Bem-vindo Convidado Pesquisar | Atividades no Fórum | Entrar | Registrar

Interlúdio - Noite na Taberna Opções
#1 samuel.azevedo Enviado : 01/11/16 10:44
//OFF: Estou aguardando o pessoal evoluir as fichas antes de começar a parte 03. Para não perdermos tempo vou deixar aqui aberto a interpretação da última noite na taberna do porco espinho, ou postar ações pendentes da última tarde.



Citação:
Era perto de 10 da noite, vocês já precisavam ir dormir para acordar muito cedo no dia seguinte. Mas todos estão no salão da taberna, terminando o jantar que fora oferecido pelo taberneiro em agradecimento por terem ajudado a salvar a cidade. Leonardus parecia um ímam de mulheres. Aqui elas não eram meretrizes, eram todas guerreiras ou comerciantes. E até algumas sacerdotizas de Blator, incluindo Clemildes, coravam com as investidas do belo. Algumas são tão agressivas nas investidas que chegam a beliscar o bumbum dele e mordiscar a sua orelha.


#2 Borr Mythigar Enviado : 01/11/16 13:01
Jogador: Carlos Azevedo
EF: 33
EH: 64
Karma: 22
No templo de Blator falando com Clemildes. Conto os acontecimentos e também que o livro de magia está com Galdor. (digo isso pois sei que a bruxa estava com um livro na mão, e imagino que seja o mesmo livro, já que não encontrei mais nada dela, que estava com o mago e agora com Galdor.

Peço orientação para saber se a espada que peguei é mágica e no caso de positivo qual o poder. Dependendo do que ela disser e do poder da espada, tentarei ver se o templo possui um machado crescente de igual poder ou similar.
Irei tentar a sorte e vender a joia que está comigo. Se não me engano tenho cavalo, mas se não tiver irei comprar um normalmente usado pela tribo que seja jovem, forte e veloz para eu mesmo treinar com o tempo. Uma armadura de couro rígido, ração para viagem, e mantimentos.
Irei falar com o caçador que irá me ensinar que irei com eles, mesmo que não seja chamado para seguir com Galdor.

Também irei falar com Val e prestarei as homenagens.
#3 samuel.azevedo Enviado : 01/11/16 14:09
Borr, Jefer recebe a espada e a analisa para você. Você sai ao mercado e vende a joia por 9 mo. No começo da noite ele lhe entrega a espada na taverna, e diz:

- Esta espada estava entre outros objetos de cobre que foram corroídos pelo tempo, e por isso parecia maior e em formato diferente ao dela. Quando limpei, notei que ela era uma cimitarra de cobre e tinha apenas se tornado esverdeada mas estava em perfeito estado. O nome dela é Clamor dos Sinos, pelo que li nas runas em sua lateral. E ela é uma espada com magia leve. Ela também causa danos sonoros, e tive a seguinte revelação ao fazer o ritual para identificá-la:

Ele lhe explica isto aqui.

Você não conseguiu encontrar mais Clemildes para perguntar se era possível trocar por algum item dela. E sim, você já tinha um cavalo comum.
#4 Garet, O Vingador Negro Enviado : 01/11/16 14:27
Jogador: Marcelo Villanova
EF: -18
EH: 0
Karma: 14
Conto para Jorel a história do cálice que Sagae me contou e peço a opinião dele.
Depois vou dormir.
#5 samuel.azevedo Enviado : 01/11/16 14:31
Marcelo Villanova escreveu:
Conto para Jorel a história do cálice que Sagae me contou e peço a opinião dele.
Depois vou dormir.


Jorel lhe diz:
- Isto é mais da alçada de Jefer.

Então, Jefer lhe pergunta:

- Este cálice deve ser um artefato muito poderoso. O povo Tar Omon é conhecido por ter sido o povo mais avançado em magia entre os bárbaros antigos. Pelo que você descreveu, ele deve transformar os aliados dela em seus parentes. Mas me pergunto se você se tornaria um meio-elfo ou um elfo se bebesse dele o sangue de um elfo. Ou se algumas pessoas misturassem seus sangues e bebessem em uma espécie de pacto, o que elas se tornariam? Todas irmãs?

Então, ele fica mais preocupado, e diz:

- E o que aconteceria se bebesse o sangue de um ser místico, como um dragão ou uma fada? Ou um ser divino, como um anjo?! Ou o que aconteceria se ela bebesse o sangue de demônios neste cálice?!

Você sai com estes questionamentos em mente, e se retira para dormir.
#6 Soturno Abascal Enviado : 01/11/16 18:39
Jogador: Térom Lanister
EF: 34
EH: 61
Karma: 27
Jogo fora os farrapos da armadura velha que usei em combate. Visto o Manto da Evanescência, com o lado preto para fora, sobre minhas vestes pesadas de coveiro. Ostento meu símbolo sagrado por cima dele. A partir de hoje eu também sempre levarei o punhal de prata comigo e passarei a usar ele escondido nas costas, sob o manto e preso ao cinto.

Deixo todo o resto do equipamento em meu quarto, exceto a espada e a poção de Cura Completa, que eu amarro o frasco na bainha da espada como se fosse um penduricalho, e trago comigo por precaução. Deixo a espada embainhada e encostada na mesa que eu estiver.

Por ter absorvido certa carga de ânimo do ritual de NECROPOTÊNCIA (+15 de EF) eu fico no local, mesmo estando muito, muito ferido (EF=5). Deixo a cabeça descoberta. Como, bebo e falo somente se alguém falar comigo. Fico atento às conversas alheias e à movimentação do local.
#7 Leonardus Borgo Enviado : 01/11/16 19:56
Jogador: LeoPersan
EF: 48
EH: 58
Karma: 0
Todas belas, cada uma a sua maneira, tantas histórias, tantas personalidades, fica difícil escolher...

Como a oferta é farta, o melhor é dividir o pão e fazer mais corações felizes, entre mentiras, piadas, cantadas e cervejas, procuro por olhos de homens nos olhando nas mesas em volta, tento inclui-los, perguntando sobre seus feitos, incentivando-os a cantarem, contarem piadas ou qualquer coisa do tipo...

Meus olhos param em Abascal, com uma expressão preocupada e tensa...

Esse cara estranho de novo?!... Ignoro-o?... Talvez companhia o faça melhorar essa cara...

Paro bem atrás de Abascal, aperto-lhe os ombros, talvez mais forte do que deveria:

- Esse minhas queridas... esse é o homem com as histórias mais incríveis que já conheci, não se deixem enganar por essa expressão calma, esse homem é um animal - Termino a frase arranhando o ar e com uma piscadinha, tentado ser engraçado e mudar a conotação da frase - Conte para elas aquela história - Tento faze-lo se levantar para poder falar com mais confiança, me mantenho ao seu lado, com o pé direito sobre uma cadeira - Aquela história de que rimos tanto hoje a tarde... Que você se disfarçou de ladrão para se infiltrar e achar o covil do bando... como era mesmo o nome que você inventou?

Espero, tentando não aparentar nervosismo, uma história criativa. Enquanto tento escolher entre as moças, a mais difícil/enigmática, a mais bela ou as duas mais assanhadas, juntas, seguindo essa ordem de preferência.
#8 Gáldor Tinúviel, o Sombrio Enviado : 01/11/16 20:43
Jogador: saulocr
EF: 84
EH: 132
Karma: 36
Declino da proposta do homem, guardo a cota de malha elfíca e pago pela couraça parcial, as 10 moedas de ouro, pago mais 15 moedas de prata por um escudo grande, negocio o punhal que comprei, quero trocar por uma armadura de couro rígido. restará 4 moedas de prata e 2 de cobre.

Já mais tarde da noite antes de descer para o salão da taverna visto a couraça parcial, coloca a espada caçadora, presa ao cinto do tamanho de um punhal, pego o livro que estava com Tersep, desço as escadarias, quando lá embaixo. Passo o olhar rapidamente nos sujeitos ali presente, deixo-os com seus prazeres mundanos, mas faço um breve aceno para clériga de Blator. Ando em direção a saída da taverna quando estiver em ambiente natural, saco o punhal levo ergo até que a empunhadura esteja na altura dos meus olhos e pronuncio "Espada Caçadora me releve onde está Tersep". Quando eu tiver a intuição, volto para a taverna, indo imediatamente para onde estava Clemildes. "Eu salvei sua cidade, agora cumpra sua parte do acordo. Onde está o rastreador que me servirá? Partirei imediatamente".


#9 Soturno Abascal Enviado : 02/11/16 00:28
Jogador: Térom Lanister
EF: 34
EH: 61
Karma: 27
Quando Leonardus me provoca eu levanto e falo em malês, com tom de voz de quem está cansado e machucado:

- Deixe-me em paz, seu maluco falastrão! Somente os sacerdotes de Lena farreiam.

Visto o capuz em minha cabeça, demonstrando introspecção, e saio de perto dele, levando minha espada. Ando pelo salão e fico atento às movimentações e conversas em que ocasionalmente Tersep e Lori possam ser o assunto.

Ao ver a movimentação de Gáldor, eu volto minha atenção para a resposta da sacerdotisa e me aproximo retirando o capuz, para possivelmente ser convidado para entrar na conversa.
#10 samuel.azevedo Enviado : 02/11/16 04:54
Leonardus Borgo:
Citação:
As mulheres parecem se divertir com suas histórias. Quando você provoca o sacerdote algumas delas riem, as sacerdotisas de Blator ficam sérias momentaneamente quando ele menciona que apenas os sacerdotes de Lena farreiam. A portentã Clemildes se aproxima de vocês, e diz:
- Há tempo para guerra, e tempo para celebrar a vitória. Divirtam-se.

Leonardus, role um teste de Sedução.

Gáldor Tinúvial:
Citação:
A clériga de Blator lhe cumprimenta de volta. Então você sai da taberna e se dirige até o campo ermo ao lado da cidade, cenário da batalha na noite anterior. Ao erguer o punhal diante de seus olhos, ele aumenta ao tamanho da montante. A guarda também fica maior de forma que as duas extremidades se enroscam ao redor de seus olhos enquanto você diz as palavras: "Espada Caçadora me releve onde está Tersep".
Você tem uma visão, seus sentidos se dirigem para o sul, entre as montanhas da geleira, você vê um homem em meio a muita neve. Então você volta para a taberna e procura Clemildes, mas já havia se passado algum tempo e ela não estava no mesmo lugar.

Gáldor, role um teste de Observar.

Soturno Abascal:
Citação:
Você se cobre com o capuz da evanescência, e fica em um canto da taberna. Depois de um tempo você se dá conta que as pessoas parece que não estão lhe notando entre elas. Algumas se sentam em uma mesa próxima, pela postura, elas parecem conversar obscenidades mas não dá para ter certeza porque você não conhece o idioma.

Soturno, role um teste de Ações Furtivas.
#11 Soturno Abascal Enviado : 02/11/16 07:53
Jogador: Térom Lanister
EF: 34
EH: 61
Karma: 27
Lançamento 1d20=3
#12 Gáldor Tinúviel, o Sombrio Enviado : 02/11/16 09:37
Jogador: saulocr
EF: 84
EH: 132
Karma: 36
Lançamento 1d20=7
#13 Leonardus Borgo Enviado : 02/11/16 10:49
Jogador: LeoPersan
EF: 48
EH: 58
Karma: 0
Lançamento 1d20=5
#14 Leonardus Borgo Enviado : 02/11/16 10:59
Jogador: LeoPersan
EF: 48
EH: 58
Karma: 0
Fico olhando-o sair, visivelmente desconcertado

Maldito sem graça...

Volto a minha atenção às garotas, com uma gargalhada, um pouco forçada e um pouco realmente rindo de mim mesmo. Ao ouvir Clemildes, abro um largo sorriso, pego uma caneca de cerveja, ou vinho, próxima, talvez a minha, talvez a de Abascal, qualquer uma serve a levanto em posição de brinde:

- É disso que eu sempre falo. Um brinde à Clemildes [off: Julgando que eu realmente sei o nome dela, senão troque "Clemildes" por "Diversão"]

Volto à tática anterior, procurando a garota certa e convidando homens mais receptivos para a conversa
#15 samuel.azevedo Enviado : 02/11/16 11:48
Leonardus Borgo
Citação:
Sedução 4, rolamento 5, branco, rotineiro.

Depois do brinde, Diversão sai do recinto. Parece que ela não estava mais interessada em continuar ali ou talvez tenha se ofendido com alguma investida mal sucedida.

Alguns de seus gracejos soam exagerados demais para boa parte das mulheres, e elas não lhe levam a sério, mudando a atenção para os outros homens que você convidava para beber com vocês. Exceto uma bárbara alta e musculosa, vestindo uma armadura de placas. Aparentemente ela não entende nada do que você fala. Entre algumas canecas ela enfia a mão em suas calças e aponta para uma porta à guisa de convite.



Gáldor Tinúviel
Citação:
Observar 6, rolamento 7, amarelo, fácil.
Você procura um pouco, mas não encontra Clemildes nem na taverna nem no templo de Blator. Talvez só lhe reste dormir e esperar o rastreador pela manhã cedo como informado por ele no dia anterior.


Soturno Abascal
Citação:
Ações Furtivas 5, rolamento 3, branco, rotineiro, +1 nível bônus do manto mágico, amarelo, fácil.
Você se aproxima cuidadosamente de outra mesa para tentar ouvir a conversa, mas as pessoas o notam e se assustam com sua aproximação. Um dos bárbaros se levanta e diz algo em voz alta, em zumi.




#16 Gáldor Tinúviel, o Sombrio Enviado : 02/11/16 14:00
Jogador: saulocr
EF: 84
EH: 132
Karma: 36
Me recolho para meu quarto, tempo bloquear as portas e janelas com cadeiras, mesas ou algo que faça algum barulho, tento dormir.
#17 Cameron Enviado : 02/11/16 21:22
Jogador: Nironde
EF: 14
EH: 54
Karma: 43
Lançamento 1d20=20
Procuro me acolher um pouco mais cedo para refletir nos acontecimentos, agradeço a hospitalidade do taberneiro e sendo ele o cozinheiro presto um elogio a comida e seu estabelecimento.
Notando que ele esteja ocupado pergunto:
O nome dele e me apresento.
- Se possível e que não o incomode da boa hospitalidade o sr poderia em separar uma marmita para o dia seguinte pra viagem, por favor.
Felizmente irei me retirar mais cedo pois o dia fora muito difícil pra mim por saber das perdas não estou com clima de comemoração pois não me conformo com que ocorreu.
Mas demonstro com indignação mas me contenho dando um suspiro profundo...

Depois disso me retiro coloco uma cadeira para barrar a passagem da porta e tranco as janelas e procuro me recuperar Karma.

[1d20]


#18 Soturno Abascal Enviado : 02/11/16 22:56
Jogador: Térom Lanister
EF: 34
EH: 61
Karma: 27
Vendo que ninguém tratará de assuntos de meu interesse no salão eu vou dormir.
#19 Borr Mythigar Enviado : 03/11/16 00:09
Jogador: Carlos Azevedo
EF: 33
EH: 64
Karma: 22
Desculpe a demora.

Ao me explicar sobre os poderes do gládio.
Zumi:
Bela história esta espada tem. Agradecido. Como não me cobrou também não perguntarei a não ser que venha me cobrar.

No mercado compro: (preços do livro para facilitar página 99)
Armadura de couro rígido (8mp);
Machadinha (6mp);
Ração para viagem por 1 semana (3mp);
Ração para animal saco médio 3 dias (5mc);
Tocha (10) (3mp);
Lanterna direcional (8mp);
Gancho de 3 pontas (1mo);
Alforge para montaria (12mp);
Total: 5mo / 5mc;


Em seguida guardo o que consegui comprar e sigo para a taverna comemorar com os outros. Faço um pequeno espetáculo com o Skoll para divertir quem estiver mais próximo.
#20 Borr Mythigar Enviado : 03/11/16 00:14
Jogador: Carlos Azevedo
EF: 33
EH: 64
Karma: 22
Lançamento 1d20=13
Esqueci, tentarei barganhar se necessário for,

Barganha (2)
[1d20]
#21 samuel.azevedo Enviado : 03/11/16 00:22
[1d20]
#22 samuel.azevedo Enviado : 03/11/16 00:25
Borr, barganhar 2, rolamento 13, laranja, médio. x Comerciante, barganhar 5, rolamento 6, branco, rotineiro. = diferença de 2 níveis de dificuldade.

Borr encontrou um comerciante da sua tribo conseguiu barganhar bem e teve 20% de desconto.

Com exceção de Borr, que foi dormir no alojamento de sua tribo, o restante estava hospedado no Porco Espinho e foi dormir. Todos menos Leonardus, que ficou farreando a noite toda com a bárbara musculosa. A noite foi o suficiente para recuperarem a EH e os místicos recuperarem seu karma.
Usuários visualizando este tópico
Guest
Ir para o Fórum  
Você não pode adicionar novos tópicos neste fórum.
Você não pode responder a tópicos deste fórum.
Você não pode excluir suas participações deste fórum.
Você não pode editar suas participações neste fórum.
Você não pode criar enquetes neste fórum.
Você não pode votar em enquetes neste fórum.

YAFPro Theme Created by Jaben Cargman (Tiny Gecko)
Powered by YAF | YAF © 2003-2009, Yet Another Forum.NET