Bem-vindo Convidado Pesquisar | Atividades no Fórum | Entrar | Registrar

3 Páginas <123>
Capítulo 03e - As Tribos do Norte das Geleiras Opções
#31 samuel.azevedo Enviado : 31/12/16 14:42
7a rodada
iniciativas: Leonardus 6, Na'tasha 2

Leonardus aguarda Na'tasha agir. Ela também embainha a própria espada e diz:

- Nosso povo tem um segredo. Agora que somos um, o segredo também é de vocês. Há muitas gerações, em terras distantes ao oeste daqui, além das planícies de vidro, vivia um povo com poderes primordiais, que adorava deuses e titãs; alguns foram escravizados por reis feiticeiros, muitos pereceram em guerras. Nossos antepassados escaparam da guerra contra os reis feiticeiros, e encontraram abrigo com a rainha Palidá. Ironicamente, ela também era um tipo de feiticeira, mas não do tipo mau. Nosso sangue se misturou com o do povo dela, adotamos os seus deuses, mas aqueles escolhidos por Parom guardam o totem de nossos antepassados.

Ela olha para o céu, e uiva. Seu corpo começa a aumentar, ossos e músculos estalam. Um focinho e pelos crescem em seu rosto. Uma cauda aparece. Os raposas-brancas não se abalam com a transformação, mas os mata-gigantes se assustam e são segurados por eles.



Na'tasha, EF 20, EH 30, defesa L6.
samuel.azevedo anexadas as seguintes imagens:
62c9087da3ceff3c64fbda4192dd8300.jpg
#32 samuel.azevedo Enviado : 31/12/16 15:09
8a rodada
Citação:

iniciativas: Leonardus 6, Na'tasha 2
Na'tasha, ataque com cimitarra, coluna 19 (M12-M5+6 ataque de surpresa +6 ataque oportuno), rolamento 14, azul, 100%+25% (especialista em ataque surpresa) = 125% de dano.
Leonardus, golpe letal 3.
Leonardus, ataque com espada, coluna 5 (L12-L6-1 penalidades), rolamento 13, laranja, 50% de dano (+3 do golpe letal).

Na forma meio mulher, meio raposa, Na'tasha ainda conseguia segurar a arma. Ela se aproveita da "surpresa" de Leonardus e parte para cima dele. Mas ele se lembra que concentrava seu golpe letal e contra-ataca.


9a rodada
Citação:

iniciativas: Leonardus 6, Na'tasha 2
Leonardus, ataque com espada, coluna 5 (L12-L6-1 penalidades), rolamento 10, amarelo, 25% de dano.
Na'tasha, ataque com cimitarra, coluna 13 (M12-M5+6 ataque oportuno), rolamento 2, branco, erro.

Leonardus salta pra frente com a ponta da espada contra a mulher-raposa, ela esquiva graciosamente como uma gata, mas erra o contra-ataque.

Kat'tya diz:

- Não tenham medo, ela é a mesma pessoa, só com outra aparência. E não é contagioso.

As palavras dela acalmam o coração das pessoas da platéia e impedem o surgimento de um tumulto.


Na'tasha, EF 20, EH 7+1(regenerado), defesa L6.

//off: na 6a rodada "engoli mosca" e esqueci do ataque oportuno dela. Também "engoli mosca" que ela regenera 1 ponto a cada minuto (4 rodadas.
#33 Leonardus Borgo Enviado : 31/12/16 17:44
Jogador: LeoPersan
EF: 48
EH: 58
Karma: 0
Lançamento 3d20=17,1,5
Quando ela se transforma, meus olhos não acreditam no que vêem, rapidamente olho em volta esperando que os outros também se transformem e nos ataquem. Revido o golpe de Na'tasha e só volto a me concentrar na luta depois de ouvir a voz de Ka'tya. Aponto a espada para o lobo à minha frente.

- Usar isso, jamais contra garota, mas contra lobo, me segurar não precisar.

Me transformo em gigante meus pés afundam na neve agora que peso 750kg e tenho mais de 5 metros de altura

- Desistir, sua melhor saída ser.

Avanço contra Na'tasha.

[off: Ataques.]
#34 Leonardus Borgo Enviado : 31/12/16 17:45
Jogador: LeoPersan
EF: 48
EH: 58
Karma: 0
Lançamento 1d20=9
[1d20][off: Resolvendo falha]
#35 samuel.azevedo Enviado : 31/12/16 18:34
#36 samuel.azevedo Enviado : 31/12/16 19:33
[1d20]
#37 samuel.azevedo Enviado : 31/12/16 19:38
10a rodada
Citação:
iniciativas: Leonardus 6, Na'tasha 2

Leonardus bate no brasão da gigacida e aponta para o céu. De repente ele e até sua arma começam a aumentar de tamanho.
Na'tasha aproveita que ele está ocupado e rola no chão apanhando a outra espada.


11a rodada
Citação:
iniciativas: Leonardus 6, Na'tasha
Leonardus, ataque com espada, coluna 12 (L12-L6+6 ataque oportuno), rolamento 17, azul, 100% de dano.
Na'tasha, ambidestria 6.
Na'tasha, ataque com cimitarra, coluna 12 (M11-M5+6 ataque oportuno), rolamento 7, amarelo, 25% - 25% da ambidestria = 0%, erro.
Na'tasha, ataque com cimitarra, coluna 12 (M11-M5+6 ataque oportuno), rolamento 2, branco, erro.

Leonardus tenta acertar Na'tasha com sua espada gigante, ela desvia mas a lâmina corta a ponta dos seus cabelos. Ela replica:

- Quer fazer um penteado ou o quê?

Então ela corre para as costas dele e tenta acertar a batata da perna dele, mas erra os dois golpes.



12a rodada
Citação:
iniciativas: Leonardus 6, Na'tasha
Leonardus, ataque com espada, coluna 12 (L12-L6+6 ataque oportuno), rolamento 1, verde, falha crítica, rolamento 9, laranja: Ataque desastroso causa 50 % de dano em si mesmo.
Na'tasha, ambidestria 6.
Na'tasha, ataque com cimitarra, coluna 12 (M11-M5+6 ataque oportuno), rolamento 11, laranja, 50% - 25% da ambidestria = 25% de dano.
Na'tasha, ataque com cimitarra, coluna 12 (M11-M5+6 ataque oportuno), rolamento 16, azul, 100% - 25% da ambidestria = 75% de dano.

Leonardus acerta sua perna com a própria espada, então Na'tasha se aproveita da situação e faz apenas um risco na perna dele, que se movia e evitou ser cortado mais profundo.



Na'tasha, EF 20, EH 0, defesa L6.

obs: Leonardus agora tem +3 no dano devido ao aumento da força.
#38 Leonardus Borgo Enviado : 31/12/16 19:50
Jogador: LeoPersan
EF: 48
EH: 58
Karma: 0
Lançamento 3d20=12,12,15
- Parada ficar pra eu mostrar

Dou uma cambalhota na direção de uma das espadas para pega-la sem abrir a guarda.

[off: Acrobacias (7), Dois Ataques]
#39 samuel.azevedo Enviado : 01/01/17 16:01
#40 samuel.azevedo Enviado : 01/01/17 16:12
13a rodada
Citação:
iniciativas: Leonardus 6, Na'tasha
Leonardus, ataque com espada, coluna 12 (L12-L6+6 ataque oportuno), rolamento 12, vermelho, 75% de dano.

Leonardus gira e abre um corte no abdomem de Na'tasha, abrindo um grande ferimento. Ela uiva de dor, larga as espadas, e diz:

- Eu me rendo!


Ainda sem se destransformar, ela permanece deitada. Fryda e Ka'tya correm para a "arena" da luta e declaram Leonardus vencedor. Ka'tya diz:

- Não se destransforme agora, poderá se ferir. Espere o ferimento regenerar.

As pessoas da primeira tribo celebram a vitória do chefe Leonardus, e ele volta ao tamanho normal. Já era possível ver o ferimento se fechando aos poucos. Em meia hora, ela já estava bem e volta a forma humana. Ela diz:

- Por um momento, eu achei que iria lhe derrotar. Mas você lutou muito bem!

//off: Cameron, role um teste de Misticismo.
//off2: farei a passagem de tempo de alguns dias de viagem, talvez até encontrarem o local da tribo dos ursos-marrons. Façam o post do desfecho desta cena e do que irão fazer na viagem.
#41 Cameron Enviado : 01/01/17 20:09
Jogador: Nironde
EF: 14
EH: 54
Karma: 43
Lançamento 1d20=2
Teste [1d20] me certifico ao que seja uma vez com que suspeitava.

misticismo.

Tento saber se por ventura em haver contato com a feiticeira se ela sabi do Garet.
#42 Leonardus Borgo Enviado : 01/01/17 20:14
Jogador: LeoPersan
EF: 48
EH: 58
Karma: 0
Grito em resposta à comemoração dos Mata-Gigantes. Olho a loba machucada, é difícil associar ela com a garota, mas ao ouvir as palavras de Ka'tya e ver seu machucado se fechando fico despreocupado.

- Fryda, de concerto eu precisar - Falo e olho para o braço machucado com um sorriso no rosto - Mas antes... - Olho em volta e grito - Ygrite, Hodor. - Assim que chegam, abraço Ygrite dou-lhe um beijo - Ficou preocupada? - Olhando para Ka'tya, Hodor e Ygrite - Viajar precisar, para Ursos Marrons, cuidar disso poder?... - Coloco o braço direito em volta dos ombros de Hodor - Conselho de guerra você presidir, nos cavalos colocar guerreiros, nossos e deles, Ka'yo talvez precisar de alguns para caçar... Vamos Fryda - Enquanto caminhamos para um canto onde Fryda possa cuidar do meu braço, grito chamando - Frost, Byte... O que vocês pensar de Ka'yo?... Confiável para Snow treinar? De vocês não duvidar, mas Ka'yo magia poder usar e Snow, magia no sangue ter... Avisar que ele presidir conselho de caçadores, vocês parte do conselho fazer... Desculpar eu, decisão mais política do que capacidade... Ele decidir se bom caçar durante dia, 80 bocas para alimentar e festa hoje, levar guerreiros que precisar, falar com Hodor... - Assim que se vão falo para Fryda - Tudo isso graças a armadura de Odor... E uma mão de Uli, mas gostaria de colocar Ka'tya presidente de feiticeiras, eles mais pessoas que a gente, quatro conselhos nós ter, dois nossos, guerra e chefe, dois deles, feiticeiras e caçadores, tudo bem pra você?... Se problema der eu ainda poder trocar presidente...

Quando Na'tasha se recupera e vem falar comigo, respondo

- Você precisar me explicar melhor o que fazer mais podem. No mamute comigo ir?... - Olho para Fryda - Tudo bem Ka'tya com vocês ir?...

Assim que Fryda termina de cuidar do meu braço me levanto, me aproximo de Na'tasha, seguro seu queixo e num misto de desafio e piada digo.

- Eu gostar de tornar luta mais interessante, se mais sorte tivesse - Olho para o braço esquerdo - Nem transformar precisar. - Termino com um sorriso.

Procuro por Cameron e caminhando ao seu lado

- Você já se decidiu se quer fazer parte do conselho junto com Fryda e Ka'tya... - Limpo a garganta - Repito Ka'tya... - Dou uma risada e continuo - Convide-a para ir no mamute com vocês.

[off: Viajando durante o dia, peço que Na'tasha me explique melhor sobre a transformação em loba, se ainda fica consciente, e as suas capacidades físicas, se há alguma exigência nas transformações, ou tempo limite. Se além desse pó cegante se sabem fazer veneno e o que precisariam para fazer em grande quantidade. Também digo que agora os Raposas Brancas terão que se acostumar com a ideia do arco.]

Durante a noite enquanto festejamos a união das tribos me levanto e peço silencio para fazer um discurso

- Nós ser hoje a maior tribo que notícias se ter. Mata-Gigantes e Raposas Brancas, unidas. Mais tribos unidas serão. Antigos nomes, sentido não fazer mais, um novo nome precisar. O novo nome nosso, precisar ser acolhedor para outras tribos e dar medo no resto... O que unir vocês?! O que em comum vocês ter?! - Abro os braços - Em volta olhar e me dizer o que ver?! Gelo, dizer os mais novos. Casa, dizer os mais velhos. Pra mim, que aqui não nascer, ainda dizer perigo... Nós não terminar como maior tribo, mas como unica tribo das geleiras, nós nos tornar a própria "Geleira"... Esse nosso nome ser, daqui pra frente... "Geleira"... E cada um?! Como se chamar?! "Gelo", "Neve"?! Não... Fryda, quantas gerações existir Alces Furiosos? - Espero que responda - Na'tasha e os Raposas Brancas, saber responder? - Espero que responda - Não ser justo apagar tudo o que até a aqui viveram... "Geleira" ser nossa tribo e "Gelo" nosso sobrenome, agora serão Raposas e Alces do Gelo... Freya... Outro brasão nós precisar... - Termino numa gargalhada

[off: Me divirto o resto da noite. Durante a viagem, uma das preocupações é ter comida estocada, continuar aprendendo a língua Rúbea e saber mais sobre os Ursos Marrons, quantos são, como combatem, se são abertos a negociação, um dia antes de chegar ao território dos Ursos Pardos dividir o grupo, deixando os que não podem lutar meio dia de viagem atras. E reunindo Ygrite, Na'tasha, Hodor, Tosho e Osho, sugiro dividir os guerreiros em dois grupos, um grupo comigo, Ygrite, Na'tasha, Cameron e as feiticeiras para uma "primeira conversa" e outro grupo, para poderem emboscar caso algo de errado. Pergunto à Ka'tya se ela pode fazer a comunicação entre os grupos, se não peço a Hodor designar um homem, provavelmente um Raposa, para fazer o papel de mensageiro.]
#43 samuel.azevedo Enviado : 02/01/17 17:52
Leonardus, Ygrite lhe responde:

- Não sou mulher de homem fraco, não me preocupei.

Frost e Byte parecem demonstrar desdém pelo caçador Ka'yo, pelo que você tem percebido com Ygrite, o desdém é um sinal de que eles o respeitam. Até que eles concordam que é o melhor para o menino ser treinado por alguém com magia. Assim, Snow é apresentado a Ka'yo como seu pupilo, e ele o recebe.

Fryda resmunga "sou a mais velha", sobre sua ideia para os conselhos, mas logo concorda com seus argumentos e cede.

Com as suas ordens, a tribo segue viagem. Os caçadores saem imediatamente para ganhar tempo. Ka´tya segue no mamute com Cameron e Fryda e seus respectivos aprendizes, e Na'tasha no seu, a chefe dos raposas-brancas diz:

- Apenas os de cabelos brancos tem o mesmo poder que eu. Não é forma de lobo, nosso totem é a raposa! Podemos nos transformar para a forma de homem-raposa, ou em raposas. Temos um pouco de resistência ao frio, tanto que não estou usando roupas de inverno, só um manto de peles sobre uma roupa branca. Mas no inverno rigoroso precisaremos de roupas mais quentes. Nós nos regeneramos rápido, como você já viu. Ah, e também podemos convocar e comandar raposas. Por isso caçamos outros animais e poupamos elas. E temos um talento natural para armadilhas e trabalhos manuais, também somos em geral um pouco mais astutos que as outras pessoas. Bom... E nosso ponto fraco é a prata, armas de prata causam ferimentos letais em nós. Não há tempo de duração da transformação, ela é quase instantânea e podemos mudar de forma a vontade a medida que aprendemos a controlar melhor nossos poderes, mas isso varia de cada um e o quanto cada um se empenhou em dominar seus próprios poderes. Nós acreditamos que este poder é um dom de Maira, que nossos antepassados chamavam de Deusa Lua, e a raposa é um totem do deus que conhecemos como Parom. Há outros tessaldarianos espalhados pelo mundo, secretamente, e cada família tem seu animal totem ligado a um deus e poderes específicos.


A noite, a tribo comemora a união comendo o que os caçadores trazem: carne, nozes e mirtilos em abundância. Fryda e Ka'tya se revezam contando histórias sobre como a tribo surgiu, com os gigantes sendo derrotados por Leonardus e os arqueiros, e como os tessaldarianos raposa foram salvos pela rainha Palidá dos domínios de um rei feiticeiro, e desde então se tornaram sua tropa secreta de assassinos.

Na'tasha explica que a tribo tem passado de geração em geração o conhecimento do treinamento na guilda dos assassinos, da força secreta de assassinos da rainha Palidá. Por isso dominam as artes de fazer e usar venenos, mas precisam coletar material para isso...

Depois de três dias de viagem na direção leste, na manhã do 30o dia do mês do talento, os batedores voltam informando que encontraram apenas destruição na caverna onde os ursos-marrons estavam vivendo. Havia sinais de combate, sangue, objetos quebrados, e as posses deles foram deixadas para trás. Mas nenhum corpo foi encontrado, exceto a de um homem que estava muito ferido a beira da morte e ainda não tinham conseguido acordá-lo. O homem estava em uma maca. Fryda é chamada e consegue estabilizá-lo, depois de um tempo ele abre os olhos e grita, em choque. Ka´tya o acalma:

- Somos todos amigos. Somos a grande tribo da Geleira, somos os mata-gigantes, os alces do gelo, e os raposas do gelo. E você, é um urso-marrom, certo? Me chamo Ka´tya, e este é nosso líder Leonardus.


//off: já deu para estudarem um pouco mais o idioma rúbeo e já dá para conversar como gente normal.
#44 Leonardus Borgo Enviado : 02/01/17 18:50
Jogador: LeoPersan
EF: 48
EH: 58
Karma: 0
[off: Ahhhh. Deixar de falar que nem o Yoda?! kkkkkk]

Quando chegamos a caverna, digo aos batedores

- Olhem em volta tentem descobrir se alguém saiu vivo daqui ou para onde foram os corpos. - Falo um pouco mais baixo para o Ka'yo - E principalmente se existem pegadas que não são de homens.

Paro de pé a frente do homem, mãos nas costas, sorrio quando Ka'tya me apresenta.

- Fique tranquilo cuidaremos de você. Agora nos conte a sua história.

Com a beleza e os encantos da Ka'tya, não há ninguém melhor para ser a nossa Porta Voz...
#45 samuel.azevedo Enviado : 03/01/17 11:14
Leonardus, o homem fala:

- Não sei há quantos dias aconteceu, com o ferimento fiquei desmaiando e acordando, hora era dia, hora era noite. Acho que o Grande Urso Glacial resolveu me poupar, mas todos foram mortos! Um feiticeiro apareceu lançando feitiços em todos e depois que as pessoas morriam ele erguia seus corpos sem vida para lutar contra os sobreviventes. Tudo foi muito rápido, eu não quis lutar contra o cadáver dos meus filhos, e eles me feriram até que eu fechei os olhos e me entreguei para a morte.

Você são interrompidos por Ka'yo:

- Muitas pessoas andaram se arrastando em direção aquela montanha, elas saíram daqui tem pelo menos uma semana! - diz, apontando para a montanha mais alta a nordeste.

Ka'tya diz:

- Aquela montanha, é terra de tribo gigante!

#46 Leonardus Borgo Enviado : 03/01/17 16:14
Jogador: LeoPersan
EF: 48
EH: 58
Karma: 0
Escuto o homem enquanto olho para o chão. As palavras de Ka'yo e Ka'tya me pegam de supetão.

- Tá uma coisa de cada vez... Primeiro. - Suspiro e coço a cabeça tentando organizar as ideias. Grito chamando - Vládia, Kilder, Osho. Já que todos morreram aproveitaremos todos os seus pertences, usem todos os que não são guerreiros, acamparemos aqui por hoje. - Olho para o Urso Marrom - Ainda não nos disse seu nome - Espero que responda - Cuidaremos de você, (NOME), se depois quiser seguir seu caminho, poderá levar o que quiser consigo... Hodor, Tosho[off: Assumindo que Na'tasha, Ygrite e Cameron já estejam próximos, senão os chamo também.] - Coço o queixo enquanto falo - Mago, necromante, nas geleiras, mata todo mundo e os usa como exército. Terseph... Ele estava só... Jamais sujaria as próprias mãos se pudesse usar alguém. Logo, ele não controla os orcos e a sua aliança ou deu errado ou nem mesmo os orcos podem saber o que ele veio fazer, isso é boa notícia... No Forte do Escudo, Terseph não usou, alias deixou os orcos matarem os gigantes no meio do caminho, então naquela montanha, ou não temos mais Terseph, o que seria muito bom, ou não temos mais gigantes o que é mais provável. Vamos conferir de qualquer jeito. Fryda, preciso de você aqui para cuidar do (NOME). Hodor, Ka'yo, chamem Hagar, Tosho e mais 10 homens, de preferência que saibam se transformar em raposa. Provavelmente não encontraremos ninguém, até onde sei Terseph ia para Gammar Tir, mas todo cuidado é pouco com esse filho da puta. Precisamos de algo para mastigar no caminho, cavalos e mantos brancos. 3 horas pra ir, 3 para vasculhar e 3 de volta, ainda quero jantar e dormir aqui. Ygrite, Ka'tya e Cameron, vêm conosco, me ajudam com a comida?

Dou uma última olhada para todos para ver se entenderam e se têm alguma objeção.

[off: Se ninguém fizer mais nenhum comentário...]

Saio e ao ver, qualquer Raposa que tenha um manto branco que me sirva e que seja quente o suficiente, troco pelo meu. Pego dois alforges com carne seca, frutas, qualquer coisa prática, para 18 pessoas. Procuro Pé de Pano, afago-o.

- Faz tempo que não nos falamos hein?! Vamos garoto.
#47 Cameron Enviado : 04/01/17 01:17
Jogador: Nironde
EF: 14
EH: 54
Karma: 43
Em reapota a Leonardus.

Como antes disse que vim atraz de Terseph mas tivemos imprecistos.
Este povo precisava de nos ate eles se afirmarem com união dentre as tribos ficaram mais fortes e com nossa ajuda teram nosso apoio.
Mas não pretenderia me delimitar apenas as fronteiras das geleiras.

Então ao que vejo uma outra visão futura de diplomacia. Em outras palavras como nos seriamos conhecidos por outras tribos a que teriamos relações diplomaticas negócios comerciais.

Mas não sei se pretendo aceitar e depois ficar preso sem ter direitos em ir e vir pois não tenho parte das raizes deste povo exceto você que tornará chefe.

Se necessário for de sair não tenho pendências aqui ate que termine ao meu serviço e estar certo que o povo pode continuar em frente.

Mas você seguiu em frente agora não sei como você ira resolver se tivermos de partir.


#48 samuel.azevedo Enviado : 04/01/17 08:56
Leonardus, o Urso Marrom chora diante da pergunta pelo nome dele, e diz:

- Meu nome morreu com meus entes queridos... Toda minha tribo morreu... A partir de hoje meu nome será apenas Urso Marrom, em homenagem aos que se foram.

Com os comandos de Leonardus, Ygrite, Cameron, Ka'tya, Hodor, Ka'yo, Hagar e mais dez batedores raposas seguem sobre cavalos brancos em direção a montanha dos gigantes. Todos vão com mantos brancos para dificultar a visão. Em quatro horas de cavalgada o grupo se aproxima da montanha, e demora duas horas para subir até um patamar onde as ruínas de uma torre existiam. A medida que se aproximam do topo, há carne derretida no chão, mas não ossos. Ka'yo diz:

- Houve luta aqui, a carne dos gigantes foi arrancada.

Ka'tya, que se afastara por um momento, se reaproxima e diz:

- Falei com Uli, ela me disse que Garet viu no espelho Terseph aqui há três dias, com um exército de mortos-vivos com cara de rúbeos. Ela não podia falar muito, mas disse que ela e Garet vão transportar seus amigos para a ruína do sudeste para surpreender Terseph.

Cameron e Leonardus, rolem observar e escutar.
#49 Leonardus Borgo Enviado : 04/01/17 10:21
Jogador: LeoPersan
EF: 48
EH: 58
Karma: 0
Lançamento 2d20=18,17
Enquanto cavalgamos Cameron me aborda medito um pouco sobre o assunto depois respondo

- Digamos que eu vivo um dia de cada vez, hoje temos Terseph como alvo, ele está fazendo alianças e montando exércitos, acredito termos mais chances se fizermos o mesmo. Acredito realmente que da união vem a força, por isso espero que a união entre as tribos dure depois que tudo for resolvido. Seria muito bom que essa união ultrapassasse as geleiras, mas já será uma grande dor de cabeça unir talvez 10 ou 20 tribos em uma só, sem falar dos Lazulis. Quanto à partirmos, tenho algumas opções, inclusive a de não ir. - termino sorrindo

Nas montanhas...

- Merda! 13 dias?!... Transportar?!... Bom, você sabe a quanto tempo de viagem estamos dessas ruínas do Sudeste? Provavelmente não chegaremos a tempo, mas se pudermos saber se tem mais ruínas e onde estão, podemos traçar uma rota para intercepta-lo caso fuja. Ele estava só, antes dos Ursos Marrons, então essa tem que ser a primeira ruína que visitou.

[off: Observar e escutar. Se puder, depois que Ka'tya me responde, uso as botas para subir e ver melhor os arredores.]
#50 samuel.azevedo Enviado : 04/01/17 11:17
Ka'tya responde:

- Treze dias não, apenas três! Não sei quantas torres há, ela não me disse mais que isso. Mas sei que há uma ruína parecida se voltarmos pelo caminho que viemos e formos todo o caminho na direção oeste. Daqui até a torre oeste ou daqui até a torre sudeste devem ser dois meses na velocidade em que estamos, ou o dobro se ele estiver indo a pé.


Então Leonardus usa as botas e flutua até o céu, para admiração dos rúbeos que ainda não tinham visto este poder. Do alto, você enxerga uma manada de mamutes há poucas horas um pouco mais a leste. E ao olhar para a torre, para seu horror você enxerga muitos corpos de rúbeos esmagados e quebrados no chão, e três esqueletos de gigantes se movendo dentro da ruína.
#51 Leonardus Borgo Enviado : 04/01/17 15:23
Jogador: LeoPersan
EF: 48
EH: 58
Karma: 0
Lançamento 1d20=11
Arregalo os olhos à resposta de Ka'tya

- Porra! Tudo isso?!

Sem esconder o espanto desço, mas não encosto os pés no chão. Sem tirar os olhos das ruínas, falo, baixo.

- O mais provável se confirmou, não temos mais gigantes. Esse lugar era pra ter uma tribo de gigante não é?... Talvez Terseph esteja viajando em cima dos seus esqueletos, se não entenderam fiquem tranquilos, ele deixou um pra traz pra "explicar"... Merda! Isso é hora da Uli não poder falar?! - Olho para Ka'tya e Cameron - Terseph já fez o que tinha que fazer, vocês acham que conseguem tirar alguma informação dessas ruínas?... Eu vou dar uma olhada por cima, se achar algo que valha a pena eu grito, mesmo que ouçam barulhos eu vou ficar fora de alcance - Olho para as botas - Vão com cuidado, aqueles que se transformam em raposas, se transformem antes de entrar, e vão na frente, sua cura é um trunfo.

Eu começo a subir novamente, mas paro, olho para o corpo da Ka'tya, para o corpo da Ygrite, me detenho na cara de Ygrite olho para as ruínas.

Droga! Eu nem sei o que eu devo procurar... Ka'tya saberia... Ela deve ser mais leve do que Ygrite... Quanto a Ygrite vai ficar brava com isso?!... Droga! Mas eu nem sei o que eu devo procurar...

Suspiro e por fim falo, tentando parecer firme, mas com medo da reação de Ygrite.

- Eu não entendo dessas coisas de magia. Ka'tya, vou levar você nas minhas costas para poder passar as informações para Uli

Me aproximo de Ka'tya, viro de costas e abaixo para ela poder subir.

[1d20][off: Observar. Quero saber se tem salas com teto, algo que pareça com uma estante, outros caminhos para chegar as ruínas. Basicamente quero saber se vale a pela entrar nas ruínas e se tem algum jeito de evitar o esqueleto do gigante.]
#52 samuel.azevedo Enviado : 04/01/17 21:40
- Acho que seria pesada demais para ir nas suas costas. Tenho uma ideia melhor, sou a única com o poder da linguagem e o poder da transformação. Me carregue transformada em raposa falante.

Então ela se transforma em uma pequena raposa branca e você a carrega nos seus braços enquanto sobrevoa a torre. Não havia apenas um esqueleto gigante, mas alguns em volta da torre e outros três na cobertura. Os batedores raposas brancas se tornam em raposas e passam pelos esqueletos sem dificuldade.

Leonardus, Observar 4, rolamento 11, amarelo, fácil.

Você procura ver algo pelas janelas, mas os monstros o notam e o afugentam balançando tacapes gigantes. No interior era mais escuro e você não conseguia ver. Todos os esqueletos gigantes começam a andar em sua direção. São ao todo 5 no solo ao lado da torre, e 3 no topo, que tentam acertá-lo com pedras das ruínas. A raposa falante nos seus braços grita:

- Só vi uma escadaria lá dentro. Me tire daqui! Não quero ser esmagadaa!

#53 Leonardus Borgo Enviado : 05/01/17 14:19
Jogador: LeoPersan
EF: 48
EH: 58
Karma: 0
[off: Se conseguir passar Ka'tya pelas janelas...]

Corro subindo pela torre

Ela vai me odiar por isso

E passo a raposa pela janela mais alta.

- Você ficará segura. Procure e desça.

Me afasto tirando o manto branco que uso e seguro nos braços para que pareça que ainda estou com ela nos braços, observo os 3 esqueletos no terraço até que parem de tacar pedras

[off: Se fizerem menção de descer a torre volto até a torre para pegar Ka'tya. Se as janelas tiverem grades ou forem pequenas demais...]

Me afasto segurando Ka'tya para que a entrada fique livre para os batedores raposas entrarem.
#54 samuel.azevedo Enviado : 05/01/17 16:18
Não era possível passar Ka'tya pela janela, pois sempre que se aproximava os esqueletos gigantes tentavam lhe acertar do chão ou do alto da torre. Então você a põe no chão e continua distraindo os esqueletos, que se afastam enquanto os homens raposa e os outros batedores entram pela porta da frente. Mesmo sem o manto branco, você não sentia frio graças ao poder se sua armadura encantada.

Agora restava fazer você entrar nas ruínas e se reunir com os outros...
#55 samuel.azevedo Enviado : 05/01/17 16:33
Ygrite grita, de dentro da torre:

- Os rastros de sangue seguem para uma passagem secreta no subterrâneo!
#56 Leonardus Borgo Enviado : 05/01/17 17:17
Jogador: LeoPersan
EF: 48
EH: 58
Karma: 0
Grito de volta

- Entrem na passagem, quando eu for os Gigantes irão também. Cameron feche a passagem!

Espero algo entre 2 e 3 minutos, levando os Gigantes mais para longe da torre ainda. Depois volto correndo a toda velocidade para a torre
#57 samuel.azevedo Enviado : 06/01/17 19:15
Como esperado, os gigantes são atraídos por Leonardus, e os que estão no alto da torre também saltam e correm em direção a ele.
Leonardus se afasta o suficiente e flutua sobre um abismo enquanto os monstros o seguem, caindo e se desmanchando com o impacto! Então o guerreiro volta, tranquilamente, para a torre.

No interior, a maioria já havia descido e Ygrite aguardava ao lado de Cameron, para o mago "fechar a porta" antes que o grupo descesse.
#58 Cameron Enviado : 07/01/17 14:22
Jogador: Nironde
EF: 14
EH: 54
Karma: 43
Lançamento 1d20=16
Cameron e Leonardus, rolem observar e escutar
__ [1d20].

Não irei baixar a guarda fico atento.

#59 Cameron Enviado : 07/01/17 14:31
Jogador: Nironde
EF: 14
EH: 54
Karma: 43
Adendo ao pedido de fechar a porta.

A nos manter seguros.

Me certifico se necessário em trancar.

#60 samuel.azevedo Enviado : 07/01/17 19:34
Por segurança, Cameron fecha a entrada da torre com sua magia de geomanipulação. E todos descem uma escadaria subterrânea por mais de uma hora. Ka'tya e Ka'yo carregavam uma tocha cada, e Cameron vinha iluminando atrás com sua varinha.

Até que chegam em uma ampla sala com uma espécie de engenho de moinho d'água no centro. As paredes são brancas com detalhes dourados e há quatro nichos em quatro cantos da sala, um deles tem a porta por onde entraram. Ka'yo retira o manto pois ele e os homens raposa já reclamavam que sentiam calor, então ele aponta para um dos nichos:

- A trilha de sangue seco vai até aqui.




Além do engenho no centro, havia uma espécie de púlpito ao lado da mesa, com um relógio com apenas um ponteiro, e uma alavanca ao lado do relógio.
Usuários visualizando este tópico
Guest (16)
3 Páginas <123>
Ir para o Fórum  
Você não pode adicionar novos tópicos neste fórum.
Você não pode responder a tópicos deste fórum.
Você não pode excluir suas participações deste fórum.
Você não pode editar suas participações neste fórum.
Você não pode criar enquetes neste fórum.
Você não pode votar em enquetes neste fórum.

YAFPro Theme Created by Jaben Cargman (Tiny Gecko)
Powered by YAF | YAF © 2003-2009, Yet Another Forum.NET