Histórico Voltar para Lista
.

Geralmente associamos os experimentos dos magos de eras passadas a fracassos monumentais, ou a obras de uma mente completamente insana, distorcida muito além do imaginável. Os Monstros de Argila foram, até certo tempo, raros exemplos do experimento bem sucedido de um mago brilhante de tempos remotos. Originalmente os “Construtos de Argila” eram uma tentativa de fabricar a criatura mais versátil possível e que possuísse alguma inteligência. Pela manhã, os Construtos de Argila podiam remodelar alguns aspectos do formato de seu corpo. Dessa forma, era possível a criação de asas, diversas pernas, nadadeiras - o que atendesse de forma mais eficaz os desejos de seus criadores. Apesar das infinitas possibilidades, 5 formas aparecem com mais frequência nos registros encontrados nas ruínas de antigos castelos: a de uma montaria com patas de centopeia, utilizada para transportar seus donos por encostas; a forma alada, normalmente utilizados como mensageiros; a forma de humanoide, utilizados como serviçais domésticos, a forma quadrúpede, que servia para proteção, e a forma de rastro fluido, para espionagem e assassinatos.

Atualmente, são encontradas apenas formas arruinadas dessas maravilhas de outrora. Contam as lendas que muitos destes construtos ficaram presos em uma ruína que abrigava um estranho cristal. A energia emanada por ele, ao longo dos séculos, deturpou os Construtos de Argila soterrados, fusionando seus corpos. Hoje em dia eles perderam sua versatilidade, sendo reduzidos a uma monstruosidade que se ergue sobre um corpo longo como o da centopeia, mas robusto como da forma quadrúpede, e apoiado em centenas de patas afiladas de bordas farpadas. Suas asas, apesar de deformadas, ainda são capazes de sustentá-los no ar por algumas horas, caso saltem de um local alto. Da parte da frente do corpo surge um torso razoavelmente humano, mas desgastado e mostrando fragmentos do cristal que os criara.

Em combate, o Monstro de Argila pode atacar com golpes desarmados dos braços humanoides ou com as patas farpadas da forma de centopeia. No entanto, em geral, esses seres vasculham as ruínas em busca de armas mágicas, o que os torna ainda mais letais. Mas sua característica mais letal é a forma de rastro fluido. Ao ter sua EH reduzida a zero, o Monstro de Argila se torna fluido e foge do combate. A fluidificação restaura metade do dano na EH e qualquer efeito de críticos, além de consumir o item mágico que ele estiver empunhando. O Monstro de Argila, após 1 hora, retomará sua forma sólida e procurará a última pessoa que lhe causou dano durante 1 dia, em busca de vingança. Caso não o encontre, retornará a seu local de origem e reiniciará a busca por outra arma mágica para empunhar. Um Monstro de Argila que não possuir uma arma mágica não pode se converter à forma fluida.

De qualquer forma, as características de sua pele são as mesmas da criatura Golem de Argila.

Tipo de Criatura

Criaturas Artificiais

Organização e Habitat

Solitário / Masmorras

Habilidades / Técnicas de Combate

Ataques múltiplos(2), Luta às Cegas(16), Resistência à Dor(20)

Peso/Altura/Comprimento

900 Kg / 5 m / 3 m

Atributos

INT(-2), AUR(1), CAR(0), FOR(5), FIS(5), AGI(2), PER(1)


NomeEstEFEHDefesaAtaqueLMP100%75%50%25%RFRMMoralVB
Monstro de Argila 1580255M3Ataque Desarmado1618192520151020161520 Andando 30 Voando
Patas Farpadas20171329231711