Bem-vindo Convidado Pesquisar | Atividades no Fórum | Entrar | Registrar

Fernão Coppa Opções
#1 samuel.azevedo Enviado : 27/08/17 18:01
Fernão Coppa


Fernão gostava de aproveitar a vida bancado pela riqueza de sua família, e, apesar de ter estudado medicina com seu pai, não se interessava tanto pela tradição familiar. Preferia viver de forma boêmia na cidade de Magiara, se envolvendo com outros sujeitos baderneiros e até bandidos. Sua vida desregrada por vezes o fazia ser preso pela guarda da cidade por causa das grandes badernas, o que causava grande vergonha a seu pai e sua família - até que seu pai, o conde Coppa, cortou o seu acesso aos bens da família. Mas Fernão já tinha contatos com o submundo do crime entre seus colegas de farra, e para manter as sua vida boêmia usando seus conhecimentos de medicina para fornecer venenos que causassem mortes sem levantar suspeita, para em troca receber mulheres, bebidas ou até mesmo ingredientes alucinógenos que ele mesmo preparava para si e para seus amigos.

A casa Coppa era uma grande casa nobre de Marana, mas apesar dos "excessos" de Fernão que eram assunto de fofocas por dias, só caiu em desgraça e decadência quando seu pai não conseguiu salvar o agonizante rei Elberto Zeneri IV de uma doença misteriosa. Para o conde, a última esperança da casa de cura dos Coppa era reconquistar sua glória com um grande feito, e nenhum feito poderia ser maior para as casas medicinais do que encontrar a cura da peste de Luna.

Assim, apesar dos protestos da condessa, sua família quase toda viajou para Luna em busca de encontrar a cura da peste. Deixando para trás apenas Fernão, que não era tão bom médico quanto os seus irmãos e seu pai, sua mãe Margarida e uma pequena comitiva de servos.

Apesar dos esforços da família, a peste se alastrava cada vez mais. Quando soube por meio de carta que sua irmã adoecera, Mário ficou sozinho na propriedade da família pois sua mãe e sua comitiva foram para Calisto em Luna, para cuidar da jovem. Porém as notícias se tornavam cada vez piores, ao chegar na cidade lunense a mãe já encontrara a filha morta, e o conde Coppa também estava doente. Quando o conde morreu, a condessa e seu filho mais velho se desesperaram e tentaram fugir da peste que estava muito espalhada no sul de Luna precisando desviar por Filanti.

Porém sua mãe e seu irmão não puderam passar pela fronteira, que a esta altura estava protegida pelo exército de Filanti. Seu irmão foi morto tentando fazer eles passarem pela fronteira de Filanti, e só restou a sua mãe tentar a sorte cruzando o reino de Luna. O que ela só conseguiu graças a ajuda de um lorde local, chamado Ludur Vertelli, porém no caminho ela e uma irmã do Vertelli pegaram a peste.

Fernão viu sua mãe viva uma última vez, quando ela e a jovem Flora Vertelli foram descobertas pela guarda de Marana que expulsou as duas famílias de volta para Luna. Antes de partir Fernão vendeu tudo o que restara de sua família, conseguindo menos da metade do valor dos bens, e Ludur contou seu plano de contrabandear as comitiva para Litória Nova no lugar de voltarem para a morte em Luna. Porém as duas morreram poucos dias depois, ainda na estrada. O lorde Vertelli não queria voltar para Luna, e levou Fernão com sua comitiva para Litória Nova, em Filanti.

Fernão partiu para Filanti com desejo de vingança em seu íntimo, contra a família real de Filanti e aqueles que proibiram a entrada de sua mãe e irmão em Filanti. Para ter alguma chance em sua vingança, fez contatos com a guilda de ladrões na Corte dos Milagres. Ele também acompanhou a ascensão do conde Ludur, que o ajudou a oferecer os bens que trouxera para a coroa em troca de uma propriedade e o título de Lorde de Coppa, devendo fidelidade e vassalagem a casa Vertelli. Assim, a casa Coppa se reergueu como uma casa nobre menor em Chats. Na propriedade Coppa, funciona uma pequena casa de cura e um apoticário, gerenciados por Fernão e um ajudante.

O brasão da casa Coppa é uma serpente enrolada em um cálice, e seu lema é "O que não mata, cura."
#2 samuel.azevedo Enviado : 27/08/17 18:05
Olá,

Este é o esboço do personagem que quero fazer. Em síntese, ele é de Marana e de família nobre fez contato com criminosos por ter uma vida de excessos. Sua família foi para Luna tentar encontrar a cura, alguns morreram, outros tentaram fugir do rastro da peste por Filanti mas seu irmão foi morto pela guarda que proibiu a migração. Sua mãe, a última parente, só restou viajar para Marana pelo sul de Luna acompanhada de alguns nobres, entre eles o lorde Ludur. Mas ela e a sobrinha do lorde contraíram a peste, e quando foram descobertos foram expulsos de volta para Luna. Ele vendeu tudo o que a família tinha antes de partir. As duas morreram na estrada e o lorde contrabandeou o restante de sua comitiva para Litória Nova. Quando o Lorde virou conde, tornou-se seu vassalo e fez uma doação a coroa para sua casa receber uma propriedade e título de nobre menor em Filanti.

Agora Fernão tem um desejo de vingança contra aqueles que proibiram que sua família escapasse da peste.

Abraços
#3 samuel.azevedo Enviado : 27/08/17 20:12
Caracterizações: Seguidor (1)+ Talentoso (3) + Baixa Nobreza (4) + Resistência Extrema (2) + Contatos Criminosos (2) + Patrono Político (0) + Código de Conduta (0) + Compulsão Vingativo (-1) + Compulsão Ganancioso (-1) + Compulsão Cleptomaníaco (-2)+ Fanfarrão (-1) + Deve Favores (-3) = 1+3+4+2+2+0+0-1-1-2-1-3=4


Seguidor (1)
Tarso - o guarda-costas.
O personagem tem um seguidor leal, não um dos mais brilhantes, mas leal. A ficha do seguidor deve ser construída pelo mestre através do sistema de distribuição de pontos. Contudo, os pontos totais devem ser divididos por dois e arredondados para baixo.
O seguidor pode ser de dois tipos: Mundano ou Místico. O mundano possui 3 pontos em grupos de armas e 10 pontos de habilidades por estágio, EH e técnicas de combate como um rastreador. O místico possui 1 ponto em grupos de armas, 3 pontos para aquisição de magias da lista básica de mago ou bardo por estágio e 6 pontos de habilidades por estágio, EH como um mago e não possui pontos em técnicas de combate. O seguidor tem direito a fazer uso de todos os mecanismos que um Jogador normal teria direito em sua ficha.

Talentoso (3): Ganha dois pontos de Habilidade por nível.

Baixa nobreza (4)
O personagem é um cavaleiro real, um barão ou um visconde. Ele herdou esse título de seus pais por ser o primogênito ou o conquistou por algum feito que tenha realizado no passado.
O título de nobreza lhe dá direito a possuir um brasão que lhe identifica como nobre. Além disso, o título vem acompanhado de propriedades e vassalos da extensão de um vilarejo no interior de um reino (pessoas livres que lhe pagam impostos). Os impostos lhe garantem uma renda semanal de 3 moedas de prata.
Seu título garante que você faça testes de impressão com bônus no resultado de +1 nível de dificuldade (modificador estabelecido) contra todas as Pessoas Livres, Comerciantes e Baixa Nobreza do seu reino e pela Baixa Nobreza de outros reinos. Além disso, você é a autoridade máxima em sua cidade quando o monarca não está presente.

Resistência Extrema (2): Qualquer situação relativa a dor que esteja descrito num crítico ou magia não fazem efeito. Isto não quer dizer que o crítico ou magia não funcionem, apenas os efeitos relativos à dor é que não agem.

Contatos Criminosos (2)
: O personagem é conhecido entre os assaltantes, mendigos, contrabandistas, salteadores e outros marginais de uma grande cidade e da região em volta.
Nesta região ele pode contatar todo o tipo de criminosos com muito mais facilidade. Além disso, o personagem irá saber “quem é quem” e ter acesso a esconderijos, mercadoria contrabandeada, informações, etc. mediante pagamento ou favores.
Note que não existe honra entre criminosos e um contato pode trair o personagem sem aviso caso isso se torne vantajoso e razoavelmente seguro.



Patrono Político (0) - Conde Ludur Vartelli
O Patrono Político é um aristocrata que oferece ao personagem cobertura e proteção contra os rigores da lei. Personagens com esse patrono também recebem informação privilegiada sobre as relações políticas entre os vários níveis da aristocracia. Patronos políticos geralmente esperam que seus protegidos lhes atendam quando precisam conseguir informações sobre rotas comerciais, informações pessoais sobre outros aristocratas, informações secretas de uma cidade ou nação, etc.

O patrono deve sempre ser tratado com respeito e consideração pelo seu protegido, pois seu interesse no personagem não é altruístico. De tempos em tempos o personagem deve fazer um “agrado” ao patrono como forma de compensação pelo trabalho que o personagem causa.

Código de Conduta (0)
Encontrar os responsáveis diretos pela morte de seu irmão, Dom Coppa, e indiretos pela morte de sua mãe, Margarida Copaa. Ele foi morto na tarde do dia 1o do mês da rosa de 1498 DC, na guarda fronteiriça entre a cidade lunense de Calisto e a cidade filantiana de Rapso, e ela teve que voltar pelo reino de Luna e contraiu a peste. Causar a desgraça na vida dos responsáveis, os capturar, interrogar para saber quem lhes havia dado a ordem, e por fim os matar. Repetir este código até nenhum responsável pela perda de seus familiares estiver vivo.


Compulsão Vingativo (-1)
O personagem nunca pode deixar um insulto sem uma resposta e agressões ou ataques nunca podem passar em branco, mesmo que sua vingança demore um tempo. A vingança deve ser pelo menos igual à intensidade do insulto, embora possa ser maior, dependendo do personagem. A vingança deve ser feita o mais breve possível e o seu alvo informado do porque da mesma.
Passado algum tempo, o mestre pode atribuir penalidades progressivas de -1 até -4 em todas as ações do personagem que não tenham por finalidade cumprir ou aproximar-se de sua vingança.


Compulsão Ganancioso (-1)
O personagem adora dinheiro e é quase incapaz de resistir ao seu apelo, mesmo que saiba que isso irá lhe causar problemas mais tarde. Caso alguém ofereça dinheiro ao personagem para alguma coisa, ele irá sempre aceitar, a não ser que ele tenha algum motivo claro e forte para não fazê-lo. Mesmo nesse caso ele terá de fazer um teste Difícil de Intelecto para recusar a propina. Caso falhe ele irá aceitar, mesmo sabendo dos problemas que isso irá causar. Além do mais, ele não precisa fazer o que combinou, precisa?

Compulsão Cleptomaníaco (-2)
O personagem não resiste em tentar roubar qualquer coisa pelo simples prazer de roubar. Normalmente o Mestre deverá determinar quando o evento ocorrerá independente da escolha do Jogador.

Fanfarrão (-1)
O personagem é um fanfarrão que está sempre a contar vantagens sobre seus feitos. Comumente exagera ou mesmo mente. Isto com frequência o coloca em situações difíceis onde é desafiado a provar suas façanhas. Com frequência desperta inveja ou antipatia. Quando desafiado, normalmente não recusará o desafio, mas caso a derrota seja óbvia tentará arranjar alguma desculpa convincente. O personagem testa persuasão com -4 colunas de resolução quando tenta convencer alguém que o conheça sobre uma de suas façanhas.

Deve Favores (-3)
- Dívida eterna ao Conde Ludur Vartelli
O personagem ou a sua família deve favores a uma pessoa, grupo ou organização a ser determinado no histórico de seu personagem e que deve ser decidido em conjunto com o Mestre. Os favores surgiram porque essa pessoa, grupo ou organização prestou auxílio em tempo de grande necessidade, retirando você ou sua família de uma situação que não seria possível sair sem a ajuda recebida. Os pontos adquiridos por esta caracterização dependem da quantidade de favores, da complexidade dos mesmos e de quanto esforço é necessário para pagá-la.

Essa característica entra em cena através do Mestre, que deve fazer com que a pessoa, grupo ou organização para quem se devem os favores cobre o personagem. A cobrança pode ser na forma de serviços ou dinheiro e as condições impostas ao Personagem não são negociáveis. Caso o personagem se recuse a pagar os favores que deve, ele deverá ganhar um inimigo ou ter os pontos ganhos por esta caracterização cancelados.
#4 samuel.azevedo Enviado : 27/08/17 20:19
#5 saulocr Enviado : 27/08/17 20:35
Pode fazer as fichas de seu aliado.
#6 samuel.azevedo Enviado : 28/08/17 11:39
EH 2o estágio
#7 samuel.azevedo Enviado : 01/09/17 13:15
A Guilda dos Milagres


Fica na favela conhecida como Corte dos Milagres, formada por ladrões e assassinos. Seu líder é o homem que se autointitula Rei Joaquim, conhecido como o Rei dos Ladrões. O acesso a favela é restrito, sendo comum pessoas não convidadas desaparecerem em suas vielas, repletas de mendigos, rameiras e aleijados, que milagrosamente se recuperam, dai o nome.

Quando se mudou para Chats, Fernão usou sua experiência com o crime em Magiara para estabelecer novos contatos deste tipo. Mas desta vez, ele usou um codinome e um disfarce. Usando roupas comuns, ele se apresentou como Serpente. Porém, como não era convidado foi cercado e estava sendo ameaçado que seria ser morto quando ergueu as mãos e mostrou alguns frascos de drogas e venenos que trazia consigo. Sou estrangeiro e vim negociar e fazer aliados, tem mais de onde estas vieram, mas não vim falar com peixe pequeno como vocês. Levem-me a um cabeça. Então ele foi levado até um bandido chamado Frey, que liderava os traficantes e primeiro inspecionou a qualidade de seus produtos, perguntando: Você não fala como um plebeu, mas veste roupas comuns e traz mercadorias de muita qualidade. Ele colocou um punhal no pescoço de Serpente e disse: Você tem uma chance de responder tudo certo e manter seu pescoço: Quem é você, onde conseguiu esses estimulantes, e este veneno, e o que quer aqui? Vendo que estava sem saída, revelou para Frey: Eu sou um nobre, e eu mesmo fiz a droga e o veneno que você viu. Vim até aqui porque quero fazer negócios, e estes são presentes para você. Quero sigilo, informação e favores em troca de mais desta mercadoria. Frey ficou pensativo, e então fez uma encomenda grande de drogas para Serpente. Se você trouxer 10 frascos de estimulante, 5 frascos de sonífero, 5 frascos de veneno debilitante e 5 de seus antídotos, você está dentro da guilda. Acha que dá conta, Serpente? "Serpente" assentiu, e saiu apressadamente da favela. Pensou em ir imediatamente para casa, mas então lembrou-se de que podia ser seguido, e fez um zigue-zague na cidade, parou em alguns lugares. Entrou na taverna Coice do Unicórnio, onde alugara um quarto, trocou o seu disfarce pelas suas roupas, lavou o rosto e partiu para casa. Por seis dias, trabalhou arduamente e produziu a encomenda, com a maior parte do que tinha em seu laboratório. No sétimo dia, fez todo o processo de disfarce no quarto da taverna, para então visitar a Corte dos Milagres e fazer a entrega. Frey ficou impressionado com seu serviço, perguntou qual era o preço e lhe fez novas encomendas. Serpente lhe deu um pouco mais do preço de custo, e disse "Desta vez, farei a preço camarada, em troca de informação. Não espero que você tenha a informação agora, mas irá buscar por ela. Preciso saber quem eram os guardas deste reino que estavam na guarda fronteiriça entre a cidade lunense de Calisto e a cidade filantiana de Rapso durante o mês da Rosa em 1498, é uma questão de acerto de contas, entende? E preciso de mais contatos, minha matéria prima está acabando." Frey tentou não mostrar que estava impressionado, e como não tinha a informação lhe apresentou a um contato num beco sujo, chamado Urtiga, que seria seu fornecedor. Algumas semanas de idas e vindas, e nenhuma notícia das informações. Numa das visitas, além da encomenda, Serpente trouxe algumas joias "de família" que precisavam de uma nova família, e Frey lhe apresentou Cambu, o atravessador. No encontro da semana seguinte, Frey disse que havia alguém mais da guilda que queria conhecê-lo, mas era alguém muito importante e Serpente teria que revelar sua identidade para o novo contato. Um pouco desconfiado, Serpente somente concordou quando foi apresentado ao Rei Joaquim, que queria conhecer pessoalmente o homem que procurava por uma informação tão pontual e tão distante no reino para um "acerto de contas".
- Entre - disse o "Rei", que ainda estava encapuzado. - Primeiro, diga seu nome e sua casa.
- Fernão da casa Coppa...
O rei pigarreia, e Fernão entende a deixa.
- ... Vossa Majestade.
- Muito bem, eu já sabia quem era você, visconde. - Ele tira o capuz, não era nenhum rosto que Fernão conhecera, ou talvez um rosto que pode ter visto na corte, mas não lembrava ao certo. - A pergunta era apenas um teste, se tivesse errado, estaria morto. Agora vamos aos negócios, a informação que você quer, me parece o trabalho para um assassino. Pedi para Frey testar você nestas semanas, primeiro para saber se não era algum guarda ou assassino rival disfarçado, depois que investigamos quem vocẽ era, ainda o mantive nas sombras para saber o quanto você se envolveria por isto. Você quer contratar alguém para seu ajuste de contas, ou você mesmo o fará?
E o visconde responde:
- Apenas quero os nomes, quando souber quem é o guarda que procuro, eu mesmo quero interrogá-lo.
- E o que ele fez?
- Matou meu irmão, e mandou minha mãe para um caminho de morte.
- Então você quer apenas vingança? É um motivo tão banal... Mas é um começo. Talvez você se torne um de meus assassinos, se provar seu valor. Conseguirei a lista de guardas. Qual era o dia em que o guarda que você procura trabalhou?
- Dia 1o do mês da Rosa, de 1498.
- Vá, daqui a três semanas você terá alguma novidade. Continue trabalhando com os contatos que você fez aqui.

Durante as semanas seguintes, as encomendas de Frey tornaram-se mais simples e às vezes nem havia encomenda, talvez os estoques de venenos e drogas estivessem grandes depois de tanto trabalho, ou talvez fosse um sinal de que o teste passou. Frey, Urtiga e Cambu lhe apresentaram outros contatos que trabalham para eles, entre eles Pardal, o intermediário de alguns mendigos que podem ser pagos para vigiar os nobres e dar informações. Assim, Serpente conheceu e se tornou conhecido por assaltantes, mendigos, contrabandistas, salteadores e outros marginais de Chats e da região em volta.

Contatos:
Aloísio - escudeiro que trabalha para Fernão e agora intermedia os contatos.
Frey - traficante de drogas e venenos, fica no bordel no cortiço a noite.
Urtiga - fornecedor de matéria prima para drogas e venenos, fica no bordel no cortiço a noite.
Cambu - atravessador, receptador, fica no bairro comercial de dia.
Pardal - informante, fica em uma casa/taberna no cortiço a noite.
Rei Joaquim - líder da guilda, possível mentor para a especialização de assassino?
#8 samuel.azevedo Enviado : 26/09/17 09:53
EH Fernão (3o estágio) e Tarso (2o estágio)
#9 samuel.azevedo Enviado : 02/03/18 09:13
EH 4o estágio
#10 samuel.azevedo Enviado : 02/03/18 09:13
EH Tarso, 3o estágio
#11 samuel.azevedo Enviado : 02/03/18 10:28
Aloísio:
Tarso:
Usuários visualizando este tópico
Guest
Ir para o Fórum  
Você não pode adicionar novos tópicos neste fórum.
Você não pode responder a tópicos deste fórum.
Você não pode excluir suas participações deste fórum.
Você não pode editar suas participações neste fórum.
Você não pode criar enquetes neste fórum.
Você não pode votar em enquetes neste fórum.

YAFPro Theme Created by Jaben Cargman (Tiny Gecko)
Powered by YAF | YAF © 2003-2009, Yet Another Forum.NET