Bem-vindo Convidado Pesquisar | Atividades no Fórum | Entrar | Registrar

2 Páginas 12>
Responder...
🧙‍♂️ Familiar (nova) Opções
#1 Marcelo_Rodrigues Enviado : 10/05/22 08:43
Este tópico é para discutir a nova magia "Familiar"
#2 Marcelo_Rodrigues Enviado : 10/05/22 08:47
Srs, o Leandro já fez o 1º esboço. Comentem e deem sugestões!
#3 Artorius Enviado : 10/05/22 10:37
Achei bem legal a ideia....

Talvez em vez da magia dizer as habilidades e atributos seja melhor usar apenas as habilidades próprias do animal.

A magia pode ser apenas para animais de estagio 1 (seguindo a proposta dela), e os efeitos sejam apenas de ligação entre místico e animal, sem alteração nas habilidades do animal. (para não atravessar as habilidades do rastreador)

Minha única preocupação é como seria vista essa magia pelos rastreadores, já que o místico impõe sua vontade sobre o animal e poderá usa-lo para se arriscar até sofrer a morte pela vontade do místico. Quem sabe possa haver um prejuízo ao místico nesses casos.

#4 Edilton Oliveira Enviado : 10/05/22 14:05
Prezados(as),

Eu gostava quando o Rastreador não tinha concorrência... Triste

Citação:
Minha única preocupação é como seria vista essa magia pelos rastreadores, já que o místico impõe sua vontade sobre o animal e poderá usa-lo para se arriscar até sofrer a morte pela vontade do místico. Quem sabe possa haver um prejuízo ao místico nesses casos.

Somos 2, cauteloso Artorius.

#5 Marcelo_Rodrigues Enviado : 10/05/22 14:09
Acho que não é a mesma coisa. Se entendi a criatura é evocada (" o mago materializa de sua vontade uma criatura") e não tornada um companheiro (como nos rastreador). Outro ponto é que Familiar não é permanente.

Ou seja, muito diferente do elo Animal;

È um servo/ajudante evocado.
#6 Edilton Oliveira Enviado : 10/05/22 14:48
Marcelo_Rodrigues escreveu:
Acho que não é a mesma coisa. Se entendi a criatura é evocada (" o mago materializa de sua vontade uma criatura") e não tornada um companheiro (como nos rastreador). Outro ponto é que Familiar não é permanente.

Ou seja, muito diferente do elo Animal;

È um servo/ajudante evocado.

A partir do nível 5, é um ritual com duração permanente. O nome é "familiar" mas será escravo como diz a própria definição do texto: "... meramente escravos de sua vontade."

Nobre Leandro,

Para entender melhor a magia, é preciso deixar mais claro esse trecho "o mago materializa de sua vontade uma criatura de pequeno porte". O que isto quer dizer? Que uma criatura de pequeno porte é criada do nada ou a magia é imposta a uma criatura já existente? Se for existente, a criatura não tem direito a um RM?

Outro ponto, no nível 5, a criatura aprende a falar? Um corvo vai conversar com o mago?
#7 Leandro Enviado : 10/05/22 17:20
Edilton Oliveira escreveu:
Marcelo_Rodrigues escreveu:
Acho que não é a mesma coisa. Se entendi a criatura é evocada (" o mago materializa de sua vontade uma criatura") e não tornada um companheiro (como nos rastreador). Outro ponto é que Familiar não é permanente.

Ou seja, muito diferente do elo Animal;

È um servo/ajudante evocado.

A partir do nível 5, é um ritual com duração permanente. O nome é "familiar" mas será escravo como diz a própria definição do texto: "... meramente escravos de sua vontade."

Nobre Leandro,

Para entender melhor a magia, é preciso deixar mais claro esse trecho "o mago materializa de sua vontade uma criatura de pequeno porte". O que isto quer dizer? Que uma criatura de pequeno porte é criada do nada ou a magia é imposta a uma criatura já existente? Se for existente, a criatura não tem direito a um RM?

Outro ponto, no nível 5, a criatura aprende a falar? Um corvo vai conversar com o mago?



Exatamente:
1)O mago materializa de sua vontade a criatura de pequeno porte. Não é uma criatura natural que se possa fazer elo animal.
2)Não lembrei da RM/RF, mas pode seguir as outras progressões
3)Sim, no nível 5 ela aprende a falar e pode falar com com o mago. É uma criatura com inteligência acima de (i).
#8 Leandro Enviado : 10/05/22 17:25
Marcelo_Rodrigues escreveu:
Acho que não é a mesma coisa. Se entendi a criatura é evocada (" o mago materializa de sua vontade uma criatura") e não tornada um companheiro (como nos rastreador). Outro ponto é que Familiar não é permanente.

Ou seja, muito diferente do elo Animal;

È um servo/ajudante evocado.


1)Sim. É uma criatura evocada e materializada vontade do mago, não é um parecido com elo animal, pois a criatura não pode atacar. Sendo criada apenas como espião/ouvir as lamúrias do mago/criado
2)Não. Em certos níveis ela é permanente.
#9 Leandro Enviado : 10/05/22 17:50
Artorius escreveu:
Achei bem legal a ideia....

Talvez em vez da magia dizer as habilidades e atributos seja melhor usar apenas as habilidades próprias do animal.

A magia pode ser apenas para animais de estagio 1 (seguindo a proposta dela), e os efeitos sejam apenas de ligação entre místico e animal, sem alteração nas habilidades do animal. (para não atravessar as habilidades do rastreador)

Minha única preocupação é como seria vista essa magia pelos rastreadores, já que o místico impõe sua vontade sobre o animal e poderá usa-lo para se arriscar até sofrer a morte pela vontade do místico. Quem sabe possa haver um prejuízo ao místico nesses casos.



Coloquei os atributos para dizer que é uma criatura genérica do genérico. Tomei como base o corvo. Para evitar pegar um falcão que tem EH = 12 ou uma vaca com EH=12, apesar de a vaca não ser de pequeno porte.
O rastreador pode perceber que a criatura não é um animal, pois mesmo que não fale no início, a criatura é racional.
A princípio o rastreador coloca seus animais mais em risco, pois normalmente esses entram em combate, coisa que o familiar não faz. É claro que mesmo assim ele possa vir a "morrer" com uma magia de área.
Espero que ninguém saia dando espadada em um corvo por ele pousar na janela de um castelo pra "comer insetos"
#10 Leandro Enviado : 10/05/22 17:53
Edilton Oliveira escreveu:
Prezados(as),

Eu gostava quando o Rastreador não tinha concorrência... Triste

Citação:
Minha única preocupação é como seria vista essa magia pelos rastreadores, já que o místico impõe sua vontade sobre o animal e poderá usa-lo para se arriscar até sofrer a morte pela vontade do místico. Quem sabe possa haver um prejuízo ao místico nesses casos.

Somos 2, cauteloso Artorius.



Não vejo essa magia como concorrência.
Mas não é nada definitivo, apenas uma sugestão!!!
#11 Edilton Oliveira Enviado : 10/05/22 18:04
Nobre Leandro,

Entendi o objetivo da magia. É simples e prático. Porém o meio para alcançar esse fim é criar vida. Olhando por esse lado, é uma magia divina. Muito poderosa.

E não é um "simples" animal, é uma criatura imune a magia de rastreador e que fala.

Assim, eu penso que será preciso automatizar esse novo ser, deixar menos pensante e mais robotizado.

Mas essa é minha opinião.




#12 Marcelo_Rodrigues Enviado : 11/05/22 08:02
Edilton,

não vejo como uma criação de vida, mas sim um simulacro semelhante a animação de golens. Não vejo assim como poderosa, ja que ela nem ataca. Aqui o companheiro do Rastreador é muito melhor. Não tem nem comparação.

Leandro,

vai ai minha sugestões:

1) Acho que nenhum efeito devia ser permanente

2) Uma sugestão seria que a EF do criatura saísse da Ef do mago. E que ela só volta ao mago horas após o termino da magia ou se a criatura fosse morar.

3) O ser seria irracional, mas pode obedecer ordens mentais do mago.

4) È importante limitar a magia a um familiar por vez.

5) Não sou a favor de custo de ritual em M.O. Com frequência vejo jogadores não pegando a magia por causa disto pois o seu mestre é sovina. Ou ignorando este problemas por que em alguma aventura o mestre acabou enchendo o jogador de dinheiro. È muito 8 ou 80. Assim retire o custo mas limite o tempo eliminando o permanente.
#13 Artorius Enviado : 11/05/22 11:00
Pessoal,

Entendendo um pouco melhor a ideia, coloco minhas sugestões em conjunto com as do Marcelo acima:


1) Acho que nenhum efeito devia ser permanente; Concordo

2) Uma sugestão seria que a EF do criatura saísse da Ef do mago. E que ela só volta ao mago horas após o termino da magia ou se a criatura fosse morrer. Concordo

3) O ser seria irracional, mas pode obedecer ordens mentais do mago. Concordo talvez até melhor ser um ser sem consciência. como disse o Edilson

4) È importante limitar a magia a um familiar por vez. Concordo

5) Não sou a favor de custo de ritual em M.O. Com frequência vejo jogadores não pegando a magia por causa disto pois o seu mestre é sovina. Ou ignorando este problemas por que em alguma aventura o mestre acabou enchendo o jogador de dinheiro. È muito 8 ou 80. Assim retire o custo mas limite o tempo eliminando o permanente. Concordo

6) Precisa corrigir que não é a vontade imposta sobre um animal, e sim a materialização da vontade do místico que assume a forma desejada, sendo sempre de um ser pequeno como um corvo.... e talvez descrever de que é um ser sintético, e nota-se facilmente sua não vida.

7) Se a criatura não entrará em combate não vejo porque ter habilidades de combate, penso que é melhor deixar sem. (para não dar interpretação contrária).

8) Se outro místico usar Quebra de Encantos em nível apropriado o magia é finalizada e o ser é dissipado correto?


se eu entendi bem é isso.... Muito Feliz
#14 Edilton Oliveira Enviado : 11/05/22 11:06
Grande Marcelo,

Citação:
não vejo como uma criação de vida, mas sim um simulacro semelhante a animação de golens

Você pode não ver, mas é vida. Golen é irracional (intelecto i), já essa criatura tem -1 (já fiz guerreiro com esse intelecto), além do que pode conversar, ter opinião própria e nada impede de procriar.

Citação:
Não vejo assim como poderosa, ja que ela nem ataca

Interprete o que eu escrevi: "Porém o meio para alcançar esse fim é criar vida. Olhando por esse lado, é uma magia divina. Muito poderosa."
Se tivesse uma magia para criar um escriba do mago, pacifista, somente para escrever o que ele quisesse, mas criasse do nada alguém dotado de intelecto e discernimento, já seria poderosa!

Concordo com as suas sugestões, acho que resolveriam o problema. Só não concordo sobre o Ritual. Já que não seria permanente, não tem porque nos níveis mais altos serem por ritual. Pra simplificar, pode deixar fixo toda a evocação em 5 rodadas, por exemplo.

#15 Edilton Oliveira Enviado : 11/05/22 11:14
Nobre Artorius,

Citação:
6) Precisa corrigir que não é a vontade imposta sobre um animal, e sim a materialização da vontade do místico que assume a forma desejada, sendo sempre de um ser pequeno como um corvo.... e talvez descrever de que é um ser sintético, e nota-se facilmente sua não vida.

7) Se a criatura não entrará em combate não vejo porque ter habilidades de combate, penso que é melhor deixar sem. (para não dar interpretação contrária).

Assino embaixo Applause Applause Applause

E seria bom ter descrito no texto da magia sobre a utilização de Quebra de Encantos, como vc citou.
#16 Marcelo_Rodrigues Enviado : 11/05/22 14:43
Já que é um ser sintético e a ideia de o mago "doar sua EF"? Think Note que a criatura não ataca, mas ela pode ser atacada e morrer. Ao doar parte de sua vida mesmo que temporário vai impedir do mago criar um exercito de espiões. Brick wall
#17 Artorius Enviado : 11/05/22 15:05
Marcelo_Rodrigues escreveu:
Já que é um ser sintético e a ideia de o mago "doar sua EF"? Think Note que a criatura não ataca, mas ela pode ser atacada e morrer. Ao doar parte de sua vida mesmo que temporário vai impedir do magia criar um exercito de espiões. Brick wall


Eu acho uma boa Marcelo...

mesmo que o familiar seja usado para entrar numa masmorra para "ativar" as armadilhas, o místico "pagou" um preço por isso!
#18 Marcelo_Rodrigues Enviado : 12/05/22 10:27
Uma sugestão... a EF perdida precisa levar um bom tempo para ser recuperada (4hs?) e não pode ser recuperada por qualquer meios mágicos ou não.
#19 Artorius Enviado : 12/05/22 19:30
Nobre amigos,

Acho legal Marcelo o tempo de retorno da EF, 4hs me parece joia!!!


E só uma sugestão tentando ajudar nas habilidades e atributos do Familiar:

EF: recebe os mesmos pontos cedidos pelo místico;
EH: penso que como não é um "ser vivo" não deveria ter;
Defesa: L1 ok;
RM: talvez receber o total que o místico tem nesta magia;
RF: talvez receber o total que o místico tem nesta magia;
Atributos: INT(nulo), AUR(nulo), CAR(nulo), FOR(0), FIS(0), AGI(0), PER(nulo);
Habilidades: mesmas do animal base (exceto quando demandam senciência);
Técnicas de combate: não ter;

- não ter habilidades aumentadas confirme níveis da magia, penso que o ideal seria os níveis aumentarem o tempo de permanência da criatura e as ligações com o místico;

  • outro ponto que pode gerar alguma discussão é a visão no escuro... pq em geral o místico não tem visão no escuro e através dos olhos do familiar agora terá. Think
  • #20 Marcelo_Rodrigues Enviado : 13/05/22 11:09
    Eu vejo esta magia com o mago tirando um pouco de si próprio para criar este ser, logo não vejo porque não possa ter EH e Intelecto racional mesmo que seja baixo ( -1)

    Agora, se não vai ter permanente e nem combate, tem que rever os bonus de cada nível.

    As demais sugestões do Artorius acho que são bem pertinentes.
    #21 Leandro Enviado : 13/05/22 16:22
    Saudações.

    Sou novo no Fórum e novo criando magia de tagmar!!!
    Não sei como devo proceder de acordo com as informações das sugestão dadas.
    Vou colocar meu ponto de vista de o porquê de alguns pontos contestados e peço que me ajudem em como decidir e o momento de alterar a magia, visto que ela esta sendo criada democraticamente .

    PONTO 1: Atributos. Eu tomei como base o "animal corvo". Tendo todos os atributos semelhantes, pois como é uma criatura espiã, precisa de uma percepção e agilidades acima da média. A inteligência sendo racional, toma como base a autonomia da criatura como espiã e até mesmo uma interação com o mago (saber ler/pegar um livro, ajudar nas tarefas do cotidiano, ajudar criar poções como um auxiliar de uma mago NPC e não somente um mago aventureiro), Por fim, ainda falando da inteligência, não a controla mentalmente, então se ele manda a criatura fazer uma tarefa específica, esta tem de capacidade intelectual mínima pra fazer. Não me baseei somente em RPG e sim na figura mística do mago.

    PONTO 2: Defesa/Energia. Tomei a defesa, EH, EF, RF e RM do primeiro nível da magia igual a criatura base. E de acordo com a evolução da magia a criatura iria melhorar esses elementos, mesmo que não entre em combate, ainda sofre o rico de ser atingido quando esta com o mago por uma magia de área, de um inimigo ou do próprio mago/aliado. Obs Eu particularmente não gosto de pagar o custo de magia com EH/EF do mago. E como não lembro nenhuma magia em tagmar com isso não cogitei a opção.

    PONTO 3 : Quantidade. Esta escrito na magia que o mago pode ter apenas um (o que eu acho de bom tamanho).


    PONTO 4: Habilidades/ Técnicas de combate. As técnicas de combate estão são puramente defensivas. O fato de não atacar não impede de se defender. As perícias são basicamente de direcionadas a infiltração. Não coloquei, mas minha intenção era colocar ainda "Destrancar Fechaduras" como perícia da criatura.

    PONTO 5: Ritual Coloquei as magias finais como ritual para que o mago veja a criatura como um "amigo", não somente como uma criatura "descartável" (mais um a justificativa a inteligência da criatura). Tinha pensado ainda que ao se conjurar uma magia permanente de nível mais alto, a anterior não se dissiparia e sim melhoraria a criatura já existente. O preço reforçaria essa atitude por parte.

    PONTO 6: Dissipar Magia. A criatura não seria afetado por dissipar magia, pois criaturas convocadas golens, plantas, etc tem magias específicas de neutralização/banimento. Me corrijam se eu estiver errado.

    PONTO 7: Visão no escuro. A justificativa aqui seria novamente dentro da ideia de infiltração/espião. E sendo uma criatura gerada por magia ela teria essas capacidades.

    Bom, acho que consegui explicar os pontos da ideia da magia.
    Agora queria saber como absorver as ideias de vocês para alterar para que fique de agrado a todos.
    Exemplo: Percebi que a ideia de ritual com custo em moedas não agradou.
    Peço a todos que ao responderem o que acham que deve ser mudado que aponte especificando, Ponto 1, Ponto 2 etc para que eu vá alterando a magia.
    #22 Marcelo_Rodrigues Enviado : 21/05/22 11:27
    Pessoal,

    alguém sugere mais alguma coisa?

    #23 Artorius Enviado : 22/05/22 00:23
    Fala Leandro,

    Tranquilo man, a ideia é essa, muitas cabeças pensam melhor que uma. rs. Dancing

    Entendi sua ideia do objetivo da magia, mas temos que nos preocupar tbm como outros irão usa-la.. E é esse o ponto principal que me preocupa nessa magia!


    Vamos aos pontos:


      1 - Atributos: eu pensei que como o místico provavelmente vai controlar a criatura ela não precisa de intelecto para precisar pensar por si, até pq se ela tiver intelecto o que impediria de pensar em ser livre? nesse caso seria de fato seu escravo? Particularmente não sou muito favorável.
      Acho que não ter intelecto não deve atrapalhar atividades como as sugeridas de preparar poções etc...;


      2 - EF/EH - acho que podem vir doados pelo místico, que pode servir para essa ligação mística deles. Isso vai fazer o místico a usar essa magia com parcimônia e sabedoria (acho fundamental ter essa dinâmica).
      RM/RF - podem ser o total que o místico tem na magia, o que fortaleceria suas resistência (que faz sentido para mim);

      3 - pode ter um por vez! mas pode fazer outro basta o anterior morrer....., entende que essa magia poderia ser usada de varias formas? por isso penso ser bom ter algumas amarras como a doação de EF;

      4 - acho melhor não ter nenhuma técnica mesmo, saindo do combate imediatamente, se ele for alvo de ataques direcionado já estará participando ativamente do combate mesmo defensivamente, apenas não atacar não o remove da equação. (acho que pode se retirar do combate facilmente sem oferecer e receber nenhuma hostilidade até pq é uma criatura pequena e sem "presença");

      5 - Até não vejo a necessidade da magia ser ritual, mas não sou contra. ver o familiar como amigo é bem individual de cada jogador fazer a magia como ritual não vai torna-lo não descartável, outro ponto que se o místico estiver numa missão de infiltração será difícil conseguir fazer um ritual para conjurar um espião.

      6 - Essa pergunta é para entender e descrever tbm na magia como a criatura se comportará de acordo com a situação, numa quebra de encantos, caso ela entre numa área de anulação mística etc... o vínculo com o místico é temporariamente quebrado por exemplo?

      7 - acho que a criatura não deve ter visão no escuro naturalmente, mas pode ser receptáculo de outras magias como a própria visão no noturna, invisibilidade e por ai vai...

      8 - quem sabe podemos melhorar a ligação/conexão do místico com o familiar, talvez um vinculo empático em níveis altos. O místico além de ordenar o familiar controlar seus sentidos igual ao homúnculo (falar através dele)... até talvez guardar alguma magia que o místico evocou nele por um curto tempo.



    **quanto as possíveis modificações na magia, vamos compilando as ideias, junto com as melhorias. Se alguma coisa estiver fora de contexto voltamos a discutir e por ai vai....

    #24 Marcelo_Rodrigues Enviado : 22/05/22 10:41
    Gostei das observações do Arturios.

    A recomendação de usar para da EF para "doar" ao Familiar é para impedir do mago fazer um exercito de familiar.

    Uma sugestão final é que talvez se o Familiar morresse devia levar dias (lo lugar de horas como sugeri). Assim o mago valorizaria o seu Familiar. E evita-se do o "Ha! Morreu... vou fazer outro"
    #25 Fábio_CM Enviado : 22/05/22 16:09
    A magia tá legal, mas o nome está errado. O familiar tradicional é uma criatura que acompanha o mago. É um pet exótico, típico dos magos mais excêntricos. O que temos aqui é um constructo mágico.

    Uma magia Familiar deveria funcionar muito como o Elo Animal, mas com peculiaridades para os magos, talvez afetando algumas criaturas específicas, como cobras, lagartos, morcegos, sapos, gatos, ratos, corvos ou corujas. Talvez mais alguns.
    #26 Leandro Enviado : 22/05/22 17:19
    Artorius escreveu:
    Fala Leandro,

    Tranquilo man, a ideia é essa, muitas cabeças pensam melhor que uma. rs. Dancing

    Entendi sua ideia do objetivo da magia, mas temos que nos preocupar tbm como outros irão usa-la.. E é esse o ponto principal que me preocupa nessa magia!


    Vamos aos pontos:


      1 - Atributos: eu pensei que como o místico provavelmente vai controlar a criatura ela não precisa de intelecto para precisar pensar por si, até pq se ela tiver intelecto o que impediria de pensar em ser livre? nesse caso seria de fato seu escravo? Particularmente não sou muito favorável.
      Acho que não ter intelecto não deve atrapalhar atividades como as sugeridas de preparar poções etc...;

      Ok. Vamos tirar o intelecto. Contudo a criatura terá que ser controlada mentalmente, o que não acontecia na original. Além disso, quando estiver inativa sempre estaria no máximo a 20 m do místico ou acataria uma ordem simples. Ex: Fique aqui até eu voltar, Vigie essa criatura/objeto, etc

      2 - EF/EH - acho que podem vir doados pelo místico, que pode servir para essa ligação mística deles. Isso vai fazer o místico a usar essa magia com parcimônia e sabedoria (acho fundamental ter essa dinâmica).
      RM/RF - podem ser o total que o místico tem na magia, o que fortaleceria suas resistência (que faz sentido para mim);

      Esse ponto eu não concordo muito, pois EF/EH pra mago já é água em deserto. Mas atendendo a democracia, qual seria a sugestão? "Pra quem tem 10 perder 2 é esta morrendo kkkkkk"

      3 - pode ter um por vez! mas pode fazer outro basta o anterior morrer....., entende que essa magia poderia ser usada de varias formas? por isso penso ser bom ter algumas amarras como a doação de EF;

      O ritual seria uma amarra (dinheiro/Tempo), mas falamos no item 5.

      4 - acho melhor não ter nenhuma técnica mesmo, saindo do combate imediatamente, se ele for alvo de ataques direcionado já estará participando ativamente do combate mesmo defensivamente, apenas não atacar não o remove da equação. (acho que pode se retirar do combate facilmente sem oferecer e receber nenhuma hostilidade até pq é uma criatura pequena e sem "presença");

      Eu vejo como útil para escapar na hora do combate ou na hora de infiltração/espionagem, mas se o acordo for tirar, bola pra frente. Se não houver mais ressalva não terá....

      5 - Até não vejo a necessidade da magia ser ritual, mas não sou contra. ver o familiar como amigo é bem individual de cada jogador fazer a magia como ritual não vai torna-lo não descartável, outro ponto que se o místico estiver numa missão de infiltração será difícil conseguir fazer um ritual para conjurar um espião.

      O ritual é mais para não ser conjurado a cada rodada, ele ter uma justificativa para suas evoluções de habilidades de combate, visão no escuro etc. Caso não haja essa evolução, basta "Familiar 1" que supriria os 9 níveis.

      6 - Essa pergunta é para entender e descrever tbm na magia como a criatura se comportará de acordo com a situação, numa quebra de encantos, caso ela entre numa área de anulação mística etc... o vínculo com o místico é temporariamente quebrado por exemplo?

      Esse é um bom ponto, e tecnicamente tu já respondeu catedraticamente. Ela é uma criatura invocada e não suscetível a quebra de encantos, porém em uma área de anulação mística o vínculo seria quebrado temporariamente .

      7 - acho que a criatura não deve ter visão no escuro naturalmente, mas pode ser receptáculo de outras magias como a própria visão no noturna, invisibilidade e por ai vai...

      Visão no escuro só em níveis altos, não vejo que iria desequilibrar a magia. Contudo pode ser tirada também

      8 - quem sabe podemos melhorar a ligação/conexão do místico com o familiar, talvez um vinculo empático em níveis altos. O místico além de ordenar o familiar controlar seus sentidos igual ao homúnculo (falar através dele)... até talvez guardar alguma magia que o místico evocou nele por um curto tempo.


    A sugestão nesse caso, já que tirou quase tudo e para manter o ritual, seria o familiar ser um ponto de manifestação da magia do místico. Ex: O familiar não vê mais no escuro, contudo o místico poderia lançar visão no escuro (invisibilidade e outras magias) no familiar mesmo a distância, com as seguintes ressalvas: I) Nenhuma magia de ataque direto/indireto. II) O nível da magia invocada deverá ser igual ou menor que a magia familiar


    **quanto as possíveis modificações na magia, vamos compilando as ideias, junto com as melhorias. Se alguma coisa estiver fora de contexto voltamos a discutir e por ai vai....


    #27 Marcelo_Rodrigues Enviado : 23/05/22 07:42
    Arturius, Leandro e galera...

    Primeiramente já sabemos que a ideia da magia é boa. O mago ter um ajudante é bem bacana e enriquecerá a história do personagem. Seu familiar poderá ser usado para espionar, investigar um local, pegar algo , entrar em um local de difícil acesso e até mesmo para (os magos mais desumanos) correr um risco no lugar do mago.

    Ou seja esta magia tem potencial; Dancing

    O desafio dela é por uma evolução dos efeitos que valha a pena pegar. Think

    Deem sugestões de como podemos por coisas interessantes a cada nível. A ideia de por visão no escura não é ruim e não vejo problema. Eu gostei, mas acho que temos de pensar em outras coisas, se não o magoa não vai comprar os níveis mais altos.

    OBS: ainda não tive tempo de analisar melhor a magia. Hoje ainda posto umas sugestões.
    #28 Artorius Enviado : 23/05/22 14:27
    Galera,

    Algumas sugestões para os vínculos e auxílios do familiar... Dancing

    Tarefas

  • Reduzir os níveis de dificuldade das habilidade executadas pelo místico: (efeito 5: menos 1 nível; efeito 7: menos 2 níveis; efeito 9: menos 3 níveis). Exemplo: Trabalhos manuais, medicina, escalar(aponta melhor apoio);

  • Reduzir o tempo de execução de tarefas e rituais, (efeito 3: reduz em 2 horas tarefas ordinárias; efeito 5: reduz rituais em 1 hora; efeito 7: reduz 3h tarefas ordinárias; efeito 9: reduz 2h tempo de rituais) - mais "mãos/olhos" trabalham mais rápido

  • Reduzir custos de rituais: o familiar otimiza/encontra certos materiais para os rituais reduzindo assim os custos;


    Ligação Mística

  • Comando: o familiar executa todos os comandos sem hesitação (efeito 1: executa comandos simples; efeito 3: executa comandos complexos; efeito 5: familiar antecipa comandos simples; efeito 7: familiar antecipa comandos complexos; efeito 9: familiar tem conexão forte com o místico sabendo o que deseja/precisa executando com precisão e antecipadamente;);

  • Vínculo / Comunicação: Místico e familiar compartilham vinculo crescente de acordo com o efeito; (efeito 1: comunicação apenas verbal; efeito 3: familiar recebe impressões/desejos do místico; efeito 5: familiar recebe emoções do místico e pode transmitir comandos telepaticamente; Efeito 7: familiar acessa os pensamentos do místico; efeito 9: familiar acessa profundamente inclusive subconsciente do místico podendo atende-lo de forma mais precisa do que ele poderia comandar);



    No Homúnculo tem algumas características que da pra associar aqui tbm.

    E sobre o tempo de permanência do Familiar poderia ser uns 5 dias no efeito mais alto; e talvez o místico pudesse fazer novamente o uso da magia para prorrogar o prazo se assim desejar.


    Sobre o comentário do Fábio do nome da magia e "pet exótico" acredito que acabou tomando esse rumo, pois o místico não tem as mesmas "responsabilidades/punibilidades" que o rastreador pelo mal uso da magia.
    Talvez essas peculiaridades para os magos possam ser mais exploradas....
  • #29 Marcelo_Rodrigues Enviado : 23/05/22 15:12
    Acho que não precisamos complicar... não vejo ter que ter outras magias para complementar. De forma alguma acho que tenha de ser algo como o Elo animal do rastreador.

    Acho que temos de ter tudo só nesta magia.

    Poderia juntar estas coisas como nível do efeito? Think

    #30 Artorius Enviado : 23/05/22 15:46
    Marcelo_Rodrigues escreveu:
    Acho que não precisamos complicar... não vejo ter que ter outras magias para complementar. De forma alguma acho que tenha de ser algo como o Elo animal do rastreador.
    Acho que temos de ter tudo só nesta magia.
    Poderia juntar estas coisas como nível do efeito? Think


    A ideia era essa mesmo... Muito Feliz
    mas acabei colocando por habilidade e não por efeito, e deve ter ficado confuso... d'oh!

    Compilando as sugestões:
    Familiar 1: comunicação apenas verbal e executa comandos simples;
    Familiar 3: familiar recebe impressões/desejos do místico, executa comandos complexos, reduz em 2 horas tarefas ordinárias;
    Familiar 5: familiar recebe emoções do místico, pode transmitir comandos telepaticamente, familiar antecipa comandos simples, menos 1 nível de dificuldade das habilidade executadas, reduz 3h tarefas cotidianas e reduz tempo de rituais em 1 hora;
    Familiar 7: familiar acessa os pensamentos do místico, antecipa comandos complexos, menos 2 nível de dificuldade das habilidade executadas, reduz tempo de tarefas cotidianas em 3 horas;
    Familiar 9: familiar acessa profundamente psique do místico podendo atende-lo de forma mais precisa do que ele poderia comandar, menos 3 nível de dificuldade das habilidade executadas, reduz tempo de tarefas cotidianas em 4 horas, reduz 2h tempo de rituais;
    Usuários visualizando este tópico
    Guest (5)
    2 Páginas 12>
    Ir para o Fórum  
    Você não pode adicionar novos tópicos neste fórum.
    Você não pode responder a tópicos deste fórum.
    Você não pode excluir suas participações deste fórum.
    Você não pode editar suas participações neste fórum.
    Você não pode criar enquetes neste fórum.
    Você não pode votar em enquetes neste fórum.

    YAFPro Theme Created by Jaben Cargman (Tiny Gecko)
    Powered by YAF | YAF © 2003-2009, Yet Another Forum.NET
    LGPD (Lei Geral de Proteção a Dados): o site do Tagmar usa a tecnologia de cookies para seu sistema interno de login e para gerar estatísticas de acesso. O Tagmar respeita a privacidade de cada um e nenhuma informação pessoal é armazenada nos cookies. Ao continuar a navegar pelo site você estará concordando com o uso de cookies.