Discussões sobre o Arquétipos dos Cultistas - A Seita - Tagmar
Bem-vindo Convidado Pesquisar | Atividades no Fórum | Entrar | Registrar

Responder...
Discussões sobre o Arquétipos dos Cultistas Opções
#1 Nironde Enviado : 06/02/21 08:43
Eu na minha modesta opinião.
Não teria interesse em jogar com personagem em que no próprio grupo não seria aceito.

O mesmo por ser confrontado por todos pelas suas diferenças.

O fato do problema que não oferece uma possibilidade de ser mais flexível.

Mas aqui já presenciei jogadores serem na prática muito individual.
Então pode talvez não terá diferença.

Mas ao mesmo tempo MJ ter que mestra só pra aquele jogador e tudo girar entorno daquele personagem. Quando assim achar que o MJ não o faz outros jogadores o faram o serviço.

O grupo inteiro é da seita ou não.
#2 Marcelo_Rodrigues Enviado : 06/02/21 10:30
Mas os Demonistas não são para serem personagens dos Jogadores! São para os mestres. É claro que pode ter um "grupo evil"... já joguei uma vez num.
#3 Nironde Enviado : 06/02/21 11:44
Marcelo
Citação:
Mas os Demonistas não são para serem personagens dos Jogadores! São para os mestres. É claro que pode ter um "grupo evil"... já joguei uma vez num.


Eu me lembro o MJ ter dois personagens em que atuação era pra ajudar ou atrapalhar.

Mas sempre fora um dos dois em que atuária nas aventuras.

Todos os dois personagens eram fortes.

Um que era rastreador era bem quisto e aceito sem problemas.
Ou outro personagem mais atrapalhava do que ajudava ao problema era profissão necromante.
Não era aceito e tinha má reputação e má fama. Por ser um sádico.
Era o oposto do outro.
Ele só realizava as coisas por interesse.
O personagem necromante era assim:
Quando só ele percebia e todos falharam na percepção ele usava a favor dele.
Se houvesse uma cobra prestes a picar alguém ele torcia pra acontecer sem dizer ou alertar do perigo.

#4 Fábio_CM Enviado : 07/02/21 19:02
Marcelo_Rodrigues escreveu:
Mas os Demonistas não são para serem personagens dos Jogadores! São para os mestres. É claro que pode ter um "grupo evil"... já joguei uma vez num.

Se não são para PJs, não precisa de profissão. Acho um erro criar elas dessa forma. Um conjunto de criaturas no livro seriam o suficiente.

Agora, sendo profissão dedicada, ela deve ser equilibrada com as outras, ou vai quebrar o sistema todo.
#5 Nironde Enviado : 08/02/21 09:36
Fábio
Citação:
Agora, sendo profissão dedicada, ela deve ser equilibrada com as outras, ou vai quebrar o sistema todo.


Mas mesmo em criaturas os demônios normalmente possuí mais físico e força bruta que aos enviados.

Os seres divinos tá pra ser coadjuvante pra dar aquela força necessária para um grupo vencer.

A mesma forma cabe o MJ de conhecer bem o grupo e os riscos pra esse grupo.

O que vejo muito acontecer o grupo abraçar uma causa tendo depender na sorte 100%

Ao que se pode esperar um grupo ser massacrado.
Pode acontecer em várias formas e não depender desse fator.
Aí o MJ ter de apelar improvisos pra aliviar que é pouco provável ou fazer que o adversário seja muito leigo, abrindo a guarda e por aí vai...
Aff sabemos que um combate de vida e morte adversário não entra pra perder.
#6 Marcelo_Rodrigues Enviado : 08/02/21 11:53
Fábio_CM escreveu:
Marcelo_Rodrigues escreveu:
Mas os Demonistas não são para serem personagens dos Jogadores! São para os mestres. É claro que pode ter um "grupo evil"... já joguei uma vez num.

Se não são para PJs, não precisa de profissão. Acho um erro criar elas dessa forma. Um conjunto de criaturas no livro seriam o suficiente.

Agora, sendo profissão dedicada, ela deve ser equilibrada com as outras, ou vai quebrar o sistema todo.


Fabio, discordo... não há qualquer compromisso de equilíbrio já que não são para serem PJs. Daria para por como criatura, mas como terão uma gama de magias separado por "demônio cultuado" e como podem variar de estágio (a escolha do mestres de acordo com a aventura) e podem ser de qualquer raça ficam inviável ser postos no livro de criatura. Pretendo fazer uma ficha automatizada separada para eles.

OBS: Se criar equilibrado, aí sim que estaríamos incentivando jogadores jogarem com este profissão. Os demonistas estão sendo construídos para serem "chefões de fase", bem apelões para o nível que são.
#7 Nironde Enviado : 08/02/21 14:35
Acho que possível dar uma direção ao MJ na escolha melhor possível.

É possível fazer como criatura faz a descrição.
Tipo
Estágio
Número de magias e respectivos níveis.

Um exemplo bem definido desta forma são os dragões Imperiais e Dourados.
#8 Fábio_CM Enviado : 10/02/21 14:50
Marcelo Rodrigues escreveu:
Fabio, discordo... não há qualquer compromisso de equilíbrio já que não são para serem PJs. Daria para por como criatura, mas como terão uma gama de magias separado por "demônio cultuado" e como podem variar de estágio (a escolha do mestres de acordo com a aventura) e podem ser de qualquer raça ficam inviável ser postos no livro de criatura. Pretendo fazer uma ficha automatizada separada para eles.


Continuo achando uma má ideia. Se existe uma profissão, se perde o controle sobre ela e os jogadores vão querer usar.

Minha sugestão seria criar todos os demonistas como criaturas, gerando um livro de PnJs com fichas em estágios variados. Aí sim, não é preciso se preocupar com equilíbrio. Para as magias, sugiro que todas elas sejam criadas especificamente para eles e depois distribuídas entre as ordens, colégios, confrarias ou trilhas na forma de Magias Perdidas, criando então um "Livro das Magias Profanas".

Mais um grande problema gerado para o mestre ao criar profissões (além dos jogadores ficarem pedindo para usar e ele ter todo o desgaste de ficar dizendo que não) é que dá um trabalho do cão ficar criando fichas, mesmo com as automatizadas. Veja, não adianta nada criar uma ficha se ela não estiver otimizada para uso. Um PJ é muito mais focado e possui um excelente conhecimento de sua ficha. Um PnJ criado pelo mestre não tem como ser assim, já que o mestre precisaria estudar toda a profissão e suas combinações para poder usar adequadamente este personagem. Ou seja, mesmo sendo mais poderoso, o PJ acabaria com a vantagem.
Por outro lado, se fizermos como uma criatura, sua descrição pode explicar como seus poderes devem ser utilizados em combate e fora dele, além de ser uma ficha muito mais simples para consulta rápida.
#9 Marcelo_Rodrigues Enviado : 11/02/21 07:46
Fabio, como disse, não tem como criar como criatura. Como teremos um livro específico para eles não vejo problemas. Será o nosso primiero livro que junta Ambientação e Regras. São uma parte muito especial da nossa ambientação e darão excelentes vilões!

No mais, vou prosseguir com o esta abordagem.
#10 Nironde Enviado : 11/02/21 13:31
Um vilão ter 2 ou 3 níveis acima do personagem mais forte da mesa já é um desafio dependendo no quanto seria empenhado pelo MJ usar o oponente contra os jogadores.

Observação
Não é preciso ser da seita pra isso.
Pode ser de qualquer profissão.

Então inimigo declarado poderia ser qualquer um que o MJ desejar.
Sem necessidade de que este seja perseguido por outras pessoas

Pelo visto ser da seita é péssimo negócio, ainda não obtive algo que justifica a motivação pra alguém fazer parte.

Pois sempre ter um alvo nas costas.
Logo tais indivíduos não poderia circular sem ser visto ou reconhecido por alguém.
Por certo seja não demonstra importância ou preocupação de se expor sem qualquer consequência.

A seita não parece ser nada secreta, me parece tudo as claras.

Então não há surpresas aí...
#11 zetagmar Enviado : 11/02/21 21:32
Gosto de pensar que finalmente uma das partes mais iconicas da ambientação vai se tornar jogável.
Claro que discordo de alguns pontos.
O primeiro ponto é de tornar possível para qualquer raça. Para mim deveria ser exclusivo para a raça humana. Outras raças acabam sendo usadas nos planos da Seita? Sim, como podemos ver na cronologia, em "A Fúria do Sul", mas grupos que são manobramos para agir de acordo com os planos da Seita.
O segundo ponto a ser deixado claro é que está "profissão" deve ser sigilosa. Se antes a Seita agia de forma aberta, hoje deve agir na clandestinidade para alcançar seus objetivos.
O motivo claro é o simples fato de ser odiada por toda tagmar.
Outra coisa que deve ser colocada é que membros diretos e indiretos ligados a Seita agem ou em grupo ou infiltrados no grupo de heróis.
O que chega à terceira questão. Nem todos os membros da Seita são ao meu ver magos. Um membro da Seita não deveria ser um generalista.
E por fim a quarta questão que gostaria de abordar é o fato de que o mestre de jogo pode desenvolver a campanha em duas fases. A primeira com os jogadores interpretando os vilões e criando toda a situação que na segunda fase, os mesmos jogadores teriam que solucionar como heróis. O que por si só torna a aventura mais complexa e se bem explorada, mais interessante.
O que nos leva a um pensamento futuro, o de criar uma aventura voltada para este personagem.
#12 Marcelo_Rodrigues Enviado : 12/02/21 09:24
Zetagmar,

1) porque não pode ter um demonista das outras raças? A cobiça, tentação, e maldade não são exclusivas da raça humana. Pode-se ter Guerreiros e sacerdotes pequeninos, mas nunca vi um em jogo. O motivo é que não é vantagem, mas há a possibilidade. Assim, o mesmo deve se aplicar aos Demonistas.

"...Na sua grande maioria os demonistas são humanos, mas há casos relatados de elfos, anões e pequeninos que caíram na perdição de vender sua alma..."

Basta por assim no texto de ambientação.

2) Sim, isto de ser sigloso é bom deixar claro na ambientação que o mestre pode por eles disfarçados como NPC.

3) Quanto a serem magos... não demonistas nunca são magos! Demonistas recebem seus poderes quando fazem o seu contrato com os demonios (iniciante) e depois com o seu príncipe infernal patrono 9especilização). E é por isto que fazem magia de forma diferente podendo inclusive usar armaduras (semelhantes aos sacerdotes).

4) Por ultimo... não, demonistas não serão profissões para jogadores, então não haverá aventuras para eles. Mas com certeza podemos atualizar as nossas aventuras oficiais para terem fichas deles. No Arado de Ouro há demonistas, na A fronteira também (mas este os jogadores não enfrentam). No "O torneio" há também e podemos atualizar.
#13 Fábio_CM Enviado : 12/02/21 12:00
Marcelo Rodrigues escreveu:
Fabio, como disse, não tem como criar como criatura.

Ora, por favor. Não tem como é só outra forma de dizer que você não quer.

zetamar escreveu:
E por fim a quarta questão que gostaria de abordar é o fato de que o mestre de jogo pode desenvolver a campanha em duas fases. A primeira com os jogadores interpretando os vilões e criando toda a situação que na segunda fase, os mesmos jogadores teriam que solucionar como heróis. O que por si só torna a aventura mais complexa e se bem explorada, mais interessante.
O que nos leva a um pensamento futuro, o de criar uma aventura voltada para este personagem.

Marcelo Rodrigues escreveu:
4) Por ultimo... não, demonistas não serão profissões para jogadores, então não haverá aventuras para eles. Mas com certeza podemos atualizar as nossas aventuras oficiais para terem fichas deles. No Arado de Ouro há demonistas, na A fronteira também (mas este os jogadores não enfrentam). No "O torneio" há também e podemos atualizar.

É sobre exatamente isso que estou falando. Uma vez criada uma profissão, não tem como impedir que vire uma profissão como qualquer outra. Muitos jogadores vão querer (especialmente se forem mais poderosas) e o mestres acabarão aceitando em muitas situações.
Olha só, a profissão nem foi criada e já tem várias ideias de como aproveitá-la para os PJs!
#14 Nironde Enviado : 12/02/21 12:30
Desculpe-me, não resisti...
Oh Marcelo! Eu sei que você é decidido.
Mas o pessoal quer o lado escuro da força. É o que eu acho... É o que tá parecendo.

Sei que você demonstra resistência mas, querem te convencer a fazer parte do lado escuro da força.

Por outro lado vejo um lado bom disso tudo...
Tudo pode mudar e evoluir...

Tudo vem mudando aqui...
#15 Marcelo_Rodrigues Enviado : 12/02/21 14:57
Fábio_CM escreveu:
É sobre exatamente isso que estou falando. Uma vez criada uma profissão, não tem como impedir que vire uma profissão como qualquer outra. Muitos jogadores vão querer (especialmente se forem mais poderosas) e o mestres acabarão aceitando em muitas situações.
Olha só, a profissão nem foi criada e já tem várias ideias de como aproveitá-la para os PJs!


Mas quando digo que "não será personagem para jogador", quer dizer que não será oficial, e com isto não temos que nos preocupar com equilíbrio de jogo. Se o mestre assim quiser, não só Demonistas podem ser personagens jogáveis, mas dá para fazer Ogros, Trols, e até mesmo dragões! A parte de não ter que se preocupar com equilíbrio é o ponto chave.

Outro ponto importante é que ao contrário do livro de criaturas que tem uma limitação na quantidade de variação, o "A Seita" dará ao mestre a opção de montar o seu NPC de forma que mais se ajustar a aventura, da mesma forma que Napois e Sekbets agora vão poder ser personagens com fichas.

Nosso mestre T.Rex está trabalhando no capítulo "Raças Civilizadas" ( do Livro de Criaturas) que conterá aquelas listagens antigas do Tagmar 1 que eram muito usadas para preencher aventuras com personagens pouco importantes. Para personagens NPS importantes todos usam a ficha mesmo.

Assim sendo podemos sim por na livro de Criaturas uma seção "Demonistas" com listagens pré-prontas para os mestres sem tempo (ou preguiçosos)... mas só para demonistas "comuns", o chefão este sim vai usar a ficha completa de demonista, que terá uma gama de escolhas (habilidades, técnicas, armas, e magias exclusivas) bem ajustada a aventura.

PS: a ideia não é criar o Demonista com foco em ser jogável. Ele será oficialmente um personagens do mestre, e é claro que sabemos que vai ter gente adorando fazer grupos malignos! Mas não será uma posição do projeto dizer: "venha jogar Tagmar, seja um demonista!" Muito Feliz
#16 Fábio_CM Enviado : 12/02/21 17:38
Marcelo_Rodrigues escreveu:
Mas quando digo que "não será personagem para jogador", quer dizer que não será oficial, e com isto não temos que nos preocupar com equilíbrio de jogo.
PS: a ideia não é criar o Demonista com foco em ser jogável. Ele será oficialmente um personagens do mestre, e é claro que sabemos que vai ter gente adorando fazer grupos malignos! Mas não será uma posição do projeto dizer: "venha jogar Tagmar, seja um demonista!"

Marcelo, façam como quiserem, mas eu não tenho dúvidas de que você está falando do que não existe. Se o sistema tem regras para criar um PJ, então ele está gritando "vocês podem fazer personagens assim". E sim, será oficial, porque estará em um livro oficial.

Marcelo Rodrigues escreveu:
Se o mestre assim quiser, não só Demonistas podem ser personagens jogáveis, mas dá para fazer Ogros, Trols, e até mesmo dragões! A parte de não ter que se preocupar com equilíbrio é o ponto chave.
Outro ponto importante é que ao contrário do livro de criaturas que tem uma limitação na quantidade de variação, o "A Seita" dará ao mestre a opção de montar o seu NPC de forma que mais se ajustar a aventura, da mesma forma que Napois e Sekbets agora vão poder ser personagens com fichas.


Se o mestre quiser ele edita toda a ficha de NPC da forma que achar mais conveniente. Logo, incluir eles no livro de criaturas não trará nenhuma limitação de variação.

Marcelo Rodrigues escreveu:
Nosso mestre T.Rex está trabalhando no capítulo "Raças Civilizadas" ( do Livro de Criaturas) que conterá aquelas listagens antigas do Tagmar 1 que eram muito usadas para preencher aventuras com personagens pouco importantes. Para personagens NPS importantes todos usam a ficha mesmo.

Isso só mostra o quão inservível será um Livro como esse, além de estimular os jogadores a escolherem personagens demonistas. Todos estão carecas de saber como montar fichas e, mesmo assim, todos pedem por fichas de personagens comuns no Livro de Criaturas. Tudo porque é muito mais conveniente do que criar uma ficha, que vai muito além de preencher campos em branco numa planilha.

Marcelo Rodrigues escreveu:
Assim sendo podemos sim por na livro de Criaturas uma seção "Demonistas" com listagens pré-prontas para os mestres sem tempo (ou preguiçosos)... mas só para demonistas "comuns", o chefão este sim vai usar a ficha completa de demonista, que terá uma gama de escolhas (habilidades, técnicas, armas, e magias exclusivas) bem ajustada a aventura.

Não é preciso um conjunto de regras para se criar um personagem desequilibrado. As regras estão aí justamente para equilibrar as coisas.

Se a intenção realmente for criar PNJs, no máximo podem ser fornecidas orientações gerais, como "EH = ±20/estágio , Karma = 10/estágio , Absorção = 20 ou 30 , Habilidades: 10 a escolha do mestre, mais Misticismo, Sabedoria (Leva ou Seita) e Religião (Demônios) , Magias: 10 magias da lista de magias, no mesmo estágio do personagem ou menor", etc.
#17 Marcelo_Rodrigues Enviado : 12/02/21 18:57
Fabio,

O Livro é muito mais que apenas uma duzia de linhas numa tabela no livro de criaturas.
Tem lista e lista de magia ..13 listas ao todo.

Tem uma parte bacana que conta a história e que tem outra parte que detalha como é a estrutura interna, hierarquia, costume outras mais. Deve dar varias dezenas de paginas.

Resumindo... não dá para por no livro de criaturas sem transformar numa coisa simplista e sem graça.
#18 Edilton Oliveira Enviado : 12/02/21 20:44
Prezados(as),

Acredito que o que Marcelo quer afastar de Tagmar são publicidades desse tipo: jogadores matam família em partida de RPG ou jovem é morta em ritual no jogo de RPG.

Claro que o RPG em si não tem nada a ver, são pessoas com mentalidades deformadas que praticam essas atrocidades, mas a associação do tipo: “em Tagmar o jogador pode ser demonista... péssima influência” é bem provável de acontecer.

Para evitar esse marketing negativo: a decisão gerencial da profissão demonista não ser para jogador. Óbvio que Mestres farão histórias só de demonistas, eu mesmo já tenho ideias. Mas está claro que não é a posição oficial do Tagmar.

Por mim, eu colocaria apenas no Livro de Criaturas. Acho mais prático pegar PNJ pronto, sobra mais tempo para investir na história. Mas eu sou sempre a favor de escolhas: quem gosta de fazer a ficha do PNJ faz, quem quer pegar feita, pega. Como vai ter um livro dedicado a Seita, não seria estranho ter descrito nele como construir um personagem demonista (enriquece mais a obra). Se alguém está se propondo a fazer, não vejo problema em incluir essa construção como alternativa para quem gosta.

Dá para ter os dois: PNJ no livro de criaturas e um método para criação de PNJ em livro à parte. Só agrega mais valor ao projeto.

E se a ideia é fazer com que os demonistas fiquem overpower, tudo bem, mas eu não vejo problema em incluir demonistas em história contracenando com Pjs comuns, é só aumentar o nível das outras profissões para equilibrar. Ressaltando que essa opção é de livre arbítrio do grupo. Tudo é permitido no grupo objetivando a diversão, verdadeiro propósito de qualquer RPG.

#19 Nironde Enviado : 12/02/21 21:37


Da pra fazer as duas coisas Marcelo...

Acontece que apesar de não ver a história da seita da mesma forma que aqui no fórum, acho que poderia ser diferente as coisas.

Meu personagem nem é da seita. Mas depois das últimas aventuras vão começar achar que ele seria da seita.

Até mesmo você Marcelo chegou a dizer que as fichas que apresentei dos personagens é tudo menos Tagmar.

MJ pode criar de tudo seja Seita ou não...

Continua sendo Tagmar do mesmo jeito...

Eu até cheguei comentar a seita seria melhor se fosse uma organização visando outros interesses.

Mas por tá fora das condições que aqui realizaram não sou eu que vou mudar algo...

Aqui a Seita é dos demônios e vai sim conflitar de um jeito ou de outro.

O problema aqui é que tudo faz parte do mesmo pacote.

Ser da Seita é dos demônios.
Engraçado é que já foi dito isso pra não ser usado por jogadores.
Mas isso não vai impedir de ser feito.
#20 Marcelo_Rodrigues Enviado : 13/02/21 11:04
Edilton,

pode ser prático pegar PNJ pronto, mas não dá para fazer isto só no livro de criaturas, pois os Demonistas terão um diferencial em relação a criaturas normais que fazem magia. Terão 14 listas de magias (uma básica e uma para cada principe infernal). Veja o caso por exemplo de do que o T.Rex fez recente onde temos os Elfos. https://tagmar.com.br/Cr...Nome=Elfo&Status=EM que é bacana para quem precisa por rápido um personagem Elfo na aventura sem esforço, mas se for de classe mística ai não dá, vai ter que fazer a ficha.

O mesmo vale para os Demonistas. Podemos como disse até por no livro de criaturas uma seção demonistas com uma descrição simples com uma tabela variando o nivel e a raça, mas vai ser um quebra-galho como é o caso dos elfos.

Assim sendo, teremos também o livro da A Seita, onde há a descritiva da seita (hostoria, organização, costumes, herarquia , etc) e a parte de regras para o mestre fazer um Demonistas para sua aventura. Teremos também as listas de magias.

No final atenderemos as duas ideias:

1) Um livro muito interessante para os mestres criarem estes grandes antagonistas

2) Uma adição ao livro de criaturas para os mestres que precisam por demonistas de forma mais rápida, sem perder tempo em criar a ficha toda (de forma similar aos Elfos).

OBS: movi esta discussão para um local separado, porque ja desviou totalmente o foco do tópico original.
#21 Edilton Oliveira Enviado : 13/02/21 16:44
Grande Marcelo,

Eu não me oponho a demonista ser uma profissão, tendo alguém que se dispõe pra escrever o texto, só agrega valor ao projeto.

Que bom que você gostou dos Elfos, me deu um trabalhão pra fazer. E da mesma forma que fiz com os Elfos, da pra incluir demonistas no livro de criatura em nível avançado. Claro que não terão a riqueza de detalhes que um construído por completo, mas, como você citou, quebra-galho e é bastante útil.

Assim, reitero, da pra ter os dois.

#22 Marcelo_Rodrigues Enviado : 13/02/21 18:31
Façamos assim! Dancing
#23 Fábio_CM Enviado : 15/02/21 16:20
Marcelo_Rodrigues escreveu:
O Livro é muito mais que apenas uma duzia de linhas numa tabela no livro de criaturas.

Sim, mas a pauta aqui é somente se é ou não um erro dar todas as ferramentas para os jogadores criarem e jogarem com personagens demonistas mais poderosos do que qualquer outro. O resto do livro pode permanecer como está.

É como eu disse: se há regras, os jogadores vão usar. Não existe isso de "tá lá, mas é só para PNJ".

Edilton Oliveira escreveu:
Acredito que o que Marcelo quer afastar de Tagmar são publicidades desse tipo: jogadores matam família em partida de RPG ou jovem é morta em ritual no jogo de RPG.

Edilton, parece que o Marcelo não está preocupado justamente com isso, já que teremos não apenas personagens demonistas, mas demonistas que são mais poderosos e interessantes de se utilizar do que os outros. Coisa que por sinal não é compatível com a história de Tagmar, porque a seita nunca se mostrou superior em força. Os reinos mais fortes de Tagmar foram subjugados de dentro pra fora, e alguns levaram décadas para cair (como Abadom), outros nunca caíram (como Âmien). Eles foram grandes estrategistas, mas nada sugere que tenham sido superiores em poder (exceto, claro, pelos demônios encarnados).

- - -
Outra coisa que não entendo é onde encaixar a profissão demonista. Temos 8 profissões, 3 delas totalmente focadas em magia (bardo, mago, feiticeiro) e mais uma que junta muito poder de combate com algumas das magias mais poderosas do sistema (sacerdotes). Qual a diferença conceitual de uma profissão demonista?

Isto: Devido à sua devoção, os Cultistas são capazes de evocar magias concedidas através do contrato de servidão que fazem com os as criaturas infernais. Normalmente os poderes demoníacos são em sua natureza destrutivos e são temidos por todos. Me parece exatamente como um sacerdote fanático, ou um feiticeiro preso por alguma espécie de acordo.
#24 Marcelo_Rodrigues Enviado : 15/02/21 18:46
Pessoal,

estou já escrevendo o texto sobre os Arquétipos dos Cultistas. A ideia principal é propositalmente não usamos o termo demonistas, já que há muito preconceito em torno deste termo.

Segundo, não estaremos mais usando o termo profissão, e sim arquétipo, já que não é uma profissão jogável. Sugestões de outro nome seria bom, já que cultistas não são criaturas.

Terceiro... não... os Cultistas não serão assim o todo poderoso (isto deixo aos Dragões Imperiais... srsrsr). A graça deste arquétipo é poder fazer magias de ataque e poder resistir a um combate, que na prática mistura uma parte das capacidade de magos e sacerdotes. Obviamente que não serão tão bom com magias de ataque como mago, e não terão magias de curas e de apoio como a de sacerdote .

Por ultimo, uma coisa mais frustrante é que se vc põe um mago como vilão tem de cercar ele de "guarda costas", e sempre tem aquele maldito raio elétrico ou flechada que mata fácil o mago. E é ai que Cultista se diferencia. Na prática é um sacerdote malvado, com magias mais ofensivas.

Confiram aqui as características: https://tagmar.com.br/fo...spx?g=posts&t=13855





Usuários visualizando este tópico
Guest
Ir para o Fórum  
Você não pode adicionar novos tópicos neste fórum.
Você não pode responder a tópicos deste fórum.
Você não pode excluir suas participações deste fórum.
Você não pode editar suas participações neste fórum.
Você não pode criar enquetes neste fórum.
Você não pode votar em enquetes neste fórum.

YAFPro Theme Created by Jaben Cargman (Tiny Gecko)
Powered by YAF | YAF © 2003-2009, Yet Another Forum.NET
LGPD (Lei Geral de Proteção a Dados): o site do Tagmar usa a tecnologia de cookies para seu sistema interno de login e para gerar estatísticas de acesso. O Tagmar respeita a privacidade de cada um e nenhuma informação pessoal é armazenada nos cookies. Ao continuar a navegar pelo site você estará concordando com o uso de cookies.