Bem-vindo Convidado Pesquisar | Atividades no Fórum | Entrar | Registrar

2 Páginas <12
Responder...
Profissão - Bárbaro - Para Avaliação Opções
#31 Ewerton Enviado : 23/04/15 16:49
Quando me referi a bárbaro não estava falando das figuras históricas que destruíram cidades romanas, eu me referi a mitos, lendas e historias.

Outra coisa, Bárbaros (ou bersekers) tem que ser de uma profissão exclusiva!

Mais ideias...

técnica de Combate

Ruína dos titãs: As montanhas e colinas assentadas por comunidades barbaras sempre foram assoladas por criaturas gigantescas, como Trols, Ciclopes, Vermes de gelo e até Dragões. No passado tribos inteiras foram escravizadas por essas desprezíveis criaturas e embora hoje estejam livres, o ódio e rancor que nutrem por seus antigos algozes é imenso. Além da magoa pelo passado, todo Bárbaro considera uma gloria imensa derrotar uma criatura que tem o dobro, ou ate mesmo o triplo de seu tamanho!Um feito de bravura que garante a qualquer combatente um lugar de destaque entre seus ancestrais! Em ambos os casos, caçadas periódicas são realizadas para banir tais ameaças das proximidades, e é comum que alguém desse povo saiba como combater adequadamente tais oponentes.

Beneficio: Brandindo armas adequadas um Bárbaro consegue empregar mais força em seus golpes contra criaturas gigantes do que outros personagens. Para usufruir dos benefícios desta habilidade o Bárbaro deve empunhar uma arma de duas mãos pesada (Montante, Machado de guerra, etc...) ou Lança pesada ( Lança pesada, lança de cavalaria, etc...). Além disso, ele deve possuir ao menos 1 nível na habilidade Acrobacias e na técnica de combate Carga, para combinar uma investida poderosa com um grande salto. O oponente deve estar posicionado a pelo menos 3 metros do Bárbaro, pois essa é a distância minima para que o salto tenha os efeitos esperados.

Para realizar esse feito o jogador deve ser bem sucedido em uma rolagem de ataque utilizando 1/2 do valor da técnica de combate Carga + 1/2 do valor de sua habilidade Acrobacias como bônus no total da coluna de resolução da rolagem de ataque. Uma rolagem bem sucedida significa que o personagem pode percorrer a distância com um salto horizontal e terminar adjacente a criatura de tamanho superior ao seu, disferindo um golpe avassalador!

Ao causar 50% de dano em golpe certeiro em uma criatura de tamanho maior que o do personagem, o jogador deve acrescentar o dobro do valor do atributo força ao dano. Ao causar 75% de dano em golpe certeiro em uma criatura de tamanho maior que o do personagem, o jogador deve acrescentar o triplo do valor do atributo força ao dano. Ao causar 100% de dano em golpe certeiro em uma criatura de tamanho maior que o do personagem, o jogador deve acrescentar o quadruplo do valor do atributo força ao dano. Se o personagem acertar diretamente a Energia Física da criatura ela recebera o dano com o ajuste quadruplicado do valor no atributo força e a mesma não poderá realizar qualquer ação durante a próxima rodada, pois esta abalada por um dor lancinante.

Uma rolagem mau sucedida significa que o personagem percorreu a distância com um salto e terminou na posição adjacente a criatura, no entanto esta derrubado no chão e não poderá realizar nenhuma ação na próxima rodada a não ser se levantar. Se o Bárbaro se afastar novamente da criatura gigante ele poderá, em uma próxima rodada realizar uma nova tentativa de execução deste habilidade.

Só para inspirar a galera!!!

























#32 Fábio_CM Enviado : 23/04/15 20:31
A ideia de mistificar o bárbaro é só uma sugestão. Mas eu acho que tem tudo a ver com a novo tipo.

Não concordo que você deva usar os Vikings como exemplo. Eles nem de longe são o que se espera de um bárbaro para o RPG (embora Berserker tenha essa origem :P). Os Vikings usavam ótimas armaduras, eram organizados e um dos povos mais avançados em navegação na história. Não parece o bárbaro que queremos.

A descrição do Ewerton parece levar em conta isso: bárbaros ou berserkers como um guerreiro selvagem.

Além disso, se colocarmos habilidades especiais que necessitem karma, criamos uma profissão que tem o foco principal na aura e no físico - combinação diferente de todas que já temos até agora.

Se formos pensar em bárbaros, creio que as melhores inspirações seriam povos como os Aztecas, os Zulus, os Persas...
#33 ernani Enviado : 23/04/15 21:43
Fábio_CM escreveu:
A ideia de mistificar o bárbaro é só uma sugestão. Mas eu acho que tem tudo a ver com a novo tipo.

Não concordo que você deva usar os Vikings como exemplo. Eles nem de longe são o que se espera de um bárbaro para o RPG (embora Berserker tenha essa origem :P). Os Vikings usavam ótimas armaduras, eram organizados e um dos povos mais avançados em navegação na história. Não parece o bárbaro que queremos.

A descrição do Ewerton parece levar em conta isso: bárbaros ou berserkers como um guerreiro selvagem.

Além disso, se colocarmos habilidades especiais que necessitem karma, criamos uma profissão que tem o foco principal na aura e no físico - combinação diferente de todas que já temos até agora.

Se formos pensar em bárbaros, creio que as melhores inspirações seriam povos como os Aztecas, os Zulus, os Persas...


---

Ué, mas "Berserker" é com se chama a infantaria Viking, que usava de ferocidade e raiva no combate (e, talvez, uns cogumelos do Mario, rs). Quer dizer "sem camisa" ou "em peles de urso"... é a figura do "Bárbaro de RPG", retratado em tantos outros sistemas. Se viu Vikings, o Rollo e o Bjorn são exemplos clássicos.

Essa história que utilizam "ótimas armaduras" é bem controversa, mas eram sim ótimos navegadores e construtores de barcos.

E acho que Persas poderiam ser uma boa inspiração para fazer uma classe de Guerreiros Nômades do Deserto., o resto eu realmente não sei. Quando penso em bárbaro não me vêm zulus ou astecas em mente.

Mas, no final das contas, tanto faz, já que seria gerada uma profissão que não seria exatamente igual a nada da história do nosso mundo. É só uma fonte de inspiração para se ter o "Bárbaro do RPG", com elmo aberto de chifrinho e tudo... rs

Meu grande porém aqui é em relação a atrelar as habilidades a "magia". Não há necessidade disso e, por exemplo, a "Fúria" é retratada como uma "habilidade bárbara", que é "ensinada" aos Gladiadores... está no Livro de Regras. Se criar um background mágico pro Bárbaro vai contradizer isso.

As coisas mais "sobrenaturais" nos bárbaros são a fúria em combate, a resistência para lutar além dos limites e a intimidação. Isso tudo já existe como habilidades de combate.
#34 Fábio_CM Enviado : 23/04/15 23:08
Isso se você considerar que eles estão fazendo magia apenas porque estão gastando Karma. A interpretação pode ser apenas da execução de uma habilidade sobrenatural.

A definição de karma em Tagmar nunca foi totalmente esclarecida, mas é certo que ele é muito mais do que "energia para fazer magia". O karma do conhecimento, por exemplo, utiliza a energia do próprio mago. A do alquímico, as forças do próprio corpo físico de "seres". Com os bárbaros isso poderia ser semelhante, mas a energia viria de si mesmo, e se manifestaria na forma de uma habilidade sobrenatural, instintiva.

Colégio do Conhecimento escreveu:
Os membros do Colégio do Conhecimento encontram seu poder místico na sua própria força de vontade. Seu treinamento místico e estudos lhes deram a capacidade de juntar a energia espiritual remanescente no universo e transformá-la em energia mística.

Colégio Alquímico escreveu:
O poder da Alquimia consiste em manipular as forças de constituição da matéria e a energia corpórea dos seres.


Não acho que contradiga o fato de existir uma habilidade de fúria para gladiadores. Os guerreiros podem ter imitado os bárbaros da forma que souberam e puderam... com técnica, não com instinto.
#35 ernani Enviado : 23/04/15 23:37
Fábio_CM escreveu:
Isso se você considerar que eles estão fazendo magia apenas porque estão gastando Karma. A interpretação pode ser apenas da execução de uma habilidade sobrenatural.

A definição de karma em Tagmar nunca foi totalmente esclarecida, mas é certo que ele é muito mais do que "energia para fazer magia". O karma do conhecimento, por exemplo, utiliza a energia do próprio mago. A do alquímico, as forças do próprio corpo físico de "seres". Com os bárbaros isso poderia ser semelhante, mas a energia viria de si mesmo, e se manifestaria na forma de uma habilidade sobrenatural, instintiva.

Colégio do Conhecimento escreveu:
Os membros do Colégio do Conhecimento encontram seu poder místico na sua própria força de vontade. Seu treinamento místico e estudos lhes deram a capacidade de juntar a energia espiritual remanescente no universo e transformá-la em energia mística.

Colégio Alquímico escreveu:
O poder da Alquimia consiste em manipular as forças de constituição da matéria e a energia corpórea dos seres.


Não acho que contradiga o fato de existir uma habilidade de fúria para gladiadores. Os guerreiros podem ter imitado os bárbaros da forma que souberam e puderam... com técnica, não com instinto.



Não sou, em linhas gerais, contra o que você está falando. Por exemplo, quando o Monge entrar em discussão, acredito que certas habilidades que ele utiliza terão que utilizar karma, para substituir a questão do chi. O problema aqui é que se quer emular coisas que já são consideradas habilidades treináveis e "comuns" e o bárbaro nunca foi considerada uma classe mística ou com alguma ligação com o plano espiritual/sobrenatural.

De repente algum coordenador tem que jogar a luz sobre isso aí... mas tá passando da hora de ser definir se:

1. Bárbaro é ambientação ou;
2. Bárbaro é especialização ou;
3. Bárbaro é profissão.

Definindo isso, acho que fica mais fácil trabalhar. Se for só ambientação, estamos todos perdendo tempo aqui; se for especialização é só escolher 5 habilidades de combate; se for profissão há liberdade para mexer em pontos de combate, pontos de arma, se é usuária de magia ou não, pontos de EH, se terá especializações ou o que valha, etc.
#36 Ewerton Enviado : 24/04/15 00:57
Ernani, Tagmar pode mais meu caro!

O Sistema de regras pode/deve ser expandido e os jogadores estão ansiosos por novidades criativas. Você mesmo disse que não dá para encaixar todos os arquétipos de fantasia medieval nas profissões básicas sem "forçar a barra".

Eu não estou preocupado se os coordenadores vão ou não considerar o conteúdo discutido aqui como oficial ou extra-oficial, afinal de contas estamos no TagmarPedia não é? Estamos tendo ideias e fazendo o jogo respirar. Relaxa Ernani...

Talvez alguém leia isso e crie seu bárbaro/berseker/guerreiro primitivo sei lá. Posso dizer que ninguém mais quer ficar dando voltas e voltas em torno das mesmas regras sem acrescentar nada de novo, criativo e divertido.

Fabio parabéns pelas dicas, não tinha vislumbrado oque eu escrevi da forma que você esta descrevendo. Essa questão do Karma na ambientação e nas regras da muita margem para criamos formas diferentes de se manifestar efeitos "mágicos", "sobrenaturais" ou "extraordinários".

Eu apostaria no Bárbaro como profissão de Atributos base Físico e Aura como voçe definiu. Continue opinando e quem sabe dê para construir alguma coisa legal.
#37 ernani Enviado : 24/04/15 21:31
Ewerton escreveu:
Ernani, Tagmar pode mais meu caro!

O Sistema de regras pode/deve ser expandido e os jogadores estão ansiosos por novidades criativas. Você mesmo disse que não dá para encaixar todos os arquétipos de fantasia medieval nas profissões básicas sem "forçar a barra".

Eu não estou preocupado se os coordenadores vão ou não considerar o conteúdo discutido aqui como oficial ou extra-oficial, afinal de contas estamos no TagmarPedia não é? Estamos tendo ideias e fazendo o jogo respirar. Relaxa Ernani...

Talvez alguém leia isso e crie seu bárbaro/berseker/guerreiro primitivo sei lá. Posso dizer que ninguém mais quer ficar dando voltas e voltas em torno das mesmas regras sem acrescentar nada de novo, criativo e divertido.

Fabio parabéns pelas dicas, não tinha vislumbrado oque eu escrevi da forma que você esta descrevendo. Essa questão do Karma na ambientação e nas regras da muita margem para criamos formas diferentes de se manifestar efeitos "mágicos", "sobrenaturais" ou "extraordinários".

Eu apostaria no Bárbaro como profissão de Atributos base Físico e Aura como voçe definiu. Continue opinando e quem sabe dê para construir alguma coisa legal.


---

Ambos concordamos que deve ser uma profissão, pelo que já foi exposto. A minha discordância, com seu modelo, é referente ao uso de magia e a quantidade delas. Mas é aquilo, não sabemos qual é a direção que isso vai tomar. Esse tópico, pra mim, já está em hold.

Nada contra colocar coisas na TagmarPedia, mas o ideal seria oficializar as ideias para constarem no livro e serem tranquilas de serem jogadas. No caso do Bárbaro já sabemos que haverá uma versão oficial, portanto, é perda de tempo criar uma alternativa. O ideal é todos chegarem a um consenso e começar a adaptar/escrever.
#38 samuel.azevedo Enviado : 25/04/15 07:13
Ernani, quando você coloca no Tagmarpedia pode, em seguida, criar um tópico para discutir o verbete. Dessa discussão, sua ideia vai amadurencendo, e você vai editando o texto. Fica tudo centralizado, e quem sabe, o que o povo vai achar do resultado depois de algum tempo? Pode ser que o povo queira que seja oficializado, esta é a proposta do Tagmarpedia.
#39 ernani Enviado : 26/04/15 15:50
samuel.azevedo escreveu:
Ernani, quando você coloca no Tagmarpedia pode, em seguida, criar um tópico para discutir o verbete. Dessa discussão, sua ideia vai amadurencendo, e você vai editando o texto. Fica tudo centralizado, e quem sabe, o que o povo vai achar do resultado depois de algum tempo? Pode ser que o povo queira que seja oficializado, esta é a proposta do Tagmarpedia.


Estamos discutindo algo que vai ser oficializado, só não sabemos como vai ser. Por isso estou falando em alinhar com a coordenação... não adianta ter uma monte de ideias e aparecer alguém aqui dizendo que Bárbaro é a mesma coisa que um Guerreiro primitivo e que vai ser, em termos de gameplay, a mesma coisa deste.

Seria uma grande perda de tempo e ninguém vai jogar com uma versão alternativa tendo uma oficial.

Agora, é uma boa colocar coisas que estão fora dos planos, aí você pode fazer com mais liberdade... se não oficializarem, fica lá pra ser aproveitado por mentes mais arejadas mas, mesmo assim, a gente tem que olhar pro que já existe e usar isso como paradigma, senão as chances de resultar em algo inocoerente, largado na TagmarPedia, são grandes.
#40 Ewerton Enviado : 27/04/15 13:56
Fabio, Ketalel e Samuel gostaram das sugestões de caracterização do Bárbaro ate agora expostas. Você continua sendo uma voz solitária falando que os conceitos são incoerentes sem propor objetivamente nada. Estou esperando suas sugestões Ernani...
#41 ernani Enviado : 27/04/15 23:06
Ewerton escreveu:
Fabio, Ketalel e Samuel gostaram das sugestões de caracterização do Bárbaro ate agora expostas. Você continua sendo uma voz solitária falando que os conceitos são incoerentes sem propor objetivamente nada. Estou esperando suas sugestões Ernani...


Como assim não propus e está esperando minhas sugestões? Você clicou no link inicial do tópico, pelo menos?

Quanto a haver clubinho aqui, particularmente não faz diferença pra mim. Quanto a preferirem o "Bárbaro Mágico", ok, questão de opinião (ou outra coisa).

Desde que ALGUMA COISA siga adiante, não me importo que não seja a minha ideia. Não estou concorrendo com ninguém aqui e ninguém vai ganhar dinheiro com isso... aliás, muito pelo contrário. rs

Agora, acho que tenho o direito de não concordar e ter outra visão, certo? Não estou de birra, nem naquela de "se fulano gosta disso, eu tenho que detestar". Eu já fiz o que acho que deveria ser e, mesmo com o que foi exposto, continuo achando que o que foi sugerido, na sucessão, não encaixa em Tagmar, principalmente se você olhar outras profissões e partir do pressuposto que o Bárbaro é uma "espécie de Guerreiro, com algumas habilidades em comum". Que só não é especialização porque, socioculturalmente, é incompatível com o arquétipo de Guerreiro de Tagmar, já que não é muito factível um cara involuir para ganhar umas habilidades de fúria, intimidação e força. Só o Hulk pra se encaixar nisso. rs
#42 samuel.azevedo Enviado : 28/04/15 03:46
Com licença!

Citação:
Como assim não propus e está esperando minhas sugestões? Você clicou no link inicial do tópico, pelo menos?
Realmente... Agora imagino que o outro colega se referia a sugestões para a ideia da caracterização, no lugar da criação de nova profissão, já que tem parecido que sua ideia inicial foi debatida e inspirou de alguma forma para o que agora estava convergindo para este lado da caracterização... (Ou seja, o desejo de termos bárbaros está mais próximo de ser realizado, algo está mudando por causa da sua iniciativa).

Citação:
Quanto a haver clubinho aqui, particularmente não faz diferença pra mim. Quanto a preferirem o "Bárbaro Mágico", ok, questão de opinião (ou outra coisa)


Clubinho? Hiuhaihaiaha

Nem se preocupe. Pode ter certeza que pelo menos da minha parte não é o caso - eu apenas concordei com a opção de caracterização que ele deu. É tão absurdo que eu nem deveria responder sobre isso. Só estou respondendo porque envolveram meu nome na conversa.
Quanto a questão de bárbaro mágico, depende do tipo de bárbaro: os povos bárbaros não tinham seus místicos (sacerdotes, feiticeiros, xamãs ou o que valha) no meio deles? Então, não concordo com um bárbaro guerreiro que tenha poderes místicos, mas com um mago do povo dos bárbaros, ganhando uma caracterização que justifique porque um bárbaro usaria magia. Então, na minha opinião, devem haver caracterizações para bárbaros guerreiros, místicos, etc.

Citação:
Desde que ALGUMA COISA siga adiante, não me importo que não seja a minha ideia. Não estou concorrendo com ninguém aqui e ninguém vai ganhar dinheiro com isso... aliás, muito pelo contrário. rs


Agora concordo com você! Inclusive já passei por isso, e já vi algumas ideias minhas seguirem adiante aqui no projeto, outras serem totalmente modificadas, outras ficarem só no extraoficial, algumas ficarem no limbo, e outras serem substituídas por ideias melhores de outras pessoas. Para mim, o fato de participar, independentemente das minhas ideias serem diretamente aproveitadas ou não, sempre esteve valendo, pois ao menos imagino que em alguma pessoa causaram reflexão e ajudaram a evolução das ideias do projeto como um todo. E veja que sua participação, com a ideia de nova profissão, gerou esta discussão que parece estar movendo as coisas para alguma conclusão (a caracterização) - acho que isso é um bom "alguma coisa".

Citação:
Agora, acho que tenho o direito de não concordar e ter outra visão, certo? Não estou de birra, nem naquela de "se fulano gosta disso, eu tenho que detestar".


Também concordo com você.

Citação:
Eu já fiz o que acho que deveria ser e, mesmo com o que foi exposto, continuo achando que o que foi sugerido, na sucessão, não encaixa em Tagmar, principalmente se você olhar outras profissões e partir do pressuposto que o Bárbaro é uma "espécie de Guerreiro, com algumas habilidades em comum". Que só não é especialização porque, socioculturalmente, é incompatível com o arquétipo de Guerreiro de Tagmar, já que não é muito factível um cara involuir para ganhar umas habilidades de fúria, intimidação e força. Só o Hulk pra se encaixar nisso. rs
Agora neste ponto, acho que está havendo um mal entendido, a proposta é de caracterização, não é mais de profissão, então um guerreiro não vai "evoluir" em bárbaro. A caracterização serve como uma espécie de background misturado com sistema de vantagens e desvantagens do personagem, e é feita durante a criação da ficha do personagem.

Bom, Ernani e Ewerton, percebam que no começo vocês dois estavam concordando, e parece que os dois tinham a mesma intenção. Acho que vocês estão em um mal entendido nos últimos posts.


Mais uma vez, reitero que eu também já contribui com uma ideia de profissão para bárbaros aqui, de ideia do Zetagmar. Ela tinha as especializações chamadas de tradições (tradição do sangue, tradição do aço, etc). Inclusive, muita gente concordou na época que ela deveria ir para frente, e já estava dentro de uma tarefa oficial do livro Aventuras nas Terras Selvagens. A tarefa foi excluída do então projeto de livro, porque se tornou complexa demais, mas não foi descartada, apenas parou de ter movimentação por que não constaria mais no livro... Podem conferir neste post: Profissão Jogadora - Os Bárbaros.
O que estávamos discutindo aqui, me parecia que era uma solução mais simples de ser implementada (a caracterização).

Sugiro os seguintes encaminhamentos para esta discussão:

1) Devemos chamar a atenção dos coordenadores do projeto para votar esta questão de uma vez por todas, notem que desde 2010 há registros no tópico que citei anteriormente com opiniões de participantes do projeto de que isso deveria ser votado.

2) Devemos definir em tal votação se o projeto apoiará: a) bárbaros como profissão, ou b) bárbaros como caracterização.

3) De acordo com o resultado acima, cria-se (ou se restaura) a tarefa oficial para se tratar isso.


Abraços
#43 ernani Enviado : 28/04/15 21:51
samuel.azevedo escreveu:
Com licença!

Citação:
Como assim não propus e está esperando minhas sugestões? Você clicou no link inicial do tópico, pelo menos?
Realmente... Agora imagino que o outro colega se referia a sugestões para a ideia da caracterização, no lugar da criação de nova profissão, já que tem parecido que sua ideia inicial foi debatida e inspirou de alguma forma para o que agora estava convergindo para este lado da caracterização... (Ou seja, o desejo de termos bárbaros está mais próximo de ser realizado, algo está mudando por causa da sua iniciativa).

Citação:
Quanto a haver clubinho aqui, particularmente não faz diferença pra mim. Quanto a preferirem o "Bárbaro Mágico", ok, questão de opinião (ou outra coisa)


Clubinho? Hiuhaihaiaha

Nem se preocupe. Pode ter certeza que pelo menos da minha parte não é o caso - eu apenas concordei com a opção de caracterização que ele deu. É tão absurdo que eu nem deveria responder sobre isso. Só estou respondendo porque envolveram meu nome na conversa.
Quanto a questão de bárbaro mágico, depende do tipo de bárbaro: os povos bárbaros não tinham seus místicos (sacerdotes, feiticeiros, xamãs ou o que valha) no meio deles? Então, não concordo com um bárbaro guerreiro que tenha poderes místicos, mas com um mago do povo dos bárbaros, ganhando uma caracterização que justifique porque um bárbaro usaria magia. Então, na minha opinião, devem haver caracterizações para bárbaros guerreiros, místicos, etc.

Citação:
Desde que ALGUMA COISA siga adiante, não me importo que não seja a minha ideia. Não estou concorrendo com ninguém aqui e ninguém vai ganhar dinheiro com isso... aliás, muito pelo contrário. rs


Agora concordo com você! Inclusive já passei por isso, e já vi algumas ideias minhas seguirem adiante aqui no projeto, outras serem totalmente modificadas, outras ficarem só no extraoficial, algumas ficarem no limbo, e outras serem substituídas por ideias melhores de outras pessoas. Para mim, o fato de participar, independentemente das minhas ideias serem diretamente aproveitadas ou não, sempre esteve valendo, pois ao menos imagino que em alguma pessoa causaram reflexão e ajudaram a evolução das ideias do projeto como um todo. E veja que sua participação, com a ideia de nova profissão, gerou esta discussão que parece estar movendo as coisas para alguma conclusão (a caracterização) - acho que isso é um bom "alguma coisa".

Citação:
Agora, acho que tenho o direito de não concordar e ter outra visão, certo? Não estou de birra, nem naquela de "se fulano gosta disso, eu tenho que detestar".


Também concordo com você.

Citação:
Eu já fiz o que acho que deveria ser e, mesmo com o que foi exposto, continuo achando que o que foi sugerido, na sucessão, não encaixa em Tagmar, principalmente se você olhar outras profissões e partir do pressuposto que o Bárbaro é uma "espécie de Guerreiro, com algumas habilidades em comum". Que só não é especialização porque, socioculturalmente, é incompatível com o arquétipo de Guerreiro de Tagmar, já que não é muito factível um cara involuir para ganhar umas habilidades de fúria, intimidação e força. Só o Hulk pra se encaixar nisso. rs
Agora neste ponto, acho que está havendo um mal entendido, a proposta é de caracterização, não é mais de profissão, então um guerreiro não vai "evoluir" em bárbaro. A caracterização serve como uma espécie de background misturado com sistema de vantagens e desvantagens do personagem, e é feita durante a criação da ficha do personagem.

Bom, Ernani e Ewerton, percebam que no começo vocês dois estavam concordando, e parece que os dois tinham a mesma intenção. Acho que vocês estão em um mal entendido nos últimos posts.


Mais uma vez, reitero que eu também já contribui com uma ideia de profissão para bárbaros aqui, de ideia do Zetagmar. Ela tinha as especializações chamadas de tradições (tradição do sangue, tradição do aço, etc). Inclusive, muita gente concordou na época que ela deveria ir para frente, e já estava dentro de uma tarefa oficial do livro Aventuras nas Terras Selvagens. A tarefa foi excluída do então projeto de livro, porque se tornou complexa demais, mas não foi descartada, apenas parou de ter movimentação por que não constaria mais no livro... Podem conferir neste post: Profissão Jogadora - Os Bárbaros.
O que estávamos discutindo aqui, me parecia que era uma solução mais simples de ser implementada (a caracterização).

Sugiro os seguintes encaminhamentos para esta discussão:

1) Devemos chamar a atenção dos coordenadores do projeto para votar esta questão de uma vez por todas, notem que desde 2010 há registros no tópico que citei anteriormente com opiniões de participantes do projeto de que isso deveria ser votado.

2) Devemos definir em tal votação se o projeto apoiará: a) bárbaros como profissão, ou b) bárbaros como caracterização.

3) De acordo com o resultado acima, cria-se (ou se restaura) a tarefa oficial para se tratar isso.


Abraços



Mas, cara, uma "caracterização" com vantagens/habilidades especiais/exclusivas é profissão.

Caracterização é o "travesti": por baixo da roupa e por trás da maquiagem, continua sendo homem igual aos outros.

Caracterização seria o que o Saulo sugeriu: começa com Guerreiro, entra na Academia dos Gladiadores, veste umas peles e uns adornos de animais e fica falando pra todo mundo que é Bárbaro.
#44 saulocr Enviado : 28/04/15 21:56
Opa, opa. Eu não a história, ou melhor, os Gregos. Se vocês acham que os romanos e os persas eram bárbaros, não estou aqui para discordar.
#45 ernani Enviado : 28/04/15 23:01
saulocr escreveu:
Opa, opa. Eu não a história, ou melhor, os Gregos. Se vocês acham que os romanos e os persas eram bárbaros, não estou aqui para discordar.



Pra mim os Vikings, ESPECIFICAMENTE os Berserkers.

Enfim, existem várias possibilidades, por isso, acho que alguém da coordenação tem que colocar uma luz nesse assunto.
#46 saulocr Enviado : 29/04/15 08:32
Citação:
Pra mim os Vikings, ESPECIFICAMENTE os Berserkers.


Não vejo Bárbaro (Vikings, Bersekers, ou seja lá a nomenclatura) como Profissão:

1 - Acredito que o termo bárbaro se trata de cultura.
2 - Sairia do cerne do projeto, que é ter as seis profissões como base.
3 - Para ser profissão tem que existir especializações. E quais seriam elas?
4 - Os bárbaros não haviam técnicas especificas de ataque. Como Cavalaria, Arquearia, etc. Na verdade no link abaixo, explica muito bem como funcionava os ataques bárbaros.

Seguindo o mesmo raciocínio, não vale apena tê-lo como especialização:

1 - Não tem como o cara chegar no estágio 5 e dizer "Vou entrar na academia de bárbaro, aprender a ser bárbaro", soa estranho, não?
2 - Os bárbaros não haviam técnicas especificas de ataque. Como Cavalaria, Arquearia, etc. Os combates dos bárbaros podem facilmente ser identificados nas técnicas de infantaria e gladiadores.

Portanto porque ter uma profissão/especialização a mais? Talvez uma caracterização opcional, tipo Sangue Bárbaro. O cara ganharia algum bônus em força. No link é possível ter uma noção melhor de como funcionavam os vikings.

http://www.nethistoria.c...dos_vikings/capitulo/1/
#47 Fábio_CM Enviado : 29/04/15 09:46
saulocr escreveu:
Não vejo Bárbaro (Vikings, Bersekers, ou seja lá a nomenclatura) como Profissão:

1 - Acredito que o termo bárbaro se trata de cultura.
2 - Sairia do cerne do projeto, que é ter as seis profissões como base.
3 - Para ser profissão tem que existir especializações. E quais seriam elas?
4 - Os bárbaros não haviam técnicas especificas de ataque. Como Cavalaria, Arquearia, etc. Na verdade no link abaixo, explica muito bem como funcionava os ataques bárbaros.


É por este motivo que eu não vejo os bárbaros utilizando técnicas de combate que, como o nome diz, são técnicas. Diferente de você, eu penso que podemos criá-los como profissão, mas para isso deve haver uma diferenciação clara entre eles e o guerreiro e qualquer outra profissão já existente.

Por esse ponto de vista, também não considero os Vikings como bárbaros - nunca considerei, na verdade. Para mim, eles são guerreiros como qualquer outro. Os berserkes são rodeados de lenda mesmo entre os vikings e, daí sim, podemos usar essa classe em especial como mias uma fonte de inspiração para a profissão de Tagmar. Como dizem as lendas, os berserks lutavam em nome de um deus, com uma fúria frenética, possuídos espiritualmente, talvez se utilizando de ferramentas como drogas diversas. Só eu que vejo rituais místicos aí?

Existiam outros guerreios pagãos na história que se utilizavam de rituais como esses para os combates. Para mim, essa que deve ser a inspiração para os bárbaros - um guerreiro que invoca forças sobrenaturais em combate.

saulocr escreveu:
Seguindo o mesmo raciocínio, não vale apena tê-lo como especialização:

1 - Não tem como o cara chegar no estágio 5 e dizer "Vou entrar na academia de bárbaro, aprender a ser bárbaro", soa estranho, não?
2 - Os bárbaros não haviam técnicas especificas de ataque. Como Cavalaria, Arquearia, etc. Os combates dos bárbaros podem facilmente ser identificados nas técnicas de infantaria e gladiadores.


A ideia que uma vez surgiu por aqui a ideia, como o zetagmar lembrou, de que os bárbaros poderiam seguir tradições, seria uma boa alternativa para suas especializações. Seria a rota a ser explorada, na minha opinião. Assim, no quinto nível o sujeito diria "agora eu seguirei a tradição do sangue/urso/espírito...". O termo mais complicado é a palavra profissão. Mas nada que encarar a palavra bárbaro como guerreiro bárbaro não resolva.

Criar uma caracterização não vai suprir a falta do bárbaro que vários sentem. Eu acho que essa é a oportunidade para criarmos uma classe original de Tagmar, e não simplesmente copiar a que já existe por aí afora.


Uma alternativa ao uso de karma para a invocação de seus poderes sobrenaturais seria o consumo da própria EF. Eles estariam consumindo seu próprio vigor em prol de algo mais, como bônus em combate ou até aumento da EH - - - Mas eu ainda prefiro o gasto de karma.
#48 Ares Enviado : 29/04/15 12:54
Passando aqui por agora, já que estão falando sobre bersekers, para dizer que eles não eram os únicos guerreiros like-bárbaros dos vikings. Enquanto os Bersekers usavam capas de urso, os Ulfhednar usavam capas de lobos, talvez uma ideia para totens e tal.
http://deadliestfiction.wikia.com/wiki/Ulfhednar Não achei nenhuma fonte melhor Triste
Na wikipedia redireciona para Berseker e cita as sagas aonde aparecem(Vatnsdœla saga, Haraldskvæði and the Völsunga saga).
#49 Joao Enviado : 29/04/15 18:48
Boa! Mais um nome novo "Ulfhednar", mas eu acho que "bravios" é mais fácil de falar :-p (ih! rimou!)
#50 ernani Enviado : 29/04/15 20:47
Só pra constar: em nenhum momento eu disse que o berserker viking era o único exemplo do bárbaro icônico, daquele arquétipo que todos tem na cabeça, do cara que luta "pelado", usando a fúria, lutando em frenesi até o último inimigo cair e aguentando ferimentos que teriam derrubado um guerreiro padrão... e que instigam o medo nos adversários com seu modo agressivo de lutar.

Existem outros povos que se encaixavam nesse script.

O engraçado é que parece que tem gente querendo insinuar que os vikings não eram esses bárbaros icônicos, os que conhecemos da história... sem revisionismo, gente, façam valer seu ponto sem ter que recriar a história do mundo.

No mais, o assunto está aberto, tem amplas possibilidades. É perfeitamente executável com habilidades, com magias ou as controversas habilidades opcionais.

Mas se optarem pelo bárbaro mágico, vou querer revisão do Paladino. Me acusaram de tentar empurrar um multiclass de Guerreiro+Sacerdote... porque, ora pois, Paladino é um Guerreiro que recebe milagres. Vetaram, disseram que não existe coisa do tipo por aqui.
#51 Ares Enviado : 29/04/15 23:44
Relendo aqui, acho que o que o Samuel falou é o melhor a se fazer. Se criar uma votação com as três opções:
-Bárbaro como profissão.
-Bárbaro como especialização.
-Bárbaro como caracterização opcional.(Algo que custe uns dois pontos, dando um bônus em EH e mudando como os outros lidam com ele, por exemplo os nobres o tratando como burro e pouco civilizado).

Como profissão eu acho que a única forma de ficar diferente de um guerreiro, é com algumas magias.
Como especialização seria por exemplo um guerreiro veterano de uma tribo ou um aventureiro que conseguiu a amizade de uma tribo de bárbaros e aprendeu suas técnicas.
Acho que a caracterização opcional, só com um bônus pequeno e um ônus a pior opção, no entando ela poderia coexistir com a especialização bárbaro.

Como esta classe esta sendo bem discutida, não será difícil conseguir alguém para cuidar do verbete e a partir da colaboração de todos, e sem mais picuinha sobre o que ela deve ou não ser, podemos seguir a diante e fazer algo que some ao rpg. Mesmo que só possa ser adicionada posteriormente, com as terras selvagens.

Off: Será mesmo necessário um livro de regras só para as Terras Selvagens? E além das novas profissões e classes, algo da mecânica do jogo seria alterada?
#52 Fábio_CM Enviado : 30/04/15 09:35
Ares escreveu:
Off: Será mesmo necessário um livro de regras só para as Terras Selvagens? E além das novas profissões e classes, algo da mecânica do jogo seria alterada?

Ela terá inúmeras raças jogáveis novas - inclusive uma voadora!
#53 abartel06 Enviado : 30/04/15 09:46
Ewerton escreveu:
Quando me referi a bárbaro não estava falando das figuras históricas que destruíram cidades romanas, eu me referi a mitos, lendas e historias.

Outra coisa, Bárbaros (ou bersekers) tem que ser de uma profissão exclusiva!

Mais ideias...

técnica de Combate

Ruína dos titãs: As montanhas e colinas assentadas por comunidades barbaras sempre foram assoladas por criaturas gigantescas, como Trols, Ciclopes, Vermes de gelo e até Dragões. No passado tribos inteiras foram escravizadas por essas desprezíveis criaturas e embora hoje estejam livres, o ódio e rancor que nutrem por seus antigos algozes é imenso. Além da magoa pelo passado, todo Bárbaro considera uma gloria imensa derrotar uma criatura que tem o dobro, ou ate mesmo o triplo de seu tamanho!Um feito de bravura que garante a qualquer combatente um lugar de destaque entre seus ancestrais! Em ambos os casos, caçadas periódicas são realizadas para banir tais ameaças das proximidades, e é comum que alguém desse povo saiba como combater adequadamente tais oponentes.

Beneficio: Brandindo armas adequadas um Bárbaro consegue empregar mais força em seus golpes contra criaturas gigantes do que outros personagens. Para usufruir dos benefícios desta habilidade o Bárbaro deve empunhar uma arma de duas mãos pesada (Montante, Machado de guerra, etc...) ou Lança pesada ( Lança pesada, lança de cavalaria, etc...). Além disso, ele deve possuir ao menos 1 nível na habilidade Acrobacias e na técnica de combate Carga, para combinar uma investida poderosa com um grande salto. O oponente deve estar posicionado a pelo menos 3 metros do Bárbaro, pois essa é a distância minima para que o salto tenha os efeitos esperados.

Para realizar esse feito o jogador deve ser bem sucedido em uma rolagem de ataque utilizando 1/2 do valor da técnica de combate Carga + 1/2 do valor de sua habilidade Acrobacias como bônus no total da coluna de resolução da rolagem de ataque. Uma rolagem bem sucedida significa que o personagem pode percorrer a distância com um salto horizontal e terminar adjacente a criatura de tamanho superior ao seu, disferindo um golpe avassalador!

Ao causar 50% de dano em golpe certeiro em uma criatura de tamanho maior que o do personagem, o jogador deve acrescentar o dobro do valor do atributo força ao dano. Ao causar 75% de dano em golpe certeiro em uma criatura de tamanho maior que o do personagem, o jogador deve acrescentar o triplo do valor do atributo força ao dano. Ao causar 100% de dano em golpe certeiro em uma criatura de tamanho maior que o do personagem, o jogador deve acrescentar o quadruplo do valor do atributo força ao dano. Se o personagem acertar diretamente a Energia Física da criatura ela recebera o dano com o ajuste quadruplicado do valor no atributo força e a mesma não poderá realizar qualquer ação durante a próxima rodada, pois esta abalada por um dor lancinante.

Uma rolagem mau sucedida significa que o personagem percorreu a distância com um salto e terminou na posição adjacente a criatura, no entanto esta derrubado no chão e não poderá realizar nenhuma ação na próxima rodada a não ser se levantar. Se o Bárbaro se afastar novamente da criatura gigante ele poderá, em uma próxima rodada realizar uma nova tentativa de execução deste habilidade.

Só para inspirar a galera!!!




Eu imagino Bárbaros como o "Conan o destruidor" essas figuras estão mais para Rastreadores !

Abs,
























#54 abartel06 Enviado : 30/04/15 09:51
Fábio_CM escreveu:
Ares escreveu:
Off: Será mesmo necessário um livro de regras só para as Terras Selvagens? E além das novas profissões e classes, algo da mecânica do jogo seria alterada?

Ela terá inúmeras raças jogáveis novas - inclusive uma voadora!


Sim infelizmente será necessário devido a ambientação ser totalmente diferente e a mecânica das regras !

Abs,

Usuários visualizando este tópico
Guest
2 Páginas <12
Ir para o Fórum  
Você não pode adicionar novos tópicos neste fórum.
Você não pode responder a tópicos deste fórum.
Você não pode excluir suas participações deste fórum.
Você não pode editar suas participações neste fórum.
Você não pode criar enquetes neste fórum.
Você não pode votar em enquetes neste fórum.

YAFPro Theme Created by Jaben Cargman (Tiny Gecko)
Powered by YAF | YAF © 2003-2009, Yet Another Forum.NET
LGPD (Lei Geral de Proteção a Dados): o site do Tagmar usa a tecnologia de cookies para seu sistema interno de login e para gerar estatísticas de acesso. O Tagmar respeita a privacidade de cada um e nenhuma informação pessoal é armazenada nos cookies. Ao continuar a navegar pelo site você estará concordando com o uso de cookies.