Bem-vindo Convidado Pesquisar | Atividades no Fórum | Entrar | Registrar

4 Páginas <1234>
Capítulo 07 - Gáldor - Não há lugar como o nosso Lar Opções
#61 Gáldor Tinúviel, o Sombrio Enviado : 12/12/17 21:35
Jogador: saulocr
EF: 84
EH: 132
Karma: 36
Lançamento 2d20=10,20
Coloco o manto para trás e deixo amostra minha cota de malha de Anilien, então me aproximo ainda mais do elfo e me posiciono usando a técnica posicionamento para me livrar de possíveis ataques, com a manopla do grifo agarro ele pela blusa/armadura de couro e digo para que todos escutem: "Eu sou Galdor Tinúviel, descendente de Daeron Tinúviel fundador e primeiro comandante da guarda real de Lar. Meu pai Erestor Tinúviel é o comandante da academia de infantaria dos dragões reais. Sou sobrinho de Meireven Tinúviel regente de Citira. Fui treinado como Antari e fui capitão da guarda da cidade de Artar. E hoje sou o Rei Galdor I, Senhor de Batel'mor e protetor dos incultos. Ordeno que me leve agora até sua majestade ou eu juro perante o brasão que ostento que farei com que caia em vergonha, não só você mais toda a sua família e daqueles que ousarem fazer com que eu perca mais tempo". Digo isso tentando intimidar a todos a minha volta.

Persuasão + Posicionamento.
#62 samuel.azevedo Enviado : 13/12/17 11:42
Persuasão 12, rolamento 10, laranja, médio: conseguir persuadir alguém não muito inclinado a ser convencido, porém não hostil.
Posicionamento 12, rolamento 20, cinza: Impede que cinco dos seus adversários lhe ataquem.


Gáldor começa seu discurso, expondo sua armadura de anilien, o que já impressiona um pouco o chefe da guarda do castelo, que estava se convencendo de seu discurso até que Gáldor surpreende o agarrando por trás. Gáldor fica atrás do homem, com as costas para uma parede. E os outros dois guardas que estavam perto não sabiam se agiam ou não, pois seu superior estava em ameaça e não tinha como ferir o grande forasteiro. Então o chefe diz:

- Você conseguiu chamar minha atenção. Agora o levarei a sério. Se você é quem diz ser, pare de me ameaçar e exiba uma prova de sua identidade! A Iluminada é muito ocupada e não recebe qualquer pessoa desconhecida a qualquer hora, sem documentação que comprove suas alegações.
#63 Gáldor Tinúviel, o Sombrio Enviado : 13/12/17 12:01
Jogador: saulocr
EF: 84
EH: 132
Karma: 36
Largo ele e me afasto, então saco o punhal e transformo em uma montante: "Esta é a espada caçadora, está na minha família há séculos. Ela carrega o simbolo dos Tinúviel e tem o lema escrito em runas anãs." Deixo que ele vislumbre as runas e transformo em um punhal. Em seguida arremesso o punhal em um alvo imóvel. "Ela só obedece as ordens de um Tínúviel". Abro a mão da garra e convoco o punhal de volta. "É o suficiente, ou prefere que eu mostre um anel com o brasão da família?"
#64 samuel.azevedo Enviado : 13/12/17 12:50
- Esta relíquia de família é mais do que o suficiente, senhor. Faça a gentileza de me acompanhar.

Ele o conduz da entrada (21), passando por um átrio (8) que tinha um escritório de cada lado. Ele aponta:

- Ali a esquerda é o meu escritório, e o da direita é o dos magistrados.

Vocês seguem em frente, e ele o coloca em uma sala de espera (22).

- Por favor, aguarde aqui, irei anunciá-o.

Uma hora depois ele volta, sua barriga já estava roncando pois já devia ser hora do almoço. Ele o conduz por um corredor cheio de quadros antigos de cenas cotidianas e paisagens ainda do segundo ciclo, até que chegam em uma salinha circular com as estátuas de Palier e sua esposa Maira, trazendo nas mãos crianças elfas.

Então vocês passam por um corredor de quadros e esculturas de arte sacra, e ele aponta uma sala a direita.

- A Iluminada irá atendê-lo, pode aguardar com mais conforto aqui neste escritório.

//off: role um teste Fácil de sentidos para sentir um odor, ou Médio para além do odor ouvir sons.
samuel.azevedo anexadas as seguintes imagens:
Grande Palácio Real de Aarom.jpg
#65 Gáldor Tinúviel, o Sombrio Enviado : 13/12/17 18:05
Jogador: saulocr
EF: 84
EH: 132
Karma: 36
Lançamento 1d20=14
Aguardo de pé esperando pela regente.

[1d20]
#66 samuel.azevedo Enviado : 14/12/17 18:48
Examinar (Usar os Sentidos) 10, rolamento 14, vermelho, difícil.

Enquanto aguardava, Gáldor sente um delicioso aroma de comida, e uma conversa abafada pela porta:

- Iluminada, mais um suposto rei?

- Haha, pois é. Ele deve ter feito algo, pois impressionou o chefe da guarda palaciana. É bom que haja ao menos algo interessante aí, ou o cargo de chefe vai vagar. Seria tão bom se a profecia se realizasse... Finalmente eu poderia deixar esta carga para trás e subir as escadarias da Ponte de Palier.


- A profecia...

- Sim, a minha mãe, quando era a regente e sumo-sacerdotisa desta mesma cidade, profetizou: "O Grande Rei há de retornar, mas três sinais ele terá que demonstrar..."

O resto da conversa fica abafada, o som ritmado de talheres tocando em pratos continua, cada vez mais esparsado. Não demoraria para eles terminarem de comer.

//off: vai esperar mais um pouco?
#67 Gáldor Tinúviel, o Sombrio Enviado : 14/12/17 20:50
Jogador: saulocr
EF: 84
EH: 132
Karma: 36
Lançamento 1d20=13
A medida que a conversa vai ficando mais inaudível dou uma olhada nos lados e me aproximo furtivamente da porta, se necessário coloco o ouvido na porta e tento ouvir melhor, mas atento aos corredores.

[1d20]
#68 samuel.azevedo Enviado : 16/12/17 20:34
Examinar (Usar os Sentidos) 10, rolamento 13, vermelho, difícil.


Ao colocar o ouvido na porta do escritório, Gáldor ouve melhor o som abafado do salão no outro lado do corredor:

- O sinal de Palier, uma prova de poder e sabedoria; o sinal de Maira, uma prova de pureza e bondade; o sinal real, uma prova de nobreza e liderança...

Então, pelo som, as pessoas param de conversar, refletindo nestas palavras enquanto terminam de comer. Pois só era possível ouvir o barulho de talheres raspando em pratos.

Finalmente, as portas se abrem, e um guarda real entra. Trajava uma armadura pesada prateada e coberta por um manto branco com grandes bordados verdes. Seu rosto estava quase que completamente cobertos por um elmo fechado, e portava uma lança média na mão e uma espada na bainha. Ele
gesticula até a entrada do salão do trono, que agora estava com as portas abertas, caminha até lá, e anuncia:

- Gáldor Tinúviel, descendente de Daeron Tinúviel fundador e primeiro comandante da guarda real de Lar. Filho de Erestor Tinúviel, o comandante da academia de infantaria dos dragões reais. Sobrinho de Meireven Tinúviel, regente de Citira. Antari e capitão da guarda da cidade de Artar. Senhor de Batel'mor e protetor dos incultos.



O salão do trono tinha as paredes e pilares cobertas de mármore e ouro, um tapete vermelho no centro levava até o trono real. Porém este estava desocupado. A Regente encontrava-se em uma mesa de banquete ao lado de capitães da guarda, e membros do conselho. Todos o acompanham com os olhos, menos os servos que recolhiam os pratos. Ainda haviam muitas tortas e garrafas de vinho semi-cheias sobre a mesa. Nessa Iavetil se levanta depois de todos os outros, e aponta para uma cadeira vazia.



A regente era uma elfa dourada com a pele já um pouco pálida pela idade; mas de beleza e altivez impressionante. Ela trajava um majestoso vestido bordado em ouro e cravejado com pedras preciosas, talvez incomum para uma sumo-sacerdotisa de Palier, mas não para uma que também é rainha.

- Queira sentar-se, Gáldor Tinúviel. Pelo que consta, escreveste uma carta no 10o dia do mês do Talento, de tal reino Batel'mor, e enviaste aves solicitando ajuda a todas as regentes. Como deve saber, hoje é o dia 29 do mês da Paixão. A comitiva enviada para sua ajuda chegou em Batel'mor a poucos dias, mas relatou que você havia deixado o reino com a regência de um conselho de sacerdotes, liderado por uma humana, pois partira em alguma missão sagrada... Gostaria de adicionar detalhes a esta história?

Com o movimento súbito das pessoas que se sentavam, uma serva derruba uma bandeja e taças de cristal se quebram.
#69 Gáldor Tinúviel, o Sombrio Enviado : 17/12/17 11:20
Jogador: saulocr
EF: 84
EH: 132
Karma: 36
Quando escuto passos me afasto e aguardo quem estar por vir, enquanto invoco língua da serpente, quando sou apresentado entro no local com passadas largas e rosto erguido. Então cumprimento os senhores a mesa e em especial a regente, em seguida me sento, quando a serva derruba a bandeja apenas olho pra ela e tento guardar sua fisionomia, em seguida quando as coisas se acalmam a mesa eu lhe respondo: "Sim senhora! Vossa majestade também me disse em carta que me enviaria uma pretendente para ser minha rainha e eu estou aqui para cobrar esta dívida. Mas não apenas para isso..." Pego os livros da mochila com fundo falto e coloco sobre a mesa: "Os originais, Collegium Sanguinem, Schola Anima, Tempore Mágicis e Foedus Daemonia, roubados da Abadia de Citira."
#70 samuel.azevedo Enviado : 19/12/17 19:28
- É verdade, lhe prometi um título e honraria a altura caso fosse averiguado que o reino era próspero, e uma regente. Os relatórios iniciais mostram que Batel'mor tem um grande potencial, havia até uma reserva que servirá para manter a cidade por um tempo. Então, você terá sua noiva. Mandarei hoje mesmo cartas para as outras famílias nobres, e em trinta dias faremos um grande baile para a escolha da nova regente, que será sua esposa. Claramente, ela terá que ser uma sacerdotisa de Palier, como todas nós Regentes somos. Então, os preparativos irão tomar algum tempo.

Depois ela olha para os livros, e diz:

- Bom trabalho. Resgatar tomos antigos é algo muito apreciado e por todo bom discípulo de Palier e isso nos traz muita alegria. Acredito que estes livros devem ser entregues na Abadia de Citira. E devem ser de interesse da Regente, sua tia-avó, Merenvem Tinúviel. Você pretende viajar até lá? Posso providenciar uma comitiva para levá-lo.
#71 Gáldor Tinúviel, o Sombrio Enviado : 19/12/17 23:28
Jogador: saulocr
EF: 84
EH: 132
Karma: 36
Lançamento 1d20=18
Devolvo os livros a mochila e lhe digo: "Não preciso de um baile, pois eu não tenho um mês! Viajarei para Citira amanhã. Pois devo retornar o mais breve possível a Batel'mor. Um levante de mortos de todos os tipos atacou e destruiu metade da cidade bárbara de Elbrat as margens do lágrima, tenho sérias suspeitas de que há um grupo grande de necromantes agindo no extremo sul, e uma nova investida no meu reino não é descartada, sem falar que temo que uma guerra civil venha a destruir tudo o que eu conquistei. Vim implorar que a senhora, tenha pressa em me conseguir uma Rainha, não faço questão que ela seja a mais bela ou a mais rica de Lar, todavia preciso que ela seja a mais devota e pura... A primeira qualidade servirá para que tenha a paciência necessária para ensinar aos incultos e a segunda para que possa viver em paz em lugar tão hostil. Queria também solicitar da senhora dois cavalos rápidos, viajaremos até Citira onde nosso enlace será abençoado por minha tia. De lá solicitarei uma guarda pessoal para seguirmos até Batel'mor." Desenrolo o mapa das geleiras onde haviam estavam marcadas as torres. "Estas torres são portais fixos criados pelos lendários Tar Omon, eles podem teleportar de um ponto a outro das geleiras, os usei para chegar em Lar. Torre nordeste fica perto de Batel'mor viajarei pela torre noroeste".

Persuasão 22 para convencê-la.

[1d20]
saulocr anexadas as seguintes imagens:
Mapa 04.png
#72 samuel.azevedo Enviado : 20/12/17 11:32
//off: Nessa sabe ler nas entrelinhas como ninguém, talvez até leia os pensamentos das pessoas. Faça uma RM contra força de ataque 15, se falhar, descreva o pensamento por trás da proposta de Gáldor.
#73 Gáldor Tinúviel, o Sombrio Enviado : 20/12/17 12:19
Jogador: saulocr
EF: 84
EH: 132
Karma: 36
Lançamento 2d20=10,20
#74 Gáldor Tinúviel, o Sombrio Enviado : 20/12/17 12:21
Jogador: saulocr
EF: 84
EH: 132
Karma: 36
Rolei 2d20, do meu poder especial Post 28

//off: ao falhar na RM contra magias de efeito espiritual ou mental, Gáldor poderá rolar 1 nova tentativa por dia.
#75 Gáldor Tinúviel, o Sombrio Enviado : 20/12/17 12:22
Jogador: saulocr
EF: 84
EH: 132
Karma: 36
samuel.azevedo escreveu:
//off: Nessa sabe ler nas entrelinhas como ninguém, talvez até leia os pensamentos das pessoas. Faça uma RM contra força de ataque 15, se falhar, descreva o pensamento por trás da proposta de Gáldor.


Suei frio agora! Se tivesse falhado eu tava morto.
#76 samuel.azevedo Enviado : 20/12/17 12:59
//off: kkk.

Persuasão 22 = 2 + 2 níveis, rolamento 18, muito difícil + 2 níveis = absurdo.
RM 13 x força de ataque 15, rolamento 20, sucesso.


Nessa transparece que está intrigada com o olhar, mas as palavras de Gáldor são absurdamente persuasivas. Ela lhe responde:

- Entendo sua urgência em proteger o local. Mas não posso eleger uma nova regente de qualquer maneira. A regente é eleita pelos seus pares, sacerdotisas de Palier. Então, preciso chamar um conclave de urgência para a escolha. Eu faria com mais calma, e apresentaria a escolhida no baile. Mas, diante da situação, convocarei todas para a eleição em 1 semana. No grande Templo de Palier. Todas as demais Regentes também virão votar ou enviarão representantes para isto. Prefere esperar a semana aqui, ou quer um transporte rápido para ir e voltar até sua tia-avó em Citira?
#77 Gáldor Tinúviel, o Sombrio Enviado : 20/12/17 16:20
Jogador: saulocr
EF: 84
EH: 132
Karma: 36
Respondo a ela com firmeza: "Acredito que minha senhora ainda não entendeu a gravidade da situação. Uma semana pode ser o que falta para um novo ataque. Se Batel'mor cair de que adianta uma rainha?" Me aproximo dela com as mãos para trás e lhe digo: "Eu acredito que a senhora possa tomar esta decisão sozinha e sei que as demais regentes entenderão e acatarão sua escolha e seu julgamento sábio. Confio plenamente que escolherá dentre suas sacerdotisas a mais devota para uma missão tão singular, que requer força de vontade e fé nos ensinamentos do pai." Faço uma reverência e lhe digo: "Peço permissão para me retirar. Há dias não como bem e a senhora ainda tem muito o que pensar. Esperarei sua resposta em alguma hospedaria e independente do que me disser, lhe serei grato por me receber. Mas meu dever com aquele povo neste momento está em primeiro lugar e assim como avisei, partirei amanhã cedo." Então me viro para os demais nobres presentes e tento parecer engraçado: "Certamente Selimom e Cambu verão algum Tinúviel com bons olhos, quando conseguir pacificar um local onde elfos, homens e orcs consigam viver." Caso ele me dê licença eu deixo o local.
#78 samuel.azevedo Enviado : 20/12/17 17:33
- Eu entendo a tua urgência, e estou fazendo o mais rápido possível. Mas tens feito um bom trabalho protegendo Batel'mor, tenha mais confiança em si mesmo. Não posso fazer as coisas de qualquer forma, a longo prazo seria desastroso. Não precisas procurar uma hospedaria. Mandarei lhe hospedar no castelo da minha família, na parte sul da cidade. Amanhã, terás uma carruagem com corcéis velozes, um cocheiro e guardas para o escoltar.

Depois que Gáldor pede licença, a Regente estala os dedos, e um servo o conduz até a saída. Então ele pede para esperar e em menos de cinco minutos uma carruagem luxuosa o conduzia pelas ruas da cidade até o castelo da família Iavetil. //off: Área 12 do mapa do post #53.

Ao chegar no castelo, o mesmo servo lhe conduz até um aposento de luxo, destinado a hóspedes. De um lado do quarto, uma grande cama com dossel era ladeada por uma escrivaninha com pergaminhos, tinta e cera, e alguns livros sobre religião e história de Lar. Do outro lado, havia um poltrona e uma banheira. No centro, sob um candelabro haviam cadeiras confortáveis.



Em pouco tempo uma serva enche uma banheira com água morna, e outra traz uma refeição fina e farta, preparada por hábeis cozinheiros elficos. Outra serva entra, portando uma harpa dourada. Ela estava vestida com uma túnica de seda branca e púrpura, e usava jóias, o que poderia indicar que era de uma hierarquia superior a dos outros servos. Sua pele era palidamente dourada, e ela lhe diz:



- Boa tarde, meu senhor. Sou Artanis Laurëóma. Sou a arauto do castelo Iavetil. Se o lorde desejar, estarei aqui tocando as mais belas melodias de nosso povo, ou lhe fornecendo notícias ou informações gerais sobre os nobres ou sobre a cidade.
#79 Gáldor Tinúviel, o Sombrio Enviado : 20/12/17 22:14
Jogador: saulocr
EF: 84
EH: 132
Karma: 36
Antes de deixar a sala digo para a regente: "Senhora, não me falta confiança, mas sim tempo. E muitas vezes a opção intuitiva é a mais acertada. Então não preciso de uma carruagem, muito menos de guardas. Serão um fardo para minha viagem. Um cavalo rápido já está mais do que bom, pois cruzarei as torres para ganhar tempo. Espero que pondere sobre meu pedido, se não chegar lá com uma rainha pode ser que eu tenha que tomar outras medidas para unir e proteger os povos daquela região. Acredito que a senhora já esteja sabendo que deixei o local na regência de uma rainha bárbara. Uma sacerdotisa de Blator chamada Clemildes! Uma união conjugal não é descartada e rejeitar um pedido, sem uma razão visível poderia ser catastrófico. Não posso alegar que já tenho uma rainha especulativa. Entende?" Já no quarto olho para a elfa e sorrio: "Boa Tarde, Artanis." uso amizade 6.
#80 samuel.azevedo Enviado : 21/12/17 00:11
A regente apenas murmura algo como "que assim seja", diante do pedido pela montaria veloz. Por dentro, ela estava intrigada por não conseguir sondar Gáldor e pela negação de escolta e pelo restante das afirmações que para ela não faziam tanto sentido.

No quarto, Gáldor lança Amizade 6 em Artanis.

Artanis, RM 8 x Força de ataque 13 [1d20]
#81 samuel.azevedo Enviado : 21/12/17 00:14
Artanis, RM 8 x Força de ataque 13, rolamento 13, falha.

Artanis se porta muito confortável próxima a Gáldor, e seus maneirismos se relaxam como se ele fosse um amigo de longa data. Então ela fica dedilhando a harpa, olhando atentamente para ele.
#82 Gáldor Tinúviel, o Sombrio Enviado : 21/12/17 12:07
Jogador: saulocr
EF: 84
EH: 132
Karma: 36
Digo pra ela: "Querida preciso lhe pedir um favor! Viajei bastante e quero total privacidade não quero receber ninguém, nem mesmo você... até amanhã chegue, pode fazer isso? Me traga mais comida e bebida e depois pode cuidar disso pra mim?" Depois que a moça trás o meu pedido, fecho todas as cortinas e portas para que ninguém entre no local e vou descansar e fazer um ritual para recuperação de karma.
#83 samuel.azevedo Enviado : 22/12/17 02:33
Artanis faz conforme foi pedido, e se assegura no corredor de que ninguém tentasse entrar no quarto até o dia seguinte.
#84 samuel.azevedo Enviado : 22/12/17 12:43
Pela manhã, Artanis bate na porta, e avisa que o desjejum será servido, e é importante chegar a mesa antes da Regente, pois ela não gosta de esperar.
#85 Gáldor Tinúviel, o Sombrio Enviado : 22/12/17 19:48
Jogador: saulocr
EF: 84
EH: 132
Karma: 36
Me banho e me visto, usando a cota de malha e o manto por cima, já levo meus itens pessoais comigo e uso mutação 1 e proteção contra o sol 1. E então irei para o desejum.
#86 samuel.azevedo Enviado : 24/12/17 00:24
Artanis o conduz pelas salas e corredores decorados com tapeçarias finas e quadros da família Iavetil até uma sala com cristaleiras que exibiam inúmeros pratos de porcelana com desenhos diferentes. O que chama a atenção é que cada fileira de pratos tinha um motivo que lembrava algum brasão diferente.

Ao chegar na mesa, quase todos os convidados já haviam chegado. Então ela o apresenta:

- Senhores, este é o rei Gáldor Tinúviel I, Protetor do Norte, conquistador da cidade inculta de Batel'mor, onde orcos, humanos e meio-elfos vivem em harmonia, ele também é antanri formado na Academia Militar da cidade de Artar, juramentado da Regente de Citira Merenvem Tinúviel. Comandante do Corpo de Guardas da Fortaleza de Artar ao Sul do Reino de Lar. E décimo terceiro na linha de sucessão ao trono de Citira.

Diante de cada um deles, havia um pequeno prato em pé sobre pedestais para marcar os lugares com os desenhos dos brasões da família de cada convidado: uma pena de pavão rodeada pelas três luas, uma fonte jorrando água cercada por ambrósias, uma fada em um semicírculo de louros, uma lança sobre o sol, uma fênix, então havia um lugar vazio de frente a um pratinho com o desenho de um grifo numa das pontas da mesa, e ao lado dele um prato com o desenho de um rouxinol, a sua esquerda uma cornucópia, um unicórnio sob um céu estrelado, um arco sob uma chama, um dozecórneo, e ao lado dele na outra quina da mesa outro dozecórneo com uma tiara sobre ele diante de outra cadeira vazia. Na orla dos pratos havia a pintura de dois anéis dourados, e entre eles os dizeres em élfico com o nome da casa e seu lema. A arauto vai apresentando respectivamente as pessoas: Celedrim Gladart, Primeiro Cavaleiro, esposo da Mais Iluminada, Capitão da Guarda Real; Tallis Ambrose, Conselheira da Regente, Mestra dos Segredos; Lozasdiel Fairë, A Etérea, Vidente Real; Synmomie Laurëhtë, Capitã da Guarda da Cidade; Caelorn Faládriam, Orisuqui, Alquimestre; este lugar com o grifo obviamente é o seu (sendo o grifo símbolo da casa Tinúviel); este lugar com o rouxinol é meu; Adriel Lembas, Intendente Real; Aelallia Miniel, Conselheira, Sacerdotisa de Palier; Tauriel Arcosi, Anfarqui da academia de Aarom, Capitã de mil Anfarquis; Dressa Iavetil, filha da Mais Iluminada, acóolita da Ordem de Palier; e este outro lugar vazio com o dozecórnio com uma tiara é o da Regente Nessa Iavetil. Depois de cumprimentar a todos, Caelorn comenta:

- Por um momento achei que você estivesse usando a armadura lendária dos Tinúviel, já ia perguntar se você tem as 5 partes. Meu sonho é conhecer seu funcionamento total, li sobre seu projeto no colégio. Mas esta que você está usando é uma novidade, ou melhor, uma antiguidade renovada com magia! Material muito bom!

Ele interrompe sua fala quando Nessa Iavetil entra. Todos se levantam e ela é anunciada por Artanis com a voz empostada:

- Nessa Iavetil, Primeira de Seu Nome, Regente de Aarom, Sacerdotisa Mor da Ordem Sagrada de Palier, A Mais Iluminada!
samuel.azevedo anexadas as seguintes imagens:
mesa regente.jpg
#87 Gáldor Tinúviel, o Sombrio Enviado : 26/12/17 22:39
Jogador: saulocr
EF: 84
EH: 132
Karma: 36
Cumprimento todos os presentes, demoro um pouco mais olhando para a filha da Regente Iavetil, então no final me sento a mesa e respondo a Caelorn: "Achei o artefato entre os pertences do finado Valgule, o sinistro, quando o enfrentei e o assassinei em seu palácio. Aparentemente algum descendente meu esteve por lá. Na verdade um sangue ruim do lado de minha mãe, foi um dos fundadores do reino." Então quando a regente entra fico em silêncio apenas mantendo as normas de etiqueta.
#88 samuel.azevedo Enviado : 02/01/18 14:43
- Artefato.. Qual dos cinco? - Caelorn começava a perguntar mas para quando a regente entra.

Todos se levantam, a Regente entra graciosamente, e impondo as mãos no ar fala uma bênção:

- Que a Luz de Palier ilumine as vossas mentes e vosso dia!

- Que a Luz nos ilumine!- todos repetem.

Com um gesto dela, todos se sentam, seguidos por ela mesma. Ela se serve de uma maçã fatiada e despeja um pouco de mel em cima, enquanto comenta:

- Hoje nosso convidado especial é Gáldor da casa Tinúviel. Seu feito foi notório, e acredito que vocês já estão a par. Gostaria que o Rei de Batel'mor dissesse tudo a vocês pela sua própria boca, para que vocês nos aconselhem em alguns assuntos. Não teremos tempo para uma reunião mais tarde, pois temos os demais compromissos do dia, e ele mesmo está partindo daqui a pouco para ter com sua tia-avó.

Antes que Gáldor pudesse falar, Celedrim Gladart se pronuncia:

- Esposa, se me permite, gostaria de falar uma observação. Ele encontrou um artefato em Batel'mor que prova que um dos seus antepassados ajudou a construir a cidade/reino. O que mostra que além do direito da conquista, ele tem direito por herança. Porém, a casa Tinúviel já está irregular perante as demais casas regentes. A sua tia-avó, Mereven Tinúviel é a única regente que não é uma sacerdotisa, como o costume manda. Ter um regente homem já seria algo ainda mais irregular, chamá-lo de Rei trará ainda mais polêmica ao assunto, e ter dois regentes da mesma família dariam mais poder a família Tinúviel e trariam desequilíbrio a nossa política. O que devemos ponderar, sem esquecer que o mérito dele é inquestionável.
#89 Gáldor Tinúviel, o Sombrio Enviado : 03/01/18 14:00
Jogador: saulocr
EF: 84
EH: 132
Karma: 36
Quando vejo ela chegando pela porta uso língua da serpente 9 e imito a saudação feito por todos para a Regente e quando sou delegado a palavra fico de pé e então lhes digo: "Não irei me alongar, visto que já devem saber do ocorrido, depois que enviei cartas a todas as cidades estados informando o ocorrido..." Mostro a garra do grifo que estava no meu braço, que achei entre os pertences de Valgule: "Há alguns meses estava na fortaleza de Artar, quando fui convocado por minha tia-avó para resgatar os tomos de magia da Abadia de Citira. Pois bem, sai em missão pelas terras selvagens de oeste a leste seguindo uma trilha de morte que começava nas grandes arenas e se expandia por todo o território selvagem das geleiras. Havia um pequeno grupo de magos negros, Thersep, Uilmatem, Valgule, além de uma Bruxa chamada Lori. Talvez existam outros envolvidos, mas somente cruzei com estes. Depois de salvar a cidade de Elbrat e auxiliar na caçada da bruxa Lori, fomos para Batel',mor buscar informações. No caminho tivemos um enfrentamento com uma grande patrulha de orcs que levavam armas e armaduras para as geleiras. Conseguimos derrotá-los e aproveitamos a oportunidade para usar essas armas e armaduras para trocar em Batel'mor. Fomos bem recebidos no castelo de Valgule, eu pessoalmente negociaria os equipamentos com ele, por isso solicitei uma audiência com o Rei Sinistro, parte dos itens trocaria por informações. Ele me recebeu na sala do trono, cercado de dezenas de guardas reais. Entretanto durante nossa conversa percebi que ele estava em conluio com os demais magos sombrios. Não tive escolha se não atravessar o salão cheio de soldados e crava a espada justiceira no peito dele. Depois disso, fui aclamado como novo Rei de Batel'mor. Nos dias seguintes cuidei para deixar o reino protegido e firmei uma aliança com a Líder de Elbrat, uma clériga de Blator chamada Clemildes. Ela cuidaria do reino na minha ausência." Após a história digo para o marido da regente: "Foi por isso que voltei para Lar. Antes de deixar Batel'mor me correspondi com as regentes através de cartas, falei dos problemas que lá existiam e ressaltei as infinitas possibilidades. Batel'mor precisa de alguém que a conduza com mão de ferro, para manter a paz pelo menos enquanto os incultos são pacificados. Me fora prometido uma rainha e estou aqui para levá-la".
#90 samuel.azevedo Enviado : 03/01/18 18:54
Todos ouvem o discurso de Gáldor muito atentamente.

//off: Com o mesmo bônus da língua de serpente, role um teste de persuasão diferente para cada convidado para saber o efeito do discurso em cada um; não precisa fazer para a regente, pois ela já foi persuadida e ponderou pelo teste anterior. Uma falha crítica fará a pessoa se opor totalmente a ideia, e um sucesso crítico fará a pessoa se tornar um aliado em seu argumento. Resultados Difícil acima também colocarão cada opinião ao seu favor em detrimento aos protocolos da situação. Pode ser na ordem: Celedrim Gladart, Tallis Ambrose, Lozasdiel Fairë, Synmomie Laurëhtë, Caelorn Faládriam, Artanis Laurëóma, Adriel Lembas, Aelallia Miniel, Tauriel Arcosi, Dressa Iavetil.

Além disso, faça uma RM contra força de ataque 15, se falhar, Nessa perceberá que a intenção de Gáldor para com a sua prometida que ele está insistindo tanto é má.
Usuários visualizando este tópico
Guest (4)
4 Páginas <1234>
Ir para o Fórum  
Você não pode adicionar novos tópicos neste fórum.
Você não pode responder a tópicos deste fórum.
Você não pode excluir suas participações deste fórum.
Você não pode editar suas participações neste fórum.
Você não pode criar enquetes neste fórum.
Você não pode votar em enquetes neste fórum.

YAFPro Theme Created by Jaben Cargman (Tiny Gecko)
Powered by YAF | YAF © 2003-2009, Yet Another Forum.NET