido77 Enviado : 29/09/11 10:27
Acabei nem falando a outra "pérola que aconteceu na aventura das gangues.

Depois do ocorrido, pulamos a ação até a hora em que anoiteceu e fomos enfrentar os adversários. Depois da briga que nós vencemos, começou uma cena de perseguição policial, nós fugindo em um furgão, sendo que dois iam em motos e a polícia na nossa cola, também com viaturas e motos.

Um dos jogadores cujo personagem estava de moto começou a olhar a ficha do personagem e de repente se entusiasmou. Começou a dizer:

- Já sei! Eu vou usar a punga.

Acho que todos sabem o que é. Todos nós sabíamos e achamos estranho o que ele disse.

O mestre meio que sem entender deu pouca atenção para ele. Aí, o carinha continuou:

- Agora, eu vou desacelerar um pouco a moto para o guarda me alcançar.

Ele estava entusiasmado, parecia ter tido uma ideia brilhante e nossa expectativa foi aumentando. Ele lançou os dados, tirou um número baixo e disse para o mestre que já tinha conseguido o sucesso na jogada antecipada. Um ponto de interrogação crescia no meio de nós todos. Aí, seguiu-se o diálogo:

- Certo. Você desacelerou, o guarda alcançou você. Ele está do seu lado.

- Agora, eu vou virar e usar a punga.

- Para que você vai usar a punga nessa situação? - O mestre também estava curioso.

- Para derrubar o guarda. Derrubar da moto, entendeu?

Eu fui o primeiro a fazer um facepalm e começar a rir do sujeito. Logo, a mesa inteira caía na gargalhada do cara.

O mestre nessa hora se virou de costas, pôs as mãos para trás, caminhou uns quatro passoa na direção da janela, olhou para fora alguns segundos e soltou:

- Puuuuunga...

Voltou para a mesa e se acabou de rir conosco. Tenho para mim que o cara confundiu punga com funda. Ele nunca conseguiu explicar o que se passou na cabeça dele. Nem preciso dizer que com duas pérolas tão memoráveis, foi o fim daquela divertida aventura.
#63 saulocr Enviado : 29/09/11 14:16
Lendas Lendárias...

Certa vez jogavamos Gurps, uma aventura ambientada em Arton, mas especificamente numa cidade chamada Triunphus... Nessa cidade havia uma fera monstruosa (Mook acho que esse é o nome do bicho), uma mistura de fênix com o cerbero, sei la o que... Era uma ave (se é que era ave mesmo) de 2 toneladas, com asas, e duas cabeças que cospiam fogo, sem falar na sua lista imensa de invulnerabilidades.

Pois bem chegamos em Triunphus precavidos com medo de ficarmos presos na Benção/Maldição da cidade. E nossa missão era justamente achar um ovo dessa tal criatura... Achamos a criatura no covil que ficava proximo a um vulcão... e como não conseguiriamos roubar-lhe o ovo estando ela lá... Resolvemos tirar a criatura de lá para que o mago do grupo que possuia imunidade ao fogo, roubasse o ovo... E assim fizemos, chamamos a atenção da fera que voou ao nosso encontro, e numa tentativa desesperadora corremos para a floresta onde houvesse várias arvores. O mook nos achou porém numa estrategia bem feita conseguimos prendê-lo mesmo que por pouco tempo numa armadilha. Tiramos o ovo e já iamos sair da cidade. Mas antes tivemos que acampar pois já era noitee estavamos cansado. (Ordem do mestre)

Lá pelas tantas da madrugada o Mook apareceu...

EU de vigia: Mas como ninguém viu ou ouviu mestre??

Mestre: Ela jogou furtividade...

Jogador: Ah...

O monstro atacou cuspindo sua bola de fogo, (acho que causava uns 5d6, fora o dobro de dano pelo fogo)... O mestre satisfeito com nossa "morte", já estava anunciando a nossa volta a vida (Nessa cidade ninguém morre de verdade, porém fica preso a ela), quando eu interrompi...

Eu (Feliz): Opa mestre, ainda não morri...

Mestre (Inconsolável): Como não, (e após conferir o resultado dos dados)... (Rola +1d6 de dano)...

Eu (Pensativo): Que dado é esse?

Mestre: Dano devido a queda.

Eu (Em apuros): Que queda?

Mestre (Pensativo): Quando a bola de fogo acertou o chão ela explodiu e tu voôu 10 metros para cima e caiu...

Eu (Inconsolável, rolo teste de HT - CRITICO): Eiii, morri ainda não....

Mestre (Em apuros): Pow cara, depois que tu caiu, ele vai lá e cisca em cima de você...

Eu: (morto)

Mestre (Feliz)

Applause
#64 arabedoido77 Enviado : 30/09/11 17:14
Essa aconteceu na turma que eu tinha. Pra variar, jogávamos GURPS e um dos jogadores levou o irmão mais novo dele para conhecer o jogo. Foi dado para ele um personagem e o moleque atá que curtiu bastante a aventura. Mas posso dizer que aconteceu com ele algo no mínimo bizarro e o mestre soube ser bem criativo na situação.

Começou quando o garoto resolveu que queria apelar para poderes divinos. Queria rezar para pedir algo para Deus no jogo. Por algum motivo inexplicável, o mestre se lembrou de uma regra que tinha no livro de que se um jogador quisesse fazer algo desse tipo, poderia ser permitido jogar os dados e caso saísse um resultado 3, (1,1,1), ele seria atendido.

Pois ele jogou e tirou o resultado 3. Por incrível que isso possa parecer. Aí, o mestre disse:

- Ok, você conseguiu. O que você vai pedir?

- Eu quero ver Deus.

- Certo. Você está vendo ele.

- Como é que ele é?

- Ele está na sua frente sentado, tem olhos pretos, cabelos pretos compridos, está com uma cmiseta azul, calça jeans... e é japonês. Feliz

Aí, foi risada geral. A descrição que o mestre deu era a dele mesmo. E ninguém havia notado até a hora que ele disse que Deus era japonês. Nem preciso dizer que o carinha ficou bem decepcionado Gastou uma chance de ouro para pedir algo útil.Brick wall

Mas foi uma saída criativa. Afinal, o mestre é mesmo o deus do universo onde a aventura se passa.
#65 Leonardo Enviado : 30/09/11 17:17
uaauhauhua morri de rir aqui dessa.
#66 saulocr Enviado : 30/09/11 17:54
Mestre Impaciente

Um cara novato no RPG, foi jogar uma sessão com, eu grupo e na construção do personagem o mestre que fazia uma ficha pra ele fala:

Mestre: Escolhe ai uma arma pra você ter nível de habilidade.

Novato: Quero um canhão de protons!

Mestre: Pow... Tu la sabe o que um canhão de Protons!

Novato: Sei sim, é a segunda arma do mega man.

Mestre: A campanha é medieval, escolha uma arma da epoca.

Novato: A ta... Uma espada.

Mestre: Outra arma.

Novato: Outra espada.

Mestre: Apague se personagem!

#67 arabedoido77 Enviado : 02/10/11 01:02
MAis uma doideira que um dos integrantes de meu antigo grupo aprontou. Essa foi num dos Encontros Internacionais de RPG. Não me lembro qual foi, mas lembro que foi um dos primeiros que aconteceu na Marquise do Ibirapuera.

Ele conseguiu uma mesa para jogar AD&D. O carinha todo entusiasmado para conhecer o sistema, mas foi azarado. Pegou um mestre pra lá de sádico. Logo nos primeiros minutos, puderam perceber isso.

Chegou então o ponto em que os personagens se envolveram em um combate com um inseto gigante. Não me lembro qual era, se era uma aranha, um escorpião ou outro.

Sei que os jogadores foram morrendo, um por um e o mestre parecia estar adorando isso. Aí, só sobraram os dois guerreiros iniciantes, um com meu amigo e outro com um carinha da mesa.

O carinha fez o teste, errou o ataque e meu amigo também. O mestre rolou, mais um sucesso e morreu o outro cara. Ficou meu amigo sozinho com o bichão. Aí veio o mestre e perguntou, com uma cara de sádico.

- Todo mundo morreu. Só sobrou você. E agora, o que você vai fazer??? - Ele sorria de tão satisfeito.

E meu colega olhou para ele, pensou um pouco e depois fez uma cara de coitado e soltou:

- Vou chorar.

Preciso dizer que no turno seguinte ele morreu?
#68 arabedoido77 Enviado : 22/10/11 23:02
Conforme prometi, aí vai mais uma que aconteceu quando estava em minha fase de testar sistemas novos que baixava da internet. Acabava-se minha fase de xiita do GURPS. Tarde demais, mas rendeu situações engraçadas, como esta:

Havia feito uma personagem que era maga. O sistema se passava no mundo moderno e ela era tambémuma agente do FBI. Um carinha, o mesmo que teve a brilhante ideia de espetar o fiofó do dragão com a lança, estava todo se gabando do personagem que havia feito, cheio de habilidades com línguas.

Lá pelas tantas na aventura, era hora de minha personagem entrar em cena. O mestre narrando que chegava um carro na cena do crime. Descem dois agentes, um cara e juno com ele, uma mulher estonteante (minha personagem). Logo, esse cara se entusiasmou e declarou que iria fazer uma pergunta para ela. Seguiu-se a seguinte conversa:

- Oi, você come ratos?

Fiquei curioso com essa pergunta. Interpretando a personagem da melhor maneira, respondi:

- Não. Por que?

Ele respondeu:

- Porque você é uma gata...

Foram risos gerais e ele achava que tinha arrasado. Continuei a conversa, como ela respondendo:

- Acho que você poderia ter começado essa conversa de outro jeito, não?

Ele, todo orgulhoso pegou a ficha do personagem, começou, ainda na "cantada":

- Você preferia que eu falasse como? Em francês, japonês, alemão, árabe ou em chinês?

Respondi, meio que desistindo de fazer frente àquela zoeira:

- Nenhum. Você fica melhor calado.

Por algum motivo, o cara ficou meio vermelho, baixou a cabeça, deu um riso meio amarelo e começou, já meio que em off:

- Não acredito, cara. Depois desse fora, você me detonou. Já não tem mais o que falar. - Ele deu uma pausa - Fiquei até sem graça. Definitivamente, acho que você tem alma de mulher. Me deu um fora igual o que a mulherada dá...

Ele ficou todo cabisbaixo e turma não parou de tirar barato dele. A aventura acabou nessa hora, porque ele ficou fora do clima de verdade.

Depois disso, parei também com as personagens femininas. Mas aquela foi muito divertida...
#69 Blanchard Enviado : 19/07/12 15:46
Caramba, muita risada com esse tópico...

Vou contar uma que aconteceu quando eu jogava D&D (já são tantas as edições que nem consigo mais saber qual era)...

Estávamos caminhando numa região muito montanhosa. Entre o grupo estavam um bárbaro humano (amigo meu) e o meu ladino halfing. Depois de muito tempo de viagem e alguns combates, meu ladino estava exausto. Como o bárbaro guardava seus dois machados nas costas, ele não levava mochila, mas uma grande bolsa de couro reforçada, que ele descansava sobre o ombro esquerdo. Não tive dúvidas, rolei persuasão pra cima dele, dizendo que eu poderia proteger as poucas posses dele, se ele me levasse na bolsa. O bárbaro, mais burro que uma porta (e tendo sido alertado pelo mestre), concorda com a situação.

Quando entrávamos em combate ele jogava a bolsa no chão e saia babando com os machados, ótimo pra mim que já não tinha quase nada de vida, pois se as coisas dessem errado eu apenas tentaria me esconder, permanecendo na bolsa.Depois ele levantava a bolsa e seguíamos viagem. Acontece que em uma hora chegamos até um ponto extremamente alto e demos de cara com uma ponte comprida e estreita, que ligava as montanhas. Na ponte de pedra cabiam somente duas pessoas lado a lado... Então, do lado esquerdo a dianteira foi tomada pelo bárbaro e do lado direito um guerreiro adiantou-se. No meio da ponte, percebemos que haviam inimigos avançando em nossa direção. O bárbaro com sangue no olho, tirou a bolsa de seu ombro e a arremessou para o lado, para puxar os machados o mais rápido possível. As últimas palavras que o grupo ouviu do ladino foram:

- Bárbaro filho duma puuuuuuuu........
#70 Hugar Enviado : 19/07/12 16:25
Hahahahaha, muito boa essa Blanchard!
#71 Leonardo Enviado : 19/07/12 22:07
Quem é o esperto agora??? huahahuauhahuauhauuhahua
#72 saulocr Enviado : 01/09/12 17:48
Bom... Essa é nova pelo menos pra mim. Aconteceu no PBF e é muito mais um desabafo do que outra coisa. Enfim não sei se alguém já passou situação que vou narrar, mais é aquele tipo de aventura que o mestre não gosta de você e não sabe como lhe dizer então ele mata seu personagem dizendo:

Mestre: Você ta caminhando no meio da floresta e um raio cai em sua cabeça e então vc morre! Acho que essa situação é menos desembaraçosa.

Bom vou resumir a história que se passou...

Meu grupo e eu estávamos viajando de coche para a cidade de Capela (Filanti), FUGINDO da seita/demonistas? No caminho 06 novos passageiros (NPCs) entraram no coche. Foi quando tive a ideia/burrice de usar o milagre Contatos para descobrir a intenção dos nossos acompanhantes para conosco.

A partir de agora narrarei em resumo o que se passou após o uso do milagre.

Jogador 1 (Eu) - Eu uso contatos no sacerdote de maira (NPC) pra saber suas intenções!

Mestre - O sacerdote de maira começa a esbravejar: dizendo que os passageiros não eram demônios, e que eu não fizesse as coisas as escondidas.

Mestre - Dois cavaleiros brancos, sacam suas espadas e te atacam de surpresa (não me perguntem como). Dados (12 e 20, detalhe eu tinha EH 12 e EF/Absorção 28)

Jogador 2 (outro) - Por favor senhores, o que é isso?! Atacando dois contra um um sacerdote e ele não fez nada! Não escutam nem mesmo explicações?! Vocês dois que se dizem nobres, estão agindo como covardes!

Mestre - Depois que matam o sacerdote (eu) eles dizem: - Nao nos arrependemos do que fizemos...

Bom a história termina pra mim aqui...

Não sei se foi só eu que percebi, mais a ultima frase dos cavaleiros "Nao nos arrependemos do que fizemos..." sugeria mais do que estava apresentado?!

#73 Hugar Enviado : 03/09/12 14:28
Dados trolando geral! Esses testes criam situações muito estranhas mesmo! Que diga o experiente rastreador Terry ser superado por um rapaz de 15 anos! E o personagem do Bcsaulo não conseguir encontrar a trilha deixada por oito cavalos! HAHAHAHA dá pra rir muito! Acaba com as intenções do jogador desse modo.
#74 arabedoido77 Enviado : 03/09/12 18:31
Tenho uma opinião de que poderia ser pensado um meio de melhorar um pouco essa questão dos dados. Algo para dar ao jogo uma linearidade maior.
#75 Hugar Enviado : 03/09/12 19:26
Isso é questão de sistema arabe. Quando se joga vários sistemas - principalmente os Indie RPGs - vc nota a diferença não só em probabilidade de sucesso, mas também em como vem esse sucesso. Por acaso estou pesquisando isso! É muito interessante. Pra mim pelo menos. Mas eu não penso em trazer mudanças ao Tagmar nesse ponto. Eu gosto de como funciona as coisas aqui.
#76 †_Junior_† Enviado : 03/09/12 19:32
Tu gosta como as coisas funcionam pq os jogadores sempre se ferram!! KKKKKKKKKKKKKKKKKK Muito Feliz

Mas é engraçado mesmo assim!
#77 Hugar Enviado : 03/09/12 20:39
A expectativa mediante o resultado dos dados deixa o jogo interessante! Seria monótono se sempre conseguisse fazer o que tentasse. Quando seu personagem fracassa em uma tentativa decisiva, vc fica desesperado buscando soluções e outras maneiras de alcançar o sucesso! E ainda tem que lidar com os resultados das ações, principalmente nas falhas críticas!

Mas acho melhor pararmos de discutir um assunto que não é do tópico...
#78 Maedhros Enviado : 15/09/12 23:59
Olha essa a q eu li esses tempo atras... Um campones se encontra com os personagens, e estes perguntam por que o campones viajava ate o local onde os personagem iam e ele responde q VAI COMPRA VENENO PRA FORMIGA!!! kkkkkkk... Kara nessa epoca existia isso?! Kkkkkk...e o pior, foi um tal de querosene! Kkkkkkk... Querosene nao vem do petroleo?! Kkkk... Mano! Os anoes tao fundo! Kkkkk... Muito loko, meu.
Usuários visualizando este tópico
Guest
3 Páginas <123
Ir para o Fórum  
Você não pode adicionar novos tópicos neste fórum.
Você não pode responder a tópicos deste fórum.
Você não pode excluir suas participações deste fórum.
Você não pode editar suas participações neste fórum.
Você não pode criar enquetes neste fórum.
Você não pode votar em enquetes neste fórum.

YAFPro Theme Created by Jaben Cargman (Tiny Gecko)
Powered by YAF | YAF © 2003-2009, Yet Another Forum.NET
LGPD (Lei Geral de Proteção a Dados): o site do Tagmar usa a tecnologia de cookies para seu sistema interno de login e para gerar estatísticas de acesso. O Tagmar respeita a privacidade de cada um e nenhuma informação pessoal é armazenada nos cookies. Ao continuar a navegar pelo site você estará concordando com o uso de cookies.